Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

A péssima última lembrança de Messi contra a Venezuela

Camisa 10 voltou à seleção após a eliminação na Copa do Mundo em uma derrota exatamente contra o rival das quartas de final da Copa América

Por Alexandre Senechal - 25 jun 2019, 19h08

Lionel Messi decidiu dar um tempo da seleção argentina depois da eliminação nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2018. Foram seis jogos amistosos até o capitão decidir defender as cores do país novamente em março desse ano. A aguardada volta, que rendeu até uma rasgada homenagem da AFA sobre a genialidade do jogador, foi mais uma frustração do camisa 10. Apesar da boa atuação de Messi, os argentinos perderam para a Venezuela por 3 a 1. O rival é o próximo adversário da Argentina na Copa América.

Tabela completa da Copa América 2019

Naquele 22 de março de 2019, só Messi escapou das críticas da imprensa do país. O atacante jogou bem, criou várias chances, mas parou no goleiro Wuilker Fariñez. O único gol, marcado por Lautaro Martínez, saiu após uma jogada que começou com o camisa 10. “Foi o melhor em uma equipe sem brilho”, definiu o jornal Clarín na ocasião.

Entre os que participaram daquele amistoso no estádio Wanda Metropolitano, em Madrid, apenas nove jogadores foram convocados para a Copa América. O técnico era o mesmo: Lionel Scaloni. “A Venezuela é uma seleção muito interessante, que vem trabalhando junta faz muito tempo. Eles ganharam da gente, empataram com o Brasil. Será um rival difícil”, afirmou o treinador logo após a vitória sobre o Catar em Porto Alegre, que definiu que Argentina e Venezuela se enfrentariam nas quartas de final da Copa América.

Se depender do histórico, a Argentina é a favorita para o duelo da próxima sexta-feira, 28, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. As duas seleções se enfrentaram 24 vezes e os hermanos venceram 20 vezes, contra apenas dois triunfos do adversário. Já o retrospecto recente é favorável aos venezuelanos, que não perdeu os últimos três encontros. 

Publicidade