Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ataque a embaixada e quartel em Cabul deixa um morto

Mais cedo, já havia ocorrido outra série de explosões e um tiroteio na região

Por Da Redação
13 set 2011, 08h21

Ao menos uma pessoa morreu e oito ficaram feridas depois que um grupo de talibãs provocou nesta terça-feira várias explosões no centro de Cabul junto à embaixada dos Estados Unidos e ao quartel-general da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), missão da Otan no Afeganistão. No mesmo local, mais cedo, também teve início um tiroteio.

“Escutava-se uma série de explosões seguida de disparos. Estamos investigando os fatos”, declarou o porta-voz da polícia de Cabul, Hashmat Satanikzai. As explosões aconteciam em vários pontos da cidade, o que sinaliza que os talibãs atacavam diferentes alvos ao mesmo tempo. A polícia confirmou as explosões e os tiros, mas não revelou sua origem.

Segundo declarou a Isaf, por meio de um comunicado, a Aliança Atlântica respondia aos ataques talibãs em Cabul, em particular contra seu quartel-general, sem sofrer baixas até o momento. “Um pequeno grupo de insurgentes iniciou um ataque na área da embaixada dos Estados Unidos e do quartel-general da Isaf, disparando com armas leves e lança-foguetes”, destaca a nota. Um dos membros da Isaf, contudo, admitiu que a base da Isaf foi atingida, sofrendo pequenos danos.

Segundo o Talibã, que reivindica a ação, vários militantes estavam armados com granadas e coletes suicidas. Os alvos seriam prédios do governo nas proximidades do distrito que abriga as embaixadas. “Há cinco homens envolvidos nos ataques, mas não posso dar mais detalhes, porque a operação está em curso”, afirmou o chefe da Unidade de Investigação Criminal de Cabul, Mohammad Zahir.

Continua após a publicidade

Outros incidentes – Antes do último ataque, pelo menos 12 insurgentes morreram durante um enfrentamento ainda em curso com as forças afegãs e internacionais na província de Badakhshan, no norte do Afeganistão. O porta-voz do governador da província, Abdul Maroof Rasikh, citado pela agência local AIP, explicou que o conflito começou na segunda-feira no distrito de Kisham.

De acordo com Rasikh, a operação ainda não foi finalizada, e nela foram detidos nove talibãs, entre os quais estão dois de seus comandantes, Maulvi Ibadullah e Maulvi Sher Haider. Um porta-voz talibã, Zabiullah Mujahid, confirmou à AIP que os enfrentamentos seguem em curso. Mujahid informou que o conflito deixou muitas baixas em ambos os lados, sem entrar em detalhes.

Os ataques desta terça-feira mostram que mesmo após uma década da invasão militar americana após o 11 de setembro, o país continua instável. O nível de violência no Afeganistão é o pior desde que a coalizão ocidental interveio militarmente no país no final de 2001, com alto índice de morte entre as tropas e número recorde de baixas civis.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.