Mais Lidas

  1. Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

    Brasil

    Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

  2. Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

    Brasil

    Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

  3. Após reprovar filha de Cunha, funcionário do Detran foi acusado de extorsão e punido, diz jornal

    Brasil

    Após reprovar filha de Cunha, funcionário do Detran foi acusado de...

  4. No Senado, Cardozo insiste em 'golpe' e diz que pedirá suspeição do relator

    Brasil

    No Senado, Cardozo insiste em 'golpe' e diz que pedirá suspeição do...

  5. Saiba por que seu cachorro não gosta de abraços

    Ciência

    Saiba por que seu cachorro não gosta de abraços

  6. Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

    Brasil

    Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

  7. Por regulamento esdrúxulo, Sport menospreza Copa do Brasil e é eliminado

    Esporte

    Por regulamento esdrúxulo, Sport menospreza Copa do Brasil e é...

  8. CBF divulga pré-convocação para Copa América com Ganso e sem Neymar

    Esporte

    CBF divulga pré-convocação para Copa América com Ganso e sem Neymar

Próximo eclipse total da Lua só será visto no Brasil em 2014

Fenômeno se repete com regularidade estudada desde a Babilônia

- Atualizado em

  • Voltar ao início

  • Todas as imagens da galeria:


O eclipse total lunar desta quarta-feira é o único que pode ser observado este ano no Brasil. O próximo, em 10 de dezembro, será visível apenas em países da Europa, Oceania, Ásia e América do Norte. O mesmo fenômeno só poderá ser observado novamente no Brasil em abril de 2014.

Para que ocorra um eclipse, Terra, Lua e Sol devem estar alinhados. Dependendo da ordem dos astros, o resultado é um eclipse solar (com a Lua entre o Sol e a Terra) ou um lunar (a Terra entre o Sol e a Lua). Eclipses podem ser totais, parciais ou penumbrais. O eclipse lunar total, como o de hoje, ocorre quando a Lua fica completamente dentro do cone de sombra da Terra. O eclipse parcial acontece quando apenas parte da Lua é obscurecida pelo cone de sombra. O penumbral, quando a Lua entra numa região de transição entre luz e sombra, ao redor do cone, com iluminação apenas parcial do Sol.

Repetição - Se as órbitas da Terra (em torno do Sol) e da Lua (em torno da Terra) estivessem no mesmo plano, teríamos eclipses solares em todas as luas novas e eclipses lunares em todas as luas cheias. Mas não: os planos orbitais terrestre e lunar estão inclinados cerca de 5 graus. Assim, durante os 28 dias de seu giro em torno da Terra, a Lua só atravessa o plano orbital terrestre duas vezes. É a chance de ocorrer uma eclipse, mas para tanto é necessário o alinhamento do Sol ao sistema Terra-Lua, o que acontece no máximo sete vezes ao ano.

Eclipses repetem-se com uma regularidade estudada há milhares de anos na Babilônia e na China. Esta regularidade é conhecida como ciclo de Saros, termo cunhado pelos caldeus, que significa, justamente, "repetição", e que leva em conta as posições da Terra e da Lua em relação a suas órbitas e a distância entre os astros. A "repetição" exata, com Sol, Terra e Lua ocupando as mesmas posições, só acontece de 18 em 18 anos aproximadamente.

Calendário - De acordo com as estimativas da Nasa, a agência espacial americana, os próximo eclipses totais da Lua poderão ser observados em:

- 10 de dezembro de 2011 (Europa, África, Ásia, Austrália, Pacífico e América do Norte)

- 15 de abril de 2014 (Austrália, Pacífico e Américas)

- 28 de setembro de 2015 (Pacífico, Américas, Europa, África e Ásia)

- 31 de janeiro de 2018 (Ásia, Austrália, Pacífico, América do Norte)

- 27 de julho de 2018 (América do Sul, Europa, África, Ásia e Austrália)

- 21 de janeiro de 2019 (Pacífico, Américas, Europa e África)

TAGs:
Terra
Lua
Nasa
Sol