Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

As cinco lições dos jovens empreendedores brasileiros

Eles têm 25 anos, em média, compartilham a habilidade de empreender, inovar e liderar e estão ajudando a transformar o Brasil. Se você também quer usar o conhecimento para mudar o país, participe do Prêmio Jovens Inspiradores

Eles têm 25 anos, em média, e compartilham a habilidade de empreender, inovar e liderar. Por isso, encabeçam startups – as empresas de inovação – que reinventam negócios no país e influenciam hábitos de milhares de pessoas. Alguns desses talentos estudaram no exterior e decidiram voltar para aplicar aqui o que aprenderam em escolas renomadas. É o caso de Gabriel Benarrós, de 24 anos. No segundo ano do ensino médio, o amazonense prestou vestibular para medicina na Universidade Federal do Amazonas. Foi aprovado. Iniciou o curso, mas logo viu que aquela não era sua vocação. Tentou direito: também não se encontrou. Certo dia, comprou um guia de universidades que listava as vinte melhores escolas dos Estados Unidos. Inscreveu-se em todas e foi aceito em dezessete. Optou por Stanford, instituição cravada no Vale do Silício, coração californiano da inovação. Benarrós, como seus pares, absorveu a cultura do Vale e decidiu implantar no Brasil uma ideia testada em ambiente acadêmico. Assim nasceu o Ingresse, plataforma on-line que permite a compra de ingressos para os mais variados eventos. Conectado às redes sociais, o serviço oferece bilhetes para atrações de acordo com o perfil do usuário.

Leia também:

Prêmio Jovens Inspiradores: inscreva-se já!

VEJA.com ouviu sete desses jovens. Na lista abaixo, eles ensinam como colocar uma ideia nova de pé, contornar obstáculos e liderar equipes. “O líder deve estar à frente, para guiar sua equipe, não atrás, para chicoteá-la”, diz Tallis Gomes, criador do Easy Taxi, aplicativo exportado para doze países que permite ao usuário reservar, com um toque na tela do celular, o carro mais próximo. Também foi movido pela vontade de tirar ideias do papel que Marco Gomes, de 27 anos, trocou Brasília por São Paulo. Sem dinheiro, morou de favor na casa de uma amiga até criar a boo-box, plataforma de publicidade para blogs e redes sociais. O negócio vingou e atualmente é considerado modelo bem-sucedido.

Os jovens que, a exemplo de Gabriel, Tallis e Marco, querem usar conhecimento em qualquer área para transformar o Brasil podem buscar apoio no Prêmio Jovens Inspiradores 2013. Ao longo de oito meses, o concurso vai selecionar estudantes ou recém-formados com espírito de liderança e compromisso permanente com a busca da excelência. A triagem será feita pela análise de depoimento em vídeo e ficha de inscrição. Os vencedores ganharão bolsas de estudo no exterior, um ano de orientação profissional com nomes de destaque do meio empresarial e político (mentoring), um troféu e ingresso na Comunidade Fundação Estudar. Inscreva-se no PJI 2013.

Por trás do prémio está a visão de que, para se tornar um país mais justo, desenvolvido e bem administrado, o Brasil precisa formar líderes capazes de desatar os nós que ainda tolhem os setores público e privado. O PJI é promovido por uma parceria entre VEJA.com e Fundação Estudar.