Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

O que aguarda Britney Spears após pai, enfim, acenar com sua liberdade

Pedido de Jamie Spears para não ser mais tutor judicial da cantora é uma vitória tremenda após treze anos - mas não significa o fim da luta dela por justiça

Por Amanda Capuano Atualizado em 8 set 2021, 12h30 - Publicado em 8 set 2021, 12h25

O caso de Britney Spears sofreu uma reviravolta inesperada, e muito bem-vinda, na noite dessa terça-feira, 7. Segundo a emissora americana NBC, Jamie Spears, o pai da cantora, entrou com uma petição no tribunal de Los Angeles para que a conservadoria que mantém as finanças e carreira da filha sob seu controle e de terceiros desde 2008 finalmente chegue ao fim. No documento, Jamie diz que a filha tem o direito de que o tribunal reconsidere a tutela, já que as circunstâncias mudaram “a tal ponto que os fundamentos para o estabelecimento de uma conservadoria podem não mais existir.” A decisão é uma grande vitória para Britney, mas não é o fim da sua via-crúcis judicial.

Embora o pedido de Jamie pese muito em favor da liberdade de Britney, a petição ainda terá de ser aprovada pela juíza do caso, Brenda Penny, que deve julgar a ação no dia 29 de setembro. Caso prossiga com o fim da tutela, como é esperado, a juíza colocará um ponto em um tormento de 13 anos para a cantora, que desde 2018 se recusa a fazer shows ou assinar qualquer tipo de contrato como uma forma de pressão para se livrar do controle do pai. Sem a necessidade de resistir aos desmandos de Jamie, Britney terá de volta o controle de suas finanças, além de autonomia para gerenciar a própria carreira – já que todos os seus projetos nos últimos anos tiveram de ser aprovados por ele.

Ainda não está claro, no entanto, o que Britney fará daqui para a frente. Sabe-se que Larry Rudolph, empresário da cantora desde o início da carreira, pediu demissão em julho alegando que a cantora teria planos de se aposentar. Ele, porém, foi acusado por ela de colaborar com o pai com o intuito de forçá-la a seguir com os shows, o que fez com que o pedido de demissão soasse como uma tentativa de fugir do escrutínio público. Já o namorado, Sam Asghari, afirmou que os fãs irão rever a cantora nos palcos novamente, dando esperança de um retorno dela à música.

No cenário pessoal, a batalha deve continuar. Isso porque a decisão de Jamie Spears de pedir o fim da tutela não é um ato 100% altruísta: a única “circunstância” que de fato mudou nos últimos meses foi o fato de que Britney passou a falar abertamente sobre os abusos do pai, colocando-o em uma situação complicada perante a opinião pública. O pedido, nesse sentido, parece mais uma forma de aliviar a imagem de carrasco que Jamie ganhou perante o público – em seu desabafos, Britney afirmou que o pai a impedia até mesmo de ir ao ginecologista para tirar um DIU que a impede de engravidar novamente. Pesa também o fato de Britney ter conseguido contratar o próprio advogado, uma derrota grande para Jamie, que antes tinha o processo na palma da mão.

Em comunicado à imprensa, Mathew Rosengart, advogado contratado por Britney, disse que a petição para acabar com a tutela foi uma gigantesca vitória legal, mas também um instrumento de Jamie Spears para se livrar de responder às acusações perante a justiça. “Parece que o Sr. Spears acredita que pode evitar ser responsabilizado”, afirma no documento. “Conforme avaliamos sua ação – que foi enviada de maneira inadequada à mídia antes de ser analisada por um advogado – nossa investigação continuará”, informou Rosengart. Assim, mesmo que Britney enfim fique livre do pai, não se descarta novos capítulos na saga – dessa vez não mais por liberdade, mas justiça.

Continua após a publicidade

Publicidade