Blogs e Colunistas

eclipse

28/07/2013

às 14:00 \ Tema Livre

FOTOS – Conheçam o gigantesco e luxuosíssimo “Azzam”, o novo maior iate do mundo, pertencente a um monarca saudita

Azzam-iate

O gigantesco "Azzam" no porto de Bremen, Alemanha: "um marco na história dos iates", segundo Peter Lürssen, da empresa responsável (Fotos: Klaus Jordan e Carl Groll - Lürssen)

O bilionário russo Roman Abramovich, dono do Chelsea, perdeu em abril um de seus mais apreciados “títulos”: não é mais o dono do maior iate do mundo.

Abramovich, que desde dezembro de 2010 navegava orgulhoso por seu Eclipse, de 162 metros de comprimento, será obrigado a admirar-se agora com os 179 metros do Azzam – 70% a mais que o gramado do Maracanã e equivalente a um navio de cruzeiro de porte médio, como o que está neste link.

O colosso, cujo nome em árabe pode ser traduzido por algo como “corajoso, ousado, leonino”, custou nada menos que 605 milhões de dólares e demorou três anos para ser construído. Estima-se, ainda, que sua manutenção requeira outros 60 milhões anuais. Uma pechincha.

Eclipse-iate

O "Eclipse", de Roman Abramovich, anterior "maior iate do mundo"

O detentor da nova megaembarcação luxuosa definitiva, garantem várias publicações internacionais, é Al-Waleed bin Talal, considerado o 26º homem mais rico do planeta pela revista americana Forbes, filho de Talal bin Abdulaziz Al Saud, príncipe da Arábia Saudita e irmão do rei Abdullah. Dentro do clima de secretismo e horror à imprensa que caracteriza a família real saudita, porém, o magnata silenciou a respeito do assunto.

O Azzam, cuja largura supera os 20 metros, teve seu projeto concebido pelo engenheiro Mubarak Saad al Ahbabi, com a ajuda da conceituadíssima construtora de iates alemã Lürssen (ativa há 138 anos), a Nauta Yatchs – empresa baseada em Milão que cuidou do design exterior – e o decorador Christophe Leoni.

Pouco se sabe até o momento sobre os detalhes dos ambientes interiores do iate. Mas especula-se que possam superar a opulência do Eclipse, que possui dois helipontos, duas piscinas, um cinema, uma discoteca, um mini-submarino e um quarto com janela à prova de bala. Com capacidade para navegar a 30 nós, o Azzam pode ser considerado o mais rápido do mundo na categoria “superiates”.

Vejam mais fotografias:

Visto de cima, o "Azzam" mostra o vasto heliporto que tem na proa (Foto: Carl Groll / SWNS.com)

Azzam-iate

Duas turbinas a gás e dois motores a diesel proporcionam 94 mil cavalos de potência ao "Azzam"

Azzam-iate

Enorme, mas rápido: 30 nós de velocidade

Azzam-iate

Os contêiners parecem peças Lego ao lado do "Azzam"

Azzam-iate

Tão grande que pode encontrar um problema: a falta de portos adequados para recebê-lo

Azzam-iate

Para fazer a alegria dos tripulantes

 

Azzam-iate

Comprimento 70% maior que o do gramado do Maracanã

14/05/2012

às 16:32 \ Tema Livre

Não perca: a espetacular foto da lua, com um detalhe emocionante — e como ela foi feita

 

A lua

A lua, durante o eclipse, com o que parece uma pequena mancha de formas em ângulo reto, mais ou menos no centro da figura: é a mão do homem -- a Estação Espacial Internacional (Clique para ampliar)

Amigos do blog, surgiram dúvidas técnicas sobre a autenticidade da foto da lua que publicamos no blog, enviada pelo prezado leitor SergioD, mostrando, num ponto minúsculo, mas perfeitamente visível, a silhueta da Estação Espacial Internacional.

Em atenção aos leitores que levantaram essas dúvidas técnicas, a começar pelo excelente fotógrafo profissional e querido amigo pessoal Cacalo Kfouri, vamos contar como afirma ter trabalhado o autor da foto, o astrofotógrafo francês Thierry Legault.

Ele fez a foto no dia 20 de dezembro de 2010, em Avranches, na região da Normandia, no norte da França, algumas horas antes do eclise lunar ocorrido naquela noite. Para isso, usou um telescópio Takahashi EM400 e uma câmera Canon 5D Mark II, com velocidade 1/2000s e sensibilidade à luz de 1600 ISO. A previsão do trânsito da lua — para que ele se preparasse adequadamente para a foto — foi fornecida pelo site calsky.

Outras informações técnicas: a duração do trânsito lua/Estação Espacial naquele momento foi de 0,55 segundo. A Estação estava a 424 quilômetros de distância do observador, orbitando a terra a uma velocidade de 7,5 quilômetros por segundo (ou 28 mil quilômetros por hora).

Detalhe do satélite

Detalhe emocionante: o pontinho sobre a lua é a Estação Internacional -- e há pessoas vivendo e trabalhando ali dentro

A eclipse da lua — ou seja, a situação em que o sol, a Terra e a lua estão alinhados de tal forma que a Terra impede a luz do sol de iluminar seu satélite — coincidiu, no amanhecer do dia 21 de dezembro de 2010, com o solstício de inverno ho Hemisfério Norte, ou seja, quando o sol atinge a maior distância angular em relação a um plano que passa pelo Equador, e parece mais “longe” da Terra.

Legault aproveitou para fazer imagens do duplo fenômeno ocorrendo sobre o fabuloso monte Saint-Michel, que você pode ver nas fotos abaixo, feitas com a mesma câmera, com lentes 135/2 e exposição de 1 segundo.

eclipse_moon_101221_20A

O Mont Saint-Michel na madrugada mágica de 21 de dezembro de 2010

 

eclipse_moon_101221_25B

Outra vista do Mont Saint-Michel feita pelo astrofotógrafo francês

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados