Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Batalhão de Choque da PM faz operação na Rocinha

Tiroteios frequentes na favela pacificada evidenciam disputa entre facções

Por Da Redação 7 nov 2013, 12h16

O Batalhão de Choque da Polícia Militar do Rio de Janeiro realizou na madrugada desta quinta-feira uma operação na favela da Rocinha, Zona Sul do Rio de Janeiro, onde uma disputa entre duas facções criminosas pelo comando do tráfico tem causado tiroteios diários. Os conflitos são em uma favela considerada pacificada, que recebeu Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) em 2012. A ação dos policiais, no entanto, tem se mostrado ineficiente e até mesmo criminosa – como no caso Amarildo, pelo qual 25 PMs foram indiciados por tortura seguida de morte.

Leia também:

Coordenador das UPPs pede desculpa por caso Amarildo

O destino de Amarildo já estava traçado, revela promotora

A mobilização do Batalhão de Choque, que envolveu 45 homens, teve início por volta de 20h da quarta-feira, mas a operação se intensificou na madrugada, quando traficantes e PMs trocaram tiros e assustaram os moradores. Segundo a assessoria da corporação, não houve prisões nem apreensões durante a ação. Os tiroteios na Rocinha ficaram frequentes desde que o traficante John Wallace da Silva Viana, conhecido como Jhonny, assumiu o posto que era de Nem, preso em novembro de 2011 na Zona Sul do Rio tentando escapar da ocupação policial na favela.

Continua após a publicidade

Outro traficante, Luiz Carlos Jesus da Silva, conhecido como Djalma, era muito próximo de Nem e tinha expectativas de herdar o comando do tráfico na Rocinha. Frustrado com a ascensão de Jhonny ao posto mais elevado do crime na favela, Djalma deixou a facção e passou a disputar com o antigo colega o domínio sobre a Rocinha. Hoje, Djalma teria o controle sobre a parte mais alta da comunidade e Jhonny sobre a mais baixa.

Leia também:

Leia também: Tiroteio assusta moradores da Rocinha. Assista ao vídeo

Publicação by Bruno Brito.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês