Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Riquelme anuncia saída do Boca Juniors

Por Str
5 jul 2012, 16h00

O meia argentino Riquelme anunciou nesta quinta-feira sua saída da equipe do Boca Juniors, depois da derrota por 2 a 0 para o Corinthians na final da Copa Libertadores.

Com a decisão, o jogador deixou o seu futuro e o do clube envolvido em dúvidas.

“Falei com meus companheiros e com o presidente do clube, Daniel Angelici, e comuniquei que não vou continuar. Me sinto vazio, não tenho mais nada para dar ao clube”, afirmou o capitão do Boca à imprensa logo após a partida disputada na noite de quarta-feira em São Paulo.

A saída de Riquelme, grande ídolo da torcida ‘xeneize’ nos últimos anos tem para o Boca um impacto ainda maior que a derrota na final da Libertadores, o grande objetivo do clube para esta temporada.

Riquelme, de 34 anos, conquistou dez títulos com o time argentino e teve passagens em dois clubes espanhóis, o Barcelona e o Villareal.

Continua após a publicidade

“Vou sair do Boca. Amo este clube, esta camisa. Desejo o melhor à torcida do Boca, mas não vou continuar. Não estou 100% e não posso jogar pela metade. É uma decisão minha”, disse em meio a lágrimas na saída do estádio do Pacaembu, em São Paulo.

As conseqüências imediatas da saída de Riquelme, que tinha contrato para mais duas temporadas, são imprevisíveis, já que o meia era considerado o melhor jogador da equipe, além de ser o capitão e a principal referência do grupo.

Na volta para a Argentina, o presidente do Boca, Daniel Angelici, avisou que falou com o jogador e detalhou que “depois do almoço (antes da partida) ele me pediu para conversar e me anunciou a decisão, que foi decidida unilateralmente”.

“Como torcedores estamos tristes. Vamos ver se podemos reverter a situação para que ele volte a jogar pelo Boca. Se não pudermos, vai ser algo doloroso, porque é o último ídolo que o clube tem”.

Continua após a publicidade

Na volta das férias, que começaram depois da derrota na final da Copa Libertadores, o treinador Julio César Falcioni deve preparar uma nova estratégia, já sem o principal atleta, ao redor de quem girava o esquema tático

O Boca Juniors lutava por uma inédita “tríplice coroa”, por ter chances de levantar troféus em três torneios, mas terminou com as mãos vazias ao perder a final da Libertadores e o título do Torneio Clausura (segunda parte do Campeonato Argentino) nas últimas rodadas.

Agora resta apenas a decisão da Copa da Argentina, que será disputada contra o Racing em agosto.

Assim como quando anunciou a saída da seleção argentina por uma inimizade com Diego Maradona, então técnico da equipe nacional, Riquelme deu adeus ao Boca em meio a fortes rumores sobre desavenças entre os jogadores e Falcioni, técnico da equipe, além das diferenças pessoais com o presidente do clube argentino.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.