Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

COI adia decisão sobre punição à Rússia

Entidade promete 'duras sanções' contra os culpados, mas aguardará julgamento do Tribunal Arbitral do Esporte marcado para esta quinta

O Comitê Olímpico Internacional (COI) informou nesta terça-feira, por meio de um comunicado, que analisará as “medidas legais” contra os atletas da Rússia, um dia depois de receber o relatório da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) que aponta a participação do governo russo em um esquema de doping no país. Esperada para esta terça, a decisão sobre o banimento da Rússia da Olimpíada do Rio de Janeiro – solicitado pela Wada e outras federações internacionais – foi adiada.

Leia também:
Putin critica relatório e ‘interferência política’ no esporte

Wada pede que COI exclua a Rússia da Rio-2016
Rio-2016: COI mantém punição à Rússia, mas abre brecha para atletas ‘limpos’

O COI afirmou ter “apreço” pelo relatório do advogado canadense Richard McLaren e prometeu “analisar cuidadosamente” a denúncia.  A decisão do COI, porém, deve demorar alguns dias para sair, pois levará em conta o julgamento do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) sobre outra denúncia de escândalo de doping contra o esporte russo – realizada pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), e marcado para a próxima quinta-feira (21) – além do Código Mundial Anti-Doping e da Carta Olímpica.

No comunicado, o COI também anunciou que irá refazer os exames de doping de todos os atletas russos que participaram dos Jogos de Inverno em Sochi, em 2014 e exigirá que todos os dirigentes mencionados na investigação da Wada tenham suas credenciais suspensas para o Rio-2016 entre eles o ministro dos Esportes russo, Vitaly Mutko.

O COI pediu que federações esportivas não deem a Rússia o direito de organizar competições internacionais até que o caso seja solucionado. Com isso, os Jogos Europeus, marcados para 2019 na Rússia, podem trocar de sede.

Na segunda-feira, o presidente do COI Thomas Bach prometeu punições severas aos culpados.  “As conclusões do relatório mostram um ataque chocante e sem precedentes sobre a integridade do esporte e sobre os Jogos Olímpicos. Portanto, o COI não hesitará em tomar as mais duras sanções disponíveis contra qualquer indivíduo ou organização implicada”, disse o presidente do COI, Thomas Bach.