Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Militar americano que matou afegãos pega prisão perpétua

Robert Bales declarou-se culpado pelos homicídios para evitar pena de morte

Por Da Redação
23 ago 2013, 16h23

O sargento Robert Bales, responsável pela chacina de dezesseis civis afegãos, incluindo idosos e crianças, foi condenado nesta sexta-feira à prisão perpétua sem possibilidade de pedir liberdade condicional. O ataque aconteceu na província de Kandahar, no sul do país, em março do ano passado. Em junho deste ano, Bales, de 39 anos, declarou-se culpado pelos dezesseis homicídios, como parte de um acordo para evitar uma condenação à pena de morte. Ele também assumiu a culpa por seis tentativas de assassinato, sete agressões e uso ilegal de esteroides e álcool.

Leia também:

EUA indenizam vítimas de ataque de soldado no Afeganistão

O sargento falou pela última vez ao júri na quinta-feira, quando pediu perdão pelos crimes. “Pedir desculpas não é o suficiente, mas estou arrependido”, afirmou. Ele também disse que sua ação foi um “ato de covardia”.

Os argumentos finais foram apresentados na manhã desta sexta, com a promotoria ressaltando o fato de que a ação do sargento “arruinou vidas para sempre”. Os promotores militares argumentaram que Bales agiu sozinho e de forma premeditada quando, armado com uma pistola, um rifle e um lançador de granada, deixou seu posto durante a noite para matar os afegãos.

Continua após a publicidade

A defesa, por sua vez tentou convencer o júri formado por seis militares de que o sargento sofreu um lapso mental causado pela pressão dos exercícios militares – ele também havia servido no Iraque. Os advogados também argumentaram que o seu cliente apresentava estresse derivado de um distúrbio pós-traumático e uma lesão no cérebro anterior à sua chegada ao campo de batalha.

Esta é a maior chacina atribuída a um soldado americano desde a Guerra do Vietnã e complicou ainda mais as já tensas relações entre Estados Unidos e Afeganistão. O presidente afegão Hamid Karzai chegou a pedir a saída imediata das forças de segurança estrangeiras do país, mas recuou da decisão e reafirmou com Barack Obama o acordo que prevê a retirada das tropas americanas apenas em 2014.

(Com agência Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.