Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Neymar é despachado do prêmio de melhor do mundo

É a segunda "derrota" de Neymar no dia: ele também não foi escolhido entre os três gols mais bonitos do Prêmio Puskás, sendo superado por Marlone

Por Da redação
Atualizado em 4 jun 2024, 18h52 - Publicado em 2 dez 2016, 13h10

Lionel Messi, Cristiano Ronaldo e o francês Antoine Griezmann são os finalistas do prêmio de melhor jogador de 2016 da Fifa. Neymar – finalista no ano passado quebrando um jejum de oito anos sem um brasileiro na lista – foi descartado da relação anunciada nesta sexta-feira no site da entidade.

Desta vez, mesmo faturando a inédita medalha de ouro da seleção brasileira na Olimpíada, o brasileiro foi superado por Antoine Griezmann, destaque do Atlético de Madri e principal nome da seleção francesa. O atacante foi ainda uma das estrelas da Eurocopa 2016. É a segunda “derrota” de Neymar no dia: ele também não foi escolhido entre os três gols mais bonitos do Prêmio Puskás.

Para a edição de 2016, a Fifa fez mudanças importantes na escolha dos vencedores. O acordo com a revista France Football terminou, o que significou que o termo “Bola de Ouro” já não será usado – agora, a premiação chama “The Fifa Best Awards”. A entidade ainda abriu a votação para os torcedores, via internet, que tem um peso grande na votação, já que o voto popular significa metade da nota dos jogadores. O vencedor será conhecido numa festa de gala no dia 9 de janeiro, em Zurique, na Suíça.

Dominação

Lionel Messi e Cristiano Ronaldo em ação, durante vitória do Barcelona por 2 a 1, no Camp Nou

O que não mudou no prêmio de melhor do mundo foi a dupla de finalistas: na última década, o troféu tem sido dominado por Messi e Cristiano Ronaldo. O argentino ganhou todas as edições do troféu entre 2009 e 2012, além de 2015. Já o português ficou com os troféus de 2008, 2013 e 2014.

Continua após a publicidade

Neste ano, Cristiano Ronaldo é o favorito. Ele ajudou o Real Madrid a conquistar a 11ª Liga dos Campeões – a segunda consecutiva – e foi determinante para fazer da seleção de Portugal campeã inédita da Eurocopa 2016. Messi conseguiu chegar neste ano com a Argentina à final da Copa América – perdendo para o Chile – e garantiu o título do Campeonato Espanhol ao Barcelona.

Feminino

Maior vencedora da história do prêmio da Fifa de melhor jogadora do mundo, com cinco troféus, mas fora da lista das indicadas no ano passado, Marta voltou a figurar entre as três finalistas para a edição deste ano da honraria. A brasileira concorrerá com a americana Carli Lloyd, atual vencedora, e a alemã Melanie Behringer, que nunca havia sido relacionada entre as três melhores.

Entre os treinadores de equipes femininas, Osvaldo Alvarez, o Vadão, ex-técnico da seleção brasileira, que figurava entre os dez melhores, não apareceu entre na lista final. Os três que ainda estão na disputa são Silvia Neid (Alemanha), Jill Ellis (EUA) e Pia Sundhage (Suécia).

(Com agências Estadão Conteúdo e EFE)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.