Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Palmeiras empata com América-MG e permanece em quinto

Equipe paulista terá pela frente o Santos, na próxima rodada, no Pacaembu

Por Da Redação 8 jul 2011, 04h05

O torcedor que compareceu à Arena do Jacaré, nesta quinta-feira, ficou frustrado com o empate por 1 a 1. De um lado, o América-MG completou a sétima partida seguida sem vencer no Campeonato Brasileiro. Já o Palmeiras continuou com o trauma de não vencer como visitante. Durante os 90 minutos, Alessandro marcou para o América, enquanto Maurício Ramos descontou para o Verdão. O resultado mantém a agremiação mineira na zona de rebaixamento com apenas seis pontos e impede o Alviverde (15 pontos) de se aproximar do Corinthians na liderança da competição.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o América tem pela frente o clássico mineiro, contra o Atlético-MG, partida marcada para domingo, às 18h30, na Arena do Jacaré. Já o Palmeiras vai medir forças contra o Santos, em jogo também marcado para o domingo, no estádio do Pacaembu.

O jogo – Mesmo jogando fora de casa, o Palmeiras não se intimidou e iniciou a partida com volume de jogo maior que o América-MG. Apesar da tentativa de Mauro Fernandes de escalar dois meias de criação, o América encontrou muitas dificuldades para conduzir a bola até a área do time paulista, fruto principalmente dos erros de passe em excesso da equipe e da marcação dos palmeirenses.

Aos dez minutos, Cicinho aproveitou falha da zaga americana e arriscou um tiro de longa distância, mas, bem posicionado, o goleiro Flávio conseguiu fazer a defesa. Atuando nos contra-ataques e explorando as jogadas de bola parada, os mineiros conseguiam ameaçar Deola, mas com a bola rolando o time pouco conseguiu produzir ofensivamente.

Tabela: Acompanhe os resultados e confira a classificação do campeonato

Aos 18, o lateral-direito Marcos Rocha pegou rebote da defesa palmeirense e arrematou da entrada da área, assustando o goleiro do Palmeiras. Apesar dessa tentativa, o América continuou acuado no campo defensivo, enquanto o time de Felipão insistia em tentar jogadas pelo meio da zaga americana, o que não surtiu o efeito desejado.

Continua após a publicidade

Aos 30, Amaral cobrou falta com violência no canto direito de Deola, que teve problemas, mas conseguiu fazer a defesa. Aos 35, Luan recebeu com liberdade e da entrada da área soltou um petardo, que Flávio não conseguiu segurar e teve que mandar para escanteio.

Com os dois times explorando muito pouco as jogadas pelas laterais, a partida ficou muito brigada no meio-campo, e somente no finalzinho do primeiro tempo, o jogo ganhou em dinamismo com as equipes buscando o gol com mais afinco. Mas já era tarde para a abertura do marcador, e o torcedor não viu a bola balançar as redes nos 45 minutos iniciais.

O panorama do jogo na etapa complementar praticamente não foi alterado, a única mudança ocorreu nas disputas de bola, que passaram a ficar mais acirradas. Apesar da luta dos dois times, a falta de qualidade técnica em campo foi visível e refletiu nas chances de gol, que foram raras durante a partida. Aos dez minutos, os atacantes Fábio Júnior e Alessandro bateram cabeça na hora de finalizar e perderam o que seria uma oportunidade clara de marcar.

Insatisfeito com o desempenho das equipes em campo, os dois treinadores fizeram mudanças nos times, na tentativa de melhorar o rendimento. Patrick e Dinei entraram no Verdão, enquanto Netinho e Kempes foram as opções de Mauro Fernandes.

Aos 20, finalmente a mudança no placar. Depois de contra-ataque em altíssima velocidade, puxado pelo atacante Kempes, que tinha acabado de entrar, Alessandro aproveitou desvio da zaga palmeirense na hora da finalização e mandou paras as redes do time de Felipão, levando a torcida à loucura na Arena do Jacaré. Após o gol, o jogo ficou aberto e as chances de marcar começaram finalmente a surgir.

Aos 30, o empate palmeirense: Maurício Ramos não vacilou e, depois de confusão dentro da pequena área, empatou o jogo para o Palmeiras. Com o empate dos paulistas, o jogo ficou um pouco mais aberto, e as equipes lutaram até o apito final do árbitro capixaba Pablo dos Santos Alves, mas o placar não foi mais alterado.

(com Agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade