Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Eliminatórias: Brasil bate Paraguai e atinge marcas históricas em Assunção

Com gols de Neymar e Paquetá, seleção quebrou jejum de 35 anos na capital paraguaia e chegou a seis vitórias nas primeiras seis rodadas das Eliminatórias

Por Da Redação Atualizado em 9 jun 2021, 00h43 - Publicado em 8 jun 2021, 23h23

A seleção brasileira obteve marcas históricas nesta terça-feira, 8, ao bater o Paraguai por 2 a 0. Além de igualar-se ao Brasil das Eliminatórias para a Copa de 1970 ao conseguir seis vitórias nos primeiros seis jogos (é o primeiro time a fazê-lo no atual formato), o time de Tite quebrou um tabu de 35 anos sem vencer em Assunção. Com o ambiente mais leve após o afastamento do presidente da CBF, Rogério Caboclo, o time agora foca as atenções na Copa América, que começa dia 13.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

Diante de uma formação bastante defensiva dos paraguaios, o técnico Tite mexeu na seleção brasileira com as entradas do goleiro Ederson e dos atacantes Roberto Firmino e Gabriel Jesus. O novo esquema favoreceu especialmente Neymar, que jogou bastante solto, na armação das jogadas, e fez uma boa primeira etapa. O camisa 10 abriu o placar logo aos três minutos, após boa arrancada de Jesus pela direita; a bola passou por Richarlison, mas Neymar aproveitou e bateu com categoria.

  • Com isso, Neymar chegou a 11 gols em Eliminatórias pelo Brasil, igualando em 18 jogos o recorde de Romário (oito jogos) e Zico (11 jogos). O Paraguai levou perigo na sequência em chute forte de Alderete que Ederson defendeu. Destaque do time, Miguel Almirón também teve a chance do empate, já quase da pequena área, mas seu chute foi desviado com precisão por Eder Miltão.

    O Brasil, no entanto, dominava as ações e quase ampliou em cobrança de falta de Neymar, que passou rente à trave. Já nos acréscimos, Richarlison chegou a balanças as redes, mas o gol foi anulado por impedimento. Na segunda etapa, Tite mandou Lucas Paquetá a campo na vaga de Fred. O Brasil quase ampliou em cabeçada de Marquinhos, mas a bola passou perto. O jogo perdeu ritmo e foi ficando mais parelho.

    Perto do fim, Tite mandou Gabigol e Everton Cebolinha a campo nas vagas de Gabriel Jesus e Richarlison, mas quem levou pressão foi o Brasil. O goleiro Ederson, no entanto, garantiu a vitória com boa defesa em chute de Espinola. Já nos acréscimos, porém, Paquetá recebeu de Neymar e, com um belo toque de esquerda, selou o 2 a 0.

    Com a vitória, o Brasil chegou a 18 pontos, na liderança isolada, com seis pontos a mais que a vice-líder Argentina, que empatou em 2 a 2 com a Colômbia, fora de casa, nesta noite. Fica agora a expectativa pelo manifesto prometido pelos atletas em relação à Copa América. A possibilidade de boicote, que chegou a ser discutida, tornou-se remota após a saída de Rogério Caboclo da presidência.

    Continua após a publicidade
    Publicidade