Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Caso de Britney Spears tem nova reviravolta com saída de advogado

Desmonte da estrutura em torno da tutela da cantora indica força da pressão popular sobre o caso

Por Raquel Carneiro 7 jul 2021, 12h53

O advogado Samuel Ingham III apresentou na corte de Los Angeles, na terça-feira, 6, um pedido de demissão para ser retirado do caso da cantora Britney Spears. Ingham foi escolhido pela Justiça para ser o representante legal de Britney no caso da tutela imposta em 2008, quando o pai dela, Jamie Spears, se tornou o responsável pelas decisões em torno da carreira e da vida pessoal da filha.

A saída de Ingham do caso acontece semanas após o depoimento dado por Britney, que pediu pelo fim da tutela, a qual ela chamou de abusiva. Um de seus pedidos, aliás, é que ela tenha o direito de escolher o próprio advogado. A solicitação para encerrar a tutela foi negada pela Justiça. Britney pode recorrer, mas, agora, sem o advogado, terá de esperar pela aprovação da corte para que ela contrate outro representante legal.

No depoimento, Britney afirmou que construiu uma relação amistosa com o advogado, com quem falava três vezes por semana. Porém, afirmou que ele a desencorajou de seguir adiante com o pedido de encerramento da tutela, e que por anos ela nem sabia que poderia ter esse direito. Ingham, ao final, afirmou que se fosse o desejo da sua cliente, ele renunciaria ao cargo.

A saída aponta para um desmonte na estrutura em torno da tutoria da cantora, que ganhou novamente os holofotes com o lançamento de um documentário sobre os absurdos da situação, seguido do pedido judicial da cantora para encerrar a tutela. Celebridades ao redor do mundo aderiram ao movimento de fãs chamado #FreeBritney, pedindo por sua emancipação.

Nesta semana, o empresário musical de Britney, Larry Rudolph, que trabalhou com ela por 25 anos, pediu demissão em uma carta enviada ao pai da artista. Larry disse que soube da intenção de Britney em se aposentar oficialmente. “Como empresário dela, acredito que é do interesse de Britney que eu peça demissão, pois meus serviços profissionais não são mais necessários”, escreveu. O fundo bancário Bessemer Trust, antes responsável pelos bens da cantora, também abandonou o posto após o depoimento, alegando que “respeita os desejos” da cliente.

  • Desde que foi submetida ao controle do pai por sua suposta incapacidade, Britney lançou quatro discos, fez turnês e foi jurada de TV. O arranjo, no entanto, foi interrompido em 2020. Desde então, ela tem se recusado a trabalhar enquanto durar a tutela. Ela parou de fazer shows e de gravar novas músicas até que tenha sua autonomia de volta.

    Continua após a publicidade
    Publicidade