Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Após testes, Fifa aprova tecnologia para validar gol

Por Da Redação
5 jul 2012, 15h28

Por AE

Zurique – A Fifa anunciou nesta quinta-feira a aprovação de três mudanças em suas regras, entre elas, o uso de tecnologia em campo para confirmar se a bola entrou no gol. As alterações foram estabelecidas na reunião da International Football Association Board (IFAB), guardiã das regras do futebol, em Zurique, na Suíça.

O uso da tecnologia foi liberado após nove meses de testes realizados por duas empresas: a GoalRef e a Hawk-Eye. A aprovação, no entanto, está condicionada a um teste final a ser realizado em cada estádio. Somente após esta verificação será liberada a utilização deste tipo de tecnologia em jogos oficiais de futebol.

A IFAB ressaltou que este mecanismo vai se restringir apenas para confirmar que a bola entrou ou não no gol. A entidade ainda não definiu quando começará a usar a tecnologia, mas especula-se que as novas regras sejam testadas no Mundial de Clubes, que contará com o Corinthians, em dezembro.

A medida deve encerrar uma das maiores fontes de polêmica no futebol. Na Copa do Mundo de 2010, a Inglaterra teve um gol mal anulado em um duelo com a Alemanha porque o árbitro não viu a bola entrar quase 30 cm no gol. Mais recentemente, a mesma Inglaterra foi beneficiada por causa de um gol anulado da Ucrânia nas mesmas circunstâncias.

Continua após a publicidade

Pela tecnologia apresentada pela Fifa, um chip dentro da bola ajudaria o árbitro a detectar se a mesma cruzou a linha do gol. A entidade não especificou se vai privilegiar algumas das empresas aprovadas nos testes.

A outra mudança apresentada nesta quinta diz respeito ao número de árbitros da partida. Depois de fazer testes por dois anos, nos torneios europeus, a Fifa aprovou a utilização de dois assistentes adicionais em campo para o auxílio do árbitro principal do jogo.

Na mesma reunião, a IFAB decidiu testar em caráter temporário o uso de lenço na cabeça, próprio de atletas muçulmanos. Segundo a Fifa, não há estudos científicos que mostrem risco de lesões em casos como esse. Esta liberação provisória será reavaliada na reunião anual da IFAB, em 2014.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.