Clique e assine a partir de 9,90/mês

Homem europeu cresceu 11 centímetros em um século

Aumento da estatura média ocorreu até mesmo durante períodos de recessão

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2016, 16h17 - Publicado em 3 set 2013, 15h36

Uma nova pesquisa mostra que a estatura média do homem europeu aumentou 11 centímetros entre meados do século dezenove até algumas décadas atrás. O estudo foi publicado neste domingo no periódico Oxford Economic Papers.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: How have Europeans grown so tall?

Onde foi divulgada: periódico Oxford Economic Papers

Continua após a publicidade

Quem fez: Timothy J. Hatton

Instituição: Universidade de Essex, Inglaterra

Dados de amostragem: dados de estatura de homens de 15 países europeus, com idade média de 21 anos, de 1870 até 1980

Resultado: Os resultados mostraram que a altura média do homem europeu passou de 167 para 178 centímetros – um aumento de 11 centímetros em pouco mais de um século.

Continua após a publicidade

A pesquisa mostra ainda que, ao contrário do que se acreditava, a altura continuou aumentando mesmo no período entre as duas Guerras Mundiais e durante a Grande Depressão – período de recessão econômica, que teve início nos Estados Unidos em 1929 e se espalhou pelo mundo. O resultado surpreendeu, pois era esperado que um período como esse, de pobreza e racionamento de alimentos, limitasse o crescimento das pessoas.

Os pesquisadores analisaram um conjunto de dados estatísticos de 1870 até 1980 referentes à altura de homens de quinze países europeus com idade média de 21 anos. As fontes utilizadas vão desde censos populacionais até registros de alistamento militar. Os resultados mostraram que a altura média do homem europeu passou de 1,67 metro para 1,78 metro, um aumento de 11 centímetros em pouco mais de um século.

Mortalidade infantil – Ao analisar os fatores que teriam levado a esse aumento de estatura, Timothy Hatton, professor de economia da Universidade de Essex, na Inglaterra, e autor do estudo, afirma que a genética não é um deles. “Apesar de a genética explicar a maioria das diferenças entre indivíduos, ela não pode ser responsável por aumentos substanciais na estatura média ao longo de apenas quatro ou cinco gerações”, escreve o autor.

Segundo ele, o crescimento de uma pessoa é afetado principalmente por seus dois primeiros anos de vida. No período estudado houve uma grande redução na mortalidade de crianças na Europa. A taxa de mortalidade infantil passou de 178 a cada 1.000 nascidos vivos entre 1871 e 1875 para 120 entre 1911 e 1915. Ela então caiu para 41 no início da década de 1950 e chegou a 14 em 1976 a 1980.

Continua após a publicidade

“Elevações na estatura humana são um indicador de melhoria na saúde das populações. Evidências sugerem que a melhora no tratamento de doenças, refletida na queda da mortalidade infantil, é o fator mais importante no aumento da altura. A ligação entre a mortalidade infantil e a altura já foi demonstrada em diversos estudos”, diz Hatton.

Leia também:

Filhos de mães depressivas têm menor estatura, diz estudo

Publicidade