Clique e assine a partir de 9,90/mês

Vaticano afirma que ‘Vatileaks’ é tentativa de chantagem

Jornal italiano diz que vazamentos devem levar a revelações 'escandalosas'

Por Da Redação - 6 jun 2012, 12h45

A ameaça dos recentes vazamentos para a imprensa sobre os conflitos internos da Santa Sé foi chamada nesta quarta-feira de “chantagem” pelo porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi. “É uma ameaça grave. A palavra chantagem me parece a mais compreensível. Chegamos a uma situação tal, que, mais do que uma ameaça, trata-se de uma chantagem”, afirmou Lombardi durante uma conversa com a imprensa.

Dez dias depois da prisão do mordomo do papa, Paolo Gabriele, acusado de ser o responsável pelos vazamentos para a imprensa de documentos confidenciais de Bento XVI, o jornal italiano La Repubblica anunciou no domingo que as revelações vão continuar.

Segundo o diário, um dos “espiões” responsáveis pelos vazamentos anunciou que entregará novos documentos internos até que “sejam expulsos do Vaticano os verdadeiros responsáveis”, indicando entre eles o número dois da Santa Sé, o cardeal italiano Tarcisio Bertone e o secretário particular do papa, o alemão Georg Gänswein.

Esclarecimentos – O jornal afirma esperar revelações internas escandalosas, e parece indicar que o mordomo do papa não era o único a fornecer documentos à imprensa italiana. O mordomo foi interrogado nesta quarta-feira pelo segundo dia consecutivo na presença de seus advogados. Gabriele corre o risco de receber uma pena de seis anos de prisão.

Continua após a publicidade

Acusado de roubo agravado, Gabriele é mantido em uma cela dentro da polícia do Vaticano. Segundo o sistema judicial, ele pode permanecer em custódia cautelar por uma duração máxima de 50 dias, prorrogável para outros 50, mas também pode ser perdoado pelo papa em qualquer momento do processo.

(Com agência AFP)

Publicidade