Clique e assine a partir de 9,90/mês

Conheça 16 causas para a queda de cabelo

Alterações hormonais, stress e dietas restritivas estão estre os motivos comuns da perda de fios. Com o tratamento correto, é possível reverter o quadro na maioria dos casos

Por Patricia Orlando - 17 mar 2014, 10h44

Diariamente, uma pessoa perde 120 fios de cabelo dos aproximadamente 150 000 que tem no couro cabeludo. Achar cabelo no ralo do banheiro ou na escova é normal, já que o folículo sofre um trauma nessas ocasiões e se rompe. Quando a pessoa nota um volume de fios anormal no travesseiro, no chão da casa ou na mesa de trabalho, é preciso investigar o motivo com a ajuda de um médico. “Todo mundo tem alguma perda de cabelo depois dos 50 anos, aproximadamente. Se o problema se manifestar antes disso, é um sintoma de que algo anormal está acontecendo no corpo”, diz o dermatologista Francisco Le Voci, do Hospital Albert Einstein.

Segundo dados da Associação Brasileira de Cirurgia de Restauração Capilar, a queda de cabelo acomete cerca de 25% das brasileiras entre 35 e 40 anos e 50% daquelas com mais de 40 anos. No caso dos homens, de acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia de Restauração de Cabelo, 40% sofrem com isso antes dos 35 anos.

Leia também:

Calvície pode estar relacionada a problemas cardíacos

Por que ainda existe gente careca?

O ciclo de vida de um fio é dividido em três fases: anágeno, catágeno e telógeno. A primeira corresponde ao crescimento ativo e dura de três a seis anos – por mês, o fio cresce, em média, 1,2 centímetro. Já a segunda, que é quando o cabelo para de crescer, pode levar até dois anos. A última etapa, de cerca de três meses, se refere ao período em que o fio está velho e fraco, o que resulta na sua queda e no crescimento de outro em seu lugar.

Esse processo é alterado quando a pessoa sofre, por exemplo, de anemia, alterações hormonais e stress. Para o organismo, a única função do cabelo é proteger o couro cabeludo. Em uma situação em que é necessário economizar nutrientes e energia, como no caso de uma doença, os fios são colocados em segundo plano – fragilizados, eles caem. Descoberto o motivo, o tratamento é quase sempre certeiro.

No caso da alopecia androgenética, nome oficial da calvície, que se manifesta quando o bulbo capilar se atrofia, o transplante é a única alternativa. A perda irreparável dos fios é mais comum em homens, principalmente porque os hormônios masculinos enfraquecem os fios e geram uma queda acentuada.

Continua após a publicidade
Publicidade