Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Mulher e amante tramaram morte de embaixador da Grécia 

PM confessou o crime e relatou participação de um primo e de outro homem, que delataram a viúva. Polícia pede prisão dos quatro suspeitos

Por Leslie Leitão Atualizado em 30 dez 2016, 16h49 - Publicado em 30 dez 2016, 11h26

A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) está pedindo, no plantão judiciário, a decretação da prisão preventiva de quatro suspeitos de terem tramado a morte do embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis, de 59 anos, que estava desaparecido desde a última segunda-feira. O corpo foi encontrado dentro de um carro carbonizado no Arco Metropolitano, em Nova Iguaçu. Entre os envolvidos estão a viúva do diplomata, Françoise Amiridis, e um policial militar que seria seu amante.

PM envolvido na morte do embaixador da Grécia
O policial militar Sérgio Gomes Moreira Filho, envolvido na morte do embaixador da Grécia no Rio de Janeiro

O soldado Sérgio Gomes Moreira Filho, de 29 anos, lotado na UPP do Morro do Fallet, confessou o crime depois que os investigadores mostraram que tinham em mãos uma filmagem dele entrando e saindo da casa no grego, em Nova Iguaçu, na noite do crime. Para os agentes, ele ainda não contou toda a verdade, mas admitiu participação no assassinato. Assim que a prisão for decretada, a Polícia Civil dará uma entrevista coletiva para dar mais detalhes do caso.

  • O site de VEJA apurou, no entanto, que a trama para matar o embaixador grego começou a partir do dia 22, quando ele e a mulher tiveram uma briga dentro de casa. Ela teria sido agredida e decidido se vingar. “A partir daí ela contou para o PM, que era amante dela, e eles tramaram o crime”, explica um investigador.

    Embaixador da Grécia Kyriakos Amiridis
    O embaixador da Grécia, Kyriakos Amiridis e a embaixatriz, Françoise Amiridis no stand da Grécia durante a Feira das Embaixadas em Brasília – 12/11/2016 Reprodução/Facebook

    Em depoimento prestado na tarde desta quinta-feira, a mulher do embaixador contou que o marido estava em casa e decidiu sair sem dizer para onde ia na última segunda-feira. O casal morava em Brasília e estava passando férias em Nova Iguaçu. Cônsul-geral da Grécia no Rio de 2001 a 2004, Amiridis assumiu o posto de embaixador da Grécia no Brasil há um ano.

    Françoise chegou nesta sexta-feira à delegacia, por volta de 10h.  Ela estava acompanhada de policiais e não quis falar com a imprensa.

    Polícia confirma que carro encontrado incendiado foi alugado pelo embaixador da Grécia, Kyriakos Amiridis
    Carro alugado pelo embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis, visto no pátio da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), em Belford Roxo (RJ) – 30/12/2016 Jose Lucena/Futura Press/Folhapress
    Continua após a publicidade
    Publicidade