EUA prometem apoio à América Latina contra manifestações

O secretário de Estado, Mike Pompeu, acusa Cuba e Venezuela de interferir nos protestos contra governos da região

Por Da Redação - 2 dez 2019, 17h05

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, acusou nesta segunda-feira, 2, Cuba e Venezuela de tentarem surfar na onda de protestos contra governos na América Latina. O chefe da diplomacia prometeu que os Estados Unidos apoiarão os países que tentarem impedir que as manifestações se transformem em distúrbios.

“Nós, do governo Trump, continuaremos apoiando os países que tentam impedir Cuba e Venezuela de sequestrar esses protestos e trabalharemos com governos legítimos para impedir que os protestos se transformem em tumultos e violências que não refletem a vontade democrática do país”, Pompeo disse em discurso na Universidade de Louisville, no Kentucky.

O secretário de Estado citou os protestos políticos recentes na Bolívia, Chile, Colômbia e Equador. Lembrou ter a Colômbia fechado sua fronteira com a Venezuela por preocupação de que manifestantes do país vizinho entrassem em seu território para participar dos protestos locais. Contudo, deu poucos detalhes para sustentar as declarações.

Em seu discurso, Pompeu também afirmou que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, está “aguentando firme” e continuará a reprimir seu povo. Mas disse estar confiante de que a autoridade do líder venezuelano terminará. “O fim também chegará para Maduro. Só não sabemos quando”, disse.

Publicidade

Além disso, após anos de deterioração do relacionamento entre Estados Unidos e Cuba – desde que Donald Trump assumiu a presidência em 2017 –, a tensão aumentou com apoio de Havana a Maduro ao longo deste ano e as alegações de Pompeo de que Cuba e Venezuela têm ajudado a fomentar os protestos.

(Com Reuters)

Publicidade