Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

‘Doramar ou a Odisseia’ e outros 5 bons livros de contos para desfrutar

De Itamar Vieira Junior e Clarice Lispector a Phillip K. Dick e Ray Bradbury, confira lista de ótimas histórias para ler em uma sentada só

Por Tamara Nassif Atualizado em 9 jun 2021, 18h29 - Publicado em 9 jun 2021, 17h57

Lançado na esteira do sucesso de Torto Arado, ótimo romance nacional que soma estonteantes 165.000 exemplares vendidos (e contando), o livro de contos Doramar ou a Odisseia, de Itamar Vieira Júnior, chegou recentemente às livrarias atestando a velha paixão do autor baiano pelo formato com histórias curtas, mas de enorme impacto. Confira abaixo dicas de outros bons livros de contos que valem a leitura:

Prazer em Queimar, de Ray Bradbury

.
Prazer em queimar: Histórias de Fahrenheit 451, de Ray Bradbury (tradução de Antônio Xerxenesky e Bruno Cobalchini Mattos; Biblioteca Azul; 416 páginas) -/Divulgação

Nos 16 contos que integram Prazer em Queimar, Ray Bradbury, autor do popular Fahrenheit 451, escancara sua ânsia em recriminar todo tipo de autoritarismo. Os temas passeiam de censura e repressão a queima de livros, resistência e até mortos que voltam para acertar contas. Aos que adoram uma boa distopia, a coletânea de prosa requintada não fica aquém da obra-prima que alçou Bradbury ao sucesso – é inclusive de O Bombeiro, um dos textos da coleção, a origem embrionária da trama dos “queimadores de livros” de Fahrenheit.  

 

 

Maria dos Prazeres e Outros Contos, de Gabriel García Márquez

.
LIVRO – Maria dos Prazeres e Outros Contos, de Gabriel García Márquez (tradução de Édson Braga, Eric Nepomuceno e Remy Gorga Filho; Record) – //Divulgação

É difícil encontrar um texto de Gabriel García Márquez que não seja brilhante – em Maria dos Prazeres e Outros Contos, tem-se logo seis. Movidas pelo realismo mágico do Nobel colombiano, as historietas são belamente ilustradas por Carme Solé Vendrell, única pessoa permitida pelo autor a dar cor aos seus escritos. Em Um Senhor Muito Velho com umas Asas Enormes, um idoso alado é tido por anjo e acaba num galinheiro. No conto-­título, uma prostituta brasileira em Barcelona treina um cão para chorar sua morte.   

Continua após a publicidade
  • Olhos d’Água, de Conceição Evaristo

    LIVRO - Olhos d'Água, de Conceição Evaristo (Pallas Editora; 104 páginas; 28,00 reais e 16,00 reais em e-book)
    Olhos d’Água, de Conceição Evaristo (Pallas Editora; 104 páginas) Pallas Editora/Reprodução

    Ano passado, no furor do movimento Black Lives Matter, o livro Olhos d’Água disparou em vendas. E por um bom motivo: escrito pela brasileira Conceição Evaristo, a coletânea de quinze contos engendra histórias intensas, por vezes assombrosamente reais, de mulheres negras como ela. Embora breves, reflexões são intrigantes e impactantes, indo desde a pobreza e a miséria a dilemas sobre a vida, o amor e a ancestralidade africana. No conto-título, uma das sete filhas de uma mulher negra e pobre relembra as histórias de infância da mãe, mas confunde as lembranças com suas próprias vivências – um retrato de como a desigualdade social se perpetua por gerações a fio.

    Todos os Contos, de Clarice Lispector

    LIVRO - Todos os Contos, de Clarice Lispector (Rocco; 656 páginas; 89,90 reais e 41,50 reais em e-book)
    Todos os Contos, de Clarice Lispector (Rocco; 656 páginas; 89,90 reais e 41,50 reais em e-book) //Divulgação

    Em 57 anos de vida, Clarice Lispector escreveu, entre romances e artigos jornalísticos, 85 contos – todos eles presentes na coletânea lançada pela editora Rocco, em homenagem ao centenário da exímia escritora brasileira. Para além de oferecer frestas da literatura “lispectoriana”, até hoje vorazmente debatida, a reunião de histórias é uma viagem pela vida da autora, indo desde seu primeiro conto, publicado aos 19 anos, aos dilemas que irrompiam à medida em que se aproximava da morte. Tão fascinante quanto a criadora, Todos os Contos é uma passagem só de ida para o mundo que é Clarice Lispector. 

    Sonhos Elétricos, de Philip K. Dick

    LIVRO - Sonhos Elétricos, de Phillip K. Dick (tradução de Daniel Luhmann; Aleph; 248 páginas; 54,90 reais)
    Sonhos Elétricos, de Phillip K. Dick (tradução de Daniel Luhmann; Aleph; 248 páginas; 54,90 reais) Aleph/.

    Conhecido como o autor dos livros que inspiraram Blade Runner e Minority Report, Philip K. Dick é muito mais do que a dupla de obras que o colocou na boca do povo. Mestre de ficção científica, o prolífico, criativo e transtornado escritor criou incontáveis universos, dos quais dez podem ser apreciados na coletânea Sonhos Elétricos, inspiração para a série de TV britânica de mesmo nome do Prime Video. De cenários familiares, mas estranhamente distorcidos, os contos futuristas vão desde possessão por seres extraterrestres misteriosos (como em A Coisa-Pai) a reflexões sobre consumismo e propaganda na década de 1950, transferidas para um futuro distante (Argumento de Venda). Pedida certa para os amantes de histórias mirabolantes – e inquietantes. 

    Doramar ou A Odisseia, de Itamar Vieira Junior

    LIVRO - Doramar Ou a Odisseia: Histórias, de Itamar Vieira Junior (Todavia; 160 páginas; 49,90 reais e 39,90 reais em e-book)
    Doramar Ou a Odisseia: Histórias, de Itamar Vieira Junior (Todavia; 160 páginas; 49,90 reais e 39,90 reais em e-book) Todavia/Divulgação

    Depois de se tornar um fenômeno de vendas com o ótimo Torto Arado, a expectativa em torno de Itamar Vieira Junior é grande. Para aplacar a ansiedade do público enquanto se dedica a um novo romance, o escritor baiano lançou uma coletânea de contos – cinco inéditos, sete advindos de um livro anterior, A Oração do Carrasco (Mondrongo, 2017). Assim como em seu best-seller, Vieira Junior investe em protagonistas e narradoras femininas, não raro confrontadas com conflitos sociais, existenciais e emocionais. No conto-título, a doméstica Doramar volta ao lar depois de um dia de trabalho – referência explícita ao herói Ulisses, do cânone da literatura ocidental A Odisseia.

    Continua após a publicidade
    Publicidade