Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Greve geral: confira como foram os protestos desta sexta no país

Paralisações foram registradas em todos os estados e no DF, com confrontos vi0lentos no centro do Rio e perto da casa de Temer em São Paulo

Paralisação e protestos foram registradas em 25 estados e no Distrito Federal nesta sexta-feira (28/04) na greve geral convocada pelas centrais sindicais e por movimentos de esquerda contra as reformas trabalhista e da Previdência propostas pelo presidente Michel Temer (PMDB). A greve geral deixou várias capitais, como São Paulo, com cara de feriado, com pouco movimento nas ruas, principalmente em razão da paralisação do transporte coletivo. Os principais confrontos com a polícia ocorreram no centro do Rio de Janeiro e no entorno da casa de Temer, no Alto de Pinheiros, bairro de altíssimo padrão na zona oeste de São Paulo.


21:02 – Confronto começa a arrefecer, com reforço de policiais e a dispersão de manifestantes, mas deixa um rastro de destruição no entorno da casa do presidente Michel Temer – há lixeiras espalhadas pelas ruas, placas de trânsito e cancelas arrancadas, calçadas destruídas (manifestantes arrancaram pedaços de concreto para jogar nos PMs), vidros quebrados, lixo incendiado e portões arrombados. Há estilhaços de bomba e pedaços de ferro e paus espalhados pelas ruas. O grupo não contava com nenhum dos líderes oficiais da manifestação, que desistiram de ir até a casa do presidente. O líder do MTST, Guilherme Boulos, fez uma apelo para que ninguém fosse à residência de Temer, mas foi ignorado pelo grupo.


20:31 – A Tropa de Choque se divide em três  grupos para fazer a varredura das ruas e dispersar os manifestantes. Com pedaços de paus e pedras, grupos de mascarados enfrentam a PM transformando as ruas no entorno da casa de Temer em verdadeiro palco de uma batalha campal. O bairro é de alto padrão, com vários casarões de luxo.


20:27 – Um grupo de manifestantes tenta derrubar as grades de segurança em torno da casa de Temer e começa a arremessar paus e pedras. A tropa de choque da PM chega rapidamente e começou a disparar balas de borracha e bombas de efeito moral para cima dos manifestantes. Uma parte dispersou, mas um grupo arrancou lixeiras e concretos das calçadas para arremessar contra os policiais. Um portão de uma casa foi arrombado, mas os manifestantes não entraram. Um veículo da PM avança para cima dos manifestantes com jatos d’água.


20:11 – Manifestantes e policiais militares entram em confronto próximo à casa de Temer.  O grupo se desgarrou do restante dos manifestantes, ignorando apelos do líder do MTST, Guilherme Boulos, para que não fosse em frente – eles responderam que “não teria arrego” e partiram em direção à casa do presidente. No carro de som, o coordenador do MTST avisou que não daria para todo mundo ir ao local, pois as ruas são estreitas.  O grupo dissidente parou em frente a um bloqueio montado pelo GSI e reforçado pelo PM. Uma grade de quase 1 metro foi colocada em volta da Praça Norma Arruda para impedir o acesso à rua Bennet, onde Temer tem a sua propriedade. Manifestantes começaram a lançar objetos para cima dos PMs e tentam acender uma fogueira na praça. A PM respondeu com balas de borracha e bombas de gás lacrimogênio. Os manifestantes recuaram.


19:45 – Manifestantes passam sem problemas pela barreira montada pela PM na Praça Pan-Americana e seguiram em direção até a casa do presidente Michel Temer. Na praça, muitos carros entraram na contramão para desviar do ato. Na Praça Pero Vaz, a cerca de 150 metros da casa de Temer, o carro de som parou e os manifestantes se dividiram em dois grupos – um continuou na Avenida Professor Fonseca Rodrigues e o outro seguiu até a casa de Temer.

Protestos em São Paulo Os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o coordenador nacional do MTST, Guilherme Boulos, na passeata pela avenida Faria Lima, em São Paulo

Os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o coordenador nacional do MTST, Guilherme Boulos, na passeata pela avenida Faria Lima, em São Paulo (Eduardo Gonçalves/VEJA.com)


19:35 –  Em nota, o presidente Michel Temer criticou os protestos realizados hoje. Segundo ele, “pequenos grupos bloquearam rodovias e avenidas para impedir o direito de ir e vir do cidadão, que acabou impossibilitado de chegar ao seu local de trabalho ou de transitar livremente”. “Fatos isolados de violência também foram registrados, como os lamentáveis e graves incidentes ocorridos no Rio de Janeiro”.

 (/)


19:00 – Trens da CPTM e do Metrô circulam parcialmente em São Paulo nesta sexta-feira, segundo balanço atualizado às 19h


18:50 – A produção de veículos no Estado de São Paulo foi paralisada nesta sexta-feira, em meio à greve geral convocada por várias categorias profissionais do país contra as reformas trabalhista e da Previdência, informaram montadoras, sindicatos e fontes do mercado. Na região do ABC paulista, principal polo automotivo do país, cerca de 60 mil trabalhadores de montadoras, fabricantes de autopeças e de outras empresas do setor aderiram à greve, informou o Sindicato do Metalúrgicos do ABC, ligado à Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Montadora da Peugeot Citroën, na cidade de Porto Real (RJ) Montadora da Peugeot Citroën, na cidade de Porto Real (RJ)

Montadora da Peugeot Citroën, na cidade de Porto Real (RJ) (Jonne Roriz/VEJA)


18:45 – No Twitter, a ex-presidente Dilma disse que a greve mostra que o povo brasileiro é valente e capaz de resistir a mais um golpe.

 


18:40 – A Polícia Militar dispersou hoje, com bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo, a principal manifestação prevista para ocorrer no centro do Rio como parte da greve geral em protesto contra as reformas que vêm sendo desenvolvidas pelo governo. Após a dispersão, veículos foram incendiados.  Pelo menos cinco ônibus foram incendiados no centro do Rio de Janeiro durantes as manifestações que ocorrem hoje na cidade. 

Protestos no RJ durante a Greve Geral Ônibus são queimados durante os protestos no Rio de Janeiro contra as reformas da previdência e trabalhista do governo Michel Temer – 28/04/2017

Ônibus são queimados durante os protestos no Rio de Janeiro contra as reformas da previdência e trabalhista do governo Michel Temer – 28/04/2017 (Ricardo Moraes/Reuters)

 



18:36 – Após discursos dos líderes da CUT, Vagner de Freitas, e do MTST, Guilherme Boulos, e de políticos como os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Gleisi Hoffman (PT-PR) e o deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP), os manifestantes começam a caminhar pela avenida Faria Lima em direção à casa do presidente Michel Temer (PMDB). Os organizadores estimam em 70 mil o número de manifestantes.

Protestos em São Paulo Manifestantes em protesto no Largo da Batata, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo – 28/04/2017

Manifestantes em protesto no Largo da Batata, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo – 28/04/2017 (Ricardo Matsukawa/VEJA.com)


18:10 – Três importantes avenidas de São Paulo estão interditadas – Paulista e Faria Lima nos dois sentidos e Rebouças no sentido bairro – por manifestantes que caminham pela cidade em direção ao Largo da Batata, em Pinheiros, de onde devem ir para a casa de Temer, no Alto de Pinheiros.  A polícia montou bloqueios na Praça Pan-Americana para impedir os militantes.


18:09 – No centro do Rio de Janeiro, na região da Cinelândia, três ônibus foram incendiados por manifestantes que continuam montando barricadas, colocando fogos em objetos e entrando em confronto com a PM. O trânsito está totalmente parado na região.

Protestos no RJ durante a Greve Geral Manifestantes põem fogo em móveis durante protesto no Rio contra as reformas trabalhistas e da previdência do governo Michel Temer – 28/04/2017

Manifestantes põem fogo em móveis durante protesto no Rio contra as reformas trabalhistas e da previdência do governo Michel Temer – 28/04/2017 (Ricardo Moraes/Reuters)


18:00 – Milhares de pessoas se concentram neste momento no Largo do Batata, em Pinheiros (zona oeste de São Paulo), para sair em passeata. A ideia é ir até a casa do presidente Michel Temer (PMDB), mas o comando da Polícia Militar avisou que só vai permitir a caminhada até a Praça Pan-Americana. O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, e o major Luis Guillon se reuniram agora há pouco para combinar o trajeto, mas não chegaram a um acordo. A PM já se antecipou e fez um bloqueio na praça. Uma tropa também está posicionada para fazer a proteção na residência de Temer, cuja segurança é feita pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI).


17:10 – Crítico dos movimentos de esquerda, Marcelo Madureira, humorista do grupo Casseta & Planeta e comentarista da rádio Jovem Pan, é agredido com empurrões e tapas no seu microfone por manifestantes que protestavam no centro do Rio de Janeiro contra as reformas trabalhista e da Previdência. Ele é obrigado a abandonar o local, aos gritos de “golpista” e “fascista”.


17:09 – Secretaria Municipal de Educação, Esportes e Lazer do Rio de Janeiro informa que, do total de 1537 escolas da rede de ensino público do município, apenas 212 tiveram funcionamento normal nesta sexta-feira. Outras 1.070 escolas estão com atendimento parcial. Há 256 escolas municipais fechadas.


17:00 – Manifestantes na Avenida Paulista decidem ir em caminhada do Masp até o escritório da Presidência da República, próximo à rua Augusta, para protestar contra as reformas propostas por Michel Temer (PMDB), alvo de duras críticas, inclusive por ter se aposentado aos 55 anos de idade. O trajeto, de cerca de seis quadras, deve provocar mais interrupções na avenida, que, até agora, tinha só a quadra do museu interditada.

Greve Geral - Ato na Paulista Manifestantes protestam na Avenida Paulista, região central de São Paulo, contra as reformas trabalhista e da Previdência – 28/04/2017

Manifestantes protestam na Avenida Paulista, região central de São Paulo, contra as reformas trabalhista e da Previdência – 28/04/2017 (Lucas Mello/VEJA.com)


16h;40 – Manifestantes e policiais militares entram em confronto no centro do Rio de Janeiro, no entorno do prédio da Assembleia Legislativa do Rio. PMs lançam bombas de gás. Manifestantes encapuzados destroem placas de trânsito, colocam fogo em objetos, fazem barricadas e lançam objetos contra os policiais.

Protestos no Rio de Janeiro Manifestantes entram em confronto com a polícia durante protesto no centro do Rio contra as reformas de Michel Temer – 28/04/2017

Manifestantes entram em confronto com a polícia durante protesto no centro do Rio contra as reformas de Michel Temer – 28/04/2017 (Ricardo Moraes/Reuters)


16:10 – Há pelo menos três protestos em andamento na cidade. Na Avenida Paulista, cerca de 200 manifestantes filiados à CSP (Central Sindical e Popular), ligada ao PSTU, se concentram em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp) para protestar contra as reformas trabalhista e da Previdência. No Largo da Batata, em Pinheiros (zona oeste de São Paulo), começam a chegar manifestantes para concentração  que pretende ir até a casa do presidente Michel Temer (PMDB). Na prefeitura, professores da rede municipal fazem protesto.


15:37 – Relembre a greve geral de 1989, que não colou em São Paulo (apesar do apoio da prefeita Luiza Erundina), mas parou capitais como Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Porto Alegre e Vitória.

Greve Geral de 1989 Bancários aderem à greve geral na Avenida Paulista em março de 1989

Bancários aderem à greve geral na Avenida Paulista em março de 1989 (Epitácio Pessoa/Estadão Conteúdo)


15:20 – A central sindical internacional IndustriALL Global Union, que representa trabalhadores dos setores de energia e mineração, manifestou apoio à greve brasileira nas redes sociais:


15:15 – Em São Paulo, a paralisação do transporte público deixou as ruas vazias e com lojas fechadas. Confira em imagens o efeito da greve geral na capital paulista:


15:05 – Tinha contas para pagar nesta sexta-feira? Com as agências bancárias fechadas, saiba o que fazer para quitar as contas.


14:42 – Alexandre Correa, marido da apresentadora Ana Hickmann, não ficou nada contente com a greve geral de hoje. O empresário fez uma série de postagens no Instagram, todas na função “story” (em que as publicações são apagadas em 24h). “Manifestantes cornos. Eu tenho prejuízo”, disse em um dos vídeos. “As pessoas precisam entender que um país parado em uma sexta-feira inteira é prejuízo. Isso é baderna, é coisa de gente vermelha”, também comentou. Leia mais: Empresário, marido de Ana Hickmann, se inflama contra greve geral

Alexandre Correa reclama de manifestações e greve geral Alexandre Correa reclama de manifestações e greve geral

Alexandre Correa reclama de manifestações e greve geral (Reprodução/Reprodução)


14:29 – Aplicativos de transporte, como Uber e Cabify, trabalham descontos durante o dia de greve; confira como estão funcionando as promoções.


14:25 – São Paulo: greve geral paralisa centro financeiro

Agências bancárias das regiões da avenida Paulista e da Faria Lima – dois simbólicos polos financeiros do país – amanheceram fechadas pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo.


14:20 – ‘Não há greve, mas baderna generalizada’, diz ministro da Justiça

Em entrevista ao programa Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, Osmar Serrraglio (PMDB-PR) comentou: “Estamos testemunhando piquetes, bloqueios em diversas partes do país. Mas a polícia está sendo muito eficiente, está desobstruindo. É um contrassenso imaginar que alguém esteja em greve e esteja se dirigindo ao serviço. Porque essa obstrução é para aqueles que desejam se locomover ao trabalho. Não temos greve, não há greve. O que há é uma baderna generalizada“, disse


14:15 – Brasília: Manifestação chega ao fim. Ato se deu de forma pacífica e sem registros de ocorrências. A Polícia Militar calcula a participação de 3.000 pessoas.


13:30 – Brasília: Um grupo de cerca de cinquenta jovens encapuzados chega ao protesto. Eles carregam uma bandeira com dizeres “Sindicalismo Revolucionário”. Do carro de som, organizadores do ato contra as reformas trabalhista e da Previdência pedem para que eles não se misturem. A Polícia Militar também solicitou que eles retirem a camisa dos rostos.

Greve geral em Brasília: grupo de 50 jovens encapuzados chega ao protesto Grupo de 50 jovens encapuzados chega ao protesto em Brasília – 28/04/2017

Grupo de 50 jovens encapuzados chega ao protesto em Brasília – 28/04/2017 (Felipe Frazão/VEJA)


13:21 – A imprensa internacional repercutiu a greve geral no Brasil desta sexta, que conta com protestos e paralisação de serviços pelo país. O jornal americano Wall Street Journal destacou a interrupção do sistema de transportes em São Paulo e o bloqueio de algumas das principais vias da capital paulista. A emissora inglesa BBC, a agência Reuters, a versão espanhola do jornal El País e a emissora americana ABC News também reportaram a greve.


13:07 – São Paulo: PM prende 16 manifestantes

Os protestos desta sexta tiveram 16 pessoas presas em São Paulo até as 10h desta sexta-feira. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), os motivos para as prisões foram agressão a policiais e atos de vandalismo.

Em Pernambuco, o motorista de uma Kombi atropelou e matou um motociclista ao desviar de um bloqueio realizado por manifestantes que participam da greve geral, na BR-101 Sul, em Cabo de Santo Agostinho (PE).

Confronto no centro de SP Polícia dispersa manifestantes na região do Theatro Municipal no centro de São Paulo – 28/04/2017

Polícia dispersa manifestantes na região do Theatro Municipal no centro de São Paulo – 28/04/2017 (Felipe Cotrim/VEJA.com)

 


12:50 – São Paulo: cerca de 10 servidores da saúde protestam diante do hospital Cachoeirinha

Um grupo formato por cerca dez servidores da saúde protestam contra as reformas propostas pelo governo Temer diante do hospital da Vila Nova Cachoeirinha na manhã de hoje. Os manifestantes esticam faixas contra a reforma trabalhista e previdenciária quando os semáforos em frente ao hospital fecham. Além das reformas, eles também realizam campanha salarial.

Nas dependências da unidade, o atendimento segue normalizado. Uma paciente, que pediu para não ser identificada, afirmou que o número de enfermeiros é menor e que o atendimento está mais demorado que em dias normais. Ela busca atendimento para o filho de seis anos. Uma auxiliar de enfermagem, que não quis se identificar por medo de represálias, disse que um ato pela manhã chegou a reunir mais de cem pessoas diante do hospital, mas por pouco tempo.

Os serviços de urgência foram mantidos e funcionam normalmente.

Greve geral 28/04: manifestantes no hospital Cachoeirinha Grupo pequeno de manifestantes se reúne em frente ao hospital Cachoeirinha, em São Paulo – 28/04/2017

Grupo pequeno de manifestantes se reúne em frente ao hospital Cachoeirinha, em São Paulo – 28/04/2017 (Rafaela Lara/VEJA.com)


12:36 – Brasília: Ato acontece sob forte esquema de segurança. A cavalaria da Polícia Militar montou um cordão de isolamento, enquanto a Força Nacional concentra-se nos arredores dos ministérios. Policiais também contam com cães e portam bombas de efeito moral.  Manifestantes que descem rumo ao Congresso Nacional passaram por revistas.

Greve geral em Brasília: cavalaria da Polícia Militar monta cordão de isolamento Cavalaria da Polícia Militar monta um cordão de isolamento em Brasília – 28/04/2017

Cavalaria da Polícia Militar monta um cordão de isolamento em Brasília – 28/04/2017 (Felipe Frazão/VEJA)


11:30 – Doria chama grevista de preguiçoso e vagabundo: acordem cedo!

O prefeito de São Paulo, João Doria, criticou a greve geral desta sexta e afirmou que os manifestantes não conseguiram bloquear seu acesso ao trabalho, pois ele acorda cedo. “Volto a dizer a esses grevistas que tentaram bloquear meu acesso: acordem mais cedo, vagabundos, porque o prefeito acorda cedo e trabalha muito”, disse ele em entrevista à rádio Joven Pan. O prefeito reforçou que os servidores que faltarem o dia todo terão o salário de hoje descontado do pagamento, mas atrasos serão tolerados.


12:14 – A companhia aérea Latam contabilizou o cancelamento de 27 voos em todo o país em razão das paralisações, por motivos como a dificuldade de acesso aos aeroportos.

Na quinta-feira, diversas empresas aéreas divulgaram medidas para facilitar a troca de passagens por parte de passageiros que quisessem evitar problemas no dia de greve geral. Confira como estão funcionando as alterações em cada companhia.


12:00 – São Paulo: Abertas, unidades de saúde têm baixa procura

No hospital Arthur Saboya, no Jabaquara, a administração avalia que a baixa procura acontece em razão da interrupção do transporte público. O mesmo cenário foi encontrado na UBS Vila Santa Catarina, próxima ao hospital.

No hospital municipal Arthur Saboya, funcionários não tinham muito o que fazer

No hospital municipal Arthur Saboya, funcionários não tinham muito o que fazer (Guilherme Venaglia/VEJA.com)


11:56 – São Paulo: CPTM atualiza situação das linhas de trem, em circulação parcial nesta sexta:

Linha 7-Rubi- Circulação entre as estações Luz e Pirituba

Linha 8-Diamante – Circulação entre as estações Osasco e Palmeiras-Barra Funda

Linha 9-Esmeralda – Circulação entre as estações Pinheiros e Jurubatuba

Linha 10-Turquesa – Circulação entre as estações Brás e Tamanduateí

Linha 11-Coral – Circulação entre as estações Tatuapé e Luz

Linha 12-Turquesa- Circulação entre as estações Brás e USP-Leste


11:49 – Brasília: Grupos indígenas engrossam o ato contra as reformas previdenciária e trabalhista, que segue esvaziado na capital do país e começaram a descer rumo ao Congresso Nacional. Os representantes de diversas etnias, no entanto, protestam sobre um tema diverso: o projeto que altera regras de demarcação de terras.

Greve geral em Brasília: grupos indígenas participam de manifestação Grupos indígenas participam de manifestação em Brasília – 28/04/2017

Grupos indígenas participam de manifestação em Brasília – 28/04/2017 (Felipe Frazão/VEJA)


11:41 – TVEJA: no Giro VEJA, confira as principais informações sobre a greve geral:


11:30 – Vídeo: Briga no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro: manifestantes que protestavam no saguão do aeroporto, na capital fluminense, se envolveram em confusão na manhã desta sexta. Imagens feitas por passageiros um mostram grupo de pelo menos sete homens, alguns deles vestidos com coletes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), trocando socos e chutes com outros três homens.


11:28 – Brasília: Justiça suspende paralisação total do transporte público

A 5ª Vara Federal do Distrito Federal, suspendeu a paralisação dos serviços metroviários e rodoviários nesta sexta-feira. A Advocacia-Geral da União (AGU) fixou uma multa de 1,6 milhão de reais para cada sindicato se houver descumprimento da decisão. Neste momento, um grupo pequeno de manifestantes ligados a centrais sindicais se concentra na Esplanada dos Ministérios.

Greve geral em Brasília A União dos Policiais do Brasil ergueu um pato inflável na manifestação

A União dos Policiais do Brasil ergueu um pato inflável na manifestação (Felipe Frazão/VEJA.com)


11:03 – No Rio de Janeiro, linhas 1,2 e 4 do metrô funcionam normalmente, segundo o Centro de Operações da Prefeitura. O metrô na superfície também opera.


11:00 – São Paulo: segundo a CPTM, linhas de trem metropolitanos tem funcionamento parcial. Confira:

Linha 7-Rubi- Circulação entre as estações Pirituba e Palmeiras-Barra Funda

Linha 8-Diamante – Circulação entre as estações Osasco e Palmeiras-Barra Funda

Linha 9-Esmeralda – Circulação entre as estações Santo Amaro  e Jurubatuba

Linha 10-Turquesa – Circulação entre as estações Luz e Tamanduateí

Linha 11-Coral – Circulação entre as estações Tatuapé e Luz

Linha 12-Safira- Circulação entre as estações Brás e USP-Leste


10:44 – Manifestantes realizam protestos em capitais pelo Brasil

Confira um resumo dos principais acontecimentos nesta manhã de paralisação em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Cuiabá e Belo Horizonte.


10:26 – Vândalos sabotaram linha de trem usando corrente, diz CPTM

Uma corrente foi arremessada nos fios de eletricidade que alimentam os trens entre as estações Osasco e Presidente Altino por volta das 8h, quando um dos trens se preparava para circular, informou a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. Funcionários da CPTM repararam os fios e a empresa vai registrar boletim de ocorrência.


10:22 – Confira imagens do dia de paralisação pelo país, convocado por centrais sindicais contra as reformas da Previdência e trabalhista propostas pelo governo Temer


10:20 – São Paulo: apesar da greve geral, algumas linhas do metrô e da CPTM funcionam de forma parcial ou total. Os ônibus, porém, seguem paralisados. Confira a situação do transporte na capital paulista.


10:05 – Tropa de Choque lança bombas contra estudantes no centro de SP

Cem estudantes de escolas particulares da capital paulista fizeram manifestação por volta das 8h40, na Rua da Consolação. Depois de 15 minutos, a Tropa de Choque da Polícia Militar lançou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar o grupo. Os adolescentes são estudantes das escolas Oswald Andrade, Equipe, São Domingos e Escola da Vila.

Manifestantes bloqueiam a Rua da Consolação Manifestantes bloqueiam a Rua da Consolação, no centro de São Paulo. A polícia dispersou o grupo com bombas de gás lacrimogêneo – 28/04/2017

Manifestantes bloqueiam a Rua da Consolação, no centro de São Paulo. A polícia dispersou o grupo com bombas de gás lacrimogêneo – 28/04/2017 (Gabriela Biló/Estadão Conteúdo)


10:04 – São Paulo: a CPTM informa que iniciou operação, às 9h25 na Linha 11-Coral, entre as estações Tauapé e Luz, e às 9h35 na Linha 12-Safira, entre as estações USP Leste e Brás.


10:00 – As ruas do centro de São Paulo, geralmente abarrotadas de carros, tem pouco trânsito e um baixíssimo número de pessoas que circulam pelas calçadas. A impressão durante a manhã é de uma cidade fantasma, devido à greve. Leia mais: Greve geral esvazia o centro de São Paulo


09:41 – Acompanhe a situação das principais rodovias do país durante a greve geral

São Paulo: na marginal Tietê, manifestantes ocuparam a pista local às 6h20 na altura da ponte Cruzeiro do Sul e na região da ponte da Freguesia do Ó. A situação foi normalizada por volta das 9h30.

Via Dutra (São Paulo-Rio)
Manifestantes ocuparam por volta das 8h30 duas faixas na altura do quilômetro 207 do sentido São Paulo-Rio de Janeiro, em Guarulhos (SP). O tráfego foi normalizado por volta das 9h.

Ponte Rio-Niterói
O sentido Rio da pista, na subida do vão central, foi ocupado por manifestantes às 6h20 e só acabou liberado às 8h. No sentido Niterói, o tráfego foi normalizado às 7h.

Confira mais informações sobre as vias da capital paulista, o Sistema Anchieta-Imigrantes (São Paulo capital-litoral), o Sistema Anhanguera-Bandeirantes e a região do Aeroporto de Guarulhos.


09:27 – São Paulo: a linha 5-Lilás do Metrô teve o funcionamento normalizado em todas as estações e a linha linha 1-Azul opera no trecho entre Paraíso e Luz com exceção de Sé, que permanece fechada. A linha 4-Amarela não foi paralisada nesta sexta-feira.


09:24 – Na Zona Sul de São Paulo, servidores da creche CEI Pequeno Seareiro, no Jardim Oriental, fizeram um ‘quadro da previdência’, com as idades previstas de aposentadoria dos alunos e professores, caso o projeto de reforma da Previdência seja aprovado no Congresso.

Greve geral 28/04: CEI Pequeno Seareiro, de São Paulo, faz 'quadro da aposentadoria' ‘Quadro da Previdência’, do CEI Pequeno Seareiro, mostra quando alunos e professores vão se aposentar se passar a reforma – 28/04/2017

‘Quadro da Previdência’, do CEI Pequeno Seareiro, mostra quando alunos e professores vão se aposentar se passar a reforma – 28/04/2017 (Guilherme Venaglia/VEJA.com)


09:10 – São Paulo: cerca de sessenta manifestantes contrários às reformas trabalhista e da Previdência propostas pelo governo Temer bloquearam a Av. Francisco Morato, até a altura rua Rua M.M.D.C, próximo à ponte Eusébio Matoso. A Av. Vital Brasil também está bloqueada até a rua Pirajuçara, do lado do metrô Butantã.

Greve geral 28/04: manifestação bloqueia Av. Francisco Morato, em São Paulo Manifestantes bloqueiam Av. Francisco Morato, em São Paulo, durante a greve geral – 28/04/2017

Manifestantes bloqueiam Av. Francisco Morato, em São Paulo, durante a greve geral – 28/04/2017 (Júlia Braun/VEJA)


09:01 –  São Paulo: As empresas de ônibus de viagem do Terminal Rodoviário Jabaquara pretendem estabelecer um serviço mínimo de decidas para o litoral a partir das 9h, mas ainda não informam como pretendem colocar em prática essa operação.


08:57 – São Paulo: o Metrô vai retomar parcialmente as operações da linha 5-Lilás, entre as estações Adolfo Pinheiro e Campo Limpo. A previsão era de retomada às 8h, mas a empresa ainda trabalha em um plano de contingência para operar com os funcionários que compareceram ao trabalho nesta sexta.

A linha 1-Azul já opera entre as estações Paraíso e Luz:


08:55 – São Paulo: A CPTM vai retomar parcialmente na manhã desta sexta a operação das linhas 8-Diamante (entre as estações Barra Funda e Osasco) e a linha 9-Esmeralda (entre Pinheiros e Santo Amaro). A empresa está alocando os funcionários que não aderiram à greve. A previsão inicial era de que o serviço retornasse às 8h.

A linha 10 já circula parcialmente:


08:50 – Rio de Janeiro: ponte Rio-Niterói liberada nos dois sentidos, informa o Centro de Operações da Prefeitura


08:37 – No Rio de Janeiro, apesar da greve, trens e metrô funcionam. Linhas de ônibus urbanos trafegam com a frota reduzida, mas atendem à população. Já a ponte Rio-Niterói está bloqueada por um grupo de manifestantes, na altura do vão central. O congestionamento atinge 5 quilômetros e provoca reflexos na rodovia Niterói-Manilha, extensão da BR-101, no bairro de Niterói.

Manifestantes fecham a via de acesso ao Aeroporto Santos Dumont Manifestantes fecham a via de acesso ao Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio de Janeiro, impedindo a passagem de veículos aos terminais de embarque e desembarque – 28/04/2017

Manifestantes fecham a via de acesso ao Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio de Janeiro, impedindo a passagem de veículos aos terminais de embarque e desembarque – 28/04/2017 (Wilton Junior/Estadão Conteúdo)

Black blocs

Na capital fluminense, um grupo de black blocs montou barricadas na Rua 7 de Setembro, na linha do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Ativistas também bloquearam quase totalmente a pista da Linha Vermelha, no Rio de Janeiro, na altura da Ilha do Fundão. Com faixas e bandeiras, eles protestam contra as reformas da Previdência e trabalhista e deixam apenas uma pista livre, o que causou engarrafamento na região.


08:32São Paulo: CPTM informa que a linha 10 do trem voltará a funcionar parcialmente


08:15 – O Terminal Rodoviário de Santo André segue com pouca movimentação durante a manhã. Passageiros tiram fotos para enviar aos chefes e provar a impossibilidade de chegar ao trabalho.

Confira a situação no terminal:


08:05 – Tem carro? O rodízio de veículos foi suspenso em São Paulo nesta sexta, devido às paralisações do transporte público. A Prefeitura também suspendeu cobrança de Zona Azul na capital.


07:55 – São Paulo: Companhia de Engenharia de Tráfego informa problemas no trânsito na capital paulista

Acompanhe outros problemas no trânsito no Twitter da CET: @cetsp_


07:52 – Governo federal identificou que black blocs devem se infiltrar em manifestações programadas para esta sexta-feira. Na avaliação do Palácio do Planalto, os organizadores da greve geral querem criar uma imagem de “caos” no país logo cedo. Saiba mais: Governo federal identifica atuação de black blocs 


07:43 – CPTM: confira informações sobre a paralisação das linhas de trem em São Paulo


07:38 – Acompanhe a situação no Terminal Rodoviário Jabaquara, em São Paulo

O terminal concedido à iniciativa privada, onde 15.000 pessoas circulam diariamente, estava com a estrutura aberta, mas o transporte para o litoral de São Paulo foi interrompido. Assista ao vivo à situação no local:


07:34 – Brasília está sem ônibus e metrô devido à paralisação desta sexta. Os acessos ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek foram interditados pela Polícia Militar por medida de precaução, pois manifestantes bloquearam vias e puseram fogo em barreiras de pneus. Algumas pessoas deixaram os carros e foram a pé até o terminal.


07:25 – Você pode ser descontado do trabalho se não conseguir transporte?

Entenda seus direitos e deveres neste dia de greve geral e como os patrões podem agir.


07:18 – Importantes vias de acesso a São Paulo, que estão entre as mais movimentadas do país, foram bloqueadas por protestos no início da manhã de hoje. Bloqueio em trechos da Via Dutra (São Paulo-Rio) causou um quilômetro de lentidão. Acompanhe a situação das principais rodovias durante a greve.

Protesto bloqueia a via Dutra Barricadas bloqueiam trecho da via Dutra durante um protesto contra o presidente Michel Temer – 28/04/2017

Barricadas bloqueiam trecho da via Dutra durante um protesto contra o presidente Michel Temer – 28/04/2017 (Nacho Doce/Reuters)


07:10 – O Terminal Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo,  amanheceu com poucas pessoas nesta sexta – local onde normalmente circulam 40.000 passageiros por dia. Os terminais do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) permanecem fechados e, no terminal de ônibus, apenas lotações circulam. Saiba mais: Terminal Barra Funda amanhece esvaziado.

Greve geral 28/04: estação Barra Funda Terminal Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo, fechado com as paralisações desta sexta-feira – 28/04/2017

Terminal Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo, fechado com as paralisações desta sexta-feira – 28/04/2017 (Rafaela Lara/VEJA)


06:55 – Durante as primeiras horas da manhã, manifestantes ligados ao sindicato dos aeroviários protestavam no Aeroporto de Congonhas. A manifestação saiu do aeroporto e seguiu para a sede do sindicado dos aeroviários, próximo do local. Eles ocupam duas faixas da rua de acesso ao aeroporto. Polícia Militar e organizadores da manifestação não fizeram estimativas de quantas pessoas comparecerem.

Greve Geral Manifestantes ligados a Força Sindical tentam bloquear o acesso ao Aeroporto de Congonhas em São Paulo – 28/04/2017

Manifestantes ligados a Força Sindical tentam bloquear o acesso ao Aeroporto de Congonhas em São Paulo – 28/04/2017 (Ricardo Matsukawa/VEJA.com)


06:52 – Em TVEJA, confira ao vivo a situação no Terminal Dom Pedro II, em São Paulo:


06:48 – No Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, os voos não foram afetados na manhã de hoje. Uma assembleia do sindicato dos aeronautas (pilotos e comissários) decidiu ontem à noite não aderir à greve. Leia mais: Aeroporto de Congonhas funciona normalmente

Greve Geral Manifestantes ligados a Força Sindical fazem ato no Aeroporto de Congonhas em São Paulo – 28/04/2017

Manifestantes ligados a Força Sindical fazem ato no Aeroporto de Congonhas em São Paulo – 28/04/2017 (Ricardo Matsukawa/VEJA.com)


06:44 – Antes de sair de casa, confira o que funciona e o que não funciona com as paralisações desta sexta-feira:

Greve geral: Saiba quem deve parar nesta sexta e programe-se


06:34 – Terminal Jabaquara, em São Paulo, fechado e vazio, com poucas pessoas tentando ir para o metrô. Apenas lotações e fretados circulam. Terminal Metropolitano de ônibus de Santo André também vazio.


06:26 – Em São Paulo, linhas de ônibus, metrô e CPTM estão completamente paradas na manhã desta sexta-feira. De acordo com a Metrô, apenas a Linha Amarela – 4 está em funcionamento.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fernando Cesar Romo Rojas

    NEM PARA FAZER GREVE PRESTAM , ESTES VAGABUNDOS ,

    Curtir

  2. Essa esquerda não consegue disfarçar sua real natureza. São fascistas disfarçados de trabalhadores e e defensores dos pobres; mais o que elles mais gostam mesmo é da coisa pública. Ah como gostam de pixuleco! A polícia deveria ser mais enérgica contra esses bandidos.

    Curtir

  3. Wilson A. Zamignani

    #ENDIREITABRASIL – A ESQUERDA AGONIZANDO – SOCIALISTA É FILH0 D4 PUT4….

    Curtir

  4. Roberto Machado de Assis

    Para eles se o PT estivesse afundando o pais e mandando grana para obras no exterior ai,sim, estava bom.

    Curtir