Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Britney Spears conquista, enfim, a liberdade com fim da tutela

Em audiência nesta sexta-feira, 12, em Los Angeles, juíza pôs fim ao regime de 13 anos que regia bens e decisões pessoais da cantora

Por Tamara Nassif, Marcelo Canquerino Atualizado em 12 nov 2021, 19h31 - Publicado em 12 nov 2021, 19h30

Em julgamento nesta sexta-feira, 12, a cantora americana Britney Spears foi libertada da tutela que controlava seus bens e decisões pessoais, de acordo com o jornal americano The New York Times, que tinha repórteres participando da audiência. A decisão da juíza Brenda Penny marca o ponto final de uma intricada saga judicial: desde 2008, o pai da artista, Jamie Spears, tinha a carreira – e a vida – da filha sob seu controle. Segundo o jornal, Britney pediu o fim da tutela sem a avaliação psicológica de praxe. Os fãs da cantora aguardaram o resultado do lado de fora do tribunal.

Vigente há 13 anos, a tutela havia sido imposta depois que a cantora teve um colapso público sendo submetida a tratamentos para saúde mental. Mas, desde junho deste ano, a versão de Britney sobre o caso desmantelou a fachada de bem-estar: em depoimento, disse que o regime era “abusivo” e que ela estava traumatizada. “Não consigo dormir, estou deprimida, choro todos os dias. É desmoralizante tudo que passei. Nunca disse isso abertamente – nunca pensei que alguém fosse acreditar em mim. Não estou mentindo. Só quero minha vida de volta”, afirmou. A cantora alegou que não podia, inclusive, visitar um médico para a retirada de um DIU e que lhe tinha sido negado o direito de ter mais filhos.

Desde então, a americana recebeu uma onda de apoio de fãs, órgãos de defesa de direitos humanos e celebridades sob o movimento #FreeBritney. Com o depoimento explosivo em junho, sua antiga equipe de defesa pediu demissão, em um movimento visto como um desmonte na estrutura em torno da tutela. Britney, então, pôde contratar um novo advogado, que tomou as rédeas do caso e agiu agressivamente para que as restrições fossem suspensas. Frente o escrutínio público, Jamie Spears optou sair de cena: no começo de setembro, entrou com uma petição no tribunal de Los Angeles para que a conservadoria chegasse a um fim, dizendo que as circunstâncias mudaram “a tal ponto que os fundamentos para o estabelecimento de uma tutela podem não mais existir.” Ao fim do mês, já estava oficialmente suspenso do cargo, assumido de forma interina pelo contador John Zabel.

A conquista da liberdade já vem sendo celebrada por Britney desde então, com postagens frequentes no Instagram. Entre fotos de viagens e até “nudes” bem-humoradas, a cantora tem feito desabafos sobre a rigidez a que havia sido submetida. Mês passado, disse estar “muito feliz” com o fim do regime em vista, mas admitiu que estava “com medo de fazer qualquer coisa, por temer cometer um erro”. Nos últimos dias, postou e, logo em seguida, apagou: “Essa semana vai ser muito interessante para mim. Nunca rezei tanto por algo em minha vida.”

Desde que foi submetida ao controle do pai por sua suposta incapacidade, Britney lançou quatro discos, fez turnês e foi jurada de TV. O arranjo, no entanto, foi interrompido em 2020: ela estava se recusando a trabalhar enquanto durasse a tutela. Agora, com sua “vida de volta”, não há limites para o tão aguardado retorno da princesinha do pop.

Continua após a publicidade

Publicidade