Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Holanda tenta evitar execução de condenado na Indonésia

Todos os canais internacionais estão sendo usados para reverter decisão, diz chanceler

O governo da Holanda, assim como o do Brasil, também está tentando livrar um cidadão da execução marcada para este fim de semana na Indonésia. No caso do Brasil, os esforços são para evitar a morte de Marco Archer Cardoso Moreira, condenado por tráfico de drogas. O cidadão holandês que está no corredor da morte é Ang Kiem Soei, condenado em 2003 por envolvimento na produção de ecstasy em um laboratório indonésio.

Em declarações divulgadas pela imprensa holandesa nesta sexta, o ministro de Relações Exteriores, Bert Koenders, afirma que todos os canais internacionais estão sendo usados para reverter a execução, incluindo pressão e alianças com outros países. “Estamos tentando fazer todo o possível para salvar a vida desse homem”, disse, segundo o NLTimes.

Leia também:

Em conversa com Dilma, presidente indonésio nega clemência a brasileiro

“Mereço mais uma chance”, diz brasileiro condenado na Indonésia

Anistia Internacional pede que Indonésia não execute brasileiro

O chanceler admitiu, no entanto, que o presidente indonésio, Joko Widodo, “está firme” em sua luta contra as drogas e insiste na pena de morte “como uma forma de lidar com o problema”.

A Anistia Internacional na Holanda solicitou ao governo da Indonésia que suspenda as execuções, entrou em contato com o embaixador indonésio na Holanda e pediu ação imediata do público.

Soei é um dos dois holandeses condenados à pena de morte na Indonésia por produção de ecstasy. Um terceiro cidadão holandês, condenado pelo mesmo crime, morreu na prisão.

Além de Soei e Moreira, um cidadão da Indonésia, um do Malaui, um da Nigéria e outro do Vietnã também tiveram seus pedidos de clemência negados em dezembro e a execução de suas penas marcadas para este fim de semana.