Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cientistas identificam área cerebral que ajuda a tomar decisões

Região do córtex frontal responsável por habilidades cognitivas sofisticadas existe apenas nos humanos

Uma nova área cerebral, identificada apenas em humanos, parece ser a responsável por nos ajudar a mudar de ideia quando percebemos que fizemos a pior escolha. Pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, encontraram no cérebro humano uma região do córtex frontal que não tem atividade equivalente em macacos. Essa área, envolvida no planejamento estratégico, tomada de decisão e execução de múltiplas tarefas, também monitora o quanto são interessantes as oportunidades perdidas.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Comparison of Human Ventral Frontal Cortex Areas for Cognitive Control and Language with Areas in Monkey Frontal Cortex

Onde foi divulgada: periódico Neuron

Quem fez: Franz-Xaver Neubert, Rogier B. Mars, Adam G. Thomas, Jerome Sallet e Matthew F.S. Rushworth

Instituição: Universidade de Oxford, na Inglaterra

Dados de amostragem: 25 humanos e 25 macacos

Resultado: Os pesquisadores identificaram uma área cerebral exclusivamente humana responsável por atividades cognitivas como planejamento estratégico, tomada de decisão e flexibilidade. Também encontraram diversas semelhanças e diferenças entre o córtex frontal ventrolateral de homens e macacos

“Achamos que ter a capacidade de planejar o futuro, ser flexível nas escolhas e aprender com os rumos que não seguimos são coisas impressionantes nos homens. Identificamos uma área no cérebro que parece ser exclusivamente humana e que, provavelmente, tem a ver com essas habilidades cognitivas”, afirmou Matthew Rushworth, um dos autores do estudo que será publicado na edição de fevereiro do periódico Neuron.

Leia também:

Desenvolvimento do cérebro humano seguiu a mesma programação genética de outros primatas

Estudo mapeia área do cérebro relacionada à inteligência

O objetivo da pesquisa era encontrar semelhanças e diferenças no córtex frontal ventrolateral de humanos e macacos. Essa região, envolvida em processos cognitivos sofisticados do homem, como a linguagem e a capacidade de projetar ações futuras, só existe em humanos e outros primatas.

Para analisar de que forma ele funciona e se conecta a outras partes do cérebro, os cientistas submeteram 25 voluntários a ressonâncias magnéticas. Depois de ver em detalhes as conexões de cada parte do córtex frontal ventrolateral, identificaram doze áreas em que ele funcionava de maneiras diversas.

Na segunda etapa, os pesquisadores repetiram o procedimento em 25 macacos. Em vez das doze regiões encontradas nos humanos, havia onze. “Isso pode estar relacionado à capacidade do homem em ser particularmente bem sucedido em tarefas que requerem planejamento estratégico e tomada de decisão”, afirmou Franz-Xaver Neubert, principal autor do estudo.

Origem da fala – Outra diferença importante entre o cérebro de homens e macacos é a área ligada ao sistema auditivo de ambos. Nos humanos, as partes do cérebro que ajudam a compreender as palavras faladas são intensamente conectadas ao córtex frontal ventrolateral. Nos macacos, além de mais raras, as ligações do sistema auditivo são feitas com partes do cérebro ligadas a respostas emocionais e sociais. Essa pode ser uma das explicações de por que os homens falam e os macacos não.