Blogs e Colunistas

25/05/2014

às 16:30 \ Política & Cia

“E aí, doutor, meu filho quer fazer Medicina. Ainda vale a pena ser médico no Brasil?”

"Desde o momento que optamos por fazer o curso de medicina, trazemos para a nossa vida, uma série de obstáculos a serem transpostos"

“Desde o momento que optamos por fazer o curso de medicina, trazemos para a nossa vida, uma série de obstáculos a serem transpostos”

Publicado originalmente em 18 de outubro de 2013

Por Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira, médico anestesiologista e professor universitário que trabalha no SAMU em Araguaina (TO)

E AÍ, DOUTOR, MEU FILHO QUER FAZER MEDICINA. AINDA VALE A PENA SER MÉDICO NO BRASIL?

campeões de audiência 02Como médico e professor universitário, que também trabalha no SUS, tenho tido a oportunidade de observar uma mudança radical na forma como a sociedade vê os médicos brasileiros.

Estamos presenciando um fenômeno social muito preocupante, que tem afetado de forma devastadora o ânimo e a autoestima dos estudantes de medicina e até mesmo de alguns colegas mais maduros e experientes.

Muitos alunos estão descrentes com a carreira e preocupados com o seu futuro profissional, alguns pensando até em desistir da profissão, antes mesmo de iniciar a sua prática profissional.

Esse sentimento é justificado pelas constantes campanhas publicitárias, veiculadas por alguns meios de comunicação de massa, que vêm investindo pesado contra a classe médica, jogando toda a culpa pela péssima qualidade dos serviços públicos nacionais de saúde em nossas costas.

O objetivo deste tipo de política difamatória foge do objetivo dessa análise. Para os mais esclarecidos, já está mais do que claro que é uma estratégia utilizada para o atual governo tentar vencer as próximas eleições .

Gostaria também de relembrar aos estudantes de medicina e aos jovens médicos de nosso imenso país que nossa luta não é e nem nunca será fácil, e que todo médico já deveria estar acostumado com os sacrifícios que acompanham a escolha de nossa profissão.

Post-do-Leitor1Desde o momento em que optamos por fazer o curso de medicina trazemos para a nossa vida uma série de obstáculos a serem transpostos.

O vestibular é muito concorrido, o nível dos candidatos é elevado, nossa profissão nos obriga a tratar os mais variados tipos de mazelas e doenças , que muitas vezes acabam por também machucar as almas de quem as trata.

Além disso, em alguns momentos de nossas vidas profissional, ainda seremos obrigados a levar a triste notícia do falecimento para alguns pais, mães, irmãos, filhos e amigos desesperados.

Isso dói muito.

Em um passado não muito distante, éramos respeitados pela comunidade brasileira , que de uma certa forma, sentia-se agradecida pelo nossos serviços e além disso, ainda não nos responsabilizava pelo total abandono da saúde pública brasileira.

Não vou negar que esse respeito e gratidão acabaram me fazendo escolher esta bonita e importante profissão.

Toda família sentia um enorme orgulho ao ver o seu filho vestido de branco preparando-se para ir para a faculdade de medicina.

Porém, os tempos são outros, enfrentamos atualmente um novo cenário, mais desfavorável e injusto.

Quando algum pai de estudante de cursinho ou mesmo um aluno me perguntam o que penso sobre o futuro de nossa classe, sou obrigado a confessar que, apesar de todas as dificuldades, não escolheria outra profissão.

Ser médico realmente não é fácil, é uma grande responsabilidade. Principalmente agora, com toda a campanha difamatória do atual governo.

Porém, não devemos nos acomodar e aceitar passivamente tal situação, devemos lutar com força, fé e determinação para mudar o mais rápido possível essa triste realidade .

Acredito que somos uma categoria especial de profissionais, não porque somos SUPER-HERÓIS, mas porque, apesar de feitos de carne e ossos, de termos sentimentos, sentirmos dores, ficarmos doentes, termos medo, tristeza, cansaço, problemas financeiros e familiares, somos obrigados a esquecer de tudo quando vamos à luta, entregando-nos de “corpo e alma” para podermos tratar de nossos pacientes.

Por fim, concluiria dizendo a todos os jovens que desejam cursar medicina, aos próprios estudantes de medicina e aos jovens médicos em geral que, apesar de tentarem nos humilhar, nos desvalorizar, nos desonrar perante a nossa população, ninguém tirará de nós aquele sentimento nobre, único e gratificante de termos salvo uma vida, de termos amenizado a dor de uma enfermidade, de termos visto a alegria de um pai e de uma mãe no momento do nascimento de seu tão esperado filho.

ISSO NOS FAZ REALMENTE ESPECIAIS.

Por isso, continuo afirmando, que apesar de tudo o que acabei de relatar e de todas as dificuldades que estamos enfrentando, vale sim, muito a pena ser médico.

FELIZ DIA DOS MÉDICOS, HOJE, DIA 18, A TODOS OS PROFISSIONAIS DO BRASIL E DO MUNDO.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

142 Comentários

  1. HAC

    -

    11/09/2014 às 10:18

    respondendo ao aparecido f. (deve ser nome falso) na minha familia ocorre o contrario: os engenheiros é que sao os ‘bacanas’, viajam 2 (duas) vezes ao ano para o exterior, trocam de carro todo ano e trabalham pouco, muito pouco! sem contar que o trabalhho é muuuito mais exato que o de medico, onde cada caso clinico é unico, cada anamnese é diferente e tratamos de pessoas, onde o erro é impensavel. tambem tiveram uma carga horaria infinitamente menor na faculdade (basta olhar e fazer contas, caro engenheiro), a carga horaria da medicina, se os engenheiros tivessem a mesma, formar-se-iam em metade, isso mesmo, METADE, do tempo! Então PARE DE INVEJA, pq a profissao é dura SIM. E outra coisa, as pessoas DEVEM SIM verificar se vale a pena financeiramente fazerem o curso de que gostem, pois se for receber o mesmo por um plantao que outros recebem para coletar lixo (como em algumas cidades) podem escolher esta ultima, pois a RESPONSABILIDADE é menor! é assim no sistema capitalista: às vezes vale a pena ganhar 10x menos por um mesmo tempo de trabalho com MENOS intelecto e MENOS RESPONSABILIDADE!!! TUDO, mas TUDO vai acabar no hospital… se o teu predio cair pode ser que tenha solução ainda – a vitima vai ao hospital para tentar (sim, a profissao é de MEIO e não de FIM) se recuperar. Agora, se não se consegue melhorar no hospital, bom aí nao tem mais saída! por isso deve ser uma profissao muito valorizada. Veja o exemplo dos EUA! Agora se voce nao cre que os EUA sejam um exemplo… entao vai morar na URSS oooops! so sobrou CUBAAA!

  2. HAC

    -

    11/09/2014 às 10:06

    chega de baboseira, TODOS escolhem uma profissão porque gostam dela; com os médicos não é diferente. TODOS trabalham para ganhar $ e serem valorizados, com os médicos também não é diferente. Agora, sendo direto: NÃO VALE MAIS SER MEDICO NO BRASIL! ninguem te valoriza, te culpam por tudo. VALE estudar e IR PARA UM PAÌS DECENTE. e deixar nosso país para os tecnicos de enfermagem cubanos (sim, é o que são: 3 anos de uma carga horaria que nao formaria um quiropraxista, basta checar.)

  3. Cid Rossi

    -

    05/09/2014 às 16:18

    Me arrependo muito de não ter feito medicina mais meu filho se Deus quiser vai fazer, não existe uma profissão mais completa, mais prazerosa do que essa, ajudar o ser humano num momento de dificuldade não tem preço.

  4. Hatus Almeida

    -

    21/08/2014 às 16:18

    A complexidade da profissão média é realmente assustadora porque vai além da dinâmica capitalista (apesar de que a sociedade realmente “conhecedora” da razão salário/qualidade de vida julgue o contrario)..ela entremeia a própria vida…sim..porque não se é médico em momentos determinados do dia, da semana,do ano…ser médico é assumir uma posição integral de serviço, seja ele bem feito ou mal feito (por favor..será que apenas na profissão médica existem profissionais de péssima qualidade?)…seja por parte de sua familia, ou um vizinho, um desconhecido, sabendo de sua identidade profissional esse virá a abordar o profissional médico a qualquer momento, pois não se escolhe a hora de se ficar doente ou não…salários exorbitantes?..médicos tem familia, médicos tem sonhos, médicos tem vida, ora..se esse profissional buscou qualificação e deseja receber por ela…que seja…não sei se os que criticam essa questão são conhecedores, mas decadas de história apontaram pra uma realidade capitalista, ou por acaso o sistema social vigente no Brasil é o comunismo? Sou estudante de medicina e reconheço o desafio imposto pela minha escolha…se vou receber bem..dependerá do meu desempenho..mas acima disso está a minha preocupação para com a vida do próximo, se não fosse essa a verdade, seis anos de faculdade seriam perda de tempo, pois ao que me parece o mercado oferece salários maiores para profissões com menor grau de comprometimento.

  5. Ludmila

    -

    16/08/2014 às 16:28

    Quanta gente invejosa aqui! Vejo que temos aqui outros profissionais que morrem de inveja dos médicos…Tenho tanta dó!!! Vocês deveriam parar de criticar a classe médica. Sentar numa cadeira seis anos e estudar horas e horas vocês não querem, né? Tem que ganhar muito mesmo. Cuidado, inveja mata…

  6. Mara Eliza

    -

    02/08/2014 às 22:49

    O problema que se a população continuar a desvalorizar os médicos, eles (nós) sofreremos com a falta de médicos. O problema é que o governo paga menos que o particular, assim, os piores médicos trabalham no serviço público.
    Para ser médico, é muito difícil, entrar numa faculdade e estudar é quase impossível para os pobres. Assim, acho que deveriam ser mais respeitados.
    Ah! Eu não vi arrogância em seu texto. Parabéns pelo seu trabalho!

  7. Isaias

    -

    25/07/2014 às 13:46

    Desculpa,doutor, mas vcs não são especiais. Se faltassem as aulas de arrogância, fariam melhor o trabalho,que lhes competem fazer.

  8. Jessé

    -

    05/07/2014 às 0:34

    Muito obrigado por ter publicado este texto motivador, que de alguma forma me ajudou. Realmente, ser médico, principalmente atualmente com essa visão errônea sobre os médicos não é nada fácil, mas ainda desejo tornar-me, sou estudante por enquanto e vou ser vestibulando de medicina. Grato dr. Roberto

  9. josiane barbosa dos santos

    -

    30/06/2014 às 16:22

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme relembrei aos amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  10. cubano

    -

    04/06/2014 às 3:34

    quem realmente pode reclamar são somente os cubanos eles sim ganham uma miséria cerca de R$ mil reais por mes e os outros R$ 9 mil vai para o governo deles isso sim é patifaria , fora isso cuba que apesar do sistema politico ser atrasado , a medicina é uma das melhores do mundo e eles ganham quanto la?? quando vieram pro Brasil pra eles mil reais era uma fortuna em comparação com o que eles ganhavam em cuba depois que eles ficaram sabendo da realidade ai sim eles cairam fora e com razão agora voces médicos brasileiros falando que não valem a pena ser medico aqui ?? salario de R$ 10 mil a 20 mil pra mais??? com certeza voces medicos brasileiros estão pensando que nosso país é de 1 mundo né? que todos nós ganhamos esses salários que voces com certeza estão fora da realidade do brasil mesmo os únicos que ganham o mesmo que voces são politicos e alguns cargos de esfera federal mas o diferencial é que voces fazem uma carga horaria bem menos (com exceção dos politicos que nao fazem nada), mudando de assunto eu tinha uma tia minha professora que passou pela mesma santa casa de uma cidade duas vezes uma pelo sistema particular quando ela tinha convenio e outra pelo sistema público, por coicidÊncia nas duas oportunidades tanto pelo convenio quanto pelo publico ela foi atendida pelo mesmo médico quando foi pelo particular o médico lembro me bem ele lembrava até do nome do paciente puxando o saco e tal quando foi da outra vez agora pelo publico ele passou batido nem lembrava da cara e do nome da minha tia …. e depois falam que fazem por amor a profissão de ser super heróis e não tem nada ver com dinheiro??? Santa hipocrisia …… hoje em dia até mesmo os médicos dos particulares com convenio atendem mau pra caramba ou seja nem pagando atende bem mais …. a situação ta tão critica mesmo só que não é a dos médicos e sim do povão esse sim ta critico que não tem a quem recorrer nem a governo , nem sistema publico de todos os setores só resta o povão ir a benzedeiras e afins porque é o único jeito pelo visto de o povão se curar é pelo poder da crença de deus e para os que não cre o efeito placebo …….

  11. medico fanfarrão

    -

    04/06/2014 às 1:55

    ….HIPÓCRATES ficaria com vergonha de alguns discursos hipócritas de que ganham pouco e blabla e tal o fato é fazer medicina para ajudar o próximo ato nobre agora voce ve diariamente médicos batendo ponto e caindo fora de serviço publico,jogando paciencia na hora do trabalho que ja é pouca carga horaria, dormindo e quando voce reclama eles falam que estão estão ocupados fora fato de eles ganharem por produção ganham por atestado médico então vão receitando chegam ate sua meta etc ,existem de fato bons profissionais mas é o minmo que se espera tambem e mesmo assim são raros os medicos dedicados , sentimos reconhecidos profissionalmente quando temos salários bons agora quando dão horna ao mérito e um monte de titulos inuteis mas sem reconhecimento financeiro o que adianta? na minha opiniao é só pra alegrar alienados esses tituos de honra e tal pra mim o melhor reconhecimento que se pode dar a um profissional é o reconhecimento financeiro se sentir valorizado , igual a bombeiro esse sim é um heroi trabalha arrisca sua vida e ve se eles ganham como um médico??? no maximo ganham honra ao merito por bravura e blablabla no maximo um aumento pouco consideralvel por aumento de patente e tal mas nem se compara com um salario de um medico portanto reconhecimento pra mim é financeiro simples assim e ficam chorando que a classe não é reconhecida?? claro que são ganham muito bem sim a nivel de Brasil quem tem que chorar são os brasileiros que trabalham duro mais que 44 horas semanais sem contar as horas extras e ainda assim ganham menos do que um salario minimo portanto temos que parar de falar bravatas e ser realistas médicos são reconhecidos sim pois ganham muito bem ok , aqui somos todos carne e osso, todos vão para o mesmo poço porem o julgamento sob as leis do universo é o diferencial para cada ser !!!! sera que vão boicotar agora??

  12. papo furado

    -

    04/06/2014 às 1:04

    favor né gente,papinho furado esse de fazer medicina por amor ao jaleco de salvar vidas e blabla hoje nesse mundo consumista a maioria procuram esse curso apenas pelo fato de ganhar bem e nunca ficarem desempregados somente isso são rarissimos os casos de amor a camisa os unicos que realmente gostam da profissao são aqueles que ficam em pronto socorro de madrugada , aqueles que vão trabalhar la no fim do mundo pra ajudar aldeias indigenas, ou algum povoado pobre com falta de médicos ou vão a outro país pobre como ajuda humanitária da onu ou ainda em países com guerra em curso esses sim eu acredito piamente que gostam da profissão de salvar vidas agora o resto são apenas ratos atras de dinheiro e quanto mais pra eles melhor, sem contar os residentes filhinhos de papai que vão nos hospitais apenas para se mostrarem , mostrar o novo sapato, fica se mostrando com o jaleco e estetoscópio achando que no hospital é uma passarela de moda o que esperar desses tipos???

    “Os únicos” são os que ficam em pronto-socorro?
    Nenhum dos centenas de milhares de outros presta?
    Rapaz, você realmente odeia os médicos, não?
    O problema é que, queira ou não, cedo ou tarde você precisará de um deles.

  13. medico é fanfarrão

    -

    04/06/2014 às 0:41

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme relembrei aos amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  14. RAFAEL

    -

    04/06/2014 às 0:18

    papinho furado de que médico se da mal no brasil médico são os únicos que nunca vão ficar pobres , só fica se quiser ,médicos que realmente trabalham por amor é raro eu mesmo vejo isso nos hospitais publicos principalmente essas patricinhas e mauricinhos fúteis filhinhos de papai passeando de salto alto pelos corredores com jaleco e estetosópio só para se exibirem se achando o tal, quando se formam se tornam um péssimo profissional visando somente o lucro pois esse papo de trabalho dificil isso é papo furado mesmo trabalham muito pouco pra ganhar muito ,qual outro profissional que ganha R$500,00 por uma consulta de 30 minutos? advogados podem ter a possibilidade de ganhar bem mas são poucos pois esta inflacionado de advogados no brasil agora médicos pode fazer que nunca vai faltar emprego e o melhor ganhar bem ,para engenheiros agora a situação esta boa porem temporária até quando a bolha imobiliária inflacionar agora médico nunca vão faltar gente precisando em qualquer tempo seja ele de tempos de crise ou não e o pior ganham muito façam me o favor né a unica coisa que eu concordo é de que a estrutura é falida sim muitos locais sem condiçoes de trabalho sim agora os unicos que se ferram com isso é o povão porque os medicos mesmos não estão nem ai pois deu o horario e vão embora e recebem o seu e quando eles precisarem de médicos eles vão nos particulares dos amigos, outras profissões de respeito como biólogo pouco reconhecido não da grana,ser um cientista por exemplo é só para os apaixonados mesmo pois tambem não da grana nenhuma se for muito voce ganha um nobel e uma grana de 300 mil e olha que pra chegar a um nobel é dificil…. resumindo médicos aqui nesse país choram de barriga cheia pois reclamam de concurso que pagam R$ 5 a 9 mil por 20 horas de trabalho semanal e as vagas nem são preenchidas me digam qual a classe que rejeita um salario desse por tao pouco trabalho??? o fato é que aqui se formam apenas filhos de papais que só querem zuar por isso noso país esta breve de uma falÊncia próxima!!!

    Como irmão, sobrinho, primo e tio de médicos, acho seu comentário generalizante extremamente ofensivo a uma categoria digna que presta um trabalho imenso ao país e aos brasileiros.

  15. maria Helena

    -

    28/05/2014 às 22:00

    Sou da área da saúde e, conheço poucos médicos que realmnte estão nessa profissão por gostar mesmo. O que a maioria que é ganhar muito e trabalhar pouco. Os médicos realmente já foram muito respeitados mas também tratavam a população com respeito. Tenho certeza que , se no Brasil, fosse proibido o serviço de saúde privado, fazendo com que todos, ricos e pobres utilizassem o SUS, um serviço qualidade seria prestado ao cidadão.

  16. Tadeu Tedesco

    -

    27/05/2014 às 15:42

    Espero que meu filho seja médico!Aposto todas as fichas nisto, por um simples motivo: Trabalham muito pouco e são muuuuito bem remunerados!
    Não existe hoje outra profissão no Brasil que ganhe tanto dinheiro quanto ser médico!e falo com conhecimento de causa, pois tenho contato com mais de 50 médicos por ano devido a assuntos profissionais! tenho parentes médicos: Todos com carrões do ano, trabalham quando querem, casas de luxo e viagens ao exterior periodicamente…e claro…a arrogância normal da classe médica!
    Acham que por que estudaram 6 anos e passaram em um vestibular difícil o mundo deve estar à seus pés: MAS ESQUECEM QUE ENTRARAM POR QUE A PROFISSÃO OS TORNARÁ MILIONÁRIOS EM CURTO ESPAÇO DE TEMPO!
    Claro que há os maus profissionais: Aqueles que passam anos e anos estudando especificamente para prestar medicina, e que quando médicos, SÓ QUEREM SABER DE DINHEIRO. E estes, talvez por falta de vocação ou até mesmo capacidade, são os que vivem de forma mais SIMPLES. Carro do ano nacional e uma excelente casa em condomínio.
    Um plantão pagando 1.500 reais? fala sério! Parem de chorar as pitangas e vão trabalhar DE VERDADE! É muito chororô e pouco empenho! ME APONTEM QUALQUER OUTRA PROFISSÃO QUE JÁ SAIA PRATICAMENTE EMPREGADO NO BRASIL…SÓ MÉDICO MESMO!O problema do ser humano é que quer trabalhar cada vez menos e ganhar cada vez mais!
    VALE A PENA SER MÉDICO NO BRASIL??? A resposta é simples: SIM! E MUITO! basta olhar a quantidade candidato/vaga no curso de medicina e a pouca evasão!

  17. aparecido f.

    -

    26/05/2014 às 23:39

    Com todo o respeito ao doutor, acho que tem algumas profissões que choram demais….os campeões são os professores… choram o tempo inteiro que estão na pior profissão do mundo….e porque entraram nela ????… os funcionários publicos… tem muitos privilégios, ganham muito mais que os trabalhadores privados, trabalham muito menos e descansam muito mais… e choram !!! Os médicos também choram o tempo todo… e o governo acabou trazendo os **** cubanos baseado na má imagem da profissão de médico no Brasil…e os próprios médicos e os CRM contribuíram para isso ao permitir a existência entre eles de médicos batedores de pontos sem trabalhar… isto depõe contra a ética a contra a categoria como um todo….Se o salário é baixo… não aceite o emprego…ou então se aceita o emprego, ganha o pouco e não trabalha…a ética profissional deve-se ser exigida pelos proprios profissionais… Toda as profissões passam pelo estudo e pelo penoso inicio da profissão e nem todos acabam fazendo uma carreira brilhante….quem pergunta se vale a pena estudar a qualquer profissão… dou um conselho de profissional de engenharia atuando há trinta e dois anos…. não faça o curso…se você precisa fazer essa pergunta é porque não quer estudar a profissão…quem quer estudar engenharia, medicina, direito ou outro curso qualquer vai estudar e pronto… o mercado de trabalho é outra história …Será que um soldado pergunta se é bom negócio para ir a guerra ??? e no entanto tantos vão.. alguns voltam e viram generais…outros voltam em um caixão… quando voltam… assim é a vida…nascemos sem pedir…e morremos sem querer…

  18. geroldo zanon

    -

    26/05/2014 às 16:04

    Não vale apena mesmo O COMUNISTA PADILHA trouxe um monte de curandeiros cubanos

  19. Angèlìka

    -

    26/05/2014 às 10:50

    Somos todos afetados.
    A começar pela “qualidade” do ensino fundamental que foi assassinada há décadas.
    Qual governo prezou pela educação neste Brasil?
    Lembro que quando era criança havia o MOBRAL que ensinava o cidadão a aprender a ler e que já estava de bom tamanho ele conseguir assinar o próprio nome.
    Hoje temos professores no ensino médio que FALAM “eu trusse”.
    Como tudo é um jogo de dominó, isso chega até as faculdades/universidades.
    A USP “era” a melhor instituição de Ensino Superior do país. Hoje está entregue à politicagem. Seus professores e mestres, estão indo embora.
    Como querer lavar/limpar as mãos em água suja?
    Não entendo como o descaso do governo com os nossos médicos e a área da Saúde pode ajudá-los a angariarem votos, se justamente a população carente é mais prejudicada.
    Quanto a Classe que se sustenta bravamente, é também muito prejudicada por ser obrigada a pagar CARO por Planos de Saúdes e Educação.
    O problema é bem mais complexo.
    PRECISAMOS OLHAR PARA NÓS MESMOS.
    Os governantes são apenas um reflexo do que somos.

  20. Cidadão Quem

    -

    26/05/2014 às 7:58

    Não vale a pena ser médico, tampouco vale a pena ser engenheiro, matemático, economista, enfermeiro, biólogo, etc. Nâo vale a pena estudar no Brasil. Não há sistema de mérito. O mercado de trabalho e o meio acadêmico emitem sinais distorcidos. Até para efeito da realização de concurso público passaram a exigir cotas…

  21. maria

    -

    26/05/2014 às 1:16

    maria – 22/05/2014 às 22:48

    É vergonhoso. Uma verdadeira campanha do governo atual para tentar justificar sua incompetência!
    Subestimam a inteligência do brasileiro.
    Com o PT vivemos a época do culto ao “ignorantismo”.
    Para aqueles que acreditam nas campanhas midiáticas de salários de engenheiros e professores astronômicos, faço um convite: procure o valor da hora-aula de um professor ou engenheiro e confira você mesmo!
    Por uma hora-aula de um professor ou engenheiro ninguém paga r$400,00. Por tudo que envolve o servico, não para o professor ou engenheiro somente.
    Agora faço outro convite: procure o valor da mao de obra de uma consulta médica; some quanto seu médico ganha…
    Nada contra as outras carreiras médicas.
    O que não é digno é enfrentar o vestibular mais concorrido (engenharia), cursar 6 anos em turno integral, realizar nova prova, para residência/especialização/mestrado/doutorado (mínimo de + 8 anos), e ser responsabilizado pela incompetência na gestão.
    Para aqueles que pensam em cursar por amor, duas opções:
    1- faça medicina via cuba,lá é muuuuito mais fácil, e o PT ajuda com a ida e a volta, inclusive. E agora com o mais médicos qualquer um sai trabalhando por esse Brasilsão, segue o link http://www.ptsul.com.br/?doc&mostra&14665
    2- curse aqui, e se prepare, seja forte…
    ou
    Se pensa apenas na remuneração, esqueça faça algum cursinho de medicina…

  22. renato

    -

    25/05/2014 às 18:47

    Aos “descrentes e preocupados” e coisas afim o caminho é o aeroporto ou rodoviária mesmo visto que estão “passando” necessidades.

  23. jose

    -

    22/05/2014 às 22:48

    É vergonhoso. Uma verdadeira campanha do governo atual para tentar justificar sua incompetência na gestão da saúde!
    Subestimam a inteligência do brasileiro.
    Com o PT vivemos a época do culto ao “ignorantismo”.
    Para aqueles que acreditam nas campanhas midiáticas de salários médicos astronômicos, faço um convite: procure a tabela de procedimentos do sus e confira você mesmo!
    Por um parto cesariano o sus paga r$400,00. Por tudo que envolve o parto, não para o médico somente.
    Agora faço outro convite: procure o valor da mao de obra da troca de amortecedores do seu carro; some quanto seu cabeleireiro ganha…
    Nada contra as outras carreiras.
    O que não é digno é enfrentar o vestibular mais concorrido, cursar 6 anos em turno integral, realizar nova prova, para residência/especialização (mínimo de + 4 anos), e ser responsabilizado pela incompetência na gestão.
    Para aqueles que pensam em cursar por amor, duas opções:
    1- faça via cuba,lá é muuuuito mais fácil, e o PT ajuda com a ida e a volta, inclusive. E agora com o mais médicos qualquer um sai trabalhando por esse Brasilsão, segue o link http://www.ptsul.com.br/?doc&mostra&14665
    2- curse aqui, e se prepare, seja forte…
    ou
    Se pensa apenas na remuneração, esqueça faça alguma engenharia…

  24. Raquel

    -

    07/05/2014 às 19:56

    Nossa que teoria da conspiração contra a classe médica. Parem de show!! Quer motivos para a sociedade brasileira não ver vcs como semi-deus: Pagar 500,00 numa consulta, pra ficar menos de 10 minutos no consultório e nem olhar pra sua cara. Aqueles que trabalham no sus batem ponto e vão embora. Fazem conchavos com clinicas e pedem inúmeros exames sem necessidade, conchavos com os laboratórios, indicando remédios caros que mtas vezes nem são tão eficientes. Estão arrependidos de ser médicos? Que tal ser professores? Aí sim vcs vão saber o que é ser respeitado, por alunos, sociedade, governo. Vão saber o que é ter condições de trabalho, sem falar na excelente remuneração. Vai pra **** cambada de “doutor” que na maioria dos casos nem mestrado tem, e vem com essa onda de doutor. Doutor pra mim é que tem doutorado!

  25. Arrependido

    -

    28/04/2014 às 21:47

    Sou médico e não recomendo a ninguém que siga a mesma carreira. Houve um tempo em que as pessoas eram agradecidas ao profissional que SALVA suas vidas. Esse tempo passou. O Brasil terá o futuro que merece. Sem médicos. Ou com médicos cubanos.

  26. Lamarck V. O.

    -

    05/04/2014 às 23:16

    Pode valer a pena ser médico, e quero ser médico, mas não pelos salários astronômicos, e pelo respeito, que existem sim, diferente do que o texto diz. Quero ser médico para poder exercer a arte do diagnóstico.. Para poder ter a satisfação de ler um exame e dar ao paciente aquilo do que ele necessita para sanar suas dores. Ser médico no Brasil hoje não é ruim, longe do que versa o texto, muito pelo contrário, como citou a cirurgiã nos comentários anteriores, é sinônimo de vida financeira organizada. Quero ser médico, médico, médico… Não comerciante de serviços médicos.

  27. Gutemberg

    -

    31/03/2014 às 21:32

    Acho que a colega Ludmila U.C.P.O. está precisando conhecer mais um pouco do Brasil…acho que ela ainda deve estar vivendo em Tóquio ou algum outro país. Acorda coleguinha! Nem todo médico é tão rico quanto a senhora. Não fale da realidade de quem vc não conhece. Cada um tem sua luta, se a sua está ganha ou está tão fácil assim…de graças e não fale sobre o que vc desconhece. Se é que vc existe, né?!?

  28. narieth constantino

    -

    20/03/2014 às 12:21

    nao posso dizer q medicina é a melhor profissao, pois nenhuma é melhor q a outra. o campones precisa do medico, e o medico precisa do campones… mas posso dizer q medicina é uma area proficional admiravel, encatadora e muito especial. nao ha nada melhor q da a origem de um ser, que trata, cura nao apenas fisica mais tambem psicologica,,, ser medico é vida, tal como DEUS é o melhor medico que cura e nao deixa cicatrizes ele é vida, depois deles estao os medicos.
    felizes sao osmedico q sao carinhoso, pacientes, humildes e amorosos. medico com este perfil é uma dadiva de DEUS.

  29. Ludmila U.C.P.O.

    -

    07/03/2014 às 5:21

    Sou médica neurocirurgiã, graduada pela USP, com mestrado pela Universidade de Tóquio.

    Ao contrário do que o texto diz a população brasileira vê os médicos brasileiros com muito respeito e os acha as pessoas mais inteligentes e estudadas do planeta terra, tendo por eles muito respeito, consideração e subserviência desnecessária. Sobre os estudantes de medicina eles desde minha época de faculdade ainda continuam metidos, presunçosos e arrogantes e sobre os colegas mais maduros e experientes continuam bem financeiramente, pois estão estáveis, e não me venham com esse papo de que médico tem problema financeiro, pois eu já vi advogado e engenheiro morando em bairro de periferia, mas NUNCA, NUNCA VI NENHUM colega médico morando em bairro ruim, e veja conheço mais de 300 médicos. Nenhum aluno está descrente com a carreira ou pensando em desistir do curso de medicina, isso é papo furado, pois sabe que terá boa remuneração e estabilidade como médico. Esse papo aí do texto é tão mentiroso que é só checar nas universidades o índice de evasão (abandono) do curso de medicina, é QUASE ZERO, enquanto por exemplo em filosofia é de quase 60%, pois filosofia além de ser um curso de pura abstração, complicado de acompanhar, não tem retorno financeiro como medicina. Quando se diz que a saúde vai mal a população confunde isso com a vida financeira dos médicos que vai muito bem por sinal. Confesso que a classe médica é incompetente para a gestão hospitalar, isso caberia mais aos economistas, que tem melhor formação. Nós estudamos para diagnosticar e tratar da enfermidade, não para gerir um hospital, e quando um médico geri algo financeiro vai de mal a pior, ainda mais um ministério. Sempre quando um economista assume o ministério da saúde a gestão é a melhor de todas, quando é um médico sempre é ruim, pq é um médico politiqueiro, sem capacidade técnica. O médico é bom para gerir suas finanças apenas e isso ele sabe fazer com maestria. O vestibular de medicina só é concorrido pq a maioria dos vestibulandos percebeu que esse é o curso com melhor perspectiva de se ganhar dinheiro, daí a maioria quer ser médico, apenas por isso, não pq medicina é um curso especial, se outro curso desse o mesmo retorno financeiro daí todos iriam prestar vestibular para essa outra carreira. O nível dos candidatos não é elevado, no sentido de qualidade, mas apenas na capacidade de memorização, pois o vestibular mede apenas isso. Se vc pegar o aluno que passou em primeiro lugar no curso de medicina, por exemplo, no ano de 2009 e ao fim do curso, 6 anos depois, der para ele a mesma prova, a título de teste, ele não acerta nem 60% do teste. Eu mesmo tentei refazer a minha prova do vestibular quando eu estava terminando a faculdade e acertei em torno de 30%, pois na época do vestibular eu memorizei o conteúdo do exame. Então passa no vestibular quem não tem um passarinho para cuidar, uma louça para lavar e cabeça sem problema para memorizar tudo. Muitos médicos são insensíveis às dores dos pacientes, são blindados. Como eles são geralmente provenientes de famílias ricas, o Deus deles é o dinheiro, são egoístas e estão pouco se lixando para a dor dos outros. Sobre o papo no texto de se vestir de branco para ir para a faculdade de medicina confesso que eu mesma me vesti várias vezes para me exibir para os outros, para mostrar que estudava medicina, saia de jaleco para ostentar a faculdade de medicina e jogar na cara da sociedade que eu iria ser médica e confesso que todos que andam de jaleco e estetoscópio pelas ruas o fazem para se exibir, para mostrar que são médicos. Existe uma portaria da Anvisa inclusive proibindo andar de jaleco fora do hospital, mas os médicos para se exibirem desrespeitam a lei e como não tem quem fiscalize fica por isso mesmo. Confesso que todos os médicos se acham especiais. Sobre se vale a pena ser médico? Com certeza. É a profissão mais rentável do Brasil. A maioria dos médicos sonegam imposto de renda. Não dão recibo em consulta médica, a população dificilmente pede recibo. Eu pago os meus impostos, claro, mas médico é a raça que mais sonega neste país, com certeza. Médico dificilmente é multado. Ele pode alegar que estava indo socorrer um paciente. Esse papinho de que médico ganha mal é mentira. Tem médico no Brasil que cobra 2000 reais a consulta, eles atendem 10 pacientes por dia, ganham 20 mil por dia. Por semana então imagina e por mês? Eu não vou por aqui o nome dos médicos, pois posso sofrer represália, mas muitos deles estão no Anuário Análise Saúde 2013, onde está a lista dos médicos mais famosos do Brasil, só consultar no google, pegar e ligar para o consultório e checar as consultas nas casas dos mil reais. Daí vcs vão vir com a desculpa, mas lá estão os médicos mais consagrados. Outro exemplo de como médico ganha bem, mesmo cobrando consulta com preço baixo. Eu no meu início de carreira, cobrava 100 reais a consulta, operava de 7h até 12h depois de 13h até 19h (12 consultas) eu fazia parte clínica (consulta). Cada consulta levava meia hora. Comigo não tinha direito a retorno, pois as consultas eram para analisar a possibilidade de operação. Fazia 20 cirurgias por mês. Cada cirurgia 5 mil reais no mínimo a minha parte, não estou pondo aqui a parte do hospital, anestesiologista etc. Então 5 mil x 20 = 100 mil reais por mês. Consultas eram 12 por dia = 1.200 reais por dia. Por semana 6.000 reais. Por mês 24.000 reais. Hoje em dia minha consulta tem outro preço, queridos, e prefiro não revelar. Então mesmo cobrando 100 reais a consulta ou 2.000 reais qualquer médico É EXTREMAMENTE BEM DE VIDA. Estou revelando isso aqui porque estou cansada de tanta mentira de médicos colegas fingindo que são pobres coitados. Existe uma especialidade da medicina que é a mais rentável, quem a faz chega a ganhar até 300 mil por mês, mas prefiro não revelar aqui.

    Não divulgo seu email por se tratar de norma do site de VEJA.

  30. Ícaro

    -

    25/02/2014 às 18:04

    Ultimamente, atuar na área da saúde se tornou algo tão critico quanto praticar qualquer outra profissão! Infelizmente o país vai de mal a pior, e os únicos bem sucedidos são aqueles com ações imorais e criminosas, tenho 17 anos e sinceramente não sei o que será do Brasil daqui alguns anos, Pretendia cursar medicina, mas acho que preciso pensar duas vezes nisso, você vai literalmente ‘se matar’ de estudar pra passar no vestibular de uma federal, já que não é pra qualquer um pagar 4.000,00 reais por mês durante 6 anos para depois ser desmoralizado num quadro cuja própria população não tem o minimo respeito por aquele que salva vidas.

  31. Caio

    -

    17/02/2014 às 22:53

    Mas com os professores, ninguém se preocupa muito…

  32. Edinaldo Borges de A Raraujó

    -

    29/01/2014 às 7:33

    Verdadeiras e sabias palavras,Sabemos que é difícil mas não impossível.

  33. aparecido f.

    -

    27/12/2013 às 16:46

    Falta humildade aos médicos… a arrogância é que os levou a situação descrita…e mais.. não fazer tratos que não podem ser cumpridos…se for contratado por quatro horas por plantão… façam quatro horas ou peçam PARA SAIR…..se o salário é baixo, caiam fora…sou engenheiro.. deixei se aceitar muitos cargos publicos pela baixa remuneração…ou seria ético obter o emprego e não trabalhar porque o salário é muito baixo ????.. um médico que vai ao pronto socorro somente para bater o ponto atua contra a própria classe, desmoralizando-a.. Os próprios médicos não deveriam aceitar isso…É assim que começa a moralização…

  34. Mário

    -

    26/12/2013 às 0:15

    Não sei porque os médicos brasileiros não emigram em massa. Eles trabalham + de 60h semanais sob diversos riscos, ganham menos que um corte de cabelo pelos convênios médicos, não tem direitos trabalhistas, pagam altos impostos os quais são usados para demoniza-los e persegui-los, etc. Nova Zelandia, Australia, EUA, Canadá, Reino Unido valorizam muito mais a profissão médica.

  35. Luiz

    -

    24/12/2013 às 7:34

    Medicina, profissao da qual faco parte, vai de mal a pior,destruiram professores, advogados, dentistas e agora a medicina, plantoes lotados, pacientes precisando mais de analista que de medicos, convenios massacrando, cubanos, aumento do numero de faculdades, e como tudo 90 por cento trabalho e dez enriquecem.

  36. Julio Bastos

    -

    23/12/2013 às 0:16

    Médicos acreditam que são superiores, que são profissionais especiais. É uma pena que ainda existam profissionais que pensam assim e colunistas que dão espaço para pessoas desse tipo. A prática profissional de vocês não faz de vocês especiais. Deixem essa besteira de status de lado, isso já era. Todo e qualquer profissional na sociedade é importante. Me veio a lembrança do profissional de limpeza da área de vocês, lá na sala de cirurgia. Se não houvesse alguem para deixar limpo o local de trabalho, suas santas ações de cura e salvação seriam as mesmas? Vocês são apenas pessoas que tiveram a oportunidade de estudar mais que outras e devem respeitar e tratar outros profissionais como iguais. REPITO: VOCÊS NÃO SÃO ESPECIAS, são profissionais de saúde.

  37. What's up?

    -

    21/12/2013 às 10:25

    No dia em que entenderem que diploma é apenas formalidade e que diploma não faz dele um profissional, o Brasil deixará de ser país com premio Nobel ZERO.

  38. Antunes

    -

    21/12/2013 às 7:22

    Vejo que em alguns comentários os médicos são julgados pela sua remuneraçào, como se fosse injusto premiar o mérito de sua formação. Deve-se colocar os pingos nos “is” … Medicos deveriam ter uma carreira pública, ganhar bons salarios, não por um viés do capitalismo, mas pela necessidade de premiar o mérito. A discussão poderia ser inclusive orientada para a produtividade do Sistema Público. Profissionais deveriam ser premiados por sua produtividade, por indices de eficiencia e qualidade de seus servicos prestados… Será que juizes, por exemplo, mereciam tão altos salarios baseados nesses critérios? Essa seria a verdadeira revolução, e não so na saúde… Mas que fique claro, nenhum professional passa por períodos tão longos de teeinamento, exigencias tão rigorosas para sua formação! Bons médicos MERECEM ser melhor remunerados… E médicos com formação insuficiente, que não apresentam desempenho adequado deveriam ser bandidos da profissao… Isso não é coorporativismo, é exigencia, necessidade para salvar vidas – sem proselitismos…

  39. Ivelise Brasil

    -

    20/12/2013 às 0:16

    Estranho que se comente às diferenças entre.salários, valores etc. talvez nesse cálculo se deva criar uma fórmula logarítmica onde às variáveis seriam horas ara entrar na universidade, horas utilizadas estudando durante o curso de 6 anos, anos e.horas de residência médica, horas de garotastrabalho diário. Criando está forma de cálculo poderíamos ter um ou mais fatores de risco, como contaminação, áreas, exposição a radiação ionizante. Feito isso, se tiraria um fator para cada profissão que multiplicado por um valor fixo pode equilibrar os salários e só. Assim comparar ganhos entre às inúmeras profissões. Ser médico é fantástico e jamais desistiremos da medicina, apesar dos mais colegas, dos mais políticos que se utilizam da Medicina das formas mais criativas e inimagináveis.uma pergunta faço aos comentaristas: quem de vcs não gostaria de ter um filho médico?

  40. Ivelise Brasil

    -

    20/12/2013 às 0:07

    Estranho que se comente às diferenças entre.salários, valores etc. talvez nesse cálculo se deva criar uma fórmula logarítmica onde às variáveis seriam horas ara entrar na universidade, horas utilizadas estudando durante o curso de 6 anos, anos e.horas de residência médica, horas de trabalho diário. Criando está forma de cálculo, poderíamos ter um ou mais garotas

  41. Auster

    -

    18/12/2013 às 18:35

    Enfim! Sinto muito pelos seus lamentos! Sinto muito pela Medicina biomédica, hospitalocêntrica, curandeira e mercantilizada!
    A perda de poder é complicada! A perda de status também!
    Sinto muito que os alunos e jovens médicos, com raríssimas exceções tenha percebido e perdido a vontade “ser médico” por ter o propósito de cuidar da pessoas / ajudar as pessoas. O sistema do capital corrompeu a pobre mente desses jovens!
    Sinto muito por este profissional tal renomado com status de “doutor” não poderem trabalhar em condições “mínimas” sem a ajuda dos outros profissionais “subalternos”, “subordinados”.
    Também sinto muito pela “doença” das pessoas deste país. Pois a saúde não foi construída ainda! Os profissionais da doença são muitos, onde estão os profissionais de saúde! Para que saúde se temos a doença para trabalhar?

  42. Roberto Cro

    -

    17/12/2013 às 23:08

    É com grande alegria que vi que meu texto obteve uma boa leitura. Gostaria de enviar-lhes este novo texto para apreciação, pois acredito ser de utilidade pública. Feliz natal a toda equipe e ao colunista Ricardo Setti. SE NÃO PUDER SER PUBLICADO COMO TEXTO, por gentileza, fico satisfeito, se ele for publicado como comentário. Obrigado mais uma vez. O texto é:E Se Sofrermos Um Acidente de Trânsito Grave Nas Estradas Brasileiras ?

    Uma reportagem, realizada recentemente por uma grande emissora de televisão brasileira, abordou , mais uma vez o tema: O caos no sistema público de urgência e emergência dos hospitais brasileiros.

    Esta reportagem tinha como objetivo verificar se mudanças haviam sido implementadas, no intervalo de um ano, nas salas de urgência e emergência de alguns hospitais das principais cidades brasileiras, desde aquela última visita.

    Adivinhem a qual conclusão esta reportagem chegou ?
    Como era de se esperar, piorou a situação nos pronto socorros da maioria dos hospitais analisados.O povo continua sofrendo ao ver seus parentes e amigos à espera de um atendimento digno, humano e adequado.

    Desde que me formei, venho acompanhando diariamente a deterioração dos setores de urgência e emergência de vários hospitais brasileiros. Como médico socorrista, anestesista e funcionário do SAMU, sinto de perto, “o cheiro da morte” misturado com o cheiro do descaso, que ronda e impregna, este segmento tão importante da saúde pública brasileira.

    Se alguns setores importantes da “elite” deste país, apenas imaginassem, que independente das condições econômicas privilegiadas que possuem, se algum dia sofrerem algum tipo de acidente grave, provavelmente, ali seriam realizados o seu primeiro atendimento, ficariam um pouco mais preocupados com essa terrível situação por que passa nosso sistema de saúde.

    Se soubessem, como um atendimento eficaz e competente, nas primeiras horas do acidente, influencia todo o resto do tratamento, refletindo diretamente na qualidade e na rapidez da recuperação do paciente acidentado, com toda a certeza, cobrariam atitudes mais sérias e eficazes dos governantes.

    Para exemplificar o que acabei de relatar, não poderia deixar de mencionar, um episódio que presenciei, quando ainda era residente, ocorrido há muitos anos, na cidade em que me formei, Vitória do E.S., quando um importante e querido cirurgião vascular, sofreu um acidente automobilístico e foi levado para a emergência de um hospital público daquela capital.

    Não sendo inicialmente reconhecido, recebeu o ” tratamento padrão “ das emergências dos hospitais públicos brasileiros, tratamento este, que ainda impera nos dias atuais: foi acolhido em uma sala de emergência super lotada e pouco aparelhada, por profissionais sobrecarregados, inexperientes e recém formados.

    Ficou aguardando em uma maca, sem colchão, por um longo período de tempo, até ser atendido pelo médico plantonista.Só neste momento, para surpresa e espanto de todos, foi reconhecido como um importante médico da cidade. A gravidade dos ferimentos e o excesso de sangue, dificultaram sua identificação.

    Devido à gravidade do caso, e ao atendimento inicial inadequado, fez uma hipóxia cerebral ( falta de oxigenação cerebral) ficando sequelado para toda à eternidade, mesmo após ter sido transferido para o melhor hospital particular da cidade, por ironia do destino, onde antes, trabalhava.

    Não se iludam, meus queridos amigos, todos estamos sujeitos a cair nesses “corredores da morte”, caso venhamos à sofrer um grave acidente, em algum lugar desse lindo, mas abandonado país.

    Antes de sermos transportados para um hospital de excelência, teremos que resistir aos prontos socorros dos hospitais públicos brasileiros.

    Estou prestes a viajar com minha família, de automóvel, por essas perigosas estradas brasileiras. Não vou negar a vocês, que dentro de meu peito paira uma grande preocupação e um medo ainda maior.

    Estradas em péssimo estado de conservação, excesso de caminhões e carros , motoristas enlouquecidos pelas datas festivas, muitos deles alcoolizados e drogados, dirigindo sem o mínimo respeito às regras de trânsito, são apenas alguns dos obstáculos que terei que enfrentar, para chegar ao meu destino final; vivo.

    Peço à Deus que me proteja e a minha família e a de todos os brasileiros, que como eu, se aventurarão, por essas estradas assassinas.
    Se porventura formos vítimas de algum acidente grave, estaremos perdidos.

    Se não existem serviços de urgência e emergência preparados para dar o socorro adequado, nas capitais e nas grandes cidades, imaginem no interior esquecido, desse imenso território nacional.

    Os hospitais do interior do país, não estão aparelhados para atender casos graves de urgência e emergência, principalmente trauma.

    Faltam leitos para receber esse tipo de paciente, faltam equipamentos dos mais variados tipos, faltam bancos de sangue, faltam profissionais com treinamento e experiência em trauma, urgência e emergência.

    Geralmente quem fica de plantão nestas datas festivas, são médicos recém-formados, muitos deles sem residência médica e/ou treinamento específico para atendimento de urgência e emergência.

    Sem malícia, acabam aceitando enfrentar esses plantões, sem imaginar o risco que correm e que estão expondo os seus futuros pacientes. A inocência e a ignorância, nem sempre os protegem.

    Como médico do SAMU, já fui chamado várias vezes para ajudar alguns colegas, recém formados, a fazer a intubação orotraqueal (colocação de tubo na traquéia) em alguns pacientes, que agonizavam e por falta de ventilação e consequentemente de oxigênio, corriam grande risco. Algumas vezes, não consegui, infelizmente, chegar à tempo.

    Precisamos acordar e encarar esse problema de frente. O caso é muito mais grave e sério do que aparenta. Ou mudamos por completo o sistema de urgência e emergência, ou continuaremos a fingir para a população, que estamos oferecendo à eles o que há de melhor e mais seguro.

    Todos nós sabemos que estamos vivendo em um verdadeiro país de “faz de conta”, para realmente resolvermos estes problemas, precisamos mais do que medidas eleitoreiras e demagógicas.

    Quando lidamos com urgência e emergência, não existe espaço para medidas paliativas e improvisações .

    Um final feliz só poderá ser escrito, quando agirmos de forma ágil e dentro das técnicas corretas, contando com apoio de um hospital devidamente preparado para receber este tipo de paciente grave que foi resgatado da cena do acidente.

    Só assim, o final da história, não acabará sendo escrito, em um triste papel que leva o nome de “ Atestado de Óbito “ em seu cabeçalho.

    Como podemos evidenciar, o problema é muito mais sério e complexo do pode parecer, simplesmente trazer alguns “cabos eleitorais” de algum país socialista, não resolve o problema.
    O Brasil não precisa de mais médicos, o Brasil precisa de uma melhor gestão no setor da saúde.

    Precisamos realmente encarar esta situação de frente e com responsabilidade. O povo brasileiro merece mais respeito.

    Que Deus nos proteja em nossas viagens de férias, por todas as estradas brasileiras, pois acredito, que na atual conjuntura, só à ele nos resta reclamar e recorrer.

  43. Guilherme Coutinho

    -

    17/12/2013 às 9:48

    O descaso com a saúde do povo brasileiro por parte dos governos, criou primeiramente um ambiente de trabalho para a prática da medicina igual ao existente no Sec. XVII. Este ambiente criou uma fobia nos médicos ao atendimento nas instalações públicas governamentais e, pelos mais de vinte anos nesta Somália, onde a morte é a única cura, consolidou-se uma insensibilidade nesta classe médica no trato com os seus pacientes das classes populares. Surge esta constelação de planos de saúde para ocupar o espaço deixado pelo descaso do governo e desespero dos estados e municípios. O novo clã dos planos, em troca de polpudos ajustes subterrâneos faz o atendimento somente aos seus filiados como benefício que as empresas oferecem aos seus trabalhadores. Posteriormente são forçados pelo governo fascista a ampliar o atendimento como se fossem uma extensão do inexistente serviço público de saúde. Com o aumento da classe média, financiados para o consumerismo pelos governos fascistas acenando bandeiras do tudo pelo social, este crescimento vegetativo mais o induzido, propiciados pela economia selvagem uma consolidação de um ambiente para Clínicas Médicas e profissionais antes somente atingidos pelos planos de Saúde, mal e porcamente. Com uma holística visão de poder , melhor seria de pavão, para a realidade, o governo fascista nomeia a classe médica como o bode expiatório para as suas manobras de castração da percepção aplicadas contra povo e para implantar seus demagógicos propósitos ,com uma utopia da cubanização da saúde. Chegou a hora da classe médica sair as ruas para protestar de uma forma que irá molestar o governo fascista petista. Um grande atendimento da saúde com ações pelo trabalho e pela verdade. Chegou a hora dos médicos para libertarem-se da peste fascista arregaçar as mangas e fazer um mutirão de atendimento pela saúde do povo, fazer desta uma presença constante, até a destruição total do mal que nos assola, e em bom português. Nesta mudança, o primeiro passo e o mais fácil será expurgar do Conselho Federal de Medicina os agentes fascistas, curandeiros do mal, incorporados como representantes da classe.

  44. Bruno Sampaio

    -

    16/12/2013 às 21:42

    Todo governo populista e de viés autoritário como o do PT tem que eleger sempre algum “inimigo” para encobrir sua propria incompetência, bem ao estilo George Orwell mesmo.
    A bola da vez são os médicos, gananciosos e sem coração. Qualquer semelhança com Cuba culpando os Estados Unidos por todo o mal que há no mundo não é mera coincidência. É o jeito desse pessoal torcer a realidade há quase 100 anos.

  45. Luiz Carlos (não o Barretão)

    -

    16/12/2013 às 16:53

    Vamos deixar esse desgoverno corrupto, que como uma nuvem passageira está no Poder e felicitar os nossos queridos médicos que aliviam a nossa dor. Parabéns pela efeméride e que Deus os abençoe. Particularmente agradeço ao HC da UNICAMP, que quão bem trata todos os seus pacientes, sendo eu um deles na oncologia!

  46. Marcus Borelli

    -

    16/12/2013 às 16:22

    Se o profissional médico pagar o equivalente ao valor de 2 consultas para a sua assistente por mês e der 200 consultas por mês veremos que ele ganhará 100 vezes mais que sua assistente. Não são todos mas acontece. Num país com este nível de diferença salarial há muito ainda o que fazer.

  47. Pedro matias Guimaraes

    -

    06/11/2013 às 19:39

    Eu sou médico há 17 anos, tenho orgulho da profissão e amo a minha especialidade, que é psiquiatria. Tenho 3 filhos,ficaria muito honrado caso escolhessem essa maravilhosa profissão, mas não estou mais incentivando…
    Existe uma campanha de difamação e de colocar todos os defeitos do sistema de saúde nos médicos. A frustração de profissionais de outras áreas da saúde repercutiram até o ponto da Presidanta Dilma vetar artigos da Lei do Ato Médico.
    O resultado dessa difamação da profissão médica e da verdadeira guerrilha na mídia não vai melhorar o país. Tenho muitos professores que exercem a nobre arte da medicina até o limite do possível ( 60, 70, 80 anos). Não vou seguir este caminho.

  48. paula vianna

    -

    03/11/2013 às 9:59

    É claro que seu comentário NÃO será publicado. Ofender uma categoria inteira?
    Xingar VEJA?
    Vá passear.

  49. Vinicius

    -

    27/10/2013 às 20:05

    O FUTURO da MEDICINA é tenebroso. Regras frágeis, poder político cometendo ingerências, dependendo de momentos da política para garantir financiamento correto. Para aqueles leigos que ainda apregoam que o Brasilzão é enorme e vai ter espaço para todos não sabe que isso não resume tudo. A carreira médica foi assaltada e Dona Dilma vetou um plano de carreira para médicos. Uma tremenda canalhice aconteceu neste ano e marca um triste prognóstico não só para a profissão médica quanto para a saúde que não decola.

  50. Terezinha Paiva

    -

    27/10/2013 às 12:50

    No Brasil tem trabalho para qualquer médico de fora ou do próprio País, basta ele querer trabalhar o Brasil é grande e muitas pessoas precisando. Não é pra querer escolher lugar pra trabalhar.
    Tem gente que fala que as comunidades não estrutura, é verdade, mas é verdade também que vi o testemunho de um homem pobre que morava no interior de São Paulo numa comunidade horrível sem condições pra nada. Mas ele era um entusiasta, começou a chamar as pessoas para se ajudarem mutuamente a construir casas, a conseguir recursos água tratada, luz, asfaltamento de ruas, na época do Natal mobilizava a população da comunidade a pedir brinquedos para as crianças. Tenho certeza que numa comunidade pode até não ter os recursos necessários,mas se o profissional der sentido para seu diploma, pode mudar a situação. A doença fisica as vezes é resultado de alegria, de motivação. Aprendi a florescer no lugar onde estou plantado.

  51. Ricardo Tavares Rinque

    -

    26/10/2013 às 0:19

    Médicos são instrumentos de Deus na Terra e possuem TODO o meu respeito e gratidão.
    Vocês cuidam da coisa mais valiosa desse mundo: a vida.

    Muito obrigado, Doutores!

  52. Gustavo Muller Justen

    -

    23/10/2013 às 23:21

    Lamentavel como algumas pessoas, nas quais podemos qualificar como leigas, falem coisas incompativel com a realidade, a todos que falam aqui como é facil passar receita e atestado, venho atraves deste disponibilizar um dia do meu trabalho para que você passe pelas dificuldades que nos medicos passamos, e esperando assim com essa vivencia de somente um dia vc deixar de ser um protestador, para com toda certeza virar um admirador dessa maravilhosa profissao, tao digna quanto as outras. Por isso nao queremos nem menos, nem mais direitos que os outros, apenas os nossos.

  53. Roberta de Oliveira

    -

    23/10/2013 às 21:20

    Adorei e estou muito contente por saber que a classe não desanimou pois vou prestar vestibular e não vou desistir do meu sonho, obrigado pelo incentivo.
    Obrigada.

  54. João Silva

    -

    23/10/2013 às 17:39

    Caro João, como venho lembrando incansavelmente aos amigos do blog, as regras para publicação de comentários, em nome da boa legibilidade e da atenção para com os demais leitores, vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  55. Bruno Sampaio

    -

    22/10/2013 às 15:45

    Como tem comentário cretino atacando os médicos. Profissionais bons e maus existem em todas as categorias. Existem médicos que são verdasdeiros heróis poe esse Brasil afora. Conheço alguns. Lavem a boca, ou melhor, o teclado antes de falar mal de toda uma categoria profissional, e continuem votando no PT. Liga não, que depois piora!

  56. Bruno Sampaio

    -

    22/10/2013 às 15:35

    Como disse João Ubaldo em uma excelente crônica, hoje em dia o pai diz assim:
    Se Deus me abençoar, um dos meus filhos há de ser corrupto! Afinal a gente cria um filho pra ele ser alguma coisa na vida, não e mesmo?

  57. Roberto Corrêa R. de Oliveira

    -

    22/10/2013 às 10:44

    A sensata cidadã Iris acabou de nos prestar um GRANDE E ENORME serviço, atuando como mediadora deste conflito. Ela está coberta de razão.
    Apesar de polêmico, esse assunto, e ter muitos interesses político-partidário envolvidos, além de um desconhecimento da verdadeira realidade que o médico brasileiro enfrenta em seu dia a dia no SUS brasileiro, talvez seja a hora de colocarmos um ponto final nesse caloroso assunto.
    Alguns estão certos, o dia do médico, 18 de outubro, é um dia comum, como qualquer outro.
    Dá mesma forma que existe o dia do enfermeiro, classe que nutrimos o maior respeito e admiração, o dia do professor, idem.
    Por falar nisso, meus parabéns ao dia do lixeiro, que foi ontem dia 21 de outubro, vocês tem o meu maior respeito e gratidão. Pena que não conseguem limpar essa sujeira que existe na política brasileira, mas fazer o quê, não é o dia das lavadeiras, não é ?, Vocês com certeza teriam mais dificuldades para tirar o “grude” dos colarinhos brancos que infestam nosso país e depredam nossa nação.
    Sendo assim, meu muito obrigado aos amigos que engrandeceram esse debate. Agradeço também, as pessoas que opinaram de forma contrária ao que expus, vocês foram fundamentais, pois deram a oportunidade que precisávamos, para esclarecer algumas dúvidas para o cidadão brasileiro que não trabalha na área da saúde.
    Desculpem-me se em algum momento me excedi e defendi com paixão minhas ideias.
    Mas se não acreditasse no que defendo, já teria desistido da luta a muito tempo.
    GRANDE ABRAÇO A TODOS OS AMIGOS – ESPERO QUE NOSSO PAÍS SE RECUPERE – DEMOCRACIA SEMPRE.

  58. Eros Almeida

    -

    22/10/2013 às 1:31

    Meu mestre, meu orgulho.

  59. Allysson

    -

    22/10/2013 às 1:00

    Excelente colocação do Dr. Roberto, fico feliz em ter tido o Dr. como meu professor, o senhor pode ter certeza que não esta sozinho,a classe medica brasileira pode estar sendo sim atacada por este governo maldito, mais quando eles precisarem não tenho duvida que irão procurar um medico brasileiro e não um de fora, a politicagem ridícula do pão e circo um dia acaba,o que realmente me deixa triste é que ate isso acabar muitas vidas terão sido ceifadas por conta de um governo incompetente, o que me deixa mais revoltado em relação a isso tudo é que esse governo já roubou de todas as áreas possíveis e agora alem de um governo corrupto irão também ser responsável por mortes de inocentes que infelizmente não poderão ter a oportunidade de consultar com um profissional qualificado como o daqui, que passou por um vestibular e tem comprovadamente a sua formação. Os de fora nem os documentos básicos o Governo não queria passar para os conselhos, fica ai a pergunta, porque já que são tão competentes?
    ACORDA BRASIL, VAMOS TIRAR ESSES PTralhas que tanto destroem o nosso amado país!

  60. Iris

    -

    21/10/2013 às 22:51

    Boa noite! ! A mensagem acima já foi dita e bem defendida.. com depoimentos lindos..agora chegou a hora de encerrar!!! O que o Dr. Roberto tinha que passar. ..foi feito c êxito total….estão tentando fazer vcs’ médicos’ perderem a classe. ..e minha humilde opinião

  61. Santos

    -

    21/10/2013 às 21:37

    Não tenho diploma e nem estudo, mas vou me filiar ao PT e me candidatar ao mais médicos. Dai o povão vai me consultar e eu vou ganhar uma boa grana, se vão se curar ? eu acho que não , mas o importante é o cara ser do partido e votar. Lamentável.

  62. Silvio

    -

    21/10/2013 às 21:17

    O Roberto Locatelli com certeza queria ser médico e não passou no Vestibular ou tem uma boquinha garantida no governo do PT para manifestar tanta agressividade aos médicos brasileiros. Não fique triste não Roberto, ser médico não é para qualquer um. Quanto ao fato de cuidar dos brasileiros nos rincões do país, realmente é difícil deixar a família e partir sozinho para um lugar distante, a não ser que haja um capitão-do-mato da envergadura do Raul Castro, Padilha ou Fidel Castro ameaçando não nos deixar mais ver a nossa família para que por humanismo e amor à medicina manifestássemos a vontade de ir ao encontro dessas humildes almas necessitadas de bolsa família e médicos que não entendem português.

  63. Ana Carolina Stefenoni Ribeiro

    -

    21/10/2013 às 20:51

    Fabio gomes, sinto realmente pena de vc meu amigo

  64. Ana Carolina Stefenoni Ribeiro

    -

    21/10/2013 às 20:45

    como estudante de medicina me senti no dever de dar minha opniao
    realmente, a classe médica vem sendo massacrada e prejudicada pelas atitudes dos governantes ..
    certo dia, comentei com meus colegas de turma, que o Brasil parece querem punir as pessoas que lutam e tem a oportunidade de ter uma melhor condição de vida.
    vivemos em um pais onde, bem ou mal, ainda depende apenas de nós alcançar determinado patamar e condição social. Conhecemos inumeras historias de superação e a de meu pai é uma delas. Vindo de uma família de classe média com 6 irmaos, conseguiu ser, de mergulhador à médico.
    nao estou demerecendo os mergulhadores, só sito pois ele alcançou seu sonho.
    Ao decidir entre escolher ou nao o curso de medicida atualmente, eu nao exitaria, ja que o faço por amor ao próximo,mas sem demagogias, levando tambem em consideração o lado financeiro ..
    medicina da certa estabilidade, mas nunca ví milhonarios sendo apenas médicos, ainda mais nos dias de hj.
    Portanto, no Brasil, se quiser ter realmente dinheiro para rasgar, provalmente e infelizmente vc será mais um politico em nosso tao corrupto pais
    E para finalizar, ao ler alguns comentarios abaixo, gostaria de esclarecer e dar minha compreensão ao texto de Roberto, que possuiu umas partes mal interpretadas.
    apesar de nao sermos melhores do qualquer profissao e sermos de carne o osso como foi sitado, isso não é refletido como reação da familia diante de um erro. somos julgados e condenados veementemente, como se nao pudéssemos, jamais, cometer falhar.
    Entao, relamente, APENAS DE SERMOS IGUAIS, SOMOS TRATADOS COMO DIFERENTES SIM!!!
    E hj, ficarei sem dormir.. amanha provavelmente tambem .. e Depois de amanha? novamente .. isso pq, estudamos incansávelmente para tratar a todos e nao cometermos falhas (mesmo apesar de sermos humanos).. abdicamos de muita coisa pela nossa profissão.. Quantos estudantes de outras areas fazem isso ??
    sem hipocrisia galera, merecemos muito mais respeito! e se reclamam, é pq nao veem nosso esforço. nunca vi um parente de medico reclamar. Para mim isso é RECALQUE
    Beijos a todos

  65. Adriano Martins

    -

    21/10/2013 às 20:38

    Não publico ofensas e xingamentos, no caso contra outros leitores do blog. Criticar é muito diferente de ofender.

  66. Roberto Corrêa R. de Oliveira

    -

    21/10/2013 às 19:51

    Qualquer polêmica gera dúvida, questionamentos e um caloroso debate. O debate, além de ser um dos pilares da democracia, tem o poder de mostrar o nível de contentamento de nossos oponentes. Acredito, ter atingido o meu objetivo, quando vejo que pessoas como o senhor Fábio Gomes, começa a apelar,partindo para ofensas palavras de baixo calão e calúnias e mentiras. Quando começamos a nos afastar de argumentos lógicos e pautados na verdade, é sinal que estamos começando a ficar desesperados. Temos que tomar cuidado para não julgar os outros baseado em nosso próprio caráter. Meu caro amigo, a vc me limito a esta resposta. QUE A DITADURA DO MEDO, DA INTRIGA E DA CALÚNIA, NÃO SE DISSEMINE PELO NOSSO PAÍS. Pois isso é a arma de ditadores e dos incompetentes. VIVA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO, VIVA A JUSTIÇA, VIVA AO BRASIL.

  67. Professora

    -

    21/10/2013 às 19:30

    Tentei entrar no link q vc deixou Fábio Gomes, mas não consegui. Sei desses fatos tb…
    De qualquer forma eu tenho esperança q o povo abra os olhos e una-se aos médicos de qualidade, fiéis aos seus princípios e ao seu juramento, e juntos lutem por uma saúde de qualidade para TODOS. Para que a próxima geração possa olhar para a nossa e agradecer por ter não só uma saúde de qualidade, mas uma educação de qualidade e uma segurança de qualidade… Afinal pagamos por isso, não é?? Para onde vai nossos imposto??

  68. Fabio Gomes

    -

    21/10/2013 às 18:00

    Me desculpem os que se comoveram, mas é muita hipocrisia, pois o autor esta registrado junto ao CNES, segue link…… http://cnes.datasus.gov.br/Exibe_Ficha_Prof_Sus.asp?J=13 ….. como trabalhador de 80 horas semanais para o SUS e ainda se diz professor…. será que é verdade? ou expropria o erário público trabalhando meia jornada nos esquemas espalhados em secretarias de saúde Brasil afora? Já controlei ponto de servidor público e nunca vi tamanha imoralidade praticada pelos doutos!!!! Também fui conselheiro de Saúde…. nunca vi classe mais canalha… felizmente não são todos… mas os mais indignados normalmente não detêm boa índole…. infelizmente

  69. Professora

    -

    21/10/2013 às 17:01

    Em alguns momentos ao ler alguns comentários, me senti em sala de aula, pessoas respondendo coisas, sem entender o q a pessoa quis dizer. Quando eu falei que já dei aula, sem giz, sem quadro e sem carteiras, falei pra mostrar o descaso do poder público com a educação e não q qualquer um pode trabalhar sem as condições mínimas necessárias; eu poderia dar uma, duas, algumas aulas na praia, num quintal, numa praça, mas não a vida toda… Um médico tb pode até dar uma consulta em pé em um corredor, aliás eu acho até que isto acontece, é só conhecer hospital de emergência… Mas caso o paciente precise de uma análise laboratorial , de um RX, aí é diferente… Então lamento estes questionamentos sem contexto. Médico não tem bola de cristal. Quando falei s que todos os profissionais de um local devem ser respeitados e valorizados principalmente entre si, do faxineiro ao diretor geral, claro que devem e podem ser comparados sim, sendo que,claro, de acordo com sua função dentro do local de trabalho.Cláudio, juro q não te entendi…
    Mas o motivo que me fez voltar a escrever foi o último comentário do dr Roberto, creio que ele entendeu e passou “Uma pequena porém grande lição” Juntos somos mais fortes principalmente quando vem do coração, não desistam, juntos somos mais fortes… vamos no unir e lutar!!

  70. Marlei

    -

    21/10/2013 às 16:52

    Coitado do tadeu Tedesco, queria ser medico e nao conseguiu passer no vestiba. Fruatação não vale.Porém voce pode ir para Russia ser formar, voltar e entrar no mais medicos. Fizeram isso com a educação, professors desvalorizados e agora coma saude.. medicos desvalorizados.

  71. Carlos Minotto

    -

    21/10/2013 às 14:16

    Fazer Medicina sempre vai valer a pena em qualquer lugar do mundo. Ser médico é uma opção de vida de quem gosta de cuidar e tentar melhorar a saúde de alguém. A saúde é o bem maior que temos e não se pode nunca medir com valores monetários. Agora a maneira que os médicos do Brasil estão sendo tratados é imperdoável e injustificável. Se você tratar mau quem te trata, com certeza a qualidade do atendimento vai piorar junto com sua doença, com certeza. Quem viver verá!

  72. Flavia

    -

    21/10/2013 às 10:41

    Parabens Amigo Roberto, textos brilhantes como voce!!Foi uma honra ser sua amiga de Turma, e ver que voce e’ um medico que sabe tratar o pobre, o rico, o sujo, o limpo, qualquer ser humano sem distincao. Fico interessada em ler a diversidade dos comentarios, a uniao dos que lutam conosco por um Pai’s mais justo e menos corrupto pra no’s e nossos filhos, independente da profissao em que trabalham. Fico tambem chocada com a ignorancia de alguns que nao tem a menor nocao do que e’ o trabalho medico, do que e’ atender pacientes na madrugada, lidar com pacientes de alto risco e ter a vida dos outros tantas vezes nas nossas maos.. E a humildade necessaria para lidar com tantos casos sem solucao, como canceres terminais e a morte de pacientes jovens como nossa amiga de Turma ano passado. Quanta tristeza. E’ isto que nos torna iguais, parte de um todo so’. O fato e’ que todos, sem distincao, um dia cairao nas maos do medico. A falta de condicoes e medicos em lugares com condicoes precarias e’ responsabilidade do Governo e nao dos medicos. O povo precisa enxergar que o hoje e’ resultado da falta de investimento em Saude nos ultimos 10-20 anos. E nada justifica colocar medicos sem qualificacao pra atender pacientes mais humildes. Gostaria de estar ao seu lado neste momento tao dificil para o Brasil, para as pessoas que trabalham honestamente e tem direito a bons salarios e boas condicoes de trabalho, e participar com voce desta luta que e’ de todos. Neste momento nao e’ possivel, infelizmente. Peco a Deus que continue te iluminando nesta causa que e’ de todos. Parabens nao so’ pelo dia do medico, mas por ser voce um homem honrado e que luta dignamente por justica e verdade. Abracos. A luta continua.

  73. cassio marcilio

    -

    21/10/2013 às 10:17

    Sempre desejei ser estudante de medicina, mas a vida me levou para um outro caminho. Diante das impossibilidades de me tornar médico, ou ao menos entrar para uma faculdade de medicina, tive que fazer um outro curso, e deste, tive que fazer uma pós-graduação, para me sentir a altura do lugar onde sempre desejei estar. Mas a vida me mostrou que mesmo estes dois cursos e outras mil horas de outros cursos acadêmicos, ou ainda que o tempo se passe (ou passasse), eu não sentiria o gosto de entrar em um hospital com a credencial de direito (o Dr Cássio)eu não poderia sentir o gosto da felicidade daqueles que de alguma forma eu os ajudei na saúde, na vida. Por isto, conclamo a todos que tenham esperança na medicina que não desistam, assim como eu fiz. A vida tem me dado outra oportunidade, depois de 20 anos, só que agora, mesmo que o tempo tenha passado e aos 44 anos do segundo tempo de vida, tenho apenas um minuto para reverter a minha história, ou chorar para todo o sempre, senão ficarei eternamente magoado. Então, busco ansiosamente por isto, e logo conquistarei o que eu nunca deveria ter largado um só segundo de meus pensamentos: o de ser médico, suavizar sofrimentos. Acreditem é a pura verdade.
    Cássio Marcilio

  74. Tadeu, o Tedesco

    -

    21/10/2013 às 8:46

    PARABÉNS MÉDICOS!
    Mas não podemos fugir da realidade…
    1) Qual profissão do mercado, a não ser a de médico, um recém formado sai ganhando 10.000 reais inicial, com casa e comida? DESCONHEÇO!E SEM VOLUNTÁRIOS pra preencher as vagas!
    2) Sou totalmente contra a importação de médicos(principalmente os de formação duvidosa, como cubanos) mas entendo que a CULPA é de vocês mesmo, quando são CONTRA abrir mais universidades de medicina, a fim de manter o mercado.
    3) Muitos deixam de ser médicos, e viram esteticistas de “luxo”. Conheço um casal de cirurgiões plásticos que NUNCA entraram em um hospital do SUS. Com estes, infelizmente, não podemos contar. Ganham milhares de reais colocando peitinhos e fazendo lipo. NADA CONTRA, é uma questão de mercado…mas têm duas soluções: OU ABRIMOS mais faculdades ou importamos!O FATO É QUE como está, não dá pra ficar.
    4) SÃO ARROGANTES SIM!e aprender a ser AINDA na faculdade…infelizmente! é só ir num campus e observar…se colocam acima dos outros!
    5)VALE A PENA SIM! É uma grande balela esta dúvida do Dr. que escreveu o texto. QUAL PROFISSÃO SOBRAM VAGAS, ATÉ MESMO PARA OS MAUS PROFISSIONAIS???
    6)QUAL OUTRA profissão o estudante já sai praticamente empregado? E AINDA RECLAMAM QUE A FACULDADE DURA 6 ANOS…FALA SÉRIO!
    7) TEM que estudar? fala sério, né? alguém acredita que um engenheiro, um dentista estuda menos?ESSE MARKETING é que trás a arrogância.
    8) Salvam vidas…mas Bombeiros, policiais,militares também salvam!a diferença é como!
    9) SIM! a máfia de branco EXISTE!

  75. Ronei

    -

    21/10/2013 às 8:39

    Só tem comentário favorável aos médicos. Por que será?

  76. Roberto Locatelli

    -

    21/10/2013 às 8:31

    Realmente, os médicos brasileiros que já se preparavam, aos milhares, para servir ao país nos rincões mais distantes, tiveram seus planos frustrados pela vinda dos médicos cubanos. Mas não faz mal, eles podem ficar nos grandes centros, onde certamente abrirão clínicas de cirurgia plástica. Que venham os containers de silicone!!

  77. Roberto Locatelli

    -

    21/10/2013 às 8:29

    “Isso nos faz realmente especiais”. Nossa, fiquei comovido com essa profunda humildade…

  78. Fábio

    -

    21/10/2013 às 8:26

    Salário médio de um médico Brasileiro = 14 Mil reais… me poupe dessa mixórdia.

  79. Roberto Corrêa R. de Oliveira

    -

    21/10/2013 às 6:53

    Uma Pequena Porém Grande Lição

    Antes de mais nada, agradeço antecipadamente a coluna Ricardo Setti, de Veja on line, que com sobriedade e imparcialidade, tem aberto as portas deste importante veículo de comunicação nacional, para que nós médicos brasileiros, possamos expor o outro lado do problema : Saúde Pública Nacional.
    Agradeço também aos amigos médicos e não médicos que tiveram a coragem de expor suas opiniões honestas e sinceras, com comentários naquela coluna, na mais recente polêmica causada por um pequeno texto, que visava apenas parabenizar aos queridos colegas médicos pelo seu dia. MUITO OBRIGADO, FIQUEI REALMENTE EMOCIONADO COM TANTOS E LINDOS DEPOIMENTOS.
    Por que um texto tão inocente, gerou ,inicialmente, tanta discórdia e comentários agressivos contra a classe médica ?
    Isso cabe uma pequena e profunda reflexão.
    Não vou falar da manipulação do governo e muito menos da campanha difamatória que uma parte da imprensa tem feito frente a esses assuntos, pois isso, já está mais que compreendido.
    Vou falar de nós médicos, de nossa atitude perante a sociedade e como enfrentamos esses problemas, que atualmente nos atormenta. Vou falar do que observei e senti nesses poucos dias. Serei breve.Para mim ficou claro:
    1) Que a atitude de alguns maus colegas, que atendem com desprezo e pouco caso a população, compromete todo o trabalho de uma maioria que cumpre com responsabilidade e amor o seu trabalho;
    2) Que o nosso silêncio e o nosso imobilismo compromete a nossa luta, dando chance para que grupos de pessoas covardes joguem lama em nossa classe profissional;
    3) Que quando nos unimos somos fortes e poderosos
    Para finalizar, fiquei surpreso com a força e a beleza dos comentários. Não vou negar, me emocionei. Me emocionei porque ficou claro para mim, que vale a pena continuar lutando.
    Que quando a luta é justa, e o grito sai de dentro do coração e da alma, não existe muros e/ou barreiras que não possam ser derrubadas e transpostas.
    JUNTOS SOMOS MAIS FORTES – OBRIGADO A TODOS OS AMIGOS – O POVO BRASILEIRO AINDA NOS AGRADECERÁ UM DIA .

  80. Andressa Miranda Magalhães

    -

    21/10/2013 às 0:42

    Como estudante de medicina do quinto ano e cada vez mais próxima de ser médica, afirmo que mesmo com todas as dificuldades impostas pelo atual governo, todas as amputações profissionais por nós sofridas, vale a pena ser médico. Vale a pena porque a única opinião que nos interessa são as de nossos pacientes. Faremos nossa parte, mesmo com as limitações que o SUS oferece. E, um obrigado doutor é o que faz calar toda essa opinião pública torpe e essa mídia mentirosa.

  81. Mariana

    -

    20/10/2013 às 23:42

    Escolhi ser médica para cuidar das pessoas, e isto é o que faço. Já pedi demissão de lugares em que eu não conseguia desempenhar o meu papel e tinha de dar desculpas aos pacientes, não estudei para um prefeito se vangloriar de que a cidade tem médico, mas não tem uma luva nem gaze. Refém de prefeitos, nunca mais, se assim eu puder viver dignamente.

  82. Willian Cunha

    -

    20/10/2013 às 22:23

    Uma cirurgia de menisco (no joelho) custa cerca de 10 mil reais. O erro das pessoas é achar que isso tudo vai para o médico. O hospital leva em média 2000 reais. Sobram 8 mil? Não! O material de órtese, prótese e materiais especiais dessa cirurgia custa 7800 reais. O médico estudou 6 anos, especializou-se por mais 4 anos, após formado, para realizar um procedimento de tal complexidade, e ganha, em média, 200 reais.

  83. Willian Cunha

    -

    20/10/2013 às 22:12

    Por que um médico é tão hostilizado por amar o que faz? Se é Dia do MÉDICO, o MÉDICO escreveu um texto para homenagear o MÉDICO! Dia do professor é 15 de outubro. 11 de agosto é dia do advogado. 18 de outubro é dia do MÉDICO!

    Lutem pelos seus direitos, não contra os dos outros! É errado lamentar o que de mau há na profissão?

    Lembrem-se, está na Constituição: “saúde é direito de todo cidadão e dever do Estado”. Dever do Estado, não do médico. O médico é apenas um trabalhador, assim como o enfermeiro, o fisioterapeuta, o psicólogo, o assistente social… É explorado, como qualquer outro. É melhor remunerado? Bem, quanto a isso, sou a favor de aumentar a duração de todos os cursos superiores para 6 anos (parece que agora serão 8), e elevar as notas de corte dos vestibulares às mesmas da Medicina, além de cumprir a mesma carga horária na faculdade.

    Se a Medicina estivesse tão bem, ninguém abandonaria a profissão, após tanto sacrifício, para tentar a sorte como pequeno empresário.

    Bom mesmo é ser político, ruralista… esses não largam o osso.

  84. Natália

    -

    20/10/2013 às 21:33

    Gostaria de saber em que planeta vivem as pessoas que dizem que os médicos ganham uma fortuna. Vai ver a tabela do SUS galera, tem cirurgia de horas que não paga 100 reais pro médico, fora os anos de estudo e o investimento financeiro. Tenho cerca de 10 mil reais só em livros, cada um com uma média de 1000 páginas, li e reli, além de no mínimo 10 anos de formação pra ser um especialista, ainda inexperiente, enquanto todo mundo a essa altura já tem casa e família.
    Tem plano de saúde aí dos bem conhecidos do grande público que paga 18 reais a consulta médica, isso sem descontar os impostos que, sim, pagamos como todo mundo.

  85. Marcia Leda Capp Hamed Farinazzo

    -

    20/10/2013 às 21:09

    Sou pediatra de uma cidade de 100000 habitantes , com 8 pediatras trabalhando . Nasci e cresci nesta cidade chamada Tres Lagoas-MS que está se industrializando e se transformando . Tenho 2 filhos que estão prestando vestibular para medicina .Nasceram e foram criados dentro do hospital onde trabalho ,tiveram que me dividir com os pacientes e seus pais e avós inseguros e duvidosos , mas optaram pela profissão pois sabem que é um dom maravilhoso que Deus nos dá de ajudarmos o próximo ,transformarmos o sofrimento , acalentarmos os corações e segurarmos as mãos daqueles que chegam e partem desta vida… Tanto trabalhando no SUS ,quanto no particular quando fazemos com amor ,dedicação ,responsabilidade, comprometimento é muito gratificante…Vale a pena sim…

  86. Marcia Leda Capp Hamed Farinazzo

    -

    20/10/2013 às 21:07

    Sou pediatra de uma cidade de 100000 habitantes , com 8 pediatras trabalhando . Nasci e cresci nesta cidade chamada Tres Lagoas-MS que está se transformando . Tenho 2 filhos que estão prestando vestibular para medicia .Nasceram e foram criados dentro do hospital onde trabalho ,tiveram que me dividir com os pacientes e seus pais e avós inseguros e duvidosos , mas optaram pela profissão pois sabem que é um dom maravilhoso que Deus nos dá de ajudarmos o próximo ,transformarmos o sofrimento , acalentar os corações e segurar as mãos daqueles que chegam e partem desta vida… Tanto trabalhando no SUS ,quanto no particular quando fazemos com amor ,dedicação ,responsabilidade, comprometimento é muito gratificante…

  87. Cíntia

    -

    20/10/2013 às 19:54

    O Brasil está vivendo uma crise evidente. De um lado a classe trabalhadora (médicos, bancários, professores, policiais, etc)infeliz com suas condições de trabalho, salários, serviços que deviam ser prestados pelo governo e não o são.
    De outro lado a classe que vive às custas do nosso trabalho… a classe politiqueira e sua corja de “bolsas isso e aquilo” que lhe mantém no poder por meio dos seus votos.
    Ao invés de criticar uns as classes dos outros espero que haja união para conseguiremos tirar esse governo nojento e toda gente que ele sustenta para termos condições mais dignas para todos aqueles que fazem seu trabalho honesto, seja qual for a sua profissão!
    Belo texto em homenagem ao dia do médico dr. Roberto. São estes pequenos detalhes que nos movem para seguir trabalhando e fazendo o que é correto.
    Acadêmica do quinto ano de medicina

  88. Claudio

    -

    20/10/2013 às 19:43

    Professores, que tal valorizar a sua profissão? Que tal valorizar sua profissão sem desmerecer a de outros? Sei que a responsabilidade de um professor é imensa, porém tratar médico como outro profissional qualquer é de uma infantilidade que só petistas podem fazer. Tanto é que EM TODO MUNDO, o médico é valorizado- exceto Cuba, que consegue formar mais “médico” do que a maioria dos países e desvaloriza seu serviço. Em todo mundo, são poucos médicos, afinal a carreira demanda muito, dos melhores, sempre. E cobra seus preços. Mas a grande questão é que o médico só vale muito quando se está doente. O problema é que, doente, nem sempre se terá tempo ou forças para brigar por um médico melhor. Continuem desvalorizando a profissão, conseguirão que os melhores alunos, ao se deparar com essa questão se “vale a pena ser médico?”, desistam da profissão. E aí, continuaremos a aceitar tudo que o João Santana divulga?

  89. Sandra

    -

    20/10/2013 às 19:38

    Eu acho que em uma sociedade todas as profissões são importantes. E são especiais quando bem exercidas não apenas para a pessoa que a exerce, mas para aqueles que são beneficiados por ela. Um professor, um policial, um médico, um psicólogo, um político, um administrador. Todos são igualmente importantes. Como poderia ser diferente? Quando um pai entrega o seu filho que está morrendo nas mãos de um até então desconhecido e pede pra que ele salve a criança, isso é um momento que marca menos até ao médico, embora a ele também. Mas principalmente àqueles que passaram pela experiência. Quantos bebês não foram batizados com o nome de médicos que salvaram a sua vida? Como disse, todas as profissões são necessárias e especiais. Mas posso entender a questão do ser especial por conta daquilo que estes profissionais cuidam: da vida. Eles não são os únicos, um policial muitas vezes pode se ver em uma situação em que a sua ação pode determinar se alguém vai viver ou morrer. Um professor, pode inspirar toda a vida de alguém. Fazê-la mudar de rumo. E eu sou grata a cada um dos profissionais que bem exercem as suas profissões, sejam elas quais forem. Mas em sendo o dia do médico, eu deixo aos alunos, professores de medicina e aos médicos o meu agradecimento e a minha esperança de que vocês sejam abençoados todos os dias, e que as vidas que vocês tocarem possam ser se não salvas, cuidadas com o carinho que merecem. Da minha parte, parabéns por lutarem por uma condição de trabalho melhor. Ao fazer isso, vocês chamam a atenção pra que as vidas daqueles de quem vocês cuidam são sagradas e merecem ser tratadas com tudo o que por ventura precisarem para serem salvas. Isso não deveria ser necessário. Eu sei. Mas infelizmente há muitos políticos que esquecem ou simplesmente não se importam. Essa é a única conclusão a que se pode chegar ao ver o estado sucateado dos hospitais do país. Tomara que a sua luta renda frutos. A todos os médicos recebam por favor a minha gratidão por cada hora em claro que passaram. Pelos sacrifícios que fizeram, a festa que deixaram de ir porque tinham que estudar pra uma prova ou, mais tarde, pra dar um plantão. E o meu carinho aos que além disso, se colocaram junto dos seus pacientes dos familiares destes e procuraram em sendo seres humanos, dar-lhes o que naquele momento tumultuado o que precisavam. Obrigado!

  90. Aline

    -

    20/10/2013 às 19:14

    Caro colega, concordo com o senhor em tudo. Lendo os comentários, percebo que alguns leitores não entenderam seu texto. Infelizmente parece haver um ódio enraizado em alguns pela categoria médica. Porém, como médica, entendi perfeitamente sua colocação, com a qual concordo 100%. Sei bem, assim como o senhor, que essa suposta arrogância citada por alguns NÃO existe na maioria de nós!
    Apesar de todos os pesares, muitos não citados em seu texto, ainda acredito na medicina como forma de aliviar o sofrimento do ser humano; não porque nos achamos semideuses, mas porque o amor e a dedicação, aliado ao conhecimento técnico até então alcançado em nossa profissão podem sim trazer esse alívio.
    Em tantas outras profissões isso também ocorre. Tenho certeza que sim! Mas limito-me a falar da nossa, cujas mazelas e alegrias conhecemos bem.
    Um grande abraço!

  91. Ana

    -

    20/10/2013 às 18:54

    Lucas Gutierrez, os médicos não se julgam mais especiais que outras profissões. É uma profissão tão nobre quanto qualquer outra. Seja pedreiro, faxineiro, médico, professor… qualquer profissão deve ser igualmente respeitada e honrada. O que você não pode negar é que renunciar tempo, vida pessoal e essas superficialidades valorizadas pela vida moderna, em prol do cuidado de desconhecidos, da vida alheia, do salvar quem precisa de ajuda, de trabalhar no sus quando um hospital particular tem todo o equipamento necessário, aah sim, isso tudo faz os médicos pessoas muito especiais. Se você não se importa com o próximo a ponto de gastar qualquer parte do seu tempo se empenhando para fazer alguém que você nem conhece se sentir melhor, pelo menos reconheça que quem faz isso é sim especial (ainda mais existindo diversos individualistas como vc que chamam de mercenário quando sequer tem a coragem, a inteligência, o esforço para fazer uma faculdade integral de 6 anos, mais alguns de residência, noites em claro em plantão, vida pessoal corrida, adiar o tempo com os filhos…). Mas a verdade é que essas críticas são vazias e impensadas. Desvalorizem os médicos, pisem neles. Quando a taxa de mortalidade triplicar porque estão fechando hospitais a rodo(p poder trazer médicos estrangeiros sem trazer equipamento, como se fossem fazer milagre), você estará no cemitério, já que não vai ter médico p te socorrer.

  92. Luis

    -

    20/10/2013 às 18:10

    Mary,
    Vejo que a senhora me parece mais preocupada com o pagamento para atrair médicos do que infraestrutura. A mesma forma como pensa o governo. Entenda que a maioria (não posso falar por todos) dos médicos não pensa somente na remuneração quando se decide por um trabalho. Quem faz medicina, em geral, quer melhorar a vida dos seus semelhantes, tentar salvar vidas quando possível, de forma que a remuneração faz parte da valorização desse profissional e não o motivo principal de sua rotina. Dessa forma, entendendo que não conheço a unidade de saúde a qual a senhora se refere em relação às suas condições de trabalho e infraestrutura, seria de maior valia utilizar-se do dinheiro talvez de forma mais racional: investir (por exemplo) 1.000 reais em infraestrutura e exames ao dia e pagar outros 1.000 reais ao plantonista. Entenda, a maioria dos médicos não trabalha somente pelo dinheiro, mas sim (assim como qualquer profissional (médico ou não) deseja seja qual for a sua formação) para realização do bom trabalho, para realização pessoal, para que volte para casa sabendo que o melhor foi feito. Para que isso ocorra, tem de haver condições mínimas de trabalho que infelizmente raramente são cumpridas em cidades menores do país em relação à saúde. O mesmo ocorre com a educação, com a polícia e tantas outras profissões.
    Att,

  93. Estudante

    -

    20/10/2013 às 18:09

    Lucas Gutierrez, é inegável que outras áreas, como a da educação, não conta com a estrutura que deveria contar. Porém, um professor pode repassar conhecimento até mesmo sentado na beira da praia, porém um médico não pode salvar uma vida sem os equipamentos necessários. Se a sala de aula não tem carteiras, é um absurdo, mas ninguém morre por isso. Porém, se a sala de cirurgia não tem o aquele equipamento imprescindível para aquela cirurgia, uma vida é perdida e o médico muitas vezes é culpado por isso (tanto pela família do paciente como até mesmo pela justiça), e não o governo, que é o real culpado. Ninguém da classe médica está reclamando porque se acha superior, não. Está reclamando pq quando falta um medicamento, alguém morre, quando falta um fio cirúrgico, o improviso feito pode matar alguém, ao contrário do que acontece com as outras áreas. Não existe máscara nenhuma. Quem parece estar mascarado, ou melhor, vendado, é quem não enxerga o absurdo que este governo está fazendo, não apenas com a classe médica, mas com a população, ao importar médicos que não passam por nenhum tipo de avaliação, o que comprova que a medida é totalmente eleitoreira e não visa, em nenhum momento, a real melhoria da saúde pública, mas sim ganhar votos sem nenhuma responsabilidade.

  94. Professora

    -

    20/10/2013 às 17:44

    …mas diante de uma política corrupta, que não respeita nada nem ninguém, que massacra qq um que se coloca contra ela, que se lixa para a saúde, educação e segurança do povo, que são as profissões mais mau remuneradas, sem aparelhos apropriados, (carros) ruins ou sem ( já dei aula sem giz, sem quadro e sem cadeira), creio q o q não podemos fazer é desistir, creio que todas as classes, todas as profissões deveriam se unir contra esses poderes que querem arruinar o Brasil…

  95. edson

    -

    20/10/2013 às 17:40

    medicos….temos que por mais medicos no mercado,pois saude nesse pais é um baita negocio,entao quanto mais medicos no mercado menores os preços absurdos cobrados.reserva do cabaçalmt que é minha cidade paga 30 paus por mes pro nosso medico e eles ainda acham pouco.

  96. Pedro

    -

    20/10/2013 às 17:39

    MÉDICOS BRASILEIROS: até quando aceitarão esse tratamento indigno que está sendo dispensado a vocês? Por favor, REAJAM!
    Sua mão de obra possui uma força política imensurável. FAÇAM A GREVE e terão tudo aquilo que lhes é de direito novamente. NÃO SEJAM COVARDES!

  97. Professora

    -

    20/10/2013 às 17:33

    Doutor, apesar de tudo:Parabéns pelo seu dia!!
    Em 1º lugar gostaria de informar que desde que descobri esta história de médico cubano, me posicionei totalmente contra, passei a compartilhar todos os posts q a página Diário do Hospital posta, também não acho que o problema da saúde seja culpa dos médicos ( faltam hospitais, medicamentos, materiais, aparelhos), enfim, nada disso eu entendo q seja culpa de vocês e sim de uma política suja q planejou ganhar mais com os planos de saúde, que hoje se quisermos ser um pouco melhor atendidos, somos obrigados a pagar…
    Mas vc me perdoe e eu espero q este momento seja um momento de reflexão para todos nós, conheço dois médicos maravilhosos, humanos e dos quais sinto maior orgulho, mas infelizmente na grande maioria o posicionamento de vcs como médico, normalmente é como se vcs fossem seres superiores,até hoje os médicos de um hospital ao entrar no consultório, numa enfermaria, nos corredores ou nos elevadores, não cumprimentam nenhuma pessoa a não ser outro médico. Sempre lamentei muito isto, muitas vezes sequer queriam explicar o procedimento q estavam tomando, pois, eu acho, não nos acham capazes de entender e não querem perder tempo.
    Vivi isto por 8 anos, período em que minha mãe esteve doente e ficava internada por várias vezes e durante muito tempo, mesmo que o médico já nos conhecesse de tanto estarmos ali, eles nunca nos cumprimentava ou nos explicava nada, quando pedíamos, sempre era uma resposta de má vontade, falo no plural, porque minha irmã tb ficava e reclamava a mesma coisa.
    E isso lamentavelmente acontece em todos os hospitais públicos, dentro do consultório, muitas vezes o médico se quer nos olha, nos atende no menor tempo possível e nos dispensa, lamentavelmente, isto além dos atrasos, das faltas sem avisar e já estando no local do trabalho demorar pra começar o atendimento…
    Sabe doutor, estou com vcs, compartilho, debato, em favor dessa área profissional, já cansei de questionar como pode um jogador ganhar mais que um cirurgião… terrível isso, no entanto sou professora já aposentada, nesses 30 anos passamos por várias fases terríveis: atraso de pagamento, professor não concursado ( contratado) era trocado a cada troca de prefeito, tivemos várias, inúmeras greves e não me lembro de em nenhuma delas nenhum de vcs terem se posicionado a nosso favor…
    Claro, a educação perdeu muito com essa política e a saúde morreu há muito tempo… Só gostaria de saber por que agora vcs estão estranhando o comportamento do povo… O povo nunca viu em vcs um amigo, por isso agora estão tão resistentes e até acham q a culpa é de vcs, quando eu sei que não é.
    Minha sobrinha é enfermeira, ela trabalha no Getúlio Vargas, na formatura dela eu dei a ela um filme e disse pra ela o seguinte: _ Quando vc chegar no teu local de trabalho, cumprimente todos desde do faxineiros, o pessoal da copa, todos os teus colegas de trabalho, atendente, guarda, enfim a todos, e aos pacientes dedique q eles, toda a tua eficiência e um calor humano que vc não será paga por ele, pois ele pode nunca mais nem lembrar de vc, mas lembre-se é um ser humano que depende de vc. Lá mesmo doutor, neste hospital minha sobrinha conta fatos incríveis, um deles da chegada de um paciente mal e ela ir chamar o médico e ele não sair do lugar ( estava na sala q vcs tem) ela falou pra ele como o paciente estava, prescreveu a receita e levou pra ele assinar, para que ela pudesse medicá-lo. ( ela é concursada, mas estava querendo deixar o trabalho, devido ao descaso)
    Eu creio que este seja um dos motivo de respostas “distorcidas” ao teu texto no dia do médico. Penso q a classe médica precisa pensar como nós professores (todos temos a mesma importância e deveríamos ser bem remunerados) uma escola não funciona sem faxineiro, um hospital não funciona sem faxineiro, Por que vcs passam ( e veja vc pode até ser diferente) mas nos meus 54 anos de vida, foi o que vi.
    Quanto a tua pergunta vale a pena fazer medicina?? Gostaria de saber o seguinte: O que te faz pensar em desistir?? A falta de bom salário?, falta de ser valorizado??
    Bem eu diria que neste caso, vcs ficariam sem professor, sem faxineiro, sem o guarda q garante seu trabalho traquilo, já perguntou quanto ele ganha pra te proteger?? Mas se a tua escolha for por amor ao próximo, por vocação , procure se relacionar melhor com seus pacientes e “colegas” de trabalho e não desista! Acho que vale a pena, vcs são importantes. Contem comigo, mesmo q seja só em oração. Grande abraço.

  98. luiza bento

    -

    20/10/2013 às 17:01

    ola boa tarde gostei muito dos textos que DR Roberto Correa postou sei o quanto e um ser humano de personalidade correta e um medico dignos do q faz nao entendi porque gerou tanta polemica, sei o qto respeita todos as profissoes seja ela o qual seja, estou aqui para deixar minha gratidao ao senhor dr Roberto que continuem fazendo seu trabalho como sempre fez e tbm espondo a realidade da nossa cidade e de todo o Brasil.

  99. Flavio pacceli

    -

    20/10/2013 às 16:45

    Mary, se vc acha os médicos tao ligados ao dinheiro e apenas isso, e que essa historia de falta de estrutura é apenas desculpa dos médicos, entao me explique a senhora mesmo pq os medicos nao aceitam o salário que a senhora afirma ser de 2mil por 24hs? A senhora mesmo se contradiz, chamando os medicos ao supor que a classe médica é mercenária, e dizendo que nao vao para receber esse salario alto. E a resposta na sua contradição esta num unico ponto: nao vão por falta de estrutura e muito mais, por falra de respeito, por terem contratos apenas de palavra, onde recebem calotes varias vezs, por quando faltar um medicamento, um material, uns instrumento, e isso acerretar consequencias para o paciente, quem é responsabilizado é o medico, num é o prefeito nem ninguem nao! A questao sobre: ainda vale a pena ser médico no Brasil?, vai muito além de dinheiro, diz respeito a ser julgado como a senhora e varias outras pessoas manipuladas pela midia e pelo governo, como os ruins, como os playboys, como os culpados por nao ter leito no hospital, por nao querer ir trabalhar num lugar onde nao oferece condição, por trabalhar num lugar onde nao tem seringa, quanto mais um desfribilador. É verdade que não é sóa saude que é cutateada, é a educação, é a segurança e por ai vai, são professores que recebem pouco, policiais tambem, escolas e viaturas caindo aos pedaços, mas a diferença é q a população nao joga a culpa em professores e policiais, bombeiros pelos problemas em suas áreas, pq sabemos muito bem que a culpa é do governo, agora quando é na sapude a culpa é dos médicos? Pq? Nessas mesmas cidades onde nao tem médico, tambem nao tem fisoterapeuta, nao tem enfermeiro, nao tem psicologo, nao tem assistente social, nao tem medico veterinario, nao tem advogados, engenheiros, pq nao tem estimulos, concursos, e estruturas pra nenhum deles irem. A culpa é do mpedico unica e exclusivamente pq o gverno quis q a população pensasse assim, pq eh mais facil jogar a culpa em uma classe do que investir o q devia investir! Agora, pensem bem, pelo amor de Deus, lutem por melhorar a qualidade das suas profissoes, professores, professores, o que for, mas lutem pra melhorar a de vcs, porque não vai sendo denegrindo, baixando salarios, jogando culpa em classes que ganham um pouco mais, q ficará melhor a situação das outras classes, visto que não é a classe mpedica, ou de engenheiros, advogados, que ganham muito, na verdade sao algumas outras classses que ganham pouco, em virtude de serem mal tratadas e investidas pelo governo! Pensem nisso, lutem pela melhoria de todas as classes, em todas as áreas, e com o investimento nada mais do que obrigação, do governo, pois denegrir algumas classes, só para manter todas iguais, mas la embaixo, isso não é igualdade social, igualdade é todas crescerem juntas, proporcionalmente, mas juntas!

  100. José Rezende

    -

    20/10/2013 às 15:31

    Tudo é fruto de uma série de fatores, talvez a política vigente tenha, também, sua parcela de culpa. Mas o culpado maior é a postura de uma parcela considerável dos novos profissionais que estão exercendo a medicina. Começando pela universidade que apenas visam o lucro, mensalidades caras. Não se preocupam em formar bons profissionais e nem bons seres humanos. Qualquer estudante ou médico em exercício vai lhe dizer que a faculdade foi a melhor fase da sua vida, desculpas! Estudar exaustivamente não é nada agradável. Vivem em festas e as melhores festas é da medicina. Ao redor das faculdades você não acha uma biblioteca, mas em compensação bares não lhe faltará. Na minha rotina tenho presenciado absurdos, negligências, falta de respeito, por parte destes profissionais. Confesso que isso não é exclusividade só da medicina, mas tais comportamento se vêem na enfermagem, fisioterapia, nutrição, etc. Todos os profissionais estão mal formados neste país. E o pior as outras profissões vem sofrendo isso há muito tempo. Não é para te entristecer, mas não vejo melhoras tão cedo.

  101. Oton

    -

    20/10/2013 às 15:22

    Parabéns ao texto. E para aqueles que apedrejam a profissão médica, mudarão de idéia um dia quando precisarem e encontrarem alguém vocacionado. Esse governo está usando os médicos agora, os professores já há mais tempo, e depois vão ser engenheiros, advogados. A única maneira é votarmos pra mudar em 2014. Boa sorte a todos, de todas as profissões que lutam por suas famílias e por um brasil melhor

  102. Natália

    -

    20/10/2013 às 15:20

    Sou médica brasileira, formada há 5 anos, invisti e sigo investindo em minha educação, atualmente faço um curso de 9 finais de semana no valor de 25 mil que saem do meu bolso. Estudo diariamente, sou pontual, dedicada e amo o que faço.
    Não sou mercenária como dizem por aí, meu objetivo dentro de um consultório não é o dinheiro ou condição social do paciente. Ao contrário, lido melhor com pessoas de origem mais humilde.
    Infelizmente, no fim do mês minhas contas chegam como para todos os cidadãos.
    Ano que vem me mudarei de país, por motivos pessoais, mas também por valorização profissional. Quero um país melhor para meus filhos, mais justo, menos corrupto e no qual a meritocracia tenha algum valor.
    Passei em 3 vestibulares de faculdades federais em que a concorrência menor era de 80 por vaga, enfrentei 80 horas de trabalhos semanais no SUS durante o residência médica, meus pais pagam impostos caríssimos e também são explorados como qualquer trabalhador neste país.
    Alguém viu a notícia essa semana de desvio de 500 milhões do SUS? Desculpe, mas a classe médica não é culpada pelo caos da saúde, assim como não o são os professores da baixa qualidade do ensino.
    Reflitam sobre os verdadeiros culpados, votem melhor e tenham um país melhor.

  103. Nadya Guimarães

    -

    20/10/2013 às 15:13

    Mas se tem alunos já preocupado assim já ajuda a dar uma peneirada e ficam os que querem por que gostam mesmo. Além do que quem sabe diminui o grupos que vendem vagas nas universidades deixando de fora quem ralou por muito tempo e merece. Além de diminuir os alunos que antes aplicados ao entrarem relaxam de vez com a desculpa que é porque demorou tanto para entrar e agora querem curtir a vida. Infelizmente essa realidades existem também. Daí ficam apenas as pessoas comprometidas com a saúde,profissão e categoria.

  104. Marcelo

    -

    20/10/2013 às 15:03

    Um sorriso sincero faz tudo valer a pena..

  105. Anaa

    -

    20/10/2013 às 14:57

    Não se abale com os ataques. Interessante como estão dizendo que “nos julgamos especiais”. Mas na hora que convém à sociedade, temos que “trabalhar por amor” e não por dinheiro, ” é um sacerdócio”. Somos chamados mercenários por não querer ir trabalhar em cidades sem recurso nenhum no interiror por uma bolsa, sem direitos trabalhistas! Se não somos especiais, não nos tratem como tal

  106. Eduardo Vieira

    -

    20/10/2013 às 14:44

    Não sou médico, nem enfermeiro, nem fisioterapeuta, nem nenhuma área da saúde. Fiz engenharia civil e tenho pela Classe Médica toda a minha admiração, meu profundo respeito e minha gratidão! Médicos são ferramentas de Deus na Terra… Eu valorizo!!!

  107. Sarah Haddad

    -

    20/10/2013 às 14:35

    (o meu comentário anterior foi em resposta à leitora MARY)

    E esse comentário é para a leitora JOANA:
    Joana, sinceramente, não existe nenhum outro curso no mundo que submeta as pessoas à tanto estresse psicológico! Vc não tem noção de quanta cobrança, quanta prova. Muitas noites mal dormidas ou não dormidas, muitos calos nos dedos de tanto escrever.
    Falar todos falam, mas prestar vestibular disputado e abrir mão de TUDO pra passar 6 anos de faculdade e 4/5 de residência estudando ninguém quer né… Isso me mata de raiva!!
    Acho que vc não sabe, mas o médico leva desde o cursinho até estar pronto pra clinicar, em média, uns nove anos (só estudando). Dorme mal, fica doente, se suja de sangue, de vômito, de líquido amniótico. E que a culpa da saúde estar uma porcaria, é do governo… Antes de vc falar qualquer coisa, vá e estude bastante e só assim poderá saber porque a “valorização do médico”. É como diz a frase: Às vezes é melhor ficar quieto e parecer um idiota, do que abrir a boca e dar toda certeza..

  108. Sarah Haddad

    -

    20/10/2013 às 14:21

    Engraçado que vocês acham q vai ser ganhar 2000 sentadinho atendendo paciente radicando atestado e receita! Ledo engano! Sem contar que as 24 horas provavelmente só ficarão no papel!
    Não há dinheiro no mundo que pague uma vida. Não conseguirei salvar todas com todos os recursos à mão, mas ver pessoas morrendo, pq não possuo o mínimo, é lamentador e frustrante. Quem fala q gostaria de ser escravizado por montante é pq nunca sentiu a dor de anunciar a morte de um filho para a mãe, pq não tinha recurso pra salvá-lo.

  109. Adriana

    -

    20/10/2013 às 14:09

    Parabens pelo ótimo texto e pelo dia do médico! Vcs estão de parabéns, nós brasileiros só podemos agradecer por toda dedicação de vcs!

  110. Fernando

    -

    20/10/2013 às 14:07

    Parabéns pelo brilhante texto, dr. Roberto! A medicina está sendo muito maltratada pelo governo, aliás, esse governo está maltratando todas as classes, afinal, o que mais se vê neste país são greves. Para os que criticam o texto, peço que estude, passe no vestibular, estude MUITO durante seis anos, se for em uma instituição particular pague 4 mil reais mensais, faça residência e saia a procura de um emprego decente, aí sim, você está apto a opinar quanto as reivindicações da classe médica! Enquanto isso, batalhe apenas pela SUA profissão, quem pouco atrapalha, muito ajuda, cale-se e deixe que apenas os que vivenciam de perto a dura realidade brasileira façam as devidas considerações!

  111. Pedro Ernesto Jr

    -

    20/10/2013 às 14:07

    Certas pessoas confundem ou não entendem a real situação da profissão. O leitor abaixo comparou a profissão de médico à pedreiros, mecânicos etc. Só quero lembra-lo de uma coisa: todas essas profissões que vc citou são dignas Gutierrez, e nenhuma é melhor do que a outra; porém na medicina tratamos de gente, ser humano, pessoas, como você, seus familiares, seus filhos;e quando se trata com vidas não existe meio termo, ou tem estrutura ou as pessoas morrem; a falta ou não de uma medicação pode ser a diferença entre a vida ou a morte; ao contrário de um mecânicou um pedreiro que podem esperar para outro dia (cito essas profissões, pois foram citadas pelo amigo desinformado abaixo). Por fim antes de falar do que não sabe ou não entende o leitor devia se informar melhor.

  112. Luane

    -

    20/10/2013 às 14:06

    Estamos vivendo uma influência da mídia de difamação da profissão antes considerada de maior confiança pela população brasileira. Os médicos estão no meio de uma articulação política, pela corrida a cadeira presidencial, campanha iniciada muito antes do que estamos acostumados…além de tudo, estar na cadeira de médico ou apenas um simples estudante de medicina gera inveja em muitas pessoas, que não aceitam conquista e sucesso do outro (muitos tentaram a carreira mas não tiveram êxito no vestibular). Muitas não conhece a rotina de um estudante de medicina, e quando formados e ganha um salário superior ao da população acham que tudo são flores, msm tendo q muitas vezes trabalhar 36/48 hs seguidas, e como internos trabalham 60 hs por semana e sequer tem direito a alimentação, a férias, a diversão, a família, a natal, a carnaval etc…mas no caminho para se tornar médico existem muitos espinhos, muita boa vontade para buscar o diagnóstico e cura do outro mesmo sem recursos, e vendo secretário/vereadores/diretores enriquecerem. E ver o governo e uma novela deturpando os 99,9% trabalhadores que exercem sua profissão honestamente. Infelizmente a população vai continuar defendo o governo, msm pq o analfabetismo funcional, é relevante no nosso país…todos vão continuar defendendo o governo, os médicos estrangeiros sem revalidação (será msm q todos são médicos?), e os políticos vão continuar sendo atendidos no Sírio,por médicos BRASILEIROS ou ESTRANGEIROS REVALIDADOS com toda despesa paga pelo contribuinte feliz; sem sequer ter esperar na fila para fazer um exame, como ocorre no SUS; sem ficar em uma maca no corredor de um hospital, em macas sujas,péssimas estrutura, esperando por um atendimento médico muitas vezes heroico(diante falta de recursos)

    Você comete grande injustiça quando generaliza e se refere “à mídia”, englobando, com isso, todos os milhares de veículos do país — jornais, revistas, emissoras de TV, emissoras de rádio, sites, blogs etc.

    Posso lhe garantir que VEJA não está nessa, e muito menos este blog, até pelos inúmeros textos de médicos que tenho publicado.

  113. Sarah Haddad

    -

    20/10/2013 às 13:58

    Resposta para a leitora Mary:
    Engraçado que vocês acham q vai ser ganhar 10000 sentadinho atendendo paciente radicando atestado e receita! Ledo engano! Sem contar que as 40 horas provavelmente só ficarão no papel!

    Não há dinheiro no mundo que pague uma vida. Não conseguirei salvar todas com todos os recursos à mão, mas ver pessoas morrendo, pq não possuo o mínimo, é lamentador e frustrante. Quem fala q gostaria de ser escravizado por montante é pq nunca sentiu a dor de anunciar a morte de um filho para a mãe, pq não tinha recurso pra salvá-lo.

  114. Roberto Corrêa R. de Oliveira

    -

    20/10/2013 às 13:08

    Aos Amigos Desta Coluna: Os de Esquerda ou Os de Direita ?
    Não Importa : Aos verdadeiramente brasileiros.
    Achei que tinha esgotado minha participação neste interessante debate, que atualmente ocupa destaque nos noticiários e nas mesas de bares de nosso país: O sistema público de saúde; os médicos brasileiros e as outras profissões; as remunerações de várias categorias profissionais; as soluções para essas diversas questões, dentre outras. Ledo engano. Lendo nesta mesma revista, (Veja – edição 2343), esta semana, tive a grata surpresa de ver a opinião de um brilhante economista, Gustavo Ioschpe, que de forma imparcial e inteligente, fez uma lúcida, porém, contundente análise, sobre alguns desses temas tão polêmicos que ocupam os noticiários.
    Mesmo sabendo, que para alguns, esses argumentos são inúteis, pois se deixam cegar, ou na pior das hipóteses, tentam turvar a visão de alguns incautos, sendo sua ideologia e idolatria política, maior que o seu bom senso e sua racionalidade, arrisco-me a colocar trechos desse artigo, na esperança de alcançar algumas pessoas que tem a verdade, como sustentação para nortearem seus posicionamentos, frente aos fatos da vida cotidiana.
    Sem medo de ser mal interpretado, sinto-me à vontade para colocar o texto abaixo, pelo fato de alguns leitores de uma “simples mensagem de comemoração dos dias dos médicos”, gerar tantos protestos e polêmica, e de alguns ,sugerirem que deixemos de “coitadismo”.Desta forma, seguindo a sugestão, vamos aos verdadeiros fatos.
    Alguns trechos desse excelente artigo, que desnuda, com uma crueldade, quase explícita, a realidade brasileira, sem contudo se preocupar em agradar a gregos e/ou troianos merece uma leitura cuidadosa, sem preconceito e que sem sombra de dúvidas, levará a muitos questionamentos e reflexões. Mãos à obra :
    “ Você acha que os médicos brasileiros ganham bem? Eles têm os maiores salários médios do país. Pois saiba que um médico americano ganha quatro vezes mais. Eu já ouvi muitos argumentos para explicar como melhorar o quadro da saúde brasileira… Mas não me recordo de ter ouvido alguém sugerindo que o problema era o salário dos médicos. Nem, muito menos, que as diferenças entre o sistema de saúde brasileiro e o americano se explicam pelo fato de que os nossos médicos ganham quatro vezes menos do que seus colegas americanos.”
    “E os nossos dentistas? É a segunda carreira mais bem remunerada do país…Mas, veja só coitados! Ganham 5,4 vezes menos do que os dentistas americanos…”
    “E os advogados brasileiros? …os advogados americanos ganham 4,4 vezes mais.”
    “Essas diferenças são praticamente iguais para qualquer profissão de nível superior que você queira comparar …Na média dessas profissões, os americanos ganham 3,55 vezes mais que os brasileiros.”
    “Entre essas carreiras, está a dos profissionais da educação. Os americanos ganham 3,97 vezes mais do que os brasileiros. Ou seja, a diferença entre os professores brasileiros e americanos está bastante em linha com a observada em todas as demais profissões. Se você acha que o professor brasileiro ganha pouco, deveria notar que ganha pouco por ser brasileiro, não por ser professor.”
    “Você, eu e a geração de nossos filhos pagaremos caro por esse populismo.Quem defende aumento de remuneração sem esperar nenhuma contrapartida em termos da qualidade do serviço está subvertendo uma das leis basilares da economia: a que estabelece que remunerações são proporcionais à produtividade do trabalhador. Americanos e europeus não ganham quatro ou cinco vezes mais do que nós porque seus patrões são bonzinhos, mas porque é isso que produzem. Basta ver os dados da Organização Internacional do Trabalho: o trabalhador brasileiro produz, por hora trabalhada, um quinto do que produz o americano.
    Se usarmos o critério de produtividade e renda nominal para balizar a remuneração dos nossos profissionais da educação, a conclusão inescapável é que o professor brasileiro ganha demais em relação ao que entrega. No último Pisa, o teste de qualidade educacional mais respeitado do mundo, a educação brasileira ficou em 53º lugar. Na sua vizinhança não estavam os países de Primeiro Mundo, mais sim Colômbia, Trinidad e Tobago, Montenegro e Jordânia. Mesmo que fosse financeiramente factível, o que não é, a educação no Brasil não melhoraria se os professores passassem a ganhar o mesmo que os países desenvolvidos. Dezenas de estudos acadêmicos mostram que não há correlação entre o salário dos professores e o aprendizado dos alunos. Qualquer gestor acharia absurdo dar aumento significativo a funcionários que estão entregando péssimos resultados. Está na hora de aplicar a mesma lógica a educação.O que efetivamente importa é a formação de professores, capacitação de gestores, currículo nacional unificado, dever de casa, avaliação, melhoria do material didático, uso efetivo do tempo de sala de aula e tudo o mais que os países que deram certo fizeram antes de poder pagar salários mais altos. Salários não cai do céu: conquista-se.”
    Veja/16 DE OUTUBRO, 2013/págs.98-99

  115. George Araújo Magalhães

    -

    20/10/2013 às 11:38

    Lucas Gutierrez, a bolsa do Mais médicos é dez mil reais por QUARENTA HORAS, não tem férias, 13o, FGTS, Aviso prévio e o que está regido pela lei trabalhista. E falta, sim, MÍNIMAS condições de trabalho, como sabão para lavar as mãos, maca para apalpar o abdome do paciente, como deseja a presidenta.
    Para quem está fora do campo de jogo, fica muito fácil dar palpite.

  116. Kitty

    -

    20/10/2013 às 10:49

    Caro Ricardo,para quem tem a firme vocação de ser médico deve sim fazer Medicina, independentemente de programas do estilo + Médicos, que o governo, depois de 12 anos no poder percebeu que a saúde pública no Brasil não é como Lula e Dilma pensam que é. Caíram na real, quando nos protestos de junho os manifestantes pediam Saúde padrão FIFA. Os marqueteiros que são bons e rápidos em inventar planos mirabolantes dando assim, uma satisfação-eleitoreira às vozes roucas das ruas e, copiando dos venezuelanos que, para ajudar Cuba no seu sufoco econômico, importaram médicos feitos em série do pais comunista, o governo brasileiro,nem curto e preguiçoso, rapidamente adotou a ideia que de quebra, ajudaria ao companheiro Padilha sair do anonimato político e assim, ficar mais visível na candidatura para governador de Sampa..um plano digno dos aloprados que, o maior deles, Aluísio Mercadante, ficou exultante com a ideia. Assim de simples! Ser médico é uma opção muito pessoal. Conheço médicos que fazem da sua profissão um apostolado, e no seu tempo livre incursiona nos bairros carentes, levando os seus conhecimentos para aliviar pessoas de suas dolências, além de promover palestras sobre saúde preventiva. Sempre que posso, assisto suas palestras.///Excelente a dissertação do Dr. Ribeiro de Oliveira que enaltece a profissão de médico. Parabéns Ricardo, por nos trazer este exemplo de como a Medicina, a pesar dos percalços atuais e que é a razão da desmotivação de muito jovens, vale sim a pena de ser Médico, nós precisamos muito deles e de seus conhecimentos e dedicação!//Meu carinho de sempre./Kitty

  117. Rita Silveira

    -

    20/10/2013 às 8:51

    Vou direto ao ponto. Para bom entendedor meia parabéns basta. Adorei o texto do colega e amigo Roberto para o do DIA do MÉDICO. Em nenhum momento no texto se desprestigiou qualquer categoria profissional. Mas se homenageou o dia do médico. É sempre interessante ver como outras categorias automaticamente se sentiram menos. Isso merece das outras categorias uma reavaliação. Certamente todas são importantes. E quando digo TODAS não falo apenas da área da saúde não. Vivemos no Brasil uma fase que ainda não havia sentido antes. A fase do desrespeito generalizado pelo outro. Todos podem tudo. Todos falam qualquer coisa. Um barulho generalizado. A fase da desordem.
    Parabéns Roberto pelo texto brilhante. E que venham mais textos e dias dos médicos mais animadores.

  118. Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

    -

    20/10/2013 às 6:12

    Uma breve resposta aos Mary, aos Anônimos, aos Lucas, as Joanas, as Dilmas, aos Padilhas, aos Castros de plantão:
    1) Temos orgulho de nossa profissão?
    2) Desejamos bons salários ?
    3) Desejamos um local digno de trabalho?
    4) Desejamos poder atender com os recursos técnicos necessários e adequados para restabelecer a saúde de quem nos procura e coloca a vida em nossas mãos?
    5) Desejamos uma política de saúde nacional responsável e não focada em interesses eleitoreiros imediatos?
    6) Desejamos que os meios de comunicação de massa não sejam manipulados e mostrem a população o que realmente acontece em nosso país?
    7) Desejamos que uma ditadura de esquerda, autoritária e populista não se instale em nosso país?
    A resposta a todas essas perguntas e um GRANDE E ESTRONDOSO SIMMMMMMMMMMMMM.
    É isso que desejamos para o nosso país. Agora, não podemos deixar que picuinhas, inveja, preconceito, ignorância, manipulações ideológicas partidárias, destruam nosso país. O BRASIL É MAIOR QUE TODAS ESSAS QUESTÕES SOMADAS. UM GRANDE ABRAÇO a todos.
    A já ia me esquecendo, espero que essas pessoas que tanto nos criticam, não sejam atendidas por um falso médico, com diploma comprado, e nem precisem colocar um ente querido deitado no chão de um Pronto Socorro desses que existem espalhados por todo o nosso país. QUE DEUS NOS PROTEJA A TODOS.

  119. Marcos Favorido

    -

    19/10/2013 às 23:17

    Graças a Deusd , Médicos pertencem a uma categoria muito especial que é salvar vidas.

  120. Marcelo A. Vieira

    -

    19/10/2013 às 23:07

    PT X SAÚDE
    Claro que os problemas não são um “rebento” do governo PT. Porem a forma míope da visão dos governantes enxergarem a realidade, ofende o intelecto da população minimamente esclarecida, ao tentarem transferir a uma classe profissional as mazelas do cotidiano enfermo da população.
    Não faltam Médicos, faltam gestores compromissados. Oferecer dinheiro apenas, se fosse o bastante, não haveria falta de médicos nos plantões.
    Mas a questão não é apenas isso, alias vai muito alem.
    A questão é: O que a população tem a sua disposição para tratar a sua enfermidade, e que possa ser usado por um medico a buscar o restabelecimento da sua saúde?
    Na realidade deve estar faltando mesmo é motorista. Por que a maioria das prefeituras oferecem apenas uma ambulância em péssimas condições para transferir o problema para outro município ou Estado.
    Me preocupa quando chegar a vez dos enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, etc, etc… levarem a culpa por não haver material para o curativo, remédios para o tratamento, materiais de fisioterapia; se eles (a população) já tiverem sido atendidos por um médico independentemente de sua nacionalidade.

  121. Joana

    -

    19/10/2013 às 16:57

    Ah! Eu não sou médica, mas e mesmo sentindo dores, ficando doente, tendo medo, tristeza, cansaço, problemas financeiros e familiares, sou obrigada a esquecer de tudo e ir à luta, entregando-me de “corpo e alma” para poder melhorar a vida dos meus alunos… Então esse discurso não colou muito comigo não… Vcs não são diferentes de nenhuma outra categoria deste país…

  122. Lucas Gutierrez

    -

    19/10/2013 às 13:17

    O problema da classe médica é se julgarem mais especiais que os demais pelo que fazem. Óbvio que ele não dizem isso, mas se sentem assim e isso transborda pelas entrelinhas de qualquer de suas colocações.

    Adoram falar em estrutura, mas quer pior situação de trabalho que vivem os professores, mecânicos, pedreiros e outras dezenas de profissões?

    Parece que para trabalhar em um local só vale a pena se tiver PLENAS condições de exercício. A simplicidade de poder ajudar as pessoas que lá estão não é suficiente. Aliás, ter estrutura mínima não é suficiente. A estrutura que pede a classe médica é padrão fifa, fora isso é lixo e não presta.

    Salário decente também é padrão fifa. Quem recebe 10 mil por 20h? Caso não saibam é essa a pretensão que têm os médicos em relação ao seu salário BÁSICO.

    A única coisa que mudou ultimamente em relação à classe médica é que a máscara caiu.

  123. Ana

    -

    19/10/2013 às 12:39

    Parabéns a todos estudantes de medicina, guerreiros e corajosos. Parabéns aos que fazem sua faculdade com amor e dedicação na profissão.Não adianta aos ignorantes ficarem chorando de salário baixo e blá blá blá, escolha é escolha , se vc não se deu bem na sua profissão e reclama todo santo dia das horas trabalhadas e do seu salário,. vai estudar , passa na USP,ESTUDE POR 10 ANOS e trabalhe no SUS.Povo ignorante não percebe que essa entrevista foi feita porque ontem foi dia do médico????? Parabéns Dr.Roberto, principalmente por falar por nós pacientes em um grande meio de comunicação. Viva a vida. !

  124. Roberto Corrêa R. de Oliveira

    -

    19/10/2013 às 9:06

    Uma resposta ao amigo Anônimo:
    Prezado colega, acredito que seja este o real objetivo deste governo, “desunir para governar”. Sendo assim, desculpe-me por não ter citado os outros profissionais da saúde, que tantos nos ajudam a atender nossa sofrida população, mas como dia 18 é dia do médico, achei mais prudente mencionar apenas os médicos, por que o texto ficaria muito grande.
    Mas para vc não achar que nos achamos tão especiais assim, vou mostrar para vc um texto que publiquei na net, em homenagem ao dia dos professores. Uma categoria, que respeito e admiro.
    Por favor, leia-o.

    O Buraco Negro

    Fiquei impressionado com uma reportagem científica que assisti recentemente, a respeito da existência, no espaço, de milhões de BURACOS NEGROS, capazes de engolir estrelas enormes, planetas e até galáxias.

    Nesta reportagem, renomados astrônomos internacionais faziam especulações científicas, levantando hipóteses e teorias e comprovando suas teses, auxiliados por computadores super potentes e telescópicos sensacionais.

    Com certeza o que diferencia o homem dos outros animais é essa busca incansável pelo desconhecido e a sua eterna necessidade de compreender o mundo que o cerca. É realmente um animal surpreendente, que tenta buscar as respostas para a maioria de suas dúvidas e de seus questionamentos.

    Ao mesmo tempo que via as imagens espetaculares do espaço sideral, conseguidas através destes caríssimos telescópicos, uma pergunta se fazia presente em minha mente.

    Como foi possível a esses cientistas chegarem tão longe em suas pesquisas científicas ?

    Por que o homem gasta tantos recursos humanos e econômicos para descobrir as respostas para algo que parece, para nós pobres mortais, tão insignificante do ponto de vista prático?

    Porquê isso acontece ?

    Acredito que as respostas a esses questionamentos são múltiplas e variadas, talvez hajam várias respostas diferentes para o que foi perguntado. Penso que a questão não seja essa.

    De tudo que foi exposto, o bem maior, a mais bela e impressionante máquina que apareceu naquela reportagem foi, para mim, o cérebro humano. Sem nossa inteligência, não haveria computadores, telescópicos, naves espaciais, sondas e satélites, pior ainda, não haveria nem as perguntas e indagações a ser respondidas.

    Não existe bem maior em uma nação do que seu capital humano e intelectual. Este é o maior patrimônio de um país.

    O Japão foi destruído recentemente por fenômenos naturais e se ergueu em tempo Record. Por que isso aconteceu ? Preciso responder ? Se nós brasileiros tivéssemos sido acometidos pelo mesmo fenômeno, como estaríamos agora ?

    Não precisamos ir muito longe e muito menos esforçarmos nossa capacidade imaginativa, basta que olhemos para as regiões serranas do Rio de Janeiro, e ver o que foi feito para reconstruir as áreas destruídas.

    Politicagem e corrupção à parte, continuemos nossa análise.

    Como nosso país vê a educação ? Como os professores são tratados e remunerados ? Quais os critérios de ingresso em nossas faculdades? Quais os tipos de profissionais que precisamos e que estamos formando ?

    Quando paramos para responder a essas perguntas, não podemos chegar a outra conclusão a não ser que estamos no caminho errado. Que se continuarmos nele, brevemente , nem as emissoras de televisão mais tendenciosas e comprometidas com o governo, conseguirão esconder da população e do mundo, o nosso REAL ESTADO DE SUBDESENVOLVIMENTO.

    Um país que prefere facilitar o ingresso na faculdade, utilizando o sistema de cotas, do que melhorar realmente o ensino médio, que prefere espancar os professores do que discutir, analisar e implementar suas reivindicações caso elas sejam justas, não pode realmente ter um futuro promissor.

    Como imaginar, que um país como o nosso pode tentar buscar respostas para complexas teorias científicas se é incapaz de responder a questões simples de nosso dia à dia.

    Recentemente, vimos nossa presidente Dilma se mostrar-se indignada para o mundo, frente as notícias de espionagem que o EUA fez em nosso país.

    Chegou-se a ridícula situação de nossa representante máxima, pedir para o autor da espionagem dizer o que tinha visto, que ela estava indignada de saber pela imprensa que isso tinha acontecido.

    Senhora presidente Dilma, quem deveria estar indignado com essa notícia somos nós, ao vê-la desesperada, desinformada e indignada, igual “a marido traído”, que é sempre o último a saber , desses terríveis e graves acontecimentos, que sem sombra nenhuma de dúvida colocam em risco nossa soberania nacional.

    Precisamos valorizar nossa educação, nossos alunos, nossos professores, nossas universidades.

    Um país que não faz isto, está fadado ao subdesenvolvimento e ao fracasso eterno.

    Se surgir hoje em nosso país, um diamante raro, um desses “meninos gênios” que faz a diferença, corremos o risco de perder essa “joia rara”, ou por não percebermos sua genialidade ou por deixarmos de estimulá-lo de forma adequada.

    Corre o risco de misturarmos essa pedra de diamante, na masseira, junto com as outras pedras de cascalho, que compõem a massa de concreto que edificam esse imensos estádios, muitas vezes, no meio do nada.

    Precisamos rever a política educacional de nosso país, não podemos fazer uma administração baseado somente em política e ideologia. Existe a necessidade de fazer uma administração técnica, responsável, séria, menos demagógica e mais coerente.

    Nosso país não pode sobreviver eternamente apenas do agronegócio, do carnaval e de futebol, precisamos de mais, muito mais.

    JÁ NÃO BASTA TENTAREM DESTRUIR A SAÚDE, AGORA TEIMAM TAMBÉM, EM DESTRUIR O FUTURO INTELECTUAL DOS JOVENS DE NOSSO PAÍS.

    Até quando suportaremos tantos absurdos ? Até quando ?

    FELIZ DIA DOS PROFESSORES QUE SE APROXIMA. VOCÊS MERECEM O NOSSO RESPEITO E A NOSSA ADMIRAÇÃO – O FUTURO DE NOSSO PAÍS DEPENDE DE VOCÊS.
    Roberto Corrêa R. de Oliveira.

  125. Eduardo

    -

    19/10/2013 às 8:32

    Os próprios médicos formados, os estudantes de medicina e os que estão se preparando nos cursinhos para ingressar na profissão teem uma grande oportunidade de reverter essa situação, basta NAO VOTAR MAIS NO PT.
    Façam um movimento contra a eleição de qualquer petista, eles estão aí porque boa parte dos universitários votou neles.

  126. Iris

    -

    19/10/2013 às 7:43

    Parabéns a Todos os ‘médicos pelo seu dia” é muito bom saber que podemos contar com profissionais com tamanha sensibilidade para não so olhar para os nossos problemas de saúde mais sim para os sentimentos dos pacientes !! deixo aqui meu muito obrigada a todos os profissionais de ‘Medicina ‘ que além de honrarem seus juramentos fazem além disso transmitindo compaixão em cada atendimento!!

  127. Charles A.

    -

    18/10/2013 às 23:26

    AO Anônimo
    -

    18/10/2013 às 20:18
    Categoria mais especial do que a de professores,só a de professores!Mais coitadismo do que professores,só professores! Mais apoio do que recebem os professores,só professores!Como seria bom se todos ensinassem em vez de fazer arruaças ,badernas,quebra-quebra,que ensinassem coisas úteis em vez de pregar coisas como”nóis pega o pexe”,kit gay,marxismo religioso,etc.Os bons professores estão ensinando de verdade e sofrendo muito com o caos , com os alunos abandonados e com as pressões de governo e seus puxa-sacos para ensinarem o errado, o absurdo. Os dentistas,como categoria profissional, nunca reclamaram da profissão médica.Tampouco médicos reclamam de dentistas.São profissões afins,mas não conheço médicos que cuidem de dentes no mundo civilizado.Quem reclama de médicos e se regala com o programa del gobierno cubano são os profissionais que ,insatisfeitos com a profissão que abraçaram,demonizam a de outros.O “programa del gobierno” vai chegar até você,anônimo!Problema seu…

  128. Charles A.

    -

    18/10/2013 às 23:04

    Façam um curso de direito,passem naquele exame da esquerdista OAB, mas não advoguem.Permaneçam alguns anos estudando para concursos públicos e virem juízes,promotores,delegados,auditores,etc…Deixem a medicina curandeira do pt com os cubanos!E salve-se quem puder!

  129. Anônimo

    -

    18/10/2013 às 20:18

    Bonito texto, doutor! Especialmente nessa data tão comemorada.Me chamou atenção o trecho em que o senhor diz o seguinte “Em um passado não muito distante, éramos respeitados pela comunidade brasileira , que de uma certa forma, sentia-se agradecida pelo nossos serviços e além disso, ainda não nos responsabilizava pelo total abandono da saúde pública brasileira.” E continuei a acompanhar o texto, onde o senhor expõe que escolheu determinada profissão pelo respeito que a mesma impõe. E no final, coroando o texto, disse ainda acreditar fazer parte de uma categoria especial de profissionais. Sabe doutor, nesse momento, eu lamentei profundamente pela ignorância e falta de cultura que se construiu nesse país. A permanência que parece eterna do modelo biomédico criou a visão de que os profissionais de medicina são, como o senhor mesmo disse, doutor, uma categoria especial de profissionais. Desde a academia são ensinados a acreditar nisso, é verdade. Esquecem-se, vocês, doutores, e o resto da sociedade, que existem dezenas de outros profissionais que são absolutamente tão importantes quanto vocês no sistema de saúde. Sem os dentistas, farmacêuticos, enfermeiros, técnicos, auxiliares, fisioterapeutas, você não faria o seu trabalho doutor. Você não é Jesus de jaleco. Se essa é realmente uma categoria tão especial de profissionais, parem com esse coitadismo. Parem de se maldizer por causa desse novo programa do governo. A quem esperam comover? Lutem por melhores condições de trabalho. Lutem. Vocês, doutores, são uma classe forte. Com representação política forte. Li aqui um comentário que falava dos professores. Que bom seria se eles também fossem considerados uma categoria especial de profissionais não é? Desejo a eles essa boa sorte.

  130. Toninho Malvadeza

    -

    18/10/2013 às 19:14

    Não é só a classe médica,Doutor ! As polícias do Brasil todo estão sendo avacalhadas,pelos bolivarianos da hora no comando.A educação está sendo jogada no bueiro, a economia está como está,a classe política é um vexame de muito mal gosto .
    Ou se tira o PT,e seus agregados do poder,ou vamos mesmo virar Cuba ou coisa até pior.(se é que existe)

  131. JoaoR

    -

    18/10/2013 às 18:51

    Estou ansioso para ler a resposta da leitora Mary ao dr. Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira (apesar de já imaginar qual vai ser a resposta).

  132. Cristina

    -

    18/10/2013 às 18:16

    A parte mais dolorosa é saber que os professores já passaram por esse processo e hoje não recebem um pingo de respeito ou valorização!

  133. José Mário Fontes

    -

    18/10/2013 às 17:36

    Parabéns aos médicos brasileiros!
    Não se abatam pela incompetência e perseguição covarde de um governo, de um partido!

  134. Katia

    -

    18/10/2013 às 16:06

    Estava pensando nisso hoje. Escolhi ser médica pra cuidar de gente… E cuido.

  135. Roberto Corrêa R. de Oliveira

    -

    18/10/2013 às 16:02

    Antes de responder a pergunta de nossa amiga e cidadã brasileira, Mary, gostaria de agradecer em nome de todos os médicos brasileiros, a esta coluna (Ricardo Setti, que sempre abre espaço para a exposição de fatos que dizem respeito a nossa saúde pública. Mais uma vez obrigado.
    Agora respondendo a pergunta feita, pela leitora Mary, gostaria de fazer a ela também algumas perguntas, se no final do texto suas respostas forem satisfatórias, terei com prazer uma lista de jovens e competentes médicos, para passar para o seu prefeito. As perguntas são :
    1) Terá esse jovem profissional um lugar adequado para trabalhar ? Quando utilizo a palavra adequado, não me refiro a um lugar luxuoso, mas sim a um local com as mínimas condições de trabalho e segurança. Isto quer dizer, exames laboratoriais, aparelhos de raio X, uma equipe de enfermeiros e técnicos que dê suporte ao seu trabalho, leitos dignos para internar os pacientes que deles necessitam, uma sala de emergência com aparelhos de ressuscitação (cardiodesfibrilador), laringoscópio para entubar os pacientes que necessitam de assistência ventilatória e aparelhos “respiradores” (na realidade ventiladores) para colocar os pacientes mais graves até serem transportados, para uma UTI, caso não haja uma na cidade de vocês ?
    2)Estará esse profissional seguro nesta vaga após ser realizada as próximas eleições, caso seja um médico competente e atencioso ? Não corre o risco de ser sumariamente demitido, só porque o candidato da oposição ganhou as eleições,e este,tem um outro médico em vista?
    3)Existe um lugar digno para os filhos desse médico estudar, pode ser público ou privado, isto não vem ao caso?
    Se as respostas a estas simples perguntas forem sim,ficarei feliz em indicar excelentes alunos para atender sua querida cidade.
    Deixo meu email para contato : rcroliveira@hotmail.com

    GRANDE ABRAÇO Mary, e mais uma vez, obrigado, a coluna Ricardo Setti, por ter colocado mais uma vez um espaço para que possamos nos defender e debater assuntos tão polêmicos. Foi o melhor presente que recebi (emos).

  136. SELMA CORREA DE VASCONCELOS

    -

    18/10/2013 às 15:48

    Realmente a pergunta “se vale a pena ser médico ” procede…num país onde se manipula tudo, mesmo arriscando a saúde pública pode se esperar o desalento e o desânimo ante o ser ou não ser médico. A medicina é um sacerdócio e como tal deve ser exercida.Mas também em igualdade de condições deve ser valorizada e em hipótese alguma banalizada.Hoje o que se vê é uma verdadeira troca de favores entre o governo e países que não acrescentam nada para nós brasileiros e, como consequência um tremendo desrespeito a classe médica.Não importa a saúde do povo…mas o marketing político…isso sim…É O QUE IMPORTA… LÁSTIMA…

  137. mairalur

    -

    18/10/2013 às 15:31

    Meu respeito e homenagem ao médico Roberto e a todos os demais deste imenso Brasil. Não serão esses maus elementos politiqueiros que conseguirão deslustrar um trabalho tão necessário a nós todos. Estaremos aqui, resistindo com nossos médicos (tenho um muito querido, recém-formado, já atuando) a toda tentativa de enxovalhar-lhes os nomes e a profissão. Um cumprimento especial ao médico gaúcho Milton Pires, sempre por aqui a nos trazer informações e opiniões importantes.

  138. Luiz C.

    -

    18/10/2013 às 15:31

    Medicina Pública e Magistério estão a caminho de serem iguais em remuneração…

  139. Mary

    -

    18/10/2013 às 13:31

    Não sei se “Ainda vale a pena ser médico no Brasil?”, mais, o sr. doutor, poderia fazer um favor a todos os pobres da minha cidade, aqui de Minas, terra do “xiqui” de “jestação”
    Poderia encaminhar alguns de seus colegas para a prefeitura daqui. Estão pagando R$2000,00 o plantão de 24 horas e não conseguem médicos para preencher as vagas.
    Será que com um plantão de R$2000,00 por 24 horas, “ainda vale a pena ser médico no Brasil?”

    OBS: O doutor desiludido, poderia informar os jovens qual outra profissão paga melhor do que medicina?

  140. Mineiro pasmo

    -

    18/10/2013 às 13:26

    Caros Roberto e Setti, esse trabalho de reduzir o prestígio de carreiras e profissões tradicionais não é privilégio dos médicos: professores, médicos, engenheiros, etc. Afinal, quem trabalha e não vive de esmolas estatais está sendo vilipendiado por esses sindicalistas e socialistas de araque. Chega dessa corja no poder!

  141. Kenny J.

    -

    18/10/2013 às 13:17

    E o editorial do Estadão de ontem?
    “Dilma e seu tripé da fantasia”
    Como disse um comentarista alhures:
    - Tripé é com a Dilma…

  142. Tucídio

    -

    18/10/2013 às 13:08

    Cê que sabe, paspalho, que passou 10 anos de sua vida sendo treinado para atender pacientes!
    A qualquer momento você pode ser substituído por um subenfermeiro cubano panfletário, filho do lixo representado pelos irmãos castro – que embolsam toda a grana do imbecil cucaracho.
    Sob o lulopetralhismo e essa luminar da dilma rousseff, o contribuinte brasileiro está obrigado a alimentar a ditadura caribenha da estância cuba.
    E tudo com a conivência dessa turma que se diz oposição e vai pedir seu voto daqui a pouco.
    O Brasil é uma desfaçatez inigualável.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados