Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Especialistas encontram na Itália 100 desenhos de Caravaggio

O material encontrado foi avaliado em 700 milhões de euros. Prefeitura de Milão pede cautela antes de determinar a origem das obras

Por Da Redação
5 jul 2012, 16h34

Cerca de 100 desenhos e pinturas do famoso pintor renascentista Caravaggio, produzidos durante a sua juventude, foram encontrados por especialistas em uma coleção no interior do Castelo Sforza, em Milão, anunciou nesta quinta-feira a agência Ansa.

Estes desenhos e pinturas, avaliados em 700 milhões, estavam no Fundo Peterzano, do pintor Simone Peterzano, professor do jovem Caravaggio, segundo a Ansa, que cita os resultados de uma investigação realizada por um grupo de especialistas italianos.

Este valor de 700 milhões de euros foi estimado a partir do preço médio de sete milhões de euros obtido pelos desenhos dos grandes mestres do século XVI nos leilões recentes, explicaram os especialistas Maurizio Bernardelli Curuz e Adriana Conconi Fedrigolli, que lideraram por mais de dois anos os trabalhos de pesquisa.

Contudo, a prefeitura de Milão, proprietária do castelo Sforzesco e do Fundo Peterzano, pediu cautela antes da confirmação da origem destas obras. “Ficaríamos muito felizes de ter a confirmação de que isto é verdade. As circunstâncias são estranhas. Nós não fomos informados de nada, descobrimos isso na véspera do lançamento de um e-book de dois peritos que não visitam o castelo há tempos, e é por isso que pedimos cautela”, disse à agência France Press Elena Conenna, porta-voz de cultura da prefeitura de Milão.

“Os desenhos sempre estiveram no mesmo lugar, eles não estão escondidos, o Fundo Peterzano é acessível a todos e são muitos os especialistas que visitam, mas, de acordo com nossas informações, esses dois especialistas não visitaram o fundo nos últimos dois anos”, acrescentou Conenna.

Os peritos encontraram até mesmo um bilhete escrito por Caravaggio, segundo a mesma fonte, que afirma que o documento foi submetido a um estudo grafológico para confirmar a sua autenticidade.

Continua após a publicidade

Os cientistas italianos vasculharam por dois anos as igrejas em Milão e as proximidades de Bérgamo (norte), assim como o Fundo Peterzano que possui 1.378 desenhos de Simone Peterzano e de seus alunos, incluindo Michelangelo Merisi, conhecido como Caravaggio (1571 -1610).

Caravaggio foi aluno de Peterzano na adolescência e trabalhou em seu ateliê entre 1584 e 1588.

“Nós achávamos que era impossível não haver evidências da atividade de Caravaggio entre 1584 e 1588 no atelier de um pintor que era muito famoso e procurado na época”, explicou Bernardelli Curuz, diretor artístico da Fundação Museu de Brescia.

Este pesquisador desenvolveu um método para encontrar a “geometria padrão” de Caravaggio e aplicou-a a cerca de 1.400 desenhos do Fundo Peterzano.

Dos cerca de 100 desenhos encontrados e atribuídos ao mestre, 83 “foram reutilizados várias vezes em obras adultas” de Caravaggio, provando que o jovem pintor deixou Milão “com os modelos (…) prontos para serem usados em pinturas romanas”, indicam os pesquisadores.

Continua após a publicidade

Os resultados deste trabalho serão publicados na sexta-feira em dois ebook vendidos em quatro línguas através da Internet, informou a agência Ansa.

Caravaggio, famoso pela utilização de luz e sombra em seus quadros, como nas pinturas Baco, O Jantar de Emaús e O Sacrifício de Isaac, foi representado no teatro, cinema e literatura como um dos pintores mais atormentados da história.

Caravaggio, que sofria de sífilis e intoxicação por chumbo, morreu aos 39 anos, aparentemente de malária na região de Maremma, no sul da Toscana, região pantanosa naquela época.

(Com Agência France Press)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.