Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Filha do rei da Espanha é acusada em caso de corrupção

Infanta Cristina conheceria as atividades ilegais do marido, que responde a um processo por ter desviado mais de 6 milhões de euros de fundos públicos

Um juiz espanhol acusou a infanta Cristina, filha mais nova do rei Juan Carlos, da Espanha, em uma investigação sobre desvio de dinheiro público por seu marido Iñaki Urdangarin, informou nesta quarta-feira o Tribunal Superior de Justiça das Ilhas Baleares. “O juiz emitiu uma decisão judicial na qual ele chama Cristina de Borbón y Grecia para depor em 27 de abril”, em Palma de Mallorca, disse uma autoridade jurídica à Reuters.

Leia também:

Leia também: Escândalo com genro não afeta apenas o rei Juan Carlos, mas coloca a monarquia na berlinda

Segundo o juiz, a partir das declarações do ex-sócio de Urdangarin, Diego Torres, e do depoimento do secretário das infantas, Carlos García Retorne, surgiu “uma série de indícios” que demonstram que Cristina não desconhecia as atividades ilegais de seu marido. Ele teria desviado, entre 2004 e 2007, mais de 6 milhões de euros de fundos públicos regionais para o Instituto Nóos, que foi presidido por Urdangarin durante vários anos.

Urdangarin foi acusado nesse processo em dezembro de 2011 e já prestou dois depoimentos à justiça. Em sua última declaração, procurou afastar a infanta e a Casa Real do caso e assegurou que nunca aprovou os negócios realizados pelo Instituto Nóos. Ex-jogador de handebol, ele se casou com a filha do monarca em 1997, com que tem quatro filhos. A acusação contra Cristina não tem precedentes e aumenta a pressão para monarca abdicar ao trono.

(Com agências Reuters e EFE)