Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Isinbayeva detona ‘funeral’ do atletismo: ‘Puramente político’

Fora da Rio-2016, bicampeã olímpica do salto com vara fez duras críticas ao banimento do atletismo russo, envolvido em escândalo de doping

Por Da redação 21 jul 2016, 09h46

Imediatamente após o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, na sigla em francês) referendar o banimento do atletismo da Rússia na Olimpíada do Rio de Janeiro, políticos e esportistas do país se manifestaram contra a punição nesta quinta-feira. A bicampeã olímpica do salto com vara, Yelena Isinbayeva, foi bastante dura.

“Obrigada a todos por terem enterrado o atletismo. Isso é puramente político”, afirmou à agência de notícias estatal russa TASS. Em sua conta no Instagram, Isinbayeva foi ainda mais taxativa, com uma mensagem em russo.

Leia também:
Rússia acusa EUA de conspiração
COI adia decisão sobre punição à Rússia
Wada pede que COI exclua a Rússia da Rio-2016

“A esperança acabou. Que todos os atletas estrangeiros ‘pseudo-limpos’ possam respirar aliviados e ganhar suas ‘pseudo-medalhas de ouro’ na nossa ausência. O poder sempre foi temido” , atacou a russa.

A atleta de 34 anos já havia avisado que não aceitaria competir sob a bandeira neutra do Comitê Olímpico Internacional (COI), última brecha possível e, por isso, está oficialmente fora dos Jogos no Brasil.

Vitaly Mutko, Ministro dos Esportes da Rússia acusado diretamente de participação no escândalo, declarou que “a resolução é tendenciosa, um pouco politizada e não possui bases legais para ser aplicada”. “Infelizmente, um certo precedente foi estabelecido para a responsabilidade coletiva “, completou.

O porta-voz do governo, Dmitry Peskov, também criticou a punição geral. “Eu certamente lamento essa decisão do TAS. O princípio da responsabilidade coletiva é difícil de aceitar”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade