Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Netflix e Chadwick Boseman são os principais esnobados do Oscar 2021

Apesar das expectativas e das várias indicações, plataforma de streaming levou poucas estatuetas

Por Marcelo Canquerino 26 abr 2021, 13h08

Uma das categorias mais esperadas do Oscar 2021, que ocorreu na noite deste domingo, 25, era a de melhor ator. Nela estava Chadwick Boseman, pelo filme A Voz Suprema do Blues. O ator morto em agosto de 2020, aos 42 anos, era um dos favoritos a levar a estatueta póstuma. Porém, outro favorito o desbancou: aos 83 anos, Anthony Hopkins conquistou o Oscar pelo filme Meu Pai. O veterano sentiu o peso do favoritismo de Boseman, tanto que lhe prestou uma homenagem nessa segunda-feira. 

Boseman engrossa a lista de esnobados da premiação, recheada de indicados por filmes da Netflix. Com 35 indicações, um recorde para a plataforma de streaming, o canal levou sete estatuetas. Os 7 de Chicago, de Aaron Sorkin, que teve seis indicações no total incluindo melhor filme, saiu de mãos abanando. Mank, que também concorria nas principais categorias da noite e teve dez indicações, recebeu apenas dois prêmios técnicos: por fotografia e design de produção.

Na categoria de melhor atriz, Viola Davis, uma das apostas por seu trabalho em A Voz Suprema do Blues, perdeu para Frances McDormand por Nomadland. Glenn Close, que concorria por Era uma Vez um Sonho na categoria de melhor atriz coadjuvante, se juntou ao ator Peter O’Toole com oito indicações nas categorias de atuação, sem vencer nenhuma. 

Os filmes que já foram esnobados desde o momento das indicações permaneceram ainda mais esquecidos. Uma Noite em Miami, longa dirigido por Regina King e que imagina o que teria acontecido no encontro entre Muhammad Ali, Malcolm X, Sam Cooke e Jim Brown em 1964, teve apenas três indicações e nenhuma vitória.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)