Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Fifa reconhece Santos, Fla e Grêmio como campeões mundiais

Entidade encerrou longa polêmica e igualou em importância o torneio intercontinental, disputado entre 1960 e 2004, ao Mundial de Clubes da Fifa

Por Da redação Atualizado em 27 out 2017, 17h07 - Publicado em 27 out 2017, 08h58

A Fifa reconheceu nesta sexta-feira os títulos intercontinentais conquistados por clubes europeus e sul-americanos entre 1960 e 2004 como legítimos Mundiais. A decisão foi tomada em reunião do Conselho da entidade, em Calcutá, na Índia, e coloca fim a uma longa e controversa discussão: agora os títulos conquistados por Santos (1962 e 1963), Flamengo (1981), Grêmio (1983) e São Paulo (1992 e 1993) tem o mesmo peso para Fifa que os Mundiais de Clubes conquistados por Corinthians (2000 e 2012), São Paulo (2005) e Inter (2006). A Fifa, porém, deixou de fora torneios como a Copa Rio, vencida por Palmeiras e Fluminense na década de 50.

O Flamengo campeão mundial, comandado por Zico, em 13 de dezembro de 1981
O Flamengo campeão mundial de 1981 Sebastião Marinho/Agência O Globo/VEJA

Em 2014, Joseph Blatter, então presidente da Fifa, atendeu a um pedido do ex-ministro do Esporte Aldo Rebello e enviou uma carta reconhecendo o título de 1951 do Palmeiras como uma “conquista mundial”. A Fifa, porém, esclareceu que, ainda que reconhecesse o valor das disputas passadas, apenas poderia reconhecer como “oficial” os torneios promovidos por ela. Isso significava que não apenas o de 1951 estava descartado, mas também as disputas entre sul-americanos e europeus entre 1960 e 2004.

A Conmebol decidiu reagir e pedir oficialmente que o assunto fosse reconsiderado. Mas mesmo a entidade sul-americana reconhece que não tinha argumentos para defender que torneios antes de 1960 fossem considerados como oficiais. Alejandro Domínguez, presidente da entidade, explicou que o ano de 1960 foi escolhido por causa do início da Copa Libertadores nesta data – a competição definia quem era o representante da região no Mundial Interclubes.

O Mundial que o Palmeiras alega ter vencido ocorreu quando a Libertadores ainda não existia. A Copa Rio teve uma segunda edição realizada em 1952, vencida pelo Fluminense, que por isso também postulava o reconhecimento de campeão mundial. A oficialização da mudança desta sexta propiciou um caso curioso: o ano de 2000 passa a ter dois campeões mundiais: Corinthians e Boca Juniors.

  • Todos os campeões mundiais, segundo a Fifa:

    1961 – Peñarol (Uruguai)
    1962 – Santos (Brasil)
    1963 – Santos (Brasil)
    1964 – Inter de Milão (Itália)
    1965 – Inter de Milão (Itália)
    1966 – Peñarol (Uruguai)
    1967 – Racing (Argentina)
    1968 – Estudiantes (Argentina)
    1969 – Milan (Itália)
    1970 – Feyenoord (Holanda)
    1971 – Nacional (Uruguai)
    1972 – Ajax (Holanda)
    1973 – Independiente (Argentina)
    1974 – Atlético de Madrid (Espanha)
    1976 – Bayern de Munique (Alemanha)
    1977 – Boca Juniors (Argentina)
    1979 – Olímpia (Paraguai)
    1980 – Nacional (Uruguai)
    1981 – Flamengo (Brasil)
    1982 – Peñarol (Uruguai)
    1983 – Grêmio (Brasil)
    1984 – Independiente (Argentina)
    1985 – Juventus (Itália)
    1986 – River Plate (Argentina)
    1987 – Porto (Portugal)
    1988 – Nacional (Uruguai)
    1989 – Milan (Itália)
    1990 – Milan (Itália)
    1991 – Estrela Vermelha (Sérvia)
    1992 – São Paulo (Brasil)
    1993 – São Paulo (Brasil)
    1994 – Vélez Sarsfield (Argentina)
    1995 – Ajax (Holanda)
    1996 – Juventus (Itália)
    1997 – Borussia Dortmund (Alemanha)
    1998 – Real Madrid (Espanha)
    1999 – Manchester United (Inglaterra)
    2000 – Boca Juniors (Argentina) e Corinthians (Brasil)
    2001 – Bayern de Munique (Alemanha)
    2002 – Real Madrid (Espanha)
    2003 – Boca Juniors (Argentina)
    2004 – Porto (Portugal)
    2005 – São Paulo (Brasil)
    2006 – Inter (Brasil)
    2007 – Milan (Itália)
    2008 – Manchester United (Inglaterra)
    2009 – Barcelona (Espanha)
    2010 – Inter de Milão (Itália)
    2011 – Barcelona (Espanha)
    2012 – Corinthians (Brasil)
    2013 – Bayern de Munique (Alemanha)
    2014 – Real Madrid (Espanha)
    2015 – Barcelona (Espanha)
    2016 – Real Madrid (Espanha)

    (com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade