Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Com Dilma, Lula queria ser ‘poder nas sombras’, diz Mujica em livro

Afirmação está no livro 'Uma Ovelha Negra no Poder', que fala sobre os anos de governo do ex-presidente do Uruguai. Confira trecho

Por Da Redação 8 Maio 2015, 22h42

O ex-presidente José Mujica soube que Dilma Rousseff seria a candidata de Lula muito antes de a informação vir a público. A afirmação está no livro Uma Ovelha Negra no Poder, que trata do governo de Mujica – um dos trechos da obra fala sobre sua proximidade com o ex-presidente brasileiro, que sempre lhe dava ou pedia um conselho. Ao saber da escolha de Dilma para sucessora, Mujica “entendeu perfeitamente a jogada”. “Lula preferia ser o poder nas sombras e, depois do mensalão, não ficar exposto demais”.

Leia também:

Em livro, Mujica diz que Lula se referiu ao mensalão como “única forma de governar o Brasil’

“Para Mujica, ficou claro que Lula falava do mensalão”, diz autor de livro

Confira o trecho do livro que trata do tema:

Lula teve de enfrentar um dos maiores escândalos da história recente do Brasil: o mensalão, uma mensalidade que alguns parlamentares cobravam para aprovar os projetos mais importantes do Poder Executivo. Compra de votos, um dos mecanismos mais antigos da política. Até José Dirceu, um dos principais assessores de Lula, acabou processado nesse caso.

Continua após a publicidade

“Lula não é corrupto como era Collor de Mello e outros ex-presidentes brasileiros”, nos disse Mujica ao se referir sobre o caso. Contou, além disso, que Lula viveu todo esse episódio com angústia e com um pouco de culpa. “Tive de lidar neste mundo com muitas coisas imorais, chantagens”, disse Lula, pesaroso, a Mujica e Astori, algumas semanas antes de assumirem o governo do Uruguai. “Essa era a única forma de governar o Brasil”, se justificou. Haviam ido a Brasília para visitá-lo e Lula sentiu a necessidade de esclarecer a situação. “O mensalão também é este país, tudo é grande”, ponderou.

(…)

Lula é uma figura recorrente nas conversas com Mujica. O admira profundamente. “Um baixinho bárbaro”, é a sua definição do primeiro presidente brasileiro do Partido dos Trabalhadores. Lula sempre esteve presente para oferecer ou pedir conselhos nos cinco anos em que Mujica desempenhou as funções de chefe de Estado.

Foi assim que Mujica soube que Dilma Rousseff seria a candidata de Lula muito antes de a informação se tornar pública. E também, que depois apoiaria sua reeleição. Entendeu perfeitamente essa jogada. Lula preferia ser o poder nas sombras e, depois do mensalão, não queria ficar muito exposto.

“Ele inventou” a Dilma, recorda Mujica e desenvolve suas ideias sobre a importância do Brasil na região.

(…)

Continua após a publicidade
Publicidade