Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

As 11 sedes da Eurocopa e quem pode jogar mais vezes em casa

Estreia em Roma nesta sexta e final em Londres em 11 de julho; torneio sem sede fixa pode representar vantagem para algumas seleções

Por Guilherme Azevedo Atualizado em 9 jun 2021, 10h42 - Publicado em 9 jun 2021, 10h33

A bola está prestes a rolar na Eurocopa. Na próxima sexta-feira, 11, Itália e Turquia abrem o torneio no Estádio Olímpico de Roma. Outros dez estádios receberão partidas da edição itinerante, comemorativa dos 60 anos da competição. Por isso, algumas seleções terão a possibilidade de atuar em casa, incluindo as que jogarão as três partidas da fase de grupos diante de sua própria torcida (que estará presente em número reduzido, sob protocolos anti Covid-19).

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

As seleções classificadas que sediarão o torneio jogarão ao menos duas vezes em casa. Inglaterra, Alemanha, Espanha, Itália, Holanda e Dinamarca jogarão os três jogos da fase de grupos em casa, enquanto Hungria, Rússia e Escócia farão apenas duas. A Inglaterra, uma das candidatas ao título, é quem mais pode se beneficiar do chaveamento.

Confira, abaixo, os estádios da Euro e os possíveis caminhos das seleções:

Wembley (Londres, Inglaterra)

O estádio de Wembley, na Inglaterra -
O estádio de Wembley, na Inglaterra – Simon Stacpoole/Getty Images

Um dos mais tradicionais estádios do mundo, a casa do futebol britânico, em Londres, passou por uma grande reforma entre 2003 e 2007, mas existe desde 1923. Wembley será palco de três partidas do grupo D, além de cinco no mata-mata, incluindo semifinais e final. Poderá receber público até 25% da capacidade do estádio. Caso a Inglaterra chegue à final, fará de cinco a seis partidas em casa (dependendo da posição em que avançar na sua chave).

Johan Cruijff Arena (Amsterdam, Holanda)

O estádio Johan Cruyff Arena , na Holanda -
O estádio Johan Cruyff Arena, na Holanda – Sebastian Widmann/Getty Images

Inaugurado em 1996 para sediar partidas do Ajax, o estádio holandês já foi palco de cinco confrontos da Euro de 2000. Nomeado Johan Cruijff Arena em 2018, em homenagem à morte do lendário ex-jogador e técnico, ele receberá quatro partidas, sendo três delas do grupo C e uma nas oitavas de final. Poderá receber entre 25 e 33% da capacidade de lotação.

  • Olímpico de Baku (Baku, Azerbaijão)

    O estádio Olímpico de Baku, no Azerbaijão -
    O estádio Olímpico de Baku, no Azerbaijão – Dan Mullan/Getty Images

    Extremamente moderno, o Estádio Olímpico de Baku foi construído para os Jogos Europeus de 2015. Em 2019, o estádio foi palco da final da Liga Europa. Nesta Eurocopa, receberá três partidas do grupo A e um dos confrontos das quartas de final. Em todos os quatro jogos disputados no local, o público poderá frequentar. A máxima de lotação é de 50% da capacidade do estádio. Porém, o país aceitará viajantes apenas cidadãos ou residentes da Turquia, Suíça ou Reino Unido. A seleção local não se classificou para a competição.

    Arena Nationala (Bucareste, Romênia)

    A Arena Nationala, na Romênia -
    A Arena Nationala, na Romênia – Daniel Mihailescu/Getty Images

    A Arena Nationala é mais um “campo neutro” para a Euro. Sede de três partidas do grupo C, o estádio inaugurado em 2011 receberá, nas oitavas, a seleção campeã do grupo F, que tem Alemanha, França e Portugal. Os jogos na Romênia não poderão ter lotação maior que um quarto da capacidade do estádio.

    Continua após a publicidade

    Puskás Arena (Budapeste, Hungria)

    O estádio Puskas Arena, na Hungria-
    O estádio Puskas Arena, na Hungria- Matthew Ashton/Getty Images

    Construído sobre as demolições do antigo Estádio Ferenc Puskás, a Puskás Arena foi inaugurada no fim de 2019. O estádio na capital húngara receberá dois jogos de sua seleção nacional e a reedição da última final de Euro, Portugal e França. Além disso, será palco de um dos confrontos das oitavas de final. Será a única sede permitida a receber 100% de lotação do estádio nos jogos disputados. A capacidade máxima é de 67.215 torcedores. Segundo autoridades de saúde, a Hungria já vacinou mais de 35% da população.

    Parken Stadium (Copenhaguen, Dinamarca)

    O estádio Telia Parken, na Dinamarca -
    O estádio Telia Parken, na Dinamarca – Stephen McCarthy/Getty Images

    O estádio inaugurado, após intensa remodelação do original, em 1992, é a casa dos grandes eventos dinamarqueses. Com cobertura retrátil, devido ao forte frio do local durante meses de inverno, é considerado um palco moderno. Receberá, no total, quatro jogos da Euro, todos eles com público, mas com limite em 45% da lotação máxima.

    Hampden Park (Glasgow, Escócia)

    O estádio Hampden Park, na Escócia -
    O estádio Hampden Park, na Escócia – Paul Harding/Getty Images

    Uma das casas do futebol, o centenário Hampden Park agrega em história e charme à Euro. Assim como a maioria das sedes, receberá quatro jogos (três da fase de grupos e um das oitavas de final), dois deles, com certeza, da sua seleção nacional, a Escócia. O estádio recebeu em 1937 o maior público da história do futebol europeu, 149.415 pessoas. Porém, para a Euro, não poderá contar com a presença de mais de 12.000 torcedores, 25% da capacidade atual.

    Arena de Futebol de Munique (Munique, Alemanha)

    O estádio Allianz Arena, na Alemanha -
    O estádio Allianz Arena, na Alemanha – S. Mellar/Getty Images

    Conhecida pela maioria como Allianz Arena, o estádio foi renomeado temporariamente pela Uefa para a disputa da Euro. Casa do gigante Bayern de Munique, o estádio moderno será sede de jogos da Euro de 2024 e da final da Champions League 2022/23. Nesta edição, receberá três partidas do grupo F e uma das quartas de final. Em questão de público, apenas 22% da capacidade total poderá ser ocupada. No chamado “grupo da morte”, a Alemanha terá a vantagem de encarar França e Portugal em casa.

    Olímpico de Roma (Roma, Itália)

    O Stadio Olimpico, na Itália -
    O estádio Olimpico, na Itália – Valerio Pennicino/Getty Images

    O Estádio Olímpico de Roma é um dos mais tradicionais palcos do futebol mundial. Localizado em uma cidade charmosa e marcada pela história, o estádio já foi palco de final de Copa do Mundo. Na Euro 2020, abrirá as portas para três partidas da fase de grupos, inclusive a estreia do torneio, e uma das quartas de final e poderá receber 16.000 torcedores.

    Saint Petersburg Stadium (São Petersburgo, Rússia)

    O estádio Saint Petersburg, na Rússia -
    O estádio Saint Petersburg, na Rússia – Peter Kovalev/Getty Images

    Localizado em Krestovsky, ilha de São Petersburgo, o Saint Petersburg Stadium é chamado localmente pelos torcedores do Zenit (clube mandante) de Arena Gazprom. Remodelado para a Copa do Mundo da Rússia de 2018, acomodará a final da próxima Liga dos Campeões. Na Euro, receberá sete partidas (três do grupo B e três do grupo E) e uma das quartas de final. Metade da capacidade do estádio poderá ser lotada de torcedores.

    Estádio La Cartuja (Sevilla, Espanha)

    O estádio de La Cartuja, na Espanha -
    O estádio de La Cartuja, na Espanha – Mateo Villalba/Getty Images

    Pouco utilizado em caráter nacional, o Estádio La Cartuja foi construído em 1999 e não é casa de nenhum dos grandes clubes da cidade de Sevilla. Escolhido de última hora como sede da Euro após a desistência de Bilbao, o governo da Andalusia (região em que está localizada o estádio), permitiu presença de público, respeitando o máximo de 30% da lotação máxima. La Cartuja receberá três jogos da Espanha na fase de grupos e uma partida a ser definida das oitavas.

    A Uefa deixa claro que as decisões acerca de presença de público são de responsabilidade dos governos locais.

    Continua após a publicidade
    Publicidade