Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Crianças que praticam esportes são mais disciplinadas

Segundo estudo, pertencer a uma equipe com um objetivo comum faz com que os jovens prestem mais atenção na aula

De acordo com nova pesquisa da Universidade de Montreal, em parceria com o Hospital Infantil CHU Sainte Justine, ambos no Canadá, esportes extracurriculares, quando praticados regularmente, ajudam crianças a desenvolverem mais disciplina e atenção na sala de aula.

Para Linda Pagani, principal autora do estudo e membro do Departamento de Psicologia da Universidade de Montreal, o segredo é o comprometimento. “Há algo específico no ambiente esportivo: o sentido único de pertencer a uma equipe especial com um objetivo comum. Isso ajuda crianças a entender a importância de respeitar regras e honrar responsabilidades”, disse a especialista.

LEIA TAMBÉM

Bullying na adolescência pode estar relacionado à depressão quando adulto

Adolescentes altruístas têm menos chances de sofrer depressão, diz estudo

A pesquisa é resultado de uma análise de dados do Estudo Longitudinal de Desenvolvimento Infantil de Quebec, feito com 2 694 crianças nascidas na cidade entre 1997 e 1998. O objetivo era conseguir respostas para duas questões: se a participação das crianças do jardim de infância em atividades extracurriculares prediz autodisciplina, ou o contrário, se as características de autodisciplinas em crianças do jardim de infância prenunciam participação em esportes.

Depois, professores e pais das crianças foram entrevistados sobre a vida dos pequenos. O exercício foi repetido quatro anos após essa fase do trabalho. Durante a análise, os pesquisadores eliminaram algumas influências pré-existentes das crianças, como aptidão física e melhores habilidades cognitivas.

Segundo Pagani, “as crianças que estavam envolvidas em atividades atléticas no jardim de infância, ou em algum tipo de atividade similar, estruturada, eram mais propensas a se envolver em equipes de esportes aos dez anos de idade, além de desenvolver mais disciplina e atenção durante as aulas”.

(Da redação)