Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

O duro trabalho de um cão farejador

Um único cão pode ter 250 milhões de celulas sensórias do olfato. O homem tem apenas 5 milhões.

Por Érica Pontes Atualizado em 10 dez 2018, 10h37 - Publicado em 28 jul 2010, 17h09

No primeiro vídeo da série sobre cães que trabalham você conheceu a história de Diesel, um cão-guia de dois anos que trabalha quase onze horas por dia. No vídeo de hoje, você descobre como é o trabalho dos cães farejadores. Conan, um labrador de cinco anos, acabou de voltar de sua última missão na cidade de Branquinha, em Alagoas. O cachorro tem um currículo invejável: já ajudou a encontrar quatro vítimas. Um cão bem treinado tem capacidade 44 vezes maior do que o ser humano de identificar odores diferentes, como o “cheiro” de explosivo, drogas ou até mesmo pessoas em escombros. Mesmo assim o treinamento precisa começar cedo. Rati, um filhote de cinco meses, treina constantemente. Acompanhe sua rotina e saiba mais sobre cães farejadores neste vídeo.

No próximo vídeo da série, nesta quinta-feira, você conhece dois cães que ganham a vida como atores e modelos. E no último vídeo do especial, na sexta-feira, você vai saber como os cachorros podem ajudar na reabilitação de pacientes crônicos.

Publicidade