Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais uma vez jogando mal, Coritiba exalta o poder de reação

Por pouco o Coritiba não viu sua invencibilidade em Campeonatos Paranaenses, que dura desde 2010, cair diante do limitado time do Paranavaí, em pleno Couto Pereira. No entanto, a equipe teve poder de reação e virou par cima do adversário, vencendo por 3 a 1. O meia Tcheco acredita que na primeira etapa a equipe estava nervosa e não se encontrou em campo.

‘Dos jogos que a gente não fez bem, no de hoje não estivemos suficientemente maduros para não nos desorganizarmos e não nos desesperarmos’, avaliou o experiente jogador, que viu uma melhora considerável depois do intervalo. ‘No segundo tempo sabíamos que, se mantivéssemos a personalidade, os gols sairiam. Depois de o jogo ficar complicado, conseguimos manter um bom nível’, emendou.

Para o meia Lincoln, autor do segundo gol, o grupo tem que deixar de lado a vaidade pessoal e jogar para o coletivo, especialmente para furar o ferrolho montado pelos adversários. ‘Se fizer gols, fico feliz, mas se as assistências acontecerem, fico feliz da mesma forma. Mas é sempre complicado. As equipes que vêm ao Couto se fecham. O importante foi o poder de reação. Tomamos o gol e continuamos a fazer o que temos que fazer, conseguindo o resultado’, disse.

Um dos destaques do jogo, ajudando a organizar o Coxa e deixando sua marca, o atacante Anderson Aquino admite que dá para evoluir, mas está confiante em um final feliz para o Alviverde na competição. ‘Sabemos que devemos melhorar, mas estamos no caminho certo. Nem só com gol a gente ajuda. Claro que é importante, mas fiz tabelas, lançamentos e ajudei na marcação. O Marcelo (Oliveira) tem cobrado muito. Estamos melhorando, e esse grupo ainda vai dar muita alegria aos torcedores’, finalizou.