Blogs e Colunistas

13/10/2013

às 20:47 \ Cultura, Lei e ordem

Acostamento: o retrato do Brasil. Ou: Malandro demais para otários de menos

Retornava eu da paradisíaca Angra dos Reis quando me pus a refletir sobre tudo aquilo, concluindo que o resumo do fracasso brasileiro estava contido ali, naquela volta. A mentalidade do povo brasileiro com sua completa falta de educação, o descaso do governo apesar dos excessivos impostos, a impunidade total que incentiva a ilegalidade e a enorme oportunidade perdida que é este lindo país.

Em primeiro lugar, uma estrada completamente patética, uma colcha de retalhos repleta de buracos, que leva a um dos lugares mais lindos do mundo. O governo toma na marra quase a metade daquilo que o cidadão ganha, e oferece em troca uma estrada que parece um queijo suíço, causa de inúmeros acidentes fatais.

As pessoas reclamam dos pedágios nas vias privadas, mas deveriam reclamar é dos elevados impostos. Em qualquer lugar mais civilizado do mundo, o acesso a um paraíso como Angra seria bem diferente, infinitamente mais decente, para atrair os turistas e seus dólares, que geram emprego e renda. No Brasil, o descaso das autoridades é total, e mais uma excelente oportunidade de reduzir a miséria é perdida.

Em segundo lugar, a falta de educação do próprio povo é impressionante. Vários motoristas, imbuídos da malandragem da “lei de Gérson”, jogam seus carros no acostamento e ultrapassam os cidadãos corretos que obedecem a fila. É como se chamassem os que respeitam as regras de otários. Eis a mentalidade do brasileiro, na média.

E tal falta de educação não faz distinção de conta bancária. Verdadeiras espeluncas sobre rodas, que deveriam estar no ferro velho, passam pelo acostamento junto com carros que valem uma fortuna. Muitos repetem que a solução de todos os nossos males está na educação, como se essa fosse uma panaceia, mas não questionam qual educação.

Aquela turma, em carros que custam mais do que um brasileiro de classe média ganha por ano, tem boa “educação”, no sentido de diplomas e universidades. Mas são mal educados, pois a mentalidade é torta, e falta respeito ao próximo. Alguns – e não foram poucos – chegavam a jogar seus carros na contramão, colocando em risco, de forma totalmente irresponsável, várias famílias que iam no sentido contrário.

Em terceiro lugar, a impunidade é total, o que estimula bastante o problema da falta de educação acima. Indivíduos reagem a incentivos, e quando a ilegalidade é vantajosa, enquanto seguir as regras é penalizado, muitos irão aderir ao crime, pois nem todos são íntegros o suficiente para respeitar o próximo independente da punição da lei.

Durante a minha viagem toda, que durou o dobro do que deveria, não passei por um único carro de polícia na estrada, vigiando o acostamento. Não houve punição alguma àqueles que desrespeitavam a lei e os demais motoristas. A impunidade é um convite ao crime.

Em resumo, aquela angustiante volta de um lugar tão maravilhoso como Angra pode ser vista como um retrato do nosso país. Um governo que arrecada demais via impostos e não foca no que deveriam ser suas funções básicas; um povo que de certa forma merece os desgovernos que tem tido sucessivamente; e uma enorme oportunidade perdida. Uma cultura da malandragem alimentada por instituições capengas.

O diabo está nos detalhes. As pequenas coisas importam, são sintomáticas. O cidadão que ignora totalmente o respeito ao próximo, querendo se dar bem à custa dos outros, vem depois reclamar da corrupção em Brasília. Não nota que ele mesmo desrespeita as regras, que deveriam ser igualmente válidas para todos. Afirma que “todos fazem”, como se isso fosse justificativa para errar também.

O brasileiro sempre achou o máximo furar a fila. Coisa de malandro. Pois eis o que a malandragem gera: um país corrupto, miserável, sem lei. Enquanto isso, os “otários” dos americanos, por exemplo, seguem as regras, seja por conscientização ou por medo da punição, e vivem em um dos países mais prósperos do mundo. Há que se mudar tanto as instituições brasileiras como a mentalidade do povo.

Uma coisa não funciona direito sem a outra. O sujeito que pega o acostamento, tentando passar para trás os que respeitam as regras, deveria sentir vergonha pelo seu ato. Mas a coisa é vista como tão normal que um deles, quando eu não permiti que entrasse na minha frente, ficou furioso e reclamando. O culpado era eu, que seguia no caminho correto.

Essa mentalidade precisa mudar. Caso contrário, o retrato do país não irá mudar. Seremos para sempre o gigante adormecido, esse país maravilhoso que tinha tudo para ser um paraíso, mas que não passa de um recordista mundial em homicídios e pobreza. Há malandros demais para otário de menos.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

439 Comentários

  1. Samuel Doubecq

    -

    27/07/2014 às 5:23

    Mas, por onde começar? Tudo parece tão errado que ficamos terrivelmente perdidos em nossas discussões sobre “os problemas do Brasil”. “Sabe qual é o problema do Brasil?” costuma ser o início de infindáveis debates e discussões país a fora em todos os círculos sociais. E cada um tem a sua hipótese, a sua explicação. Por onde começar? Eis o busílis. Seria talvez necessário, para começar, responder à seguinte pergunta: o que queremos? Sabendo o que queremos, tendo uma meta, podemos começar a pensar concretamente em soluções. Se nada até hoje deu muito resultado no geral, em escala nacional, se não conseguimos resolver nada, propor soluções efetivas, talvez seja porque não tenhamos chegado a um consenso sobre o nosso destino, sobre o tipo de vida que queremos. Em outras palavras, talvez nada disso nos interesse. O povo na verdade não sabe o que quer e não está nem aí pra nada. Acostumamo-nos com toda esta lama? Creio que é quase isto.

  2. Sergio Corrêa

    -

    08/06/2014 às 10:19

    Belo artigo, Constantino, como de hábito. E é tão fácil resolver o problema: bastaria que nossas ‘otoridades’ colocassem obstáculos nas margens das estradas, separados por uns 200 metros. Carros com problemas ou ônibus poderiam parar e os mal-educados não teriam como ser ‘espertos’. Claro que não resolveria o problema educacional, mas todos teríamos que seguir a fila. Mas quem se interessa por isso? Como sempre, os que temos educação somos sacrificados cotidianamente por situações como as que descreveu.
    Um abraço,
    Sergio

  3. Bernadete

    -

    24/04/2014 às 21:19

    Nós estávamos viajando no feriado de páscoa, pegamos um congestionamento entre Curitiba e Ponta Grossa, andávamos a 20k por hora, entediados, quando começamos a reparar essa grosseria de furar a fila de carros pelo acostamento, pegamos a máquina fotográfica e fotografamos vários carros fazendo isso, temos várias fotos perfeitas, será que podemos mandar pra polícia federal a fim de gerar multa pra essas pessoas?

  4. É Verdade

    -

    21/03/2014 às 16:10

    Li um comentário sobre o assunto em questão se expressando sobre o funcionamento do sistema e está coberto de razão.
    Sugiro aos companheiros para encontrar-mos uma maneira de acabar com o que está acontecendo nas estradas. Li um comentario dando idéia de encher o acostamento de lombadas. Na verdade na minha opinião não seria bom porque a ambulancia iria ficar pulando lombada com paciente??? Outro comentário que li foi de utilizar câmeras filmando e punindo quem utilizar o acostamento para trafegar, opa essa pode funcionar, pois falando em multa os Governantes gostam. Colocar o carro trancando o acostamento é muito boa, mas tem que ter uma arma dentro do carro porque o valentão vem com tudo pra te pegar…
    A pessoa que nasce com DNA voltado para a corrupção não adianta, voce pode provar pra ela que está errada ou fazendo errado que aquela pessoa sempre vai contrariar de alguma maneira tentando se defender e se justificar. Aposto que o tal de Walace daqui a pouco vai postar mais um comentario assim querendo se justificar ou se não vai postar algo mandando nós todos a m…. pois ele é corrupto mesmo.
    Outra ideia boa seria utilizar o espaço do canteiro e do acostamento para se fazer mais uma pista de rolagem com velocidade diferenciada. Ficaria meio estranho não acham? uma faixa para os motoras 60km/h os de 100km/h e os de 240km/h e porque não uma para bikes e ambulâncias.
    Só loucuras e sonho pois envolve gasto e por falar em gasto se essa moda pega imagine o tanto de licitações….. É isso aí pessoal peçamos para O Senhor Deus que nos guarde na ida e na volta com toda paciencia para não errar. Pois dá vontade de fazer justiça com as proprias mãos. Mas não vou fazer. Só um recado aos que fazem errado “Nos veremos frente a frente no tribunal de Cristo” lá não vai ter dinheiro e tão pouco poder seja qual for o tipo. Deus abençoe a todos.

  5. antónio lourenço

    -

    27/01/2014 às 12:09

    Concordo integralmente com tudo que o texto nos diz e só quem está satisfeito e faz parte da regra é que pode discordar das questões apontadas. Aliás, o comentário do Guilherme, de 11/01, que concordo plenamente,fala-nos exatamente disso. Em qualquer lugar do mundo há exceções negativas que confirmam a regra de civismo e cidadania. Mas por aqui, é exatamente o contrário, a maioria, ou, pelo menos, grande parte, são cidadãos sem educação e respeito, imbuídos de um espirito lamentável de “passar” os outros para trás…

  6. Rubens Stancioli

    -

    24/01/2014 às 18:47

    A culpa não é do povo e nem da polícia desaparelhada. Enquanto corruptos como o senhor “renan calheiros” puder se utilizar de bens públicos para ir a festas ou para fazer implantes de cabelos e seus pares ficarem calados, todos nós temos o direito de fazermos o que quisermos sem sermos mal educados (particularmente eu costumo respeitar as leis e não dar uma de esperto). A devolução dos recursos referentes à despesa realizada (valor estimado; o valor correto só Deus sabe qual é) não exime tal pessoa de ter o fato devidamente apurado e a abertura de inquérito por quebra de decoro parlamentar imediatamente providenciada pelos demais senadores, independentemente de a quais partidos eles pertençam. Assim como os crimes cometidos nas favelas, no senado e na câmara federal impera a lei do silêncio, a fim de acobertar toda a camarilha. Muitos vão dizer que o comentário não tem nada a ver com a matéria, mas podem estar certos de que tem tudo a ver.
    O dinheiro gasto pelos corruptos é justamente aquele que falta para educar o povo e melhorar nossas estradas.
    Cumpre ressaltar que pelo Código de Trânsito Brasileiro, os recursos decorrentes das multas devem ser aplicados em segurança e educação de trânsito. Alguém cumpre ou acompanha o cumprimento desta norma legal?
    Enquanto não houver punição aos corruptos tudo será permitido a quem paga seus impostos em dia.

  7. Jadson

    -

    21/01/2014 às 22:35

    Uau! Texto realmente perfeito. Concordo com tudo.

  8. Diogo

    -

    16/01/2014 às 15:10

    O texto mais perfeito e verdadeiro que li nos últimos tempos. Essa sensação de que estamos rodeados de malandro me irrita. Com essa mentalidade inútil, seremos sempre um pais subdesenvolvido.

  9. Fernando Fidelis Vasconcelos

    -

    12/01/2014 às 12:20

    Certa vez vinha eu chegando de trem em Boston com 5 bolsas espalhadas pelo corpo afora, andando em linha reta numa enorme dificuldade. Um ianque de uns 30 anos fez questão de me abalroar e ainda exigiu que eu saísse da frente dele.

    Noutra ocasião, porque eu não permiti que outro ianque entrasse na minha frente depois de me ultrapassar pela direita, passou a me ameaçar mostrando uma arma e um distintivo de policial, mandando eu parar o carro pra tirar satisfação comigo.

    Ainda houve uma vez que abordei um casal de velhinhos “simpáticos” em Nova York pra me orientar. Pararam sorridentes e ao perceberem meu sotaque o velhinho olhou pra velhinha com asco, viraram as costas pra mim e saíram de perto. Ainda pude ouvi-los comentarem: é mexicano! Minha aparência é europeia e talvez isso os tenha feito pararem sorridentes.

    Meu irmão mora nos Estados Unidos há quase trinta anos e tem uma filha ianque que morre de vergonha dos pais com sotaque brasileiro. Ela própria deve se odiar por seu sangue brasileiro. Certa vez disse para o pai que a orientava a falar português dentro de casa pra poder ter uma língua estrangeira em seu currículo: “E você tem que aprender a falar inglês.”

    Ainda noutra vez quis saber de um colega de trabalho ianque sobre sua relação com os pais. Sua resposta foi: “tenho muita vontade de que eles morram logo pra que eu possa cuidar do patrimônio da família de sua maneira”. Eu ponderei: “mas você está falando de seus pais!”. Sua resposta: “Eu sei, mas foram eles mesmos que me ensinaram a ser assim”.

    De fato, estadunidense é arrogante. Nem ingleses escapam de seu preconceito. Eles são “os caras”.

    Mas a “lei de gerson” é um fato entre nós brasileiros. Nós mesmos somos preconceituosos quanto a nós. Se pudéssemos esfregaríamos com bucha de aço nossa pele para arrancar esse estigma. Nosso complexo de vira-latas é enorme. Então lutamos bravamente contra esses brasileiros todos que encontramos nas ruas diariamente, ultrapassando pela direita, acendendo paróis pros nanicos a 110 km por hora que se atrevem a dirigir pela esquerda, ainda que estejam fazendo uma ultrapassagem qualquer, furando filas de hospitais, cinemas ou caixas de supermercados.

    Os limites de velocidade são pros fracos. Policiamento é igual certa vez ouvi na adolescência de um colega de escola: “você finge que estuda e o professor finge que dá aula”. Policial brasileiro não se digna de sair de sua zona de conforto. Pior é que essa zona de conforto não passa de uma saleta sem ar condicionado que a cada 100 km vemos nas beiras de estrada. Muito tempo atrás tínhamos notícias de que eles trabalhavam muito. Mas o intuito era mais de receber algum por fora. Graças a Deus isso é coisa de passado distante, talvez porque seu salário hoje é bem alto. Arrisco a dizer alto demais para o benefício concedido.

    Mas ainda temos muitos casos de dificultação de ato público para conseguir um extra no salário em outras áreas do funcionalismo público brasileiro. Os noticiários o divulgam com certa frequência. Carteiras de motorista de primeira? Difícil.

    Mas a coisa está mudando, a medida que nosso nível de “educação” muda, estudamos mais e ficamos mais abismados com o comportamento alheio e mudamos nossos próprios. Já vi pai ensinando ao filho em fila de banco que se o Caixa deu troco a maior não tem problema, banco ganha muito dinheiro. Sua ignorância paterna desconhece que o pobre atendente é quem fica com o prejuízo.

    Artigos com esse do Constantino são parte de nosso desenvolvimento social e humano. A partir deles revemos nossa ética e compensamos a falha do sistema de ensino, que finge que paga aos professores e estes fingem que têm um salário. Sinto muita falta, como bem disse um comentarista do artigo, da antiga matéria “Educação Moral e Cívica”.

  10. Guilherme

    -

    11/01/2014 às 17:52

    Daniel, seu comentário mostra a razão pela qual os otários sempre serão otários no Brasil. Eu moro nos EUA, por favor não dissemine mentiras aos outros brasileiros que lêem os comentários postados aqui. O americano de longe é mais respeitoso no trânsito e outros meios de convivência pública (como resultado da educação familiar ou por repreensão da polícia) que o brasileiro e esse é a dura realidade que você como muitos outros quer ignorar. Existe imbecil em qualquer parte do mundo mas a quantidade deles determina a média, o padrão do comportamento esperado e você, sabichão, está usando da exceção pra manipular o genérico. Não é comum que o americano se comporte como você descreve, ao contrário do brasileiro. Tente dirigir numa estrada brasileira dentro do limite de velocidade e não vão tomar um minuto pra levar um farol alto na sua cola. Sabe quantas vezes isso me aconteceu aqui nos EUA em mais de 5 anos? Duas vezes, na Florida por sinal.
    O artigo do Constantino incomoda não? As pessoas não querem escutar a verdade. Contribua, não critique, divulgue o que você pensa aos seus amigos sobre esse comportamento, quem sabe em alguns anos o Constantino não tenha mais evidência para escrever matérias como essa.

  11. Silvana

    -

    09/01/2014 às 14:11

    Concordo com tudo que foi dito no texto, essa mania do brasileiro de insistir em usar a lei de Gerson é absurdo, tudo isso devido a apenas uma coisa que anda esquecida em nosso meio, os princípios fundamentais, que não mais são passados de pais para filhos como no tempo de meus avós, como meus pais fizeram comigo e faço com meus filhos. Precisamos de uma campanha de resgate desses princípios. Estamos vivendo um momento muito crítico em nosso país, a inversão de valores.

  12. Espertinho

    -

    07/01/2014 às 14:41

    Concordo com Wallace, sem mais.

  13. Daniel

    -

    07/01/2014 às 14:23

    Só vale um adendo: vi famílias inteiras nos EUA passando a catraca do metrô em duplas. Vi grupos de jovens pulando as catracas do metrô também. Vi gente furando fila. Vi muita falta de educação e também falta de consideração com o próximo. Vi gente que esbarra e não pede desculpa, que briga com você porque a mala está no caminho dela sendo que havia muuuuito espaço à volta para desviar. Vi gente que adultera água mineral. Vi gente sacaneando mendigo.
    Mas gente cruzando farol vermelho, fazendo conversão proibida e andando no acostamento eu não vi. Concordo que o brasileiro tem inúmeros pontos de melhoria (Wallace, se vc quer mesmo uma resposta decente pro seu comentário: o acostamento é feito para você encostar o carro caso você precise de um descanso, caso sua esposa ou filha passem mal, caso algum acidente aconteça, caso algum carro quebre), mas (1)não me venha com esse papinho de que americano é melhor, eles são diferentes (simpatia que nem a nossa pode esquecer por lá) (2) trânsito realmente não é o forte do brasileiro malandrão.

  14. Tomé Monte

    -

    07/01/2014 às 13:51

    Engraçado é ver que um monte de gente sai as ruas exigindo melhorias na educação, na saude, etc. Mas não percebem que a verdadeira revolução no nosso país não ocorrerá de cima para baixo, mas de baixo para cima. Qdo o João-sem-braço para de passar por cima (trapaceiramente) do Zé Mané, talvez o gigante acorde. Por hora ele está em coma, mas ao menos abriu um dos olhos…

  15. Diogo

    -

    07/01/2014 às 13:46

    Não é você que diz que privatizar resolve tudo?
    Que quando algo tem dono é melhor cuidado?
    Que o governo não sabe gerenciar um patrimônio da mesma forma que uma empresa privada?

    Então as vias com pedágios não deveriam ser uma maravilha? Não devemos reclamar dos pedágios? Que piada.

    Segundo o seu conceito os pedágios são a solução para termos vias decentes.
    R: Não, não sou eu que digo que privatizar resolve tudo. Nunca defendi panacéias. Se tivesse lido meu livro saberia.

  16. Cidadão

    -

    07/01/2014 às 11:41

    Wallace, na verdade escrevo o que todos queriam: Vai tomar no meio do seu cú seu malandro irresponsável

  17. Ricardao

    -

    06/01/2014 às 21:27

    Sou da turma dos otarios, e ja quase bati o carro varias vezes para impedir os otarios de sairem do acostamento.

  18. Maurício Gonçalves Cézar

    -

    06/01/2014 às 19:28

    Na verdade, gostaria que o Sr. Comandante da Polícia Rodoviária orientasse os policiais rodoviários para que além de lavrar multa exemplar, também mantivessem esses ¨expertos¨ no acostamento até que eles pudessem retornar à rodovia sem entrar na frente de outro motorista, ou seja teriam que aguardar até o movimento diminuir. Garanto que nunca mais esses infratores repetiriam esse gesto, mas seria necessária a manutenção dessa prática nas rodovias de todo o país.

  19. João Francisco de Oliveira

    -

    06/01/2014 às 18:54

    O texto em debate foge à discussão políticas Sr. Ronaldo Paiva. É este tipo de mentalidade que foi condenada e que todos deveriam condenar. A atitude parte de cada um e não de certas classes da nossa sociedade. Excelente matéria Sr. Rodrigo Constantino. Ainda há esperanças, não devemos continuar deitados em berço esplendido.

  20. Ronaldo paiva

    -

    06/01/2014 às 17:15

    O que se pode esperar de um povo que seguiu a risca as atitudes do ultimo Presidente….

  21. DANIEL

    -

    06/01/2014 às 17:02

    Wallace, você não merece ser chamado de cidadão, por essa frase você só pode ser chamado de verme: “eu uso e continuarei usando pois não é o governo quem decide onde posso ou não andar com meu carro”. Cadê a cidadania? Não teve aulas de Educação Moral e Cívica? Tava na hora de ter…

  22. Claudia

    -

    06/01/2014 às 16:12

    Eu sou a otária que o autor do texto cita, pois no último sábado voltando de Angra dos Reis passei mais de 1h em um engarrafamento causado nada mais nada menos pelos motoristas que se intitulam malandros cortando livremente pelo acostamento na altura da praia de Muriqui, e o pior é que qdo não damos passagem a esses malandros eles aina ficam com raiva, se ofendem…vi alguns pedestres que foram obrigados a pular no mato para não serem atropelados, um absurdo tão grande que me causa nauseas em ver que eles acham que estão agindo corretamente…mas o ditado já diz “Que o mal do malandro é achar que todo o mundo é otário”, um dia a casa cai!

  23. Felipe

    -

    06/01/2014 às 15:58

    Você está de parabéns pelo texto Rodrigo! Perfeito! Todos brasileiros que tenham um mínimo de educação irão concordar.
    Quando viajo, sempre vejo essa atitude corrupta por parte das pessoas. Começa assim, mal educado no transito, tenta passar os outros para trás nos negócios, joga lixo na rua, não respeita o próximo, tenta sempre burlar a lei e seus deveres como cidadão, e por fim, escolhe o governo que seja de acordo com sua conduta.
    O governo não faz o cidadão, o cidadão faz o governo.

  24. jefferson

    -

    06/01/2014 às 15:34

    Acho errado ultrapassar pelo acostamento e falta de educação também, mas se eu ando pelo acostamento para essas pessoas na ultrapassagem de mim, também estarei tao errado quanto aos outros , porem só posso exigir meus direitos se eu estiver dentro dos meu direitos.. se por acasso acontecer uma colisão com meu veiculo por não permitir alguém ultrapassar no acostamento nao poderei expressar meus direitos pois estou errado tanto quanto ele por ter andado pelo acostamento, ai não adianta disser que outros estão errados se você também esta errado…. fica ai a diga!!!

  25. Andy Souza

    -

    06/01/2014 às 14:34

    Gostei!

  26. André

    -

    06/01/2014 às 13:54

    Perfeito o texto e a mensagem passada, apenas não ter deixado o que estava tentando voltar na faixa normal que foi mal… “Não sabia o que se passava na cabeça do cidadão ao errar e ao tentar acertar…” poderia ter deixado o veículo se acertar, assim você seria mais “exemplar” ainda… parabéns pela matéria!

  27. Tiago Rolim

    -

    06/01/2014 às 13:54

    O americano respeita tanto as leis e os direitos humanos que andava espionando vários governos pelo mundo todo. Enquanto vocês ficarem com a bunda na cadeira esperando que o outro mude, aceitem que os “espertos” continuaram andando pelo acostamento. Se quiser mudar vá pra rua e contribua com a sociedade. Não é dizer que não pode andar no acostamento que você vai criar vias mais rápidas e seguras para viajar.

  28. Marco Lazzarini

    -

    06/01/2014 às 13:49

    Precisamos mesmo conviver com pessoas tipo Wallace? São mesmo políticos que desrespeitam crianças e idosos, ou são os “Wallaces” da vida. As leis existem, não são fiscalizadas e nem respeitadas por uma grande parte da população, mas será que devemos conviver com Wallaces da vida que colocam a ignorância e a falta de respeito a serviço de si próprio, como se fossemos nós, obrigados a respeitá-los, para que os Wallaces tenham permissão de desrespeitar-nos? Espero que o grande “legado da copa” seja um povo que se enxergue, e que saiba punir com rigor os Wallaces da vida, para que tenhamos mais qualidade de vida. Não somos obrigados a aceitar Wallaces da vida…

  29. marcos

    -

    06/01/2014 às 13:47

    Com relação ao último parágrafo onde consta: “Seremos para sempre o gigante adormecido…” Alguma dúvida quanto a isso? Se a própria letra do hino nacional diz textualmente: “Deitado eternamente em berço esplêndido…”

  30. Adriano da llha

    -

    06/01/2014 às 13:18

    Constantino, passei por isso numa volta da praia em Ubatuba. Pior ainda, quando estava passado por um posto da Polícia Rodoviária Federal, um cidadão estava no acostamento tentando entrar então eu e outros motoristas buzinamos para o guarda que estava no posto, cheguei a falar para ele do cidadão no acostamento e o guarda, de dentro do posto se limitou a fazer um sinal de positivo.
    Mais uma situação, um motorista, com apoio de outros que estavam do lado da lei, colocou meio carro no acostamento, impedido a passagem de vários espertinhos visivelmente irritados. Este motorista correu um sério risco de apanhar de alguém.
    A ética do brasileiro é um dos sérios entraves de nossos desenvolvimento. Não podemos dizer que somos uma nação jovem, pois jovens também são a Austrália e os EUA.
    A nossa ética lembra a história do Anel de Giges.

  31. Pedro

    -

    06/01/2014 às 12:22

    Esse idiota do wallace é o típico babaca semi-analfabeto que sequer leu um livro inteiro na vida mas possui uma CNH. Um carro provavelmente de valor inferior à aparelhagem de som instalada no mesmo e que vai ao litoral deixar lixo e causar caos com som alto madrugada a dentro. Mas ta na moda. Infelizmente o errado, o feio (em aparência e atitude) então na moda.

  32. Ckitner

    -

    06/01/2014 às 12:14

    Precisamos explicar para os mais desavisados o porquê de não se poder usar o acostamento do ponto de vista da coletividade. Ao fazer isso, o condutor fura a fila, já que mais à frente terá que retornar para a rodovia, passando para trás todos aqueles que ficaram horas a fio aguardando o trânsito andar. Não desafoga o trânsito, como pode pensar o mais incauto. Apenas redistribui os carros, de modo que o esperto do acostamento leva vantagem na fila em detrimento do certinho do engarrafamento. Mais na frente ele retoma a fila originária.

  33. Fabyo Alaces

    -

    06/01/2014 às 11:47

    Você esta de parabéns por essa matéria, a verdade nua e crua do brasileiro.

  34. Juliana Benbassat

    -

    06/01/2014 às 11:45

    Infelizmente, esse texto podia ser facilmente aplicado em Pernambuco. Angra seria Porto de Galinhas e todas as praias que estão na mesma rota como Serrambi e Tamandaré. Brigada ao autor, que externou o que eu tava sentindo aqui dentro. É mais fácil ser criminoso nesse país e se dar bem do que ser honesto. Ainda bem que existem otários, como eu, que preferem se dar mal. :(

  35. Mauro

    -

    06/01/2014 às 10:36

    Vende seu voto a político corrupto, sonega imposto, vive de calote, suborna fiscal, da caixinha pra polícia, tira sarro de honesto, canta a mulher do amigo, não paga as contas, não paga aluguel, joga lixo pela janela, detona o som do carro na rua, fuma em local proibido, enche a cara pra dirigir, cospe na calçada, chuta cachorro vira lata, mija em qualquer lugar, anda armado, passa sinal vermelho, estaciona em qualquer lugar, para em fila dupla e ULTRAPASSA PELO ACOSTAMENTO. No país da malandragem quem não é malandro é otário. No país de MERDA que construímos o que não falta é MOSCA.

  36. Anderson Nazareth

    -

    06/01/2014 às 9:54

    Meu camarada, você falou tudo !! Já passei por isso várias vezes com a sensação de ser o palhaço da corte.

  37. ricardo

    -

    06/01/2014 às 9:53

    descrição perfeita do dia a dia nas estradas…

  38. Leonard

    -

    06/01/2014 às 9:45

    Meu caro, isso aqui sempre foi assim, mas depois que o Lulladrão disse que não viu ou sabia de nada, aí abriu-se a porteira.

  39. Ana

    -

    06/01/2014 às 9:27

    Caro Wallace, além de respeitar as leis da convivência civilizada entre os cidadãos, acho que deveria frequentar a escola para aprender a usar corretamente a crase. Podes ter uma boa condição financeira, mas o portugues, é de fazer vergonha!

  40. Guto Mucciolo

    -

    06/01/2014 às 8:45

    Matéria extraordinária… e por causa dos “ESPERTOS” que as filas param não é somente pelo excesso de veículos… as filas Param por causa dos espertinhos corruptos e dizem que isso não é corrupção? Uma pessoa que sai de casa para pegar estrada com sua família dentro e usa o acostamento é tão corrupto quanto os mensaleiros. Pois ” ESPERTOS” esses vão fazer protesto contra isso e aquilo nas ruas e depois fazem esse tipo de coisas como andar em acostamentos das rodovias, usam vagas de Idosos e portadores de necessidades especiais se fazem de morto nos ônibus e nos transportes públicos em geral quando vêem uma senhora ou senhor de idade uma Mulher gravida ou com criança de colo…. Esses “ESPERTOS” são Corruptos do cotidiano brasileiro simples assim.

  41. Nilton

    -

    06/01/2014 às 1:03

    Sentimento mutuo e concordo com cada palavra que oRodrigo escreveu.
    E não é só na volta da Costa Verde que acontece esse descaso, é em praticamente qualquer estrada, seja rodovia seja uma rua. Já vi motoristas ( e quase me atropelou ) passar por cima da calçada para avançar um sinal de transito. A educação vem de casa, as instituições como escolas e universidade, não geram educação, geram conhecimento e esta diferença que uma grande parcela da sociedade não vê distinção e por isso a “lei do Gerson” ainda vigora com muita vitalidade, infelismente. Tento conscientizar, sempre que posso, pessoas a minha volta (colegas de trabalho) que sejam éticas, pois sendo éticas em sua contuda profissional existe grande chances que tenham uma visão mais crítica e sejam menos tentados a seguir a “lei do Gérson”.
    Deveria haver uma fiscalização aeria dessas vias em veriados prolongados, para que esses espertinhos fossem pegos e multados coerentemente. Só a quandidade de multas daria para pagar o custo de cada aeronave utilizada e ainda sobraria dinheiro, e na certa muitos desses espertinhos teriam suas carteiras suspensas

  42. Pedro Reseck

    -

    06/01/2014 às 0:12

    Carro e dinheiro eles têm , mas educação e respeito não .. São os brasileirinhos espertinhos !!! Assim continuamos nesse imundo terceiro mundo . Sem cultura e educação não dá……

  43. Carlos Murasmatsu

    -

    05/01/2014 às 22:31

    Paixão pelos carros…isso ja e uma doença deixando de lado o lado humano, o caracter de respeitar o proximo, e os governantes do pais não investem nos meios de transportes fazendo com que necessitam de veiculos, a ganancia veicular e a a falta de investimentos tomam conta do mercado comercial, esta faltando trens balas, mais expansão nas estradas de ferro, carros tbm. e como drogas viciam e matam……

  44. migues

    -

    05/01/2014 às 22:08

    Parabéns pela forma clara como foi descrito o caos que também vivi nas estradas mineiras.j

  45. Rogerio

    -

    05/01/2014 às 21:58

    Quem faz isso é o governo que incentiva uma vida a base de 4 rodas. Eles fazem a economia do Brasil girar em torno da ind. automobilistica. Metal, plastico, combustiveis, borracha…5 milhões de carros novos por ano. Eu peguei o mesmo engarrafamento de fusca 75 sem ar condicionado…aí meu amigo o acostamento vira uma saida para vida ou morte. Na verdade eu voltei para Angra, não consegui aguentar o calor. O mesmo carrão que quer fazer bonito ficando na fila, anda a 140km quando a pista está livre…falta é organização, pois diversos trechos da estrada poderiam ser duplicado com cones e dar um escoamento melhor. Enquanto isso o Governador vai de helicoptero…

  46. paulo pierro

    -

    05/01/2014 às 21:51

    Sou,um ex caminhoneiro, infelizmente, não dirijo mais caminhão, por causa de doença, mas na época que viajava, um cidadão tentou uma ultrapassagem, acreditem vcs, dentro do túnel de Muriqui, eu ia para São Sebastião,e ele vinha para o Rio, época de carnaval.parei o caminhão de frente com ele, e dei-lhe um “esporro” dos bons, xinguei a vontade, no carro de passeio, estavam mulher, filhos, sogra é até cachorro, senti que o sujeito, ficou sem ação, e depois eu ria sozínho da situação..kkk..pense na vergonha que não deve ter ficado, frente a sua mulher e filhos..em tempo: Hoje eu dirijo um fusquinha, o bichinho é meio estressado , que nem eu, na minha frente na entra..pode ser carrão, caminhão, ônibus..o bicho pega…como profissional que fui, continuo respeitando as leis de trânsito..por isso tô no bando dos otários, com muito orgulho!!!!!

  47. Fernando R

    -

    05/01/2014 às 20:36

    Artigo irretocável. O exemplo não deve vir de cima. Deve vir de nós. De todos. Mas eu já perdi a esperança. Vou continuar fazendo o que é correto por simples educação. Mas não vou mais esperar que as outras pessoas se conscientizem.

  48. Araujo

    -

    05/01/2014 às 20:33

    Ótimo seu texto, só que o responsável por isso é o detran de cada estado que emite habilitação pra qualquer pessoa,tenho um primo que nem sabe como liga o carro mas é habilitado, quando vai viajar quer andar a 50km\h pq alega que devagar não causa acidente,ai quando estou de carona e olho pra trás tem centenas de carros sem poder ultrapassar gerando engarrafamento. O motorista brasileiro é arrogante e burro pq nem anda numa velocidade razoável e nem quer encostar quando vc corta luz para ultrapassar. Sem contar o povo seboso que quer andar devagar na faixa da esquerda! parece que nunca foi numa auto escola e nem conhece a expressão “mantenha-se a direita”. Enquanto tiver gente assim com habilitação todo dia vai ter engarrafamento e a situação só vai piorar, pode fazer 1000 faixas que vão ter 1000 lerdos alinhados sem deixar vc passar.
    Se todo mundo andasse a pelo menos 80km\h não existiria engarrafamentos!

  49. Atila

    -

    05/01/2014 às 20:12

    Otarios são aqueles que não usam o acostamento. Otarios por acreditam que um povo sem educação serácapaz de ter uma atitude educada em desacordo com o pais atrasado que cconstruimos.Larguem mão de serem Otarios e ocupem os acostamentos todos.
    Talvez algum dia se aprendermos a ser menos latinos e menos brasileiros possamos repensar esta ação.

  50. Bruno

    -

    05/01/2014 às 20:06

    Um pequeno “conto” pra ilustrar o problema da educaçao no Brasil.
    Um gringo (de país escandinavo, se não me engano), em visita de trabalho ao Brasil, ficou espantado com a presença de lombadas nas ruas e estradas.
    - Por quê colocar essas lombadas? Não é mais barato colocar placas sinalizando pra reduzir a velocidade?

    Eis a resposta de um brasileiro:
    - Não. Pra colocarmos placas, primeiro teríamos que investir milhões em Educação.

    E essa é a mentalidade do Governo. Pra que investir na causa, se podemos continuar despejando bilhões (e tomando uma boa parte disso) nas consequências?

  51. Antonio

    -

    05/01/2014 às 19:50

    Pessoal, já passei por algumas situações deste tipo, e quando o espertinho está no acostamento e tenta entar na minha frente não dou a vez não, ele que se dane e tente voltar na frente de outro, se todos fizessem assim estes espertinhos se dariam mal.

  52. Antonio

    -

    05/01/2014 às 19:48

    Caro Wallace, não creio que você tenha tirado a sua carteira de motorista pelas vias legais, deve ser mais um que comprou a carteira, deve saber dirigir mas não conhece as leis de trânsito, muitos aqui já falaram para que serve o acostamento, mas com certeza você não deve ter entendido, mas façamos o seguinte, suponhamos que você sofra um acidente e pelo fato do acostamento está lotado de espertinhos como você, a ambulância não consiga chegar a tempo de resgatar as pessoas que estão no seu carro, mesmo com este pensamento seu, creio que os teus parentes ou amigos sentirão sua falta, e pior será se um filho teu o tua esposa, ou um parente seu vier a falecer, você vai culpar quem? logicamente você culpará os espertinhos que tomaram conta do acostamento e impediram que a ambulância chegasse a tempo. Caia na realidade amigo, cada um faz o que bem entende realmente, mas as leis estão aí e são para ser cumpridas, se não quer cumprir leis e andar com seu carro conforme lhe dá na cabeça então compre uma fazenda bem grande e construa estradas dentro dela só para você, com certeza lá dentro não terá as leis de transito que você com certeza nem conhece.

  53. Fernando

    -

    05/01/2014 às 18:26

    O Wallace chama acostamento de “faixa da via” e se sente acima da lei para fazer o que bem entender. Será que se furtarem o carro dele ele irá entender que o vagabundo que fez isso também acha que não há leis para respeitar e ficar de boa? Afinal, o carro dele estava ali parado mesmo…

  54. JOÃO LIRA

    -

    05/01/2014 às 18:22

    LINDO SEU TEXTO … REPRESENTA EXATAMENTE O MEU SENTIMENTO … GOSTEI MUITO …

  55. João Quinto

    -

    05/01/2014 às 18:16

    Tirando alguns comentários babacas, fico feliz em ver que alguns são bem sensatos e prezam pelo bem coletivo. Vamos melhorar este país!

  56. Rogerio

    -

    05/01/2014 às 18:03

    Caro Wallace, para você que não sabe, o acostamento permite que carros de socorro cheguem mais rápido a um acidente e ajudem o próximo. Deus queira que você jamais precise de um socorro que ficou preso atrás de espertinhos como você. Outra consequência negativa é que o trânsito normalmente pára quando os espertinhos tentam voltar para a fila principal, causando ainda mais transtornos.

  57. marilene meneses

    -

    05/01/2014 às 17:58

    o pior acontece na Regis Bitencourt quando liberam o acostamento os caminhoneiros não deixam os carros passar.

  58. Silvia Abrahão

    -

    05/01/2014 às 17:54

    “O diabo está nos detalhes”. Brilhante!!!!!!!

  59. Maya Goldfarb

    -

    05/01/2014 às 17:44

    Perfeita análise, Rodrigo Constantino! Como sempre…

    Um americano que viveu 3 anos no Brasil falou: “Os brasileiros são agressivos e oportunistas, e, geralmente, à custa de outras pessoas. É como um “instinto de sobrevivência” em alta velocidade, o tempo todo. O melhor exemplo é o transporte público. Se eles vêem uma maneira de passar por você e furar a fila, eles o farão, mesmo que isso signifique quase matá-lo, e mesmo se eles não estiverem com pressa. Então, por que eles fazem isso? É só porque eles podem, porque eles vêem a oportunidade, por que eles querem ganhar vantagem em tudo. Eles sentem que precisam sempre de tomar tudo o que podem, sempre que possível, independentemente de quem é prejudicado como resultado.” Verdade!

  60. Raphael

    -

    05/01/2014 às 17:41

    Sr. Wallace. O acostamento deve ser guardado para casos de emergência, veículos com defeito, etc. Não deve ser usado para o tráfego em geral, é proibido por lei. E não é “à um trânsito desgraçado”, é há um transito desgraçado.

  61. Robson

    -

    05/01/2014 às 17:31

    Wallace meu querido, talvez seja importante porque em um acidente a ambulância chegue mais rápido ao local, salvando uma ou mais vidas talvez a sua própria vida se você se envolver em uma acidente.

  62. raoni

    -

    05/01/2014 às 16:47

    O acostamento é a área destinada para ambulâncias e outras viaturas de socorro em situações de emergência, assim, bloquear a passagem pode impedir o salvamento de vidas.

    entendeu ou quer que eu desenhe?

  63. Pity

    -

    05/01/2014 às 16:37

    Wallace, se vc não sabe o acostamento é importante porque serve para as ambulâncias, carros de polícia e de bombeiros passarem em caso de emergência! Ah! E vc também pode utilizar se seu carro quebrar ou furar o pneu sem o risco de alguém te bater ou te atropelar (já que não é uma via para ter fluxo). Um dia você ou um familiar pode estar em uma ambulância e ficar preso no congestionamento, pq um bando de gente sem bom senso estão usando o acostamento e ele ficou com trânsito parado, e aí poderá ser tarde demais!

  64. Rodrigo

    -

    05/01/2014 às 16:27

    Que comentário infeliz desse Wallace, um completo ignorante… É o legítimo imbecil que o texto se refere.

    Considere então que o acostamento seja uma terceira faixa, e se todos usarem, vai congestionar igual sendo que em algum ponto ela iria “afunilar” e causar mais transtorno. Do que adiantaria? Será que é tão difícil assim pro retardado perceber pra que serve o acostamento nessas horas? Queria ver se fosse a mãe desse idiota precisando de socorro com o acostamento trancado por conta de infelizes como ele…

    Bom, eu faço minha parte, e tranco os babacas que tentam passar pelo acostamento e também não deixo entrar na minha frente. Pode buzinar e xingar a vontade… Se ninguém deixar passar, eles se arrombam mais ainda do que se tivessem esperado em seu lugar na fila. O que na minha opinião é muito justo e ensina a lição!

  65. Daniel João Neri

    -

    05/01/2014 às 16:23

    Um país de merda só pode ser constituído por um povo de merda.

  66. Kenneth

    -

    05/01/2014 às 16:07

    Já fui muito patriota, a ponto de discutir quando falavam mal do Brasil. Hoje, cheguei a conclusão que o problema não é o Brasil, mas sim, o brasileiro.
    Não da pra generalizar, como tudo na vida, mas a grande maioria, pensa só no próprio umbigo. Só é errado quando não é em favor de si.

    Mas eu, graças a Deus, fui educado pra isso e faço o que posso pra ser uma pessoa decente.

  67. Sonnia Duarte

    -

    05/01/2014 às 16:05

    Concordo com cada palavra. Vivo sempre essa situação qdo viajo para Ubatuba-SP. Fico indignada,revoltada.A punição para esses espertinhos tem que ser equivalente a sua falta de educação. Na minha humilde opinião deveríamos poder fotografar esses elementos e dai enviar a imagem para um canal criado para esse fim e pronto, ta la o indivíduo devidamente registrado e consequentemente com provas para ser punido .

  68. Mirza

    -

    05/01/2014 às 16:02

    Essa foi uma síntese do discurso que meu marido faz sempre que pegamos a estrada em épocas do ano com grande fluxo de veículos.
    Nos revoltamos sempre com a falta de educação e civilidade das pessoas. E essa constatação de que o valor do carro não interfere na conduta do indivíduo, já foi empiricamente comprovada em nossas viagens.
    Os valores éticos do “farinha pouca, meu pirão primeiro” é um triste retrato do que a nossa sociedade se tornou.
    Compartilho de suas convicções, Rodrigo Constantino!!! E sigo no grupo dos “otários”, com mt orgulho!!!!

  69. Rafael

    -

    05/01/2014 às 16:02

    Wallace, imagine que o congestionamento foi causado por um acidente de trânsito onde sua mãe está presa nas ferragens, necessitando urgentemente de atendimento médico e infelizmente ela veio a falecer pois a equipe médica não chegou a tempo, pois a via do acostamento também estava interditada por pessoas ditas “espertas”, e você estava também nesta via. Ou seja, VOCÊ foi responsável pela morte da sua mãe!! Acostamento é para ser utilizado em situações de emergência e por pessoas que irão dar o primeiro combate, sejam elas policiais, bombeiros, ambulâncias… enfim, cabe a cada um analisar suas atitudes.

  70. Célio

    -

    05/01/2014 às 16:00

    Já vi, em alguns pontos indo para o litoral norte de SP, alguns trechos de estrada onde é informado por meios de placas que o acostamento é liberado em feriados prolongados devido a pista ser muito estreita para a quantidade de carros em um trânsito moroso. Não sei se isso mudou mas achei lógico mas é de se pensar, imaginando caso ocorra acidente grave.

    Rodrigo, a mentalidade do povo é essa mesmo, são poucos os que pensam como você, eu e alguns outros. Sinceramente, eu não acho que isso vai mudar. Acho que vai piorar, isso sim.

  71. Matheus Matias

    -

    05/01/2014 às 15:59

    Falou tudo, se ao menos metade dos Brasileiros pensassem como você pensa Ajudaria em 90% esses índices citados na coluna. (pobreza,homicídio).

  72. wellington jatoba ferreira

    -

    05/01/2014 às 15:58

    Sueldo, esse sim é dos meus!

  73. wellington jatoba ferreira

    -

    05/01/2014 às 15:56

    Ainda tem um babaca esse tal Wallace dono do mundo se achando certo… Ô eu te encontrando pra te matar do coraçã… E tem mas, se quiser ir até o meu caminhão me da uma tapa fique a vontade amigo… Babaca! Respeita o Direito dos outros!

  74. Tiago

    -

    05/01/2014 às 15:55

    Wallace, e desde quando o acostamento é uma via livre?
    Ao menos você sabe pra serve o acostamento? Pelo jeito acho que nao, então aprende:
    ACOSTAMENTO = É uma parte da via, porém diferenciada da pista de rolamento. O acostamento é destinado à parada ou estacionamento de veículos em situação de emergência, à circulação de pedestres e de bicicletas, (quando não houver local apropriado).
    E esta na lei como infração em caso de transitar pelo mesmo:
    O Código de Trânsito Brasileiro estabelece em seu Art. 193 como infração gravíssima com agravamento em 3 vezes no valor da multa para o condutor que transitar pelos acostamentos. A multa é de R$ 574,62, e o condutor perde 7 (sete) Pontos na CNH. Esta mesma previsão legal, aplica-se para transitar em ciclovias, passarelas, canteiros centrais, calçadas, entre outros.

    Quero que você fala isso para um policial rodoviario, de preferencia, federal. Para para de ser “babaca” e entender que vivemos em uma sociedade e que tem leis para viver nela.

  75. Gabriel

    -

    05/01/2014 às 15:54

    O texto é realmente interessantee, acima de tudo, um alerta direto aos leitores, ou seja, os próprios brasileiros.
    É uma lástima observar os comentários e ver como deturpam a informação passada e a intenção do autor. Denota-se o analfabetismo funcional e a mediocridade da nossa gente.

  76. wellington jatoba ferreira

    -

    05/01/2014 às 15:53

    É por isso que infelizmente nessas situações infelizmente corrijo um erro com outro erro, infelizmente combato um crime de trânsito com outro crime de trânsito! Coloco o meu caminhão no acostamento e puta que pariu, também não ultrapasso ninguém, o trânsito parou? Paro junto ao carro que estiver ao meu lado, e vou assim até o fim… Os apressadinhos ficam putos, cortando luz, e xingando e eu nem aí! Quer ver xingar, xingam os ricos, donos de carros valiosos, acham que são donos do mundo, mas eu dou é risada e nem ligo, pois eles acham que só quem quer passar são eles!!! E o pior que nesse país viaturas de polícia fazem pior ainda, sem ta em missão de nada!

  77. Lucas

    -

    05/01/2014 às 15:53

    Wallace, espero que vc ou alguém da sua família nunca tenha uma casa com garagem. Porque faria questão de colocar o meu carro estacionado na frente. Afinal, é uma vaga ali livre o dia inteiro, as vagas tão difíceis. E quem é o governo (e menos ainda um indivíduo) para determinar onde posso estacioná-lo, não é mesmo? Eu coloco meu carro onde eu quiser. O resto que passe por cima…

  78. Eliane

    -

    05/01/2014 às 15:50

    Wallace, serve para se vc levar um tiro na testa a ambulância possa passar e te socorrer! P.f. Aonde vc tirou a carta?

  79. Márcio Camargo

    -

    05/01/2014 às 15:47

    Quase presenciei um verdadeiro linchamento na balsa Bertioga-Guarujá na última sexta-feira quando um esperto tentou furar a fila de espera. O comentário do Wallace é o símbolo da ignorância brasileira!!!

  80. José Luís

    -

    05/01/2014 às 15:46

    Dois tipos de comportamento me parecem neste caso os maiores indícios de que o que está errado é o eleitor, não os eleitos (que são espelho dos eleitores):
    a) Os que postam comentários do tipo: “Quem é você para dizer o que os outros devem ou não fazer?”. Este me parece ser o típico indivíduo que ou faz, ou acha normal usar o acostamento como sua pista expressa particular;
    b) Os que ficam indignados com o motorista “comum” que não lhes permite cortar a frente deste e voltar à pista normal ao menor sinal de problemas (polícia ou carro parado) no acostamento; quando a gente não deixa o bonitão cortar, a gente é que passa por intolerante, já repararam nisso? Ora, se o sujeito assumiu o risco de andar pelo acostamento, assuma até o fim a responsabilidade pelo seu (dele) ato…
    O que se pode esperar desse tipo de eleitor ao escolher seu representante? No mínimo, que ele se comporte assim em Brasília, na Assembleia Estadual, na Câmara de Vereadores, por aí…

  81. Kelly

    -

    05/01/2014 às 15:45

    Excelente ! É um país em que as pessoas se acham espertas, driblando as leis, são verdadeiros malandros!

  82. Renato

    -

    05/01/2014 às 15:41

    Wallace (11:53), torço, com todas as minhas forças, para que um dia você precise parar no acostamento em virtude de uma emergência (é para isso que a “via livre” serve), e, aí, um idiota que pense exatamente como você, venha em alta velocidade e passe sobre seu carro. Simples assim.

  83. Carlos

    -

    05/01/2014 às 15:11

    Wallace,
    Eu poderia tentar explicar para você que, por uma questão óbvia de organização, há lugares onde o seu carrinho pode trafegar e outros nos quais não pode; poderia tentar explicar que quando infringe as regras e cria para si um privilégio, prejudica e desrespeita os demais, mas você certamente não entenderia nada. É por causa de pessoas como você que nós temos o Congresso que temos, os políticos que temos, a miséria que temos, a falta de educação e de civilidade que temos.

  84. Rodrigo Cavalcanti Goncalves

    -

    05/01/2014 às 14:20

    Concorrdando ou não, a lei proibe uso do acostamento para trafegar. Já alguns malandros, no pior sentido da palavra, se achan superiores e ainda insistem em argumentar a questão. Fico feliz por poder tratar essse mediocres da mesma forma e até jogá-los morro abaixo nessas situações. Se pensam assim, não merecem o minimo do meu respeito.

  85. Sergio

    -

    05/01/2014 às 13:05

    Retornei da Florida no dia 02/01/2014 após 14 dias tomando um banho de educação , respeito e ver como as coisas funcionam de forma correta.
    Ao ler a reportagem , refleti e comparei os dois mundos. Realmente estamos na lama na questão falta de educação, que independe da condição financeira. Ainda vejo comentários de pessoas que são a favor de atitudes desse gênero, isso é realmente vergonhoso para os meros pagadores de impostos que querem ver as coisas caminharem bem.

  86. Guilherme

    -

    05/01/2014 às 12:57

    Wallace, sao mentalidade pobres e pensamentos ignóbeis como este seu que deixa, este país do jeito que está. A verdaeira mudança de uma nação começa pela mudança de pensamento e atitude dos cidadãos.. O povo brasileiro tem mesmo o governo que merece…

  87. João Roberto

    -

    05/01/2014 às 12:49

    Comentários como o ultimo abaixo, retratam em caráter definitivo nosso berço… Tomara que nehum amigo, parente ou ente querido do leitor se envolva em um acidente de trânsito e precise que os paramédicos ou bombeiros cheguem ao local e sejam impedidos de transitar pela única “faixa” justamente pelo sábio companheiro que insiste em se achar mais experto… Lamentável…

  88. Pedro

    -

    05/01/2014 às 12:35

    Wallace, tem que ser muito burro para emitir um comentário tao imbecil quanto o que escreveu. Vc é simplesmente um merda, como a maioria dos brasileiros que como voce, pensa da mesma forma. Trouxa

  89. Wallace

    -

    05/01/2014 às 11:53

    Porque é tão importante guardar acostamento?
    Uma faixa da via livre enquanto à um transito desgraçado, eu uso e continuarei usando pois não é o governo quem decide onde posso ou não andar com meu carro.

  90. Claudinei Silviera

    -

    05/01/2014 às 10:58

    Excelentes considerações e narração dos fatos. Mas, infelizmente, quem lê este tipo de artigo são os mesmos que permanecem nas filas nas rodovias, que respeitam as leis. Acho que teríamos que reagir de alguma forma mais agressiva mesmo. Levar umas bolinhas de tinta ou mesmo ovos e jogar aqueles que nos ultrapassam pelo acostamento! Sei lá. Parece que só a ferro e fogo é que as coisas podem mudar. Não existe coincidência nenhuma de segurança! Acostamento é área de emergência mas como muitos também compraram as carteiras de habilitação, nem sabem disso!

  91. Flávio

    -

    05/01/2014 às 10:16

    Excelente texto! Vale lembrar os “espertos” que estacionam seus carros nas vagas de idosos e deficientes!!

  92. pedro

    -

    05/01/2014 às 9:07

    Essa situação também acontece no cotidiano das cidades. O motorista espera por vinte, trinta minutos na pista correta e, lá pelas tantas, vem alguém pela direita querendo “inserir” seu veículo na fila. Uma bestialidade, pra dizer o mínimo.

  93. Tadeu Porto

    -

    05/01/2014 às 5:01

    Rodrigo, você não acha que uma “mão invisível” deveria organizar o fluxo de veículos já que cada indivíduo está pensando na melhor maneira de enfrentar aquele trânsito?! Ou você acha que esses indivíduos não conseguem se organizar de maneira harmônica e sustentável e por isso uma força externa (o Estado, por exemplo) deve agir para coibir certos comportamentos para um trânsito mais viável?!

  94. Sueldo

    -

    05/01/2014 às 1:45

    Sabe oq eu fiz? Peguei um transito fdp perto de porto… Coloquei o carro no acostamento e tranquei a via acompanhando o fluxo do transito e os manes presos atrás de mim putos da vida kkkkk desistiram e voltaram pra fila normal

  95. Otavio

    -

    05/01/2014 às 0:23

    realmente frustrante !
    Outro dia joguei o carro entre o acostamento e a faixa e a fila começou a buzinar loucamente e jogar o carro em cima do meu, aumentei o som e imaginei nao estar vendo, rs até que notei um cara meio afobado atraz com pisca alerta fazendo sinais com a mão e dei passagem ele então abaixou o vidro e disse, ” tira essa merda da frente ” e eu respondi ” VAI toma no seu @# ” ele então me deu carteirada e disse ” sou funcionário publico ” imediatamente joguei o carro na frente dele e voltei a segurar a fila por árduos 10 KM ! não sei como não me agrediram…

  96. Fabio

    -

    04/01/2014 às 20:23

    Uma boa medida a ser tomada por quem estiver na estrada seguindo a regra é: passar o carro para o acostamento, parar o veiculo, abrir a tampa do motor e esperar o transito voltar a fluir assim que não houver mais carros tentando voltar do acostamento para a pista de rolamento. Apesar de soar errado sempre funciona.

  97. Leonardo

    -

    04/01/2014 às 17:33

    Humildemente, agradeço àqueles que utilizam o acostamento, “criando” mais uma faixa de rodagem, assim como agradeço aos motociclistas que rodam entre os carros, também “criando” mais faixas (imaginem as motos efetivamente ocupando os lugares dos carros no meio das faixas… engarrafamentos mil vezes piores… putzz). Matematicamente, num engarrafamento de 4km, em uma pista com apenas uma faixa, ao utilizar o acostamento como mais uma faixa haveria uma “duplicação da pista” e a redução do engarrafamento para 2km. Considerando que o acostamento pode também ser utilizado em situações emergenciais, não consideraria de outra forma senão emergencial um engarrafamento de 4km. Isso em estrada sem assaltos, como acontece rotineiramente nos engarrafamentos da Avenida Brasil aqui no RJ, que é o verdadeiro salve-se quem puder. Precisamos é mesmo é de política e estradas decentes. Tentemos então não desperdiçar o voto nas eleições pós copa…

  98. José Carlos

    -

    04/01/2014 às 14:33

    Parabéns Rodrigo Constantino pela percuciente análise. Aliás, Roberto Da Matta publicou um livro (Fé em Deus e pé na Tábua), no qual aponta o trânsito como um grande indicador da cidadania de um povo, uma vez que se dá no espaço público.

  99. FernandoFL

    -

    04/01/2014 às 12:48

    A maioria que reclama dos políticos corruptos, se estivesse no lugar de tais políticos seriam tão ou mais corruptos que os mesmos. Malandragem está no sangue do brasileiro e poucos são vacinados contra isso.

  100. Thomaz

    -

    04/01/2014 às 12:20

    Como você é hipócrita, ou inocente demais. Então quem está no congestionamento é mocinho e quem está no acostamento é vilão. Se você pegar 10 carros dos “mocinhos” 9 terão algum tipo de irregularidade, extintor vencido, pessoas sem cinto no banco dianteiro e traseiro, falando ao celular, documento atrasado, habilitação vencida e dezenas de outras infrações. Você é um falso moralista recalcado. Quer tapar o sol com a peneira?
    Comento: em primeiro lugar, hipócrita é a vovozinha. Em segundo lugar, desde quando os erros dos uns justificam os dos outros? É cada um que aparece aqui…

  101. Hugo Cavalcanti-Rio-RJ

    -

    04/01/2014 às 12:14

    Eu faço minha parte… há tempos comecei a filmar os carros fazendo esta bandalha. O próximo passo sera divulgar os vídeos (falta tempo ainda) na internet, mas em 2014 será concretizado.

    Outro ação que costumo fazer há anos, bem antes das filmadoras/maquinas baratas, é colocar metade do meu carro no acostamento, bloqueando assim, a fila. Quando é um ônibus ou carro grande fazendo esta bandalha, fica perfeito, pois não há como cortar.

    http://www.facebook.com/hugobcavalcanti

  102. Carlos dos Santos

    -

    04/01/2014 às 5:27

    Eu retornando da praia no norte do estado do RJ, também pude constatar que acontece a mesma coisa, os incAUTOS, INFRATORES E MALANDROS ultrapassando direto pelo acostamento enquanto eu ali, parado, seguindo em frente, lentamente, resisti até o final pois sei que é errado fazer esse tipo de malandragem e por isso mesmo concordo quando é dito que esse povo ainda precisa sofrer muito para realmente saber viver como civilizados… é uma pena muito e muito triste essa constatação!

  103. Renato

    -

    03/01/2014 às 23:53

    Existe um mito de que o brasileiro é solidário, onde está essa solidariedade? Somos um país violento, onde a agressão impera na cultura popular, nos maus serviços, na falta de zelo, na corrupção generalizada, na informalidade, nas leis que “não pegam”, na burocracia, na desmoralização das autoridades, no modo como tratamos nossos idosos, nossos portadores de necessidades especiais, nossos pobres. Isso corrói o tecido social, e nosso sentimento de identidade nacional, que é reforçado só em tempos de Copa do Mundo. Como podemos pensar em um projeto de país, diante do ceticismo coletivo em torno do nosso sistema político? O brasileiro precisa tratar seu conterrâneo com o mesmo amor que tem com a Seleção Brasileira.

  104. Martulio

    -

    03/01/2014 às 23:17

    O comentário de Idovino está correto em tudo, mas principalmente no início, quando diz que tudo tem origem no DNA, só que acho que não começou em 1500, começou um pouquinho mais tarde, com as Capitanias, as benesses aos escolhidos da Coroa, e piorou imensamente e ficou definitivamente instalado em nosso DNA com a vinda da Corte para o Brasil, aí sim instalaram-se aqui os sugadores do governo, os cupinchas do poder, e assim é até hoje. Pobre Brasil, minha esperança é que com o tempo este DNA seja aprimorado, afinal de contas outros lugares foram aprimorando suas leis e sua população com educação, quem sabe não conseguiremos isso em alguns séculos. Pena que não estarei aqui para desfrutar disso.

  105. Laercio Pradal

    -

    03/01/2014 às 22:40

    Eu acho que a solução para esses espertalhões não é complicada. Mesmo que a PRF ou PRE não tenham efetivo para fiscalizar todas as estradas ou trechos delas, hoje já pode contar com tecnologia de Câmeras instaladas ao longo das vias captando as placas dos veículo, emitindo as notificações para cada um. Em pouco tempo esse problema estaria resolvido.

  106. Luciano

    -

    03/01/2014 às 22:38

    Pessoal, eu tive a oportunidade de morar em alguns países da África (Sub-Sahariana) e de visitar e estar em países de primeiro mundo (EUA e Europa). Sobre o ponto citado no excelente texto, eu qualificaria em uma escala de 1 a 5 (1 pior e 5 melhor) a situação nos países desenvolvidos como 5, porque existem estrutura, leis, controle e educação. No caso destes Países africanos a nota é 1, porque faltam todos os items acima. Bem, o Brasil posso colocar como nota 2 ou quem sabe 2,5 para considerar que uma média deste imenso País de inúmeras cidades que ainda desconheço possam elevar um pouco a média. Enfim, uma vergonha que não se arruma do dia para a noite. Para terminar e tendo lido apenas alguns textos dos participantes, pude concluir que temos 2 classes nos que aqui deixaram seus relatos (resumindo). Um grupo pequeno de pessoas se achando espertas pelos seus atos de malandragem, uma lástima e a grande maioria condenando porém deixando claro que não há esperança para o País. Portanto, quero dizer que o texto é ótimo, existe sim uma parte da população brasileira e mundial muito elevada e honesta educada, evoluída e não devemos nos entregar para a maioria primitiva que habita o planeta, pois somos muito mais inteligentes e portadores de energia capaz de organizar as coisas. Temos que sim, fazer algo, pois só falar e reclamar não adianta. Um grande abraço a todos..

  107. Idovino Merlo

    -

    03/01/2014 às 20:26

    Não sou Antropólogo nem Cientista Político mas tenho opinião formada a qual segue:
    Vejamos, um País é como um ser humano, tem seu próprio DNA, sua origem, um pais surge de alguma maneira, seja através de uma guerra
    para se tornar independente, ou um plebiscito ou por “adonação”, do verbo “adonar”, tomar posse,……, pois bem,
    o Sr. sabe muito bem como foi que os primeiros “adonadores” tomaram o rumo destas bandas de cá não sabe?,
    As “estórias” dizem que chegaram como grandes navegadores, mas tenho certeza que o Sr. sabe da verdadeira História de como saíram
    de lá e vieram aportar aqui,…., ou seja aí começava se formar o DNA do nosso querido e amado País que hoje se chama Brasil.
    Seguindo no tempo e chegando aos dias de hoje, vamos passar a cronologia do tempo em velocidade ultra sônica para encurtarmos o texto.
    O Sr. se lembra de ter em sua vida profissional ou particular lido algum livro ou documento que falasse de algum tempo, cronologicamente falando,
    em que não tivesse essa roubalheira toda, essa corrupção, sonegação, desvio de conduta, mau caratismo, falsários facínoras de todas as instâncias,
    sejam elas, executiva, legislativa, judiciária, privada, de agentes da lei, delegados de todas as esferas, federais, civis, tributários, policiais
    militares ou civis, do exército em fim..???, Não há na História do nosso País, desde o dia 22 de Abril de 1500 até hoje, um período em que se tenha
    vivido sem ouvir ou ver tudo isso que estamos vendo hoje em dia, são 513 anos, quase 514 de folia, de farra,
    de prostituição nas entranhas administrativas do Brasil, e sabe quando isso vai terminar,??? A resposta é simples: NUNCA, porque,??? Porque isso
    está no DNA, no organismo do Brasil. Não subestimando sua sabedoria mas explicando isso sinteticamente: O Brasil e uma máquina gigante
    que foi desenvolvida com milhares de engrenagens as quais uma depende da outra para funcionar, e se você retirar uma, qualquer que seja,
    por menor que seja a máquina para de funcionar, ou seja, é extremamente necessário que continue tudo exatamente como está, políticos roubando,
    desviando, matando, seqüestrando, policiais bandidos, corruptos, juízes vendendo sentenças a mercê de seus interesses ou de corporações, bandidos
    matando gente, ladrões de todos os tipos roubando de tudo, advogados defendendo criminosos de todos os tipos porque a lei diz que eles tem direito,
    e as leis que nunca são alteradas por pura conveniência, quiçá um artigo aqui um ali outro acolá, um barulhinho de um juiz aqui para disfarçar um pouco,
    um senador ali falando algo pomposo fazendo parecer que vai salvar o mundo,……, enfim, se essa máquina tiver qualquer engrenagem
    retirada pode ter certeza esta máquina para. Analise com a calma e frieza que uma pessoa inteligente como o Sr. é, vejamos:
    O que seria por exemplo do sistema judiciário,…??? (quando eu digo sistema leia-se: Juízes, desembargadores, promotores,
    advogados, oficiais de justiça, tribunais de contas……….,,,,), enfim, tudo o que faz parte deste sistema em todas as comarcas e instâncias,
    municipais, estaduais, federais, o que seria desse sistema se terminasse a criminalidade, a roubalheira, o desvio do dinheiro público,
    as extorsões dos agentes públicos, a corrupção…….,??? Se isso terminasse como esse sistema se manteria,???
    Esse sistema teria que deixar de existir seria desnecessária sua existência, não precisaríamos mais dele.
    Além disso veja como a bola de neve vai aumentando e como a coisa começa a tomar forma e sentido em tudo o que estou dizendo.
    O que fazer com todas essas pessoas e entidades envolvidas,…??? Não seriam mais necessárias as 1.128 faculdades de direito,
    não seriam mais 650 mil estudantes do primeiro ao quinto ano, e cerca de 80 a 100 mil novos advogados todos os anos sendo
    despejados no mercado de trabalho, e a coisa não para por aí….
    Da mesma maneira, se exterminássemos os crimes contra as pessoas, assaltos, roubos, mortes, agressões de todos os tipos……….,
    do que se manteriam os sistemas carcerário, financeiro e industrial…..????? Como é que as empresas de segurança,
    (seja segurança patrimonial, pública, privada, …), empresas de seguro de vida e de patrimônio, montadora de automóveis,
    fabricantes de eletroeletrônicos e que fazem parte cada qual de seus sistemas, como é que se manteriam,..???
    a quem essas empresas venderiam seus produtos e serviços,???
    E a entrada de drogas, armas e munições, contrabando de todos os tipos o sr. acha realmente que é impossível terminar com isso…???
    Mas a quem realmente interessa que isso termine??? A mim e ao sr com certeza interessa, mas e o sistema..??? Interessa…????
    Para concluir de vez por todas,vamos
    nos conformando, pois logo ali adiante veremos mais manchetes que provavelmente dirão:
    Corregedoria da Policia Federal prende delegado envolvido em desvio de mercadoria e entorpecentes apreendidos;
    Juiz é afastado de suas funções por suspeita de envolvimento com venda de sentenças; (mas continuará recebendo salário integral)
    Mais uma CPI termina sem que haja um único envolvido, (político ou não), preso ou que tenha devolvido o dinheiro roubado dos cofres públicos;……..
    Só uma coisa realmente poderá mudar este País: Se aparecer alguém lá em cima no primeiro poder e disser: A partir de hoje a polícia terá verdadeiramente poder de polícia e assim será de cima para baixo, caso contrário meu amigo o Sr.infelizmente continuará comentando
    ou felizmente, porque talvez até seus comentários sejam interessantes e necessários ao sistema
    Fique bem claro que isso não é de maneira alguma uma provocação,
    nem tom pouco um desabafo é tom somente um ponto de vista meu.
    Abraço muito forte desse BRASILEIRO,

  108. Tiago

    -

    03/01/2014 às 20:02

    Consolida a minha opinião, isto é, os nossos governantes são simplesmente um reflexo dos cidadãos aqui embaixo. Fica difícil e incoerente cobrarmos honestidade do outro quando nós mesmos utilizamos o acostamento para ultrapassarmos motoristas que tentam agir segundo normas vigentes de segurança, furamos fila em bancos/pontos de condução/etc., não respeitamos opiniões contrárias, pagamos propina para anteciparmos interesses próprios de origens diversas, prestamos concurso público já pensando no que iremos ganhar por fora com atos de má fé ou mesmo buscando a chamada mamata, …
    Infelizmente tenho a impressão que essa realmente é a mentalidade da média dos brasileiros.
    Provavelmente a médio/longo prazo uma mudança comece por aqui.
    Paciência é fundamental.

  109. Enéas Antonio Pires

    -

    03/01/2014 às 19:46

    Ainda é tempo de a polícia rodoviária criar vergonha na cara, tirar a bunda da cadeira e trabalhar, aplicando multa pesada e um esculacho histórico nesses malandros que fingem não saberem o que é civilidade ao trafegarem pelo acostamento em flagrante desrespeito para com as leis e com os motoristas que as respeitam!!!Trabalhem senhores policiais rodoviários!!!

  110. Simões

    -

    03/01/2014 às 19:45

    100 comentários,tirou todas as palavras de minha boca….Parabéns…

  111. rodrigo

    -

    03/01/2014 às 19:22

    O acostamento tem nome errado no Brasil. Ele também serve como pista de apoio para a chegada de policiais e ambulâncias, em caso de acidentes. Esse uso indiscriminado pode atrasar a liberação de pista por policiais, atrasando mais ainda a vida de todo mundo, e o pior, aumentar os danos sofridos por aquele que espera o resgate!

  112. Evandro Miranda Borem

    -

    03/01/2014 às 19:19

    Sendo repetitivo : A Crise é de Valores !

  113. Marco Rotta (@marcorotta)

    -

    03/01/2014 às 18:46

    Dia desses pensei em escrever sobre isto, mas com certeza não o teria feito melhor que o autor. Concordo 200% com os comentários e as críticas. Só não sou otimista em se/quando isto irá mudar. Penso que morrerei antes de ver um avanço na moral e na ética deste país torto.

  114. cida

    -

    03/01/2014 às 18:40

    Me senti como se estivesse escrito o artigo (sem nenhuma modéstia), pois em Florianópolis e área metropolitana, o retrato é o mesmo… às vezes nos sentimos com cara de idiotas ou marcianos por seguirmos as regras de trânsito que foram criadas para dá segurança aos motoristas e pedestres. Infelizmente, como poderemos ter políticos e instituições decentes se é do meio dessa população desrespeitosa que saem os representantes do povo??? Os corruptos não se tornam assim porque estão no poder, mas porque seu caráter já foi forjado na base, com os pequenos delitos do dia a dia que nós, brasileiros, toleramos como se fosse a coisa mais natural: furar filas, estacionar em local proibido, não dar o troco correto, etc. Nunca uma verdade foi tão absoluta: cada povo tem o governo que merece! E para os cidadãos de bem, mas que toleram as mazelas, só resta reclamar e sofrer com cara de otários!

  115. Heifetz

    -

    03/01/2014 às 18:13

    Nesse país é assim mesmo, outro dia fui no Shopping Iguatemi, frequentado principalmente pela alta classe de São Paulo e tinha um mulher de uns 30 anos de Prada e Louis Viton na fila de pessoas com necessidades especiais e crianças de colo, este último deveria ser o motivo pelo qual ela estava nessa fila. Enquanto ela trocava os cupons, as crianças dela faziam “estrelinha” entre as filas.

  116. Nilza

    -

    03/01/2014 às 17:04

    Maravilhoso artigo, pena que falta muito para que esta mentalidade mude :(

  117. Georgia

    -

    03/01/2014 às 17:04

    Eu também me sinto uma otária todas as vezes que faço uma viagem. Me recuso a pegar “atalhos” pelo acostamento e ainda sou ridicularizada por ser “certinha” demais. E ainda sou obrigada a ouvir que isso não é problema porque todo mundo faz.

  118. Diogo Hosp

    -

    03/01/2014 às 16:36

    Para alguns desinformados que comentaram por aqui: Acostamento não é “uma faixa vazia”, acostamento é uma área de serviço que não poder ser usada para transitar. É como se alguém transitasse pela faixa de estacionamento a direita de uma avenida engarrafada. Você que se acha esperto e usa o acostamento como via expressa, pode a qualquer dia se deparar com uma pessoa parada nela, de bicicleta ou até mesmo com um carro enguiçado. E a partir daí, você não está colocando só a sua vida em risco, mas a dos outros também. Eu, toda vez que estou em um engarrafamento, e vem esse monte de folgado cortando pelo acostamento e tenta entrar na minha frente, comigo não faz. E se fizer, vai ficar sem porta, retrovisor, paralama e até os dentes.

  119. Diogo Hosp

    -

    03/01/2014 às 16:27

    Ótimo artigo Rodrigo, parabéns.! Me senti dizendo as suas palavras, pois fico igualmente inconformado com essas situações. O trajeto que utilizo todo dia para o trabalho é exatamente esse da foto (Rodovia Niterói x Manilha, sentido Niterói na altura do supermercado Carrefour). E todos os dias é a mesma situação. Os pequenos delitos que vemos cada cidadão cometer refletem bem o nível político que temos no pais, é um querendo se dar bem sobre o outro. E no geral, todos se dão mal.

  120. Geraldo Magela

    -

    03/01/2014 às 16:17

    Essa é a realidade de hoje: Carros de mais, estradas de menos. O governo incentiva as industrias automobilíticas a produzir cada vez mais e facilita o crédito o máximo possível, mas em contrapartida não investe em estradas e nem na manutenção das que existem em péssimo estado. Pelo andar da carruagem vai chegar o momento que a fila de carros vai começar do ponto de partida ao ponto de chegada, simples assim.

  121. Fabio

    -

    03/01/2014 às 16:13

    Rodrigo, parabéns pela coluna. Infelizmente precisamos sim mudar a mentalidade do povo, visto os comentários postados. Triste realidade. Temos sim os governantes que merecemos.

  122. Luiz

    -

    03/01/2014 às 15:54

    Quarta-feira a noite a Fernão Dias no trecho entre Atibaia e Mairiporã era esse o retrato do transito, espertos usando o acostamento e em alta velocidade em relação ao fluxo do transito no momento.

  123. ilio borges de araujo

    -

    03/01/2014 às 15:17

    Parabéns pelo artigo Rodrigo, na verdade eu também me sinto assim, um otário, ora tenho vontade de jogar meu carro para o acostamento e impedir a passagem mas receio pelas agressões, ora ás vezes fico tentado a fazer o mesmo mas acabo nada fazendo a não ser ficar doente de raiva e indignação por não termos um policiamento que punam esses infratores.

  124. alberto

    -

    03/01/2014 às 15:07

    Pois é sou contra ter andar no acostamento, porem vemos por varias vezes na volta do feriado pistas como a imigrantes e Bandeirantes com placas, acostamento liberado.
    Deveríamos sim ter melhores condições nas estradas mais andar no acostamento não é algo tão desrespeitoso como se diz acima o problema são as pessoa que não querem correr o risco da multa que é bem salgada e concordam e ficar em horas no transito, não estou chamando vc que fica na fila de otário pois não estou te prejudicando estou apenas pensando em mim se a pratica que é adotada algumas vezes nesses dias caóticos de transito conseguiríamos reduzir o transito drasticamente criando essa faixa adicional temporaria

  125. Paulo

    -

    03/01/2014 às 14:51

    Pra começar, independente do local de destino, Angra, Guarujá entre muitos. vacina contra o trânsito tem que ser tomada 1 mês antes… transitar no acostamento é crime? não é passível de multa… que multa? não tem quem fiscalize… pensando bem temos o povo os certinhos os tidos como otários…sim e daí? temos isso em todas as camadas e diferentes situações, você otário hoje, é o espertão de amanhã… faltam vias decentes e quando se aproveitam uma faixa inútil reclamam. sente e chore, na verdade. choremos juntos

  126. Vanessa

    -

    03/01/2014 às 14:28

    Acho que deveríamos começar a filmar e fotografar essas atitudes e enviar para as mídias…não sei se resolveria alguma coisa… o Brasil está cheio de leis e convenções, mas falta gente pra cumprir e fiscalizar…

  127. -

    03/01/2014 às 14:25

    Desculpe, mas…

    “O homem indignado, ou quem está sempre dilacerando e rasgando a si mesmo (ou, em seu lugar, o mundo, Deus, a sociedade) com os próprios dentes, pode ser moralmente superior ao sátiro sorridente e satisfeito, mas em qualquer outro sentido ele é o caso mais comum, mais irrelevante, menos instrutivo. E ninguém mente tanto quanto o indignado”

    Poderíamos ser menos indignados e mais atuantes. Enquanto isso tanto faz ou não andar no acostamento.

  128. Paulo Matsui

    -

    03/01/2014 às 14:22

    É cultural. É totalmente enraizado e nunca vai mudar. Veja só, a nossa língua traz “esperto” e “malandro” como sinônimos de “desonesto”. Uma palavra elogiosa para uma atitude moralmente incorreta. Vai, Brasil!

  129. Maurino Carlos de Farias

    -

    03/01/2014 às 14:19

    Gostaria de incentivar uma campanha, cujo conteúdo fosse abraçado pelo poder legislativo, onde votasse-se uma lei, que limitasse em, no mínimo, duas pessoas, ocupando um veículo de passeio. O reflexo positivo dessa atitude seria simplesmente fantástico.

  130. márcio

    -

    03/01/2014 às 14:02

    Cadê a fiscalização? Mas é muito pertinente.Aquilo que vemos no trânsito é o resultado daquilo que encontramos em nossas empresas, em nossos políticos, em nossos líderes, em nosso lixo de sociedade.

  131. Joao Gomes

    -

    03/01/2014 às 13:59

    Uma vez eu fui descer de São Paulo para o litoral e já haviam se passados 3 horas e não tínhamos andado nem 5 km.
    Meu carro ia acabar a gasolina então quando chegou em trechos que haviam acostamento eu fui obrigado a sair igual louco para poder chegar em um posto e abastecer, senão eu ia ficar ali no meio da serra.
    As vezes é necessário, mais a maioria da galera faz na malandragem mesmo.

  132. André Pinto

    -

    03/01/2014 às 13:51

    Seu texto é reflexo do que acontece diariamente no ES: https://www.facebook.com/OMotoristaCapixaba

  133. Elder

    -

    03/01/2014 às 13:51

    Andar no acostamento, mudar de faixa e fazer outras manobras sem sinalizar com a seta (ou o pisca como é chamado em alguns locais do imenso Brasil), andar colado ‘empurrando’ o carro que está da frente forçando passagem, etc etc… estão entre as mais grotescas e comuns atitudes de falta de educação e desrespeito ao próximo no trânsito em geral. MAS é preciso reforçar que não se trata exclusivamente de falta de fiscalização!!! O que é isso? Será preciso colocar um policial a cada kilômetro de estrada ou colocar um policial em cada esquina nas cidades para fazer com que o brasileiro simplesmente respeite a lei? Respeite a sinalização? Respeite o próximo?
    Fiscalização CUSTA DINHEIRO… Em qual país do mundo tem tanta ‘fiscalização’? Qual país do mundo pode se dar ao luxo de pagar cidadàos para ficar vigiando outros cidadãos como se fosse uma babá cuidando de uma criança? Simplesmente NENHUM.
    Fiscalização é mão-de-obra cara, é como se fosse uma babá que estamos pagando com nossos recursos simplesmente para vigiar um cidadão ADULTO, um semelhante a nós . Adulto não precisaria de babá.

  134. Adriano Fachiolli

    -

    03/01/2014 às 13:36

    Certa vez, indo de Arraial do Cabo para Saquarema, me deparei com uma cena inusitada. Eu estava atrás de dois carros e um ônibus. O veículo atrás do meu jogou para a esquerda para ultrapassar todos pela contramão. O veículo que vinha atrás do que jogou, foi lá no ACOSTAMENTO DA CONTRAMÃO para passar todos e o que estava em manobra de ultrapassagem. Esse pessoal do RJ é completamente sem noção. Reflexo do espírito malandro deles.

  135. Felipe De Paula

    -

    03/01/2014 às 13:34

    Caro leitores, realmente é triste saber dessa situação feita em todos os comentários sitadas sobre educação,cidadania e respeito.
    Mas certo dia num feriado prolongado uma viagem de 3 horas eu gastei 8 horas com uma criança de 1 ano dentro do carro.
    Sei que é errado pegar acostamento ,mas devidas as circunstancia foi obrigado, e todo esse transito causado por uma obra no trecho da serra do cafezal na rodovia Regis Bitencourt .

  136. Eny passini

    -

    03/01/2014 às 13:18

    Falou tudo. O Governo eh o espelho da populaçao.O brasileiro de um modo geral quer levar vantagem em tudo.Nos os honestos somos chamados de trouxas.Tambem com o inicio que teve o Brasil,so podia dar nisso. Veio para ca a Corte, parasita e os maiores bandidos de Portugual.

  137. Antônio Bernardo

    -

    03/01/2014 às 13:06

    Concordo plenamente com o F.P. “O problema é o caos instalado na sociedade, de cima para baixo. Esse e outros exemplos são apenas consequências de um país caoticamente administrado, em praticamente toda a sua história.” Em praticamente não, digo eu, em TODA a sua história. Os políticos criam premeditadamente as leis e suas brechas, já contando que precisarão delas, pois é certo, latente, histórico que, mais cedo ou mais tarde, precisarão de subterfúgios para se safar das punições por suas canalhices. É necessário para eles, impingir a desonestidade, a falta de ética e de respeito no consciente coletivo porque assim a cobrança é menor. E desse modo, eis que se cria uma sociedade doente, caótica, podre…Não esperemos que um dia o consciente coletivo vá por si só tomar as rédeas da situação porque isso é impossível. Se fosse possível todos administrarem juntos ao mesmo tempo, não seria preciso optar por este ou aquele e colocá-lo à frente. Tem que haver apenas “um” no comando, ou seja, o líder, e tudo dependerá do poder que lhe foi atribuído e da forma como esse poder será utilizado. O que seria de qualquer ser animal, enquanto filho se não fossem os seus “líderes”(os pais, no caso)? Para lhe dizer o que é certo ou errado? Para felicitá-lo quando acertar, mostrando que assim a família viverá em harmonia ou puni-lo, mostrando que ali tem comando e que deve haver respeito com quem ou com o que se convive? Se não for assim, cria-se a desorganização, a bagunça, a baderna, surge o caos. E há um problema maior ainda, acostumar-se, conformar-se com o caos. E parece que essa lição o brasileiro vem aprendendo direitinho… É lógico, não é?!…Temos excelentes professores lá em cima!!!

  138. Maria MG

    -

    03/01/2014 às 13:05

    Rodrigo, concordo absolutamente com tudo o que você disse e acrescento: se você visse as estradinhas de asfalto que existem no interiorzão de Minas… nunca, jamais, em tempo algum, fizeram acostamento. É vai e vem no maior perigo do mundo. No final, nós ainda agradecemos de ter nos livrado do barro e da poeira das estradas de chão. Mas esses asfaltos são todos frutos de obras eleitoreiras. Passam 4 ou 5 anos, tem que recapear, consertar, tapar buracos, pintar tudo de novo, a cada eleição. Mas o tal do acostamento, nem pensar! A educação do povo é péssima mesmo, todo mundo quer fazer valer a lei do Gérson, do jeitinho brasileiro ou do espertinho malandro Mr. Bean, mas ainda pior que isso (se é possível), são todos esses políticos inacreditavelmente enganadores, ladrões, safados, caras-de-pau, etc. Estamos perdidos, hein, Rodrigo?!

  139. sonia

    -

    03/01/2014 às 12:47

    Acho que cada um deveria cuidar da sua vida,isso sim!porque quem trafega no acostamento ja esta correndo e assumindo o risco de tomar uma enorme multa e muitooooo piorrrr matar ou machucar alguem!babaca mesmo é o cara q fica jogando o carro em cima de quem resolve trafegar no acostamento!!!agora vao sair por ai querendo educar todo mundo no transito?Esse negocio de ficar querendo mostrar que esta certo e o outro esta errado so serve p gerar brigas e ate mortes banais

  140. MIchel Herrera

    -

    03/01/2014 às 12:33

    Em sp as faixas exclusivas de onibus são uma piada!!!
    Tem que botar câmera e multar todo mundo!!!!!
    Depois vem gente falando ah que é industria da multa que querem só dinheiro.
    Infelizmente Brasileiro só aprende assim! na marra e tomando multa!

  141. Ademir de Almeida

    -

    03/01/2014 às 12:32

    A falta de educação é grande, e o pior que uns que você não deixa entrar,xinga, e ainda te mostra a arma, e não tem policiamento para investigar, se você bobear, vira uma cenário de guerra,perincipalmente aqui em São Paulo a “educação e o respeito as leis de transito é grande,”

  142. Fabio

    -

    03/01/2014 às 12:30

    Realmente lastimável,na minha opinião estamos bem perdidos,leve em consideração “todos”,á os que só reclamam mas não podem fazer nada,tem os espertos que não estão nem ai pra quem reclama,e tem os que podem mudar mas não se interessam,porque se não não lucram.Então resumindo “Lost”

  143. Aylton Guimarães Marinho

    -

    03/01/2014 às 12:25

    Voltando da Barra da tijuca, agora a pouco a situação é a mesma. E pasmem do que ouvi na praia. Pessoas assistiram guardas municipais a paisana multando carros, se escondendo com qual propósito, e porque. Ai me pergunto o que estão ganhando com isso. Se o motorista está errado porque se esconder para multar. A matéria da VEJA é ótima. Agora experimenta fazer uma experiência na Ponte Rio Niteroi. Vai dar calafrios.

  144. alvaro

    -

    03/01/2014 às 12:20

    coloque o carro metade na pista metade no acostamento, assim não terá espaço para espertinhos.

  145. Pássaro

    -

    03/01/2014 às 12:17

    A educação é a base de tudo.Com educação você(o povo)consegue saúde melhor,segurança melhor,transporte melhor,em síntese,tudo melhor.Até votar o povo aprende,elegendo políticos sérios,pois com educação,tambem haverá justiça melhor.

  146. Clério Beatto

    -

    03/01/2014 às 12:15

    “um povo que de certa forma merece os desgovernos que tem tido sucessivamente” … não pode generalizar, faltou dizer que a grande maioria respeita, nem todo brasileiro é mal-educado.

  147. Luiz Nascimento

    -

    03/01/2014 às 12:00

    Isso, Renato Vieira e Aureliano, se chama, de uma forma ou outra, educar! Educar é um processo coercitivo, inicialmente, ao menos. Ao fazerem o que vocês dizem fazer, colocam suas vidas em risco (não é verdade?), mas seja por sua própria indignação ou para educar a sociedade, estão ajudando. Eu fazia isso há alguns anos na pista do Lago Sul, quando lá morava. E muitos o faziam, de forma que os infratores eram impedidos e envergonhados. Assim,essa prática foi extinta na época. O que digo é que é preciso nossa participação para que as coisas mudem mas, nesta época de permissividades…sei não!

  148. tarciso

    -

    03/01/2014 às 11:59

    E só colocar policiamento e teremos no próximo ano um acostamento livre!

  149. Ricardo

    -

    03/01/2014 às 11:54

    Será que alguém sabe onde este tal Lucas Vila mora? Será que existem moradores de rua por lá? Será que eles gostariam de saber que o papel que garante ao Lucas a propriedade de sua residência não precisa ser respeitado, caso discordem? Ser revolucionário só com o que é conveniente é muito fácil…

  150. Andrews Clements

    -

    03/01/2014 às 11:51

    Existem alguns tipos de pessoas, exemplo pelo transporte coletivo.

    1. Aqueles que dão lugar pros idosos/gestantes/deficientes independente do banco que estão sentados.
    2. Aqueles que só dão lugar pros idosos/gestantes/deficientes se estiverem sentados nos bancos a eles destinados.
    3. Aqueles que não dão lugar pros idosos/gestantes/deficientes mesmo quando estão sentados nos bancos a eles destinados.

    Ou seja, existem os que tem civilidade, os que só sabem respeitar “as regras” e os que nem isso aprenderam.

    Notem que se todos tivessem civilidade, não seria necessário ter regras e se ao menos todos respeitassem as regras não seria necessário ter punições.

    Aqui no nosso país temos normas/leis pra tudo, mas só punem o que acham viável e arrecadatório.

  151. Ygor Alberto

    -

    03/01/2014 às 11:44

    Só não precisa “endeusar” os americanos, tem muita coisa lá bem pior que aqui.
    Tomá-los como alvo de desenvolvimento e evolução só se aplica em alguns pontos.

  152. José Herminio

    -

    03/01/2014 às 11:43

    É geral, no Brasil todo. Vai ser muito difícil educar esse povo.

  153. Sidao

    -

    03/01/2014 às 11:42

    Perfeito esse texto! Parabéns!

  154. Bernardo Augusto da Silveira

    -

    03/01/2014 às 11:40

    Não se esqueça senhor, que este paraíso é no Rio de Janeiro, maior ralo de dinheiro público deste país!!

  155. Odair

    -

    03/01/2014 às 11:40

    Certa vez bloqueei o caminho destes idiotas evitando que passassem, se reuniram em uns 8, estava com a família…..tive que recuar. è esse país de merda que vivemos.

  156. Adriano

    -

    03/01/2014 às 11:29

    Brasileiro é mal educado por excelência…, em tudo…
    Daí tem destes mal educados que dizem que somos povo acolhedor…, sempre pra cima…, que luta sempre…, etc…, etc…, vivemos num país de mal educados…, coisa de berço…, não é escola que resolve…

  157. Teclando Direito

    -

    03/01/2014 às 11:28

    Bandidos jogaram pedra no carro dos meus pais na rodovia dos Imigrantes (liga a baixada santista a São Paulo), em plena luz do dia, agora no fim de 2013. Policiamento zero! Governos de esquerda detestam a punição porque ela é o outro lado da moeda chamada meritocracia. Prejudicam quem é correto e não punem quem é incorreto. A maioria dos brasileiros, que são pessoas de bem, precisam entender isto.

  158. Sérgio Ferreira dos Santos Neto

    -

    03/01/2014 às 11:26

    Enquanto não cumprirmos as leis voluntariamente seremos compulsoriamente atrasados!

  159. José Clovis da Silva

    -

    03/01/2014 às 11:16

    É a educação do povo que prima por levar vantagem sempre, e reclama dos políticos que não é nada menos que um reflexo do povo.

  160. Leonardo

    -

    03/01/2014 às 11:14

    Texto perfeito! Passei por algo idêntico ontem na fila da balsa Guarujá-Santos ao voltar da praia, foram duas horas de fila e me via obrigado a assistir dezenas de carros furarem a fila, você já está na fila há mais de uma hora e um malandro vem e fura a fila lá na frente, é revoltante.
    São as mesmas pessoas que amanhã reclamam do governo, penso eu, são só políticos sem cargo, agem da mesma forma, querendo obter vantagem.

  161. priscila

    -

    03/01/2014 às 11:12

    Atire a primeira pedra….

  162. Leo

    -

    03/01/2014 às 10:30

    Ahhh pera lá, tu acha que vou ficar parado numa fila sendo que posso cortar geral pelo acostamento?? A unica preocupaçao e ver se nao tem policia no acostamento, o resto furo mesmo. Fila pra entrar em casa de show, shopping. Chego numa festa e ta aquela fila enorme, uma zona de organização eu furo mesmo, vou ficar horas ali fora se posso furar e entrar em apenas 10 minutos.
    Comento: eis um que se acha malandro e não percebe que ajuda a criar um país de otários…

  163. LIDIO JORGE

    -

    02/01/2014 às 23:41

    Eu li vários comentários e quase todos ficam falando a mesma coisa, a diferença está na colocação das palavras. Eu só peço que aqueles que defendem os espertinhos que andam no acostamento, se imaginem apenas por 2 minutos que alguém de sua família teve um acidente grave lá na frente, e o caminhão dos bombeiros, o resgate do SAMU, não consegue chegar lá porque o acostamento está totalmente cheio de malandros espertos que querem se dar bem, ou teve um arrastão e a polícia não pode chegar pois não tem pista para avançar. Só pensem nisso.

  164. Aureliano

    -

    02/01/2014 às 17:03

    RENATO VIEIRA – 30/12/2013 às 17:45, aqui na Capital Federal faço o mesmo no trânsito, “colo” no carro da frente. Malandro não entra na minha frente nunca!

  165. Aureliano

    -

    02/01/2014 às 16:54

    Aqui em Brasília a falta de educação é latente não somente no trânsito, mas em todos os lugares. O brasiliense é muito mal-educado!

  166. Sergio Cora

    -

    02/01/2014 às 14:43

    Acho que os que se incomodam com o tumultuo, poderiam ficar trabalhando por um pais melhor . . . . não acha? Um dos motivos disso tudo , é que “você” esta ocupando o espaço de um “turista com dólares”. Então vai trabalhar . . . . . . com pode um país como o nosso para por 15 dias?
    E quanto aos erros do português . . . pouco me importa onde o cara nasceu.. . . . . falei !

  167. sergio davila

    -

    02/01/2014 às 14:25

    concordo plenamente com o seu pensamento, é assim que eu me sinto por cumprir as leis.

  168. Otavio

    -

    02/01/2014 às 1:09

    Lucas, esse discurso deturpado de “revolucionário” não passa de um esforço em vão de tentar justificar a malandragem. Essa geralmente é a visão de pessoas que recorrem ao “jeitinho brasileiro” pra resolver outros “problemas”, como furar filas, estacionar em vaga de idosos/deficientes, sonegar impostos, entre outros. O que é errado é errado, não importa o quanto se tente argumentar. Concordo que muitas leis e procedimentos neste país são absurdos, mas se todo cidadão começasse a desrespeitar as regras com as quais não concorda, o país viraria um caos. Se a sociedade julga uma lei ou procedimento como sendo inadequado, ela deve iniciar uma campanha para modificar ou abolir tais regras, e não desrespeitá-las conforme sua própria conveniência.

  169. Iucas rilho

    -

    02/01/2014 às 0:22

    Pois bem. Estava em orlando 3 semanas atras.
    Comi algo no mc donalds.

    Percebi um casal porco que deixou tudo sujo do lado. Eram brasileiros do RJ.
    So posso ter vergonha e achar que os eua estao precisando mesmo de turistas pra aceitar aqueles porcalhoes.

  170. Daniel

    -

    01/01/2014 às 22:42

    Neste caso, “de mais” é o certo

  171. nara sato

    -

    01/01/2014 às 13:45

    o gigante nao esta adormecido,so finge estar, para nao precisar fazer nada..

  172. Vinícius

    -

    31/12/2013 às 19:27

    Creio que na última frase do texto, bem como no título, o “demais” deveria ser separado.

  173. UBT

    -

    31/12/2013 às 19:01

    Nosso país tá tão perdido que aparecem os infratores que andam em acostamentos e se justificam porque fazem isso, absurdo, mas refletindo um pouco, termina eles tendo razão, no Brasil é cada um por si e deus por todos, e só mudará caso exista uma grande revolução com muito banho de sangue, e ai, alguém está disposto a começar?

  174. Sergio

    -

    31/12/2013 às 15:41

    O Brazil é uma merda em educação por que TODO brazileiro é uma merda!

  175. Wagner

    -

    31/12/2013 às 13:41

    Antigamente eu até achava que um dia teríamos a solução… O problema é bem mais crônico do que parece. Infelizmente ninguém (e eu me incluo nisto) está interessado em realmente mudar a realizada brasileira. Em parar, protestar e cobrar o que realmente é o certo.
    Pra mim, é mais fácil ir embora pra o lugar onde realmente as coisas funcionam…

  176. J.H.Thomas

    -

    31/12/2013 às 10:50

    É mais ou menos isto e um pouco mais. A poucos dias em viagem um malandro numa moto em uma BR me obrigou a parar ao meio dia me fez encostar com todo o transito e me assaltou na frente de vários carros e nimguém fez nada e eu dei graças a Deus por sair vivo. Estamos numa selva sem dono e sem piedade. Nossos governantes são bem piores que esses assaltantes.

  177. Everaldo

    -

    31/12/2013 às 10:49

    perfeita matéria.. meu comentário é: realmente um bom governo começa com um bom povo

  178. Paulo Rabha

    -

    31/12/2013 às 8:33

    Trafego na Rio-Santos duas vezes por semana. E infelizmente, isso é uma constante. Já seria muito triste saber que isso acontece aqui, mas é retrato da educação do motorista brasileiro.
    Quanto a fiscalização, volto a dizer, essa estrada para mim é rotina. E se passo por uma ou duas fiscalizações da polícia por ano, é muito…

  179. Felipe

    -

    31/12/2013 às 0:46

    Texto perfeito, acertou na mosca.

  180. Antonio

    -

    30/12/2013 às 22:16

    Podem ter certeza que esses “idiotas” que fazem esse tipo de coisa são os mesmos que reclamam do descalabro do governo, da corrupção, da falta de respeito com o povo, etc… Mas agem dessa forma, querendo levar vantagem, se achando os “espertões” pq deixaram os “babacas” na fila e chegaram antes. “Eu sou o máximo” acham eles. Bando de ignorantes…

  181. Zé da Silva

    -

    30/12/2013 às 20:21

    Classe média sofre.

  182. Alexandre

    -

    30/12/2013 às 20:11

    Lucas e Rebeca, estou torcendo para que vocês não sofram acidentes e a ambulancia não consiga chegar ao local pois vão ter “Lucas e Rebecas” transitando no acostamento.

  183. F.P.

    -

    30/12/2013 às 19:52

    É um bom texto, mas minha opinião é contrária ao texto e à maioria dos comentários abaixo. O problema não é falta de educação. O problema não é falta de cidadania. O problema não são as pessoas. O problema é o caos instalado na sociedade, de cima para baixo. Esse e outros exemplos são apenas consequências de um país caoticamente administrado, em praticamente toda a sua história. A causalidade é, sob meu ponto de vista, invertida do que o texto e os comentários defendem. A idéia de que O POVO é causa de sua própria desgraça é defendida pelos mais conservadores setores sociais, e amplamente disseminado pela mídia com fins de manipulação. O governo junta as pessoas numa sala, joga uns pedaços de pão, coloca numa lei que é pra dividir igual, e o resto é cada um por si… é isso que acontece em tudo nesse país. E uns ainda brigam com outros porquê exigem pensamento racional para cumprir a lei e dividir o pão. Não há racionalidade a se discutir em meio às situações lamentáveis do dia a dia que passamos. Não mudaremos o país cumprindo as leis. Elas não são criadas para mudar o país, apenas para impor algum tipo de “ordem” dentro do caos. E nessa história, passamos a ser inimigos uns dos outros, brigamos uns com os outros, taxamos uns aos outros… enquanto os que dominam esse país dão risada dessa situação toda.

  184. Francisco Assuncao

    -

    30/12/2013 às 19:32

    Estou com voce, caro Rodrigo Constantino.

  185. Rafael

    -

    30/12/2013 às 18:26

    No feriado de 15 de novembro que levei 8 horas pra voltar de Ilhabela, tive uma percepção interessante observando os mais “espertos”: não vi um único carro sequer de 100 mil reais ou mais que não foi pro acostamento. Comentei isso com minha esposa ao lado. A impressão que tenho é que a maioria das pessoas que tem condições financeiras de comprar um carro caro neste país acham que as leis não se aplicam à eles.

  186. RENATO VIEIRA

    -

    30/12/2013 às 17:45

    Fiz o trajeto Barra/Centro do Rio durante 12 anos. no reorno, no Lagoa/Barra, em São Conrado, era comum encontrar esses espertos. Não pensava duas vezes… Mantinha minha posição na fila, só que seguindo pelo acostamento. Ninguém ultrapassava pela direita. Os demais motoristas entendiam a “contra esperteza” e seguravam minha posição, evitando que o espaço fosse ocupado. Faróis piscando, buzinas nervosas, lembranças de minha mãe e ameaças violentas não me faziam mudar o trajeto. Confesso que foi uma experiência muito boa. Não me senti mais um otário e respeitei os demais, fazendo serem respeitados também.

  187. Flávio Biasi Torres de Almeida

    -

    30/12/2013 às 17:05

    Simplesmente magnífico!!!! É o q você falou nós brasileiros ao mesmo tempo que somos até graduados em diversos níveis de estudo somos analfabetos na educação coletiva e cidadã!!!

  188. Marcolino

    -

    30/12/2013 às 16:34

    Concordo em gênero numero e grau com “glenio santos”, sempre falei q precisamos de leis mais duras. a única forma de mudar é assim. cada vez mais desanimado com nosso povo…

    “glenio santos
    -

    30/12/2013 às 13:32

    Não existe povo naturalmente educado em lugar nenhum do mundo. Existem povos bem fiscalizados e punidos por seus erros. Sem fiscalização e punição, qualquer povo tende a abusar.”

  189. Fabio

    -

    30/12/2013 às 15:32

    Eu já presenciei inúmeras vezes em rodovias
    Quando a obras a utilização do acostamento. Qual
    A diferença? Acredito que seja muito mais perigoso
    Quando a justiceiros como alguns aqui nos comentários
    Que jogam seus carros em meia via bloqueando
    A passagem do acostamento. O ideal seria não precisar
    Utilizar este recurso, mais nossos governantes não
    Conseguem resolver coisas de primeiras necessidades
    Como saúde, fome e educação. Que irá dizer sobre este
    Caso. E mesmo que chegue a educação de transito. A
    Atitudes muito mais perigosas que esta. Quando vejo carros
    No acostamento eu não vejo como espertos e sim como um
    A menos na via. E não sou hipócrita, quando estou trabalhando
    Ou atrasado utilizo o acostamento e quando alguém
    Precisa tomar de novo a via. Eu espero e dou passagem assim
    Não prejudico nem o motorista e nem o transito.

  190. glenio santos

    -

    30/12/2013 às 13:32

    Não existe povo naturalmente educado em lugar nenhum do mundo. Existem povos bem fiscalizados e punidos por seus erros. Sem fiscalização e punição, qualquer povo tende a abusar.

  191. Alana

    -

    30/12/2013 às 12:52

    Malandros de mais e otários de menos, é dessa forma que vejo o nosso país também, somos minorias no meio de um bando de espertos, pessoas querendo “se dar bem” o tempo todo, burlam as leis e acham q estão certas, onde moro num programa governamental de moradias, não podemos vender ou alugar nossos imóveis por 10 anos, mas os espertos que compraram para investir querem alugar a todo custo e acham q estão certos, país de bandidos de gente safada esse Brasil.

  192. José Roberto Tavares

    -

    30/12/2013 às 12:17

    O governo de esquerda vem trabalhando no emburrecimento do povo a mais de 3 decadas, o resultado é surpreendente. Temos de fato o povo mais sem educação e sem princípios éticos do planeta. A mídia está ai a serviço do governo para tal. Vejam as novelas da globo, o Félix é o simbolo disso! Ser homossexual é normal, jogar crianças na caçamba de lixo é normal, matar para se dar bem é normal, enfim são os valores que esse governo nojento está passando. Onde estão os pais de família que tínhamos a 30 anos atrás, onde haviam regras éticas e morais. Sou um dinossauro que está agonizando nesse mundo ridículo sem senso de vergonha e de ética moral. Tenho muita pena dos meus netos viverem nessa país sem presente e sem futuro.

  193. Jose Alcides Machado

    -

    30/12/2013 às 12:14

    Juliana, concordo integralmente com o que diz. Falta policiamento nas estradas, não se vê um policial em dezenas de km. MAS ESTA SITUAÇÃO É FAVORAVEL AOS GOVERNANTES QUE QUEREM ACABAR COM AS PMs e FFAAs e criar milicias partidarias. Li, há pouco, noticia de que nas FFMM ganha-se muito, inclusive com pensões para filhas de militares falecido. Isto é uma vdd, mas é preciso dizer que são leis estabelecidas por políticos que, qd no poder, deveriam legislar em favor da coletividade e não em proveito proprio.

  194. José Roberto Tavares

    -

    30/12/2013 às 12:04

    O Brasileiro não tem educação.
    O Brasileiro não tem educação.
    O Brasileiro não tem educação.
    O Brasileiro não tem educação.
    O Brasileiro não tem educação.
    Isso pode ser repetido milhares de vezes e mesmo assim o povo Brasileiro não vai mudar. O brasileiro é educado para ser malandro, furar a fila, levar vantagem em tudo… Mas não percebe que é o mais idiota e medíocre dos povos. Facilmente pode se perceber isto, basta verificar o nível de educação acadêmica do povo, um povo que não conhece a própria língua. Veja quem está no poder, ignorantes e corruptos estão fazendo as leis Brasileiras. Temos a maior carga tributária do mundo, as piores estradas, os piores meios de transportes coletivos, os piores hospitais, a pior assistência médica tanto pública quanto privada. A maior riqueza hidroelétrica do mundo e a conta de luz mais cara. A maior riqueza Aqüífero Guarani e a conta de água mais cara do mundo, Cerca de 91% da produção mundial do nióbio é do Brasil só isso o tornaria o país mais rico do mundo e o povo malandro nem sabe o que isso significa. Poderia numerar nossas riquezas em relação ao resto do mundo mas prefiro destacar apenas a maior pobreza de todas, nosso povo sem educação e sem cultura que esse governo fascista mantem a todo custo ignorante perpétuo.

  195. Londry Turra

    -

    30/12/2013 às 11:15

    Eu lamento tudo isso e sobremaneira a falta de educação que você, eu, todos nós presenciamos todos os dias. Só um adendo: esse pessoal que não se conforma e usa o acostamento, na verdade, está usando uma terceira pista que seus impostos estão financiando e não existe. Essa não conformidade com a fila de gado é a forma anárquica que o brasileiro lança mão, só que, infelizmente, viola as leis de trânsito e ameça a vida dos outros. Só que quem realmente faz isso, é esse governo anacrônico e irresponsável, que deu uma ré de 30 anos no nosso país. Mesmo entregando às concessões, eles ao invés de ampliar as estradas e dar vazão à essa insustentável frota, para rentabilizar as operações, enchem de radares antes das curvas, ao invés de dar-lhes a devida inclinação, porque é melhor e mais barato ameaçar com o caça-níquel do que melhorar a segurança ou atender os acidentes.
    Rodrigo, você tem muitas razões no seu artigo, mas por favor, alivie para o estado de consciência e civilidade do brasileiro médido e pese a mão no teclado sobre a ausência de consciência do nosso governo, que pouco está se lixando se morre gente tentando chegar à praia.

  196. Claudia Buzak

    -

    30/12/2013 às 9:50

    Falou tudo que eu penso a todo dia,a cada ultrapassagem,fechada que levo de automóvel,ônibus,ou mesmo andando nas ruas em que as pessoas se esbarram sem pedir desculpas,e outras com seus headphones e olhares indiferentes,jogando lixo da janela de um carro ou de sua residencia,que sempre estão certas ao atropelarem alguem porque este passava a sua frente/ou a bicicleta que se joga no meio da avenida sem o menor amor a própria vida ,e o ônibus que sem predão o lança longe,e o policial apenas olha sem parar de tomar o seu café da manhã e porque a cena é tão comum(!?)e o futuro um orfanato social….

  197. Nelson

    -

    30/12/2013 às 5:30

    Lei não adianta absolutamente nada só no papel. Lei não adianta nada se não for fiscalizada e punidos os infratores. As leis no Brasil são uma piada, e de trânsito mais ainda, ninguém respeita, ninguém fiscaliza e ninguém pune. Não adianta fiscalizar em um ponto da cidade, pois em todos os outros a lei estará sendo descumprida. A coisa deveria ser distribuída, como a polícia (deveria ser também). Mas pra completar o belo cenário brasileiro a “punição” vai acabar na justiça onde ficará por anos com recurso atrás de recurso, embargo atrás de embargo, agravo atrás de agravo. Não reclamando dos instrumentos legais, mas da total ineficiência da justiça brasileira que pune poucos, pune mau e demora.

  198. Yuri

    -

    30/12/2013 às 3:58

    Cara, eu bloqueio o acostamento quando isso acontece. Praticamente saio da pista e coloco mais da metade do carro no acostamento para segurar os espertinhos. Já fiz isso e outros motoristas repetiram. Claro que ouvi muito xingo e buzinada – alguns podem achar perigoso, mas não dá pra ficar vendo sem fazer nada.

  199. cilene

    -

    30/12/2013 às 2:40

    Perfeito!!!!

  200. Valmir

    -

    30/12/2013 às 2:02

    Cada vez mais me convenço de que temos exatamente o governo que merecemos. Um povo que não é capaz de seguir as regras mais básicas de convivência coletiva, realmente merece ser tratado como idiota pelos governos.
    Chega ao absurdo alguns argumentos defendendo o que é indefensável. Alguns acham até que a lei só deve ser respeitada quando se concorda com ela, o que, na boa: é ridículo; de dar risadas.

  201. rafael

    -

    29/12/2013 às 23:25

    Também reflito sobre essas questões e acho inclusive mais seguro ultrapassagens pelo acostamento desde que tenha um e seja em retas. Quantas mortes seriam evitadas se houvessem acostamentos, faixas duplas triplas etc. Coletivo é importante sempre, mas vai dizer isso pra quem gasta o dinheiro publico (nossos políticos e funcionarios publicos). Está tudo errado. Mudem a historia sobre sistema rodoviário e convertam 100 anos de investimentos errado em ferrovias e trens bala. Brasil lixo de administração publica. Não me venha com sermão de certinho nos eua e errados aqui. Tudo depende das condições, o que se aplica lá pode nao ser aplicável aqui. Nunca achei otário quem permanece na fila, é até mais cômodo.

  202. Paola Bracho

    -

    29/12/2013 às 17:24

    Lucas e Rebeca
    Lamentavel mentes pequenas como as suas.
    Coletivo e maior aue pessoal

  203. Marcelo

    -

    29/12/2013 às 16:51

    Rodrigo, não discordo de uma só palavra que você escreveu. Sempre que posso, coloco o meu carro metade na pista, outra metade no acostamento para impedir esses “espertinhos” de me passarem. Minha indignação com essas malandragens é demais e eu não tolero essa péssima cultura da malandragem que assola nosso país. Costumo dizer que essa gente, quanto mais esperta pensa que é, mais ignorante e burra na verdade é. Abraços

  204. marco Aurelio

    -

    29/12/2013 às 16:39

    O pior de tudo isso é que para as próximas eleições, seja quem for o presidente eleito “por este sábio povo brasileiro”, que acha o máximo ter direito a vale gaz, vale geladeira, vale luz, vale alimentação, vale motel, vale desemprego, etc… o palacio e o senado, continuarão
    cheirando a “mofo”.

  205. louchas

    -

    29/12/2013 às 15:25

    Essa rebeca é uma anta, vai pra Argentina!! Tomara q ela pare no acostamento com os 4 pneus furados em um congestionamento deste

  206. Dayvison Hilário

    -

    29/12/2013 às 14:41

    Quem discorda da essência idealista do texto é culpado, cúmplice e um verdadeiro imbecil e medíocre morador de país de terceiro mundo!

  207. Denis

    -

    29/12/2013 às 14:38

    Quem se sente otário quando vê alguém trafegando pelo acostamento durante um engarrafamento está coberto de razão. Queridos motoristas seguidores da lei, se vocês querem dar exemplo de cidadania fiquem dentro de seus carros parados observando as pessoas caminhando do lado de fora. Mas dizer que quem anda no acostamento está colocando a vida das pessoas em risco é delírio. Talvez o autor desta matéria, ao impedir que um carro retorne à pista esteja colocando em risco a vida de uma grávida em trabalho de parto que vinha pelo acostamento, ou de uma criança que precise de antedimento médico com urgência. Isso sim é colocar as pessoas em risco. Geralmente esse tipo de cidadão (que acha que serve de exemplo e cobra que todos sejam iguaizinhos à ele) é o mesmo que ocupa a faixa da esquerda e não dá passagem quando um veículo em velocidade mais alta se aproxima. Marionetes que não seguem pensar fora da caixinha.

  208. Abrao Jr

    -

    29/12/2013 às 14:06

    Dois comentários, e vou excetuar o governo desta vez: primeiro, infelizmente não há como rebater Charles De Gaulle, não há seriedade; segundo: dou grande crédito ao que está ali postado, mas este crédito se esmaece quando se vê quem patrocina a página, De Gaulle volta à cena, a lei do jeitinho (Gerson foi vítima) prevalece. Gandhi nos acuda: “Seja você a mudança que quer ver”

  209. Amauri Outuky

    -

    29/12/2013 às 13:29

    É inacreditável que não tenha nenhuma viatura ou agente rodoviário para fiscalizar isso! E por incrível que pareça, nos dias mais movimentados da rodovias. Será que o efetivo das polícias rodoviárias estaduais e federais é tão pequeno assim, ou simplesmente eles fazem vista grossa para esses mal educados?

  210. Carlos Alberto

    -

    29/12/2013 às 13:20

    Os que eram crianças ontem estão imitando os seus pais hoje. Os filhos de hoje vão imitar os pais amanhã. Simples assim. Há um shopping em Blumenau que deve ter umas 100 vagas especiais. Eu vou lá umas 3 vezes por semana, pois há um supermercado dentro. Essas vagas estão quase todas tomadas. Tem até carro rebaixado. Eu vejo a pessoa chegando e parando ou saindo como se nada de errado estivesse acontecendo, sendo que a alguns passos há inúmeras vagas normais livres. E os filhos estão junto, aprendendo com o exemplo. Eu já parei sem perceber em vagas especiais, mas quando me dei conta, voltei ao carro e parei em outra vaga. Mas não é só isso, há inúmeras outras coisas que podemos estar fazendo e que nossos filhos também farão. Comprar cd pirata, trambicar a declaração de IRPF, dar uma grana para o guarda, etc. Se nós fizermos, nossos filhos herdarão a mesma índole. O problema é que, o que nós fazemos e não achamos errado, nós damos algum nome bonitinho e justificamos. O que temos que pensar é, o errado sempre será errado, mesmo que todos façam; o certo sempre será certo, mesmo que só eu faça. É uma vida baseada em princípios. Eu persigo esse alvo.

  211. Carioca32

    -

    29/12/2013 às 0:51

    Triste sua colocação, Lucas, pior ainda quem concorda. É a típica mentalidade “farinha pouca meu pirão primeiro”. O cara que trafega no acostamento volta para a pista sempre que não há mais acostamento, como em túneis, pontes e viadutos, ou quando há obstruções. Quando ele faz isso, ele prejudica o tráfego de todos os outros veículos, mas os “Lucas” da vida não estão nem aí, eles são parte do problema mas desde que estejam se dando bem, pouco se importam. É exatamente este o ponto do artigo. Será que nessas republiquetas como Alemanha, Japão ou Austrália alguém trafega no acostamento? será que alguém precisa desenhar pra eles por que é errado? Gente como os “Lucas” nunca vai entender que se dar bem em cima dos outros é errado, e o coletivo é mais importante que o pessoal. Transgredir e questionar é pra quem tem competência, meu caro, não é pra qualquer curioso que não tem noção de ética ou de civilidade.

  212. Janaína

    -

    29/12/2013 às 0:18

    É o tipo de mentalidade como o da Rebeca que transforma o país na porcaria que é… #triste.

  213. Janaína

    -

    29/12/2013 às 0:17

    É extremamente aliviador saber que ainda existem pessoas nesta M… de país que pensam como eu. Parabéns mesmo pelo seu texto Rodrigo Constantino. Conseguiu expressar toda a revolta que sinto em situações semelhantes.

  214. Donizete

    -

    28/12/2013 às 23:24

    Viajei por mais de 4000 km nos Estados Unidos vi alguns momentos de transito congestionado, mas em momento algum vi alguém transitando pelo acostamento, lá placa de Pare é Pare mesmo, faixa continua é proibido ultrapassar mesmo. Isso se chama educação nada mais… Amigos nosso pais reflete o povo que tem todos querendo levar vantagem em tudo o tempo todo. Somos corruptos por natureza. Infelizmente!!!

  215. Denilson

    -

    28/12/2013 às 23:22

    Correção: @Lucas Vilas, você demonstrou falta de conhecimento das leis de trânsito. O acostamento é para trânsito de veículos com problemas.

  216. Denilson

    -

    28/12/2013 às 23:21

    @Receba: “Quem nunca dirigiu falando ao celular que atire a primeira pedra! Quem nunca tomou uma multa de trânsito? E aí? Tudo isso pode?”

    Se fez, está errado e ponto final! O autor fala exatamente deste problema de “se todo mundo faz, por que eu não?” e você vem defender isto aqui. Lamentável.

    @Lucas Vilas, você demonstrou falta de conhecimento das leis de trânsito. O acostamento não é para trânsito de veículos com problemas. Você parece também ter um problema para entender regras e leis: elas existem, dentro vários motivos, para manter a sociedade justa e honesta. E este seu pensamento fere as 2 coisas.

    @Rebeca, você tem culpa no cartório para temer isto. Precisamos denunciar sim este pessoal que fere as regras de trânsito. Aliás, não só elas: suborno, chantagem de fiscais, etc.

  217. Adriana

    -

    28/12/2013 às 22:42

    Fico pensando se o Lucas Vilas e a Rebeca compraram a carta de motorista. Só posso chegar a essa conclusão ao ler que não sabem o porquê de não poder andar no acostamento. Explico: acostamento é para casos de urgência, como acidente ou pane de carro. O nome já diz: acostamento, para ficar parado e não é via de deslocamento. Lei sem sentido é lei morta. Mas essa tem sentido e não é um engarrafamento que muda o sentido da lei, entenderam?

  218. Vinícius

    -

    28/12/2013 às 21:37

    O pior é ler aqui nos comentários gente não entendendo sequer a razão do erro apontado pelo autor. Essas dizem coisas como: “se não concordo, e não vejo mal nenhum, por que eu deveria respeitar?”. É uma argumento tão irresponsável e infantil como “se todo mundo pode, eu também posso”. Outro argumento na pauta dos malandros é sempre “mas há problemas muito piores do que esse, como os buracos e os impostos, e * isso me dá o direito * de dirigir no acostamento”.

    O Brasileiro tem que achar que pode burlar a lei só porque não concorda com ela. Tem que parar de tentar justificar um erro com outro.

    Você pode pleitear a mudança da lei e melhorias dos governos, mas enquanto isso não acontece, é obrigado a cumpri-la, por uma questão de civilidade.

  219. Marco

    -

    28/12/2013 às 21:28

    Legal, mas citar os EUA como exemplo de sociedade eh um tiro
    No pé, pois nem SUS existe lah.
    Comento: e vc acha o SUS bom???

  220. Rebeca

    -

    28/12/2013 às 19:23

    Perfeita sua colocação, Lucas! Por que não pode andar no acostamento? Por que o acostamento não é liberado em casos de congestionamento? Resposta: porque dá mais trabalho sinalizar do que multar! Claro! E não estou defendendo quem anda no acostamento não. Eu mesma nunca andei. Só acho hipócrita julgar quem o faz como pessoas más. Quem nunca dirigiu falando ao celular que atire a primeira pedra! Quem nunca tomou uma multa de trânsito? E aí? Tudo isso pode?

  221. Ailton

    -

    28/12/2013 às 18:38

    Quero ver se um dia esses caras que não sabem pra que serve o acostamento…e apoiam tráfego sem autorização,forem obrigados por pani no seu próprio veículo ir para o acostamento e serem esmagados por um de seus parceiros de ideia .Hoje todos os autos usam muitos componentes eletrônico,independentemente de ser carro quase zero, pode dar pani sem aviso.Esse país nunca vai melhorar,é muita,mas muita gente sem noção!

  222. Aliane

    -

    28/12/2013 às 18:23

    O problema é q não sabem a diferença entre ensino e educação. Educação vem de casa. Vamos às escolas e universidades pra sermos ensinados e ter acesso ao conhecimento acadêmico. Enquanto pais e mães e esperarem q a escola faça o q eles deveriam ter feito, teremos babacas q acham q só eles tem pressa e q não precisam respeitar os outros.

  223. Ailton

    -

    28/12/2013 às 18:17

    Na verdade atitude das pessoas é uma só,quando está na índole respeitar…respeita em todos os quesitos,mas isso vem de berço,não de escola e nem de faculdade !Tem gente com carrões na garagem que… pegam seus cães de raça e os leva para sujar a calçada do vizinho que por sinal é onde pisa!Se a mesma tem esse raciocínio espera-se o quê das atitudes relacionadas a outro assunto,como trânsito por ex.? O fato é que estamos “supostamente” em uma democracia…que está servindo para os poderes desmoralizarem a população!Todo mundo critica uns aos outros…mas houve + privatizações de estradas e ninguém está solicitando desconto do IPVA,que é um imposto caro que segundo eles é para também preservação de estradas.Estamos em um país que juízes e advogados assumem que o correto nem sempre é legal!E ainda tem gente acreditando que este País boiando sobre conchavos,peculato,corporativismo,corrupção etc.que o problema está no trânsito.Quanto + pagamos menos podemos fazer…Enquanto aceitarmos “mau” planejamento que é para mascarar interesses próprios,estamos perdidos!Estão fazendo de um tudo para cada vez mais o cidadão perder o respeito pelo cidadão!Estão vendendo o País inteiro justificando-se melhora !Abriram crédito,o cidadão adquire ! Fica devendo ! E aparentemente melhorou seu padrão de vida…e se vender tudo para pagar o que adquiriu vai ficar devendo pelo menos a metade…e sem pensar nisso achando que está por cima,esquece de respeitar o próximo pensando que não se vira contra ele mesmo!Está faltando humildade no povo que se deslumbra pelo que aparenta!Olhem no dicionário o que significa,dignidade,coragem,justiça,eu fiz isso e analisei palavra por palavra observando meus arredores,descobri que o brasileiro não vive isso… Não vivemos em sociedade…Sociedade é uns pelos outros ! Vivemos é uma aglomeração insuportável !Com recordes de arrecadação de impostos que não estão nos beneficiado!O Brasil é um país empobrecido pela corrupção,mantendo as aparências pelo crédito!

  224. Guilherme

    -

    28/12/2013 às 17:57

    Um amigo meu deu uma ideia e é verdade. Devia ter um aplicativo da PRF que filmássemos e subíssemos direto videos (fotos não valem pois pode ser carro parado mesmo, com problema) de veiculos “sendo malandros” assim em acostamentos e faixas seletivas (inclusive tentando voltar pra faixa normal qdo veem veiculos da PRF ou radares, atrapalhando mais ainda o transito) e esses veiculos seriam multados automaticamente.

    Ou ainda, PRF quando visse veiculos fazendo isso, retenham o veiculo por 1 hora antes de deixar seguir viagem e ainda aplique a multa.

    Se falta educação ao povo, a educação tem que ser forçada!

  225. JT

    -

    28/12/2013 às 17:37

    Medíocre, Rebeca? Medíocre é alguem ter visão míope como a sua. Uma coisa é você tomar atitudes nas quais o único prejudicado é você. Como, por exemplo, encher sua barriga de refrigerante. Você arca com as consequências da celulite, da gordura, do prejuízo à sua saúde. Outra coisa, totalmente distinta, é você ter atitudes que prejudiquem terceiros. Por exemplo, quando seus impostos são roubados pelos políticos. O prejuízo é só deles? Só eles que arcam com as consequências? O otário mencionado pelo Constantino é você, que com sua visão deturpada, compactua com atitudes como essa de ultrapassar pelo acostamento.

  226. Richard

    -

    28/12/2013 às 17:19

    Acho completamente justo passarem pelo acostamento, não vou ser hipocrita Brasileiro não sabe dirigir é um monte de mula dirigindo carroças o tempo todo, aquele que sabe se sair da situação vai pelo acostamento mesmo. Se não tivesse um monte de burro dirigindo carroças e formando “transito” não teria espertos passando pelo acostamento. Não to falando que estão certos e nem que os que passam pelo acostamento estão, mas se não houvesse transito não iria ter os “malandros”. Uma coisa pode desencadear outra.

  227. Lucas Vilas

    -

    28/12/2013 às 16:09

    Que infelicidade toda essa discussão sendo confirmada por ‘carros andando no acostamento durante um congestionamento’. E por um acaso, qual o problema de se andar no acostamento? Só pq está escrito? E solo sagrado ali, ou existe alguma proteção pretendida pela norma? Essa proteção foi comprometida pelo uso do espaço vago durante um congestionamento?

    O que acontece quando não se concorda com um texto de uma norma? Só por que está escrito lá, será que é legitimo a todos? O que é descabido tem que ser desafiado mesmo, só assim talvez se chegue a um equilíbrio.

    Já passou da hora de mais vias terem expressamente permitido o uso do acostamento em caso de congestionamento. Ou podem deixar as pessoas esperando o tempo que for e elas só vão ocupar o espaço que escreveram num papel como certo para elas? Se elas não perceberem sentido naquilo, não irão cumprir. Espero que assim seja, ou não teríamos mais progresso nesse mundo.

    Faltariam pessoas a questionar e desafiar o status quo, e faltaria constante alarde dos administradores para a necessidade de soluções melhores, já que não basta mandar, precisam saber dar as ordens que serão cumpridas, e deixar de lado aquelas que não serão, já ensinava o pequeno príncipe.

  228. Jack

    -

    28/12/2013 às 15:54

    Rebeca, talvez você se enquadre no perfil “esperto” da população. Inimigos da sociedade são justamente aqueles que cometem essas infrações no cotidiano por se acharem acima da lei e terem certeza de que não serão punidos e não os que se incomodam e denunciam do modo que lhes cabe. Se dependermos de policiais em cada ponto onde um malandro está aprontando precisaríamos que, pelo menos, 1/3 da população fosse composta de policiais.

  229. Lint

    -

    28/12/2013 às 15:46

    Sempre que eu leio essa história (já lí, recentemente, outras duas vezes) de “o cidadão é corrupto, então o governo pode ser corrupto”, eu ponho em questão: Quem dá exemplo à quem? É o governo que tem que seguir o exemplo do josé-mané que ganha um salário mínimo e tenta ralar pra sobreviver ou é o zé-mané que segue o exemplo do político?

    Sinceramente, pra mim os pais tem que dar exemplo aos filhos, e portanto o governo tem que dar exemplo ao cidadão. Fato é que se o Brasil fosse um lugar possível de viver 100% dentro da lei, a maioria das pessoas assim o faria, mas na atual conjuntura todos nós, em algum momento, ferimos a lei. É praticamente impossível não fazer isso.

    Já comprou algo sem nota? Baixou um filme na net? Viu pornografia antes de ser maior de idade? Tomou uma cervejinha e pegou o carro, ciente de que não está visivelmente alcoolizado, e depois mentiu pro policial sobre estar sóbrio?

    Esse são exemplos todos muitos simples, aonde pode-se achar que o cidadão que é o desonesto. Mas e quando um policial te prende por portar uma garrafa de vinagre, e depois o juiz aceita de alguma forma que a garrafa de vinagre era potencialmente um coquetel molotov aceso? Você vai acatar a interpretação e ir pra cadeia?

    A policia e a fiscalização existem exatamente para esse propósito: Fiscalizar. É obrigação do governo fiscalizar, e se ele não é capaz de fiscalizar, não há nada que possamos fazer.
    A fiscalização do governo é frequentemente a parte defeituosa da história. Fazemos o que, então? Somos achacados por multas e taxas arbitrárias, que provavelmente foram criadas justamente para permitir a extorsão ou abraçamos de fez a máquina, e pelo menos não nos f****os sendo vítima dessa máquina?

  230. Victor Venancio Aráoz

    -

    28/12/2013 às 14:53

    Gente, quem é primeiro, o ovo ou a galinha???

    Somos o que somos há séculos, lá atras tínhamos os capitães, os meninos do imperador, o imperador… EU, Austrália, Canada porque os prepostos respondiam a valores diferentes dos nossos.

  231. CaCau

    -

    28/12/2013 às 14:13

    Fato! Passei por experiência semelhante na última segunda-feira, 23 de dezembro, na Via Dutra no sentido Rio. O acesso à Linha Vermelha através da Dutra foi fechado e aí o caos de instalou para trás. Apesar do aviso nos painéis eletrônicos não havia vivalma para organizar o trânsito e aí, o acostamento virou pista de carros (velhos e novos), inclusive ônibus da Viação Tinguá e caminhões. Durante isto, passei por dois postos da Polícia Rodoviária Federal, com diversos carros da mesma lá, paradinhos na sombra, enquanto os “espertos” faziam as suas balburdias e colocavam a vida de outros em perigo! Operação de fim de ano da PRF? Onde? Em 200 km de Via Dutra por que passei não vi sequer um carro de polícia, uma operação para coibir o excesso de velocidade, nada, nem no caminhão que teve a mercadoria tombada na descida da serra das Araras onde o povo que surge sabe-se lá de onde saqueava a mercadoria!

  232. Marco

    -

    28/12/2013 às 13:22

    Policia Rodoviária Federal ????? a uns 15 anos que eu não vejo, na verdade acho eles mais uma corporação falida, infelizmente.

  233. Soitiro Miyagi

    -

    28/12/2013 às 13:06

    Concordo totalmente com a sua opinião. Está na hora de pararmos de criticar os políticos e voltarmos os nossos olhos para nós mesmos. Os políticos são legítimos representantes do povo e espelham o povo brasileiro e a sua cultura. Se realmente desejamos e sonhamos em um dia sermos um povo desenvolvido temos que mudar a nossa cultura publicando em todos os meios de comunicação e colocando nas nossas escolas artigos e atitudes que levem a uma mudança cultural, associado a punição severa de quem não tenha uma conduta compatível com a lei.

  234. MarioM

    -

    28/12/2013 às 11:45

    Com a facilidade da câmera do cel, nos otários que temos educação e por mais indignado que fiquemos, não consigamos transgredir, devíamos sim, fotografar e colocar estes ignorantes, que se julgam “expertos”. Se não começar de nos, a função fiscalizadora e moralizadora, não será das instituições e políticos que virá, pois são o reflexo do cotidiano dos Gersons.

  235. Felipe

    -

    28/12/2013 às 9:59

    Os governantes são exatamente o reflexo do povo brasileiro. O caso do acostamento mostra que muitas pessoas precisam apenas de uma oportunidade para “serem espertas” e infringirem a lei. Imagine se essas pessoas que usam o acostamento fossem governandes: tenho certeza que a nossa situação seria exatamente a mesma. Precisaremos mudar essa cultura para termos um pais melhor. Como achamos que a mudança sempre deve começar pelo vizinho não sei se ainda estarei vivo para ver.

  236. Rebeca

    -

    28/12/2013 às 9:45

    Acho ridículo esse “caça às bruxas” nas redes sociais. Um camarada tira uma foto no celular pra publicar no Face e denunciar uma atitude errada de outro cidadão. Ridículo, medíocre. Cada um sabe de sua vida e arca com seus prejuízos. Já basta o governo pra foder a classe média com multas e impostos pesados. Não precisamos de inimigos à paisana. O correto seria que os inúteis dos policiais largassem seus bloquinhos e orientassem o trânsito também pelo acostamento. Como nos países onde as coisas funcionam. Enquanto isso, nossos amigos que tem dinheiro de verdade (me desculpe, ter Hilux não é ter dinheiro) sobrevoam o trânsito em seus helicópteros particulares.

  237. rondon

    -

    28/12/2013 às 8:51

    Concordo com quase tudo. So discordo que o acesso a um “paraiso” mereça um estrada melhor mais do que uma estrada ou rua que é acesso a uma escola, uma padaria, um bairro distante. Todas ruas e avenidas, num país que abusa tanto de impostos, TEEM de ter condicoes de segurança minima, tanto em estrada quanto em policiamento.

  238. Leob

    -

    28/12/2013 às 1:41

    Bem por estas e por outras sai fora do Brasil. O povo é ignorante demais e como o autor mesmo diz os que tem ascesso a educação fazem exatamente a mesma coisa.
    Todos querem levar vantagem por isso nunca vamos sair desta M.
    Conselho, peguem um vôo só de ida para o exterior.

  239. Walter

    -

    27/12/2013 às 22:05

    O eterno país das pequenas vantagens, onde o malandrismo impera.Eu nem viajo nessas épocas por causa disso e de outras.País FDP isso sim….

  240. Patricia

    -

    27/12/2013 às 19:55

    É. Mas o que você menciona como DESCASO no artigo, frouxidão do governo, é algo calculado meticulosamente. De caso pensado. Proposital. O governo quer exatamente isto: que NADA funcione, que o bolso do trabalhador seja extorquido e em troca receba nada. Junte-se a essa mentalidade comunista, a má educação secular e a prepotência típica do povo brasileiro (não há no mundo povo mais ignorante e mais prepotente que o nosso, que se orgulha de ser alienado, burro, desinformado e arrogante), o resultado só podia ser esse, em todos os meandros sociais, em todos os escaninhos possíveis. O Brasil é um país de miseráveis morais.

  241. George Araujo

    -

    27/12/2013 às 19:51

    Será que um dia teremos educação e consciência em relação ao espaço público?

  242. Ailton

    -

    27/12/2013 às 19:17

    Sem problema Luciano ! Tô com vc!
    Se todo mundo fosse ex. do que quer,nossa vida seria bem mais fácil!

  243. Adriano

    -

    27/12/2013 às 19:05

    Para mim essa materia é abusiva incentivano as pessoas agirem como se fossem policiais vejo comentarios de pessoas dizendo que se ver alguem passando pelo acotamento vai tirar satisfação isso é ridiculo quem anda pelo acostamento esta errado porem quem tem que tomar atitude sao os policiais e não pessoas comuns, vi ha pouco tempo uma pessoa quase morrer por isso, a mesma quando avistou um veiculo no acostamento o infeliz jogou o carro na frente do outro, simples o cara que estava no acostamento eram 2 policiais a paisana transportando um preso no momento que se viram fechado pelo outro carro não pensaram 2 vezes deram um tiro no carro do cara pensando ser retaliação, portanto fica a dica andem certo mas deixem as autoridades cuidarem, muito de vc se enganam em não ver policia a rodovia castelo banco por exemplo e monitorado por câmeras andou no acostamento tomou multa

  244. Alvaro

    -

    27/12/2013 às 18:54

    Finalmente alguém escreveu algo a respeito na mídia !!!
    Agora falta alguém fazer algo a respeito…
    Bem… mas aí já é outra história…

  245. Marcos

    -

    27/12/2013 às 16:12

    Prezado Diegao, torca para que qualquer dia desses voce nao fure a fila na minha frente pois, assim como vc, minha Hilux tambem tem suspensao alta e o escambau. Minha politica nestes caso eh simples, bato mas na minha frente voce nao fura a fila passando pelo acostamento. Para cada “esperto” como voce existe pelo menos dois que nao deixam a coisa barata. E eh isso ai, cada um com seu preju, otario.

  246. Leo

    -

    27/12/2013 às 15:58

    Esse João deve estar com seu detector de hipocrisia estragado (talvez queimou de tanto receber quantidades acima do suportado vindas de seu dono). Ou nunca ouviu falar de bluetooth ou julga todo mundo pela sua própria falta de respeito e educação. É um exemplo claro deste lixo que temos no Brasil. Já o Lourival está até agora sem entender a relação entre usar o acostamento com a corrupção. Esta talvez seja a pior espécie: faz a merda, comete a irregularidade e nem mesmo tem a capacidade de discernir que está errado.

  247. Luciano

    -

    27/12/2013 às 15:44

    No comentário anterior, direcionado erroneamente ao Ailton, peço desculpas, o correto era direcionar ao Lourival Alves!!

  248. Luciano

    -

    27/12/2013 às 15:43

    Falcone, de pleno acordo, se tiver um endereço para onde possamos enviar estas fotos e detalhes de hora e local, nos avise, por favor!!

  249. Luciano

    -

    27/12/2013 às 15:41

    Caro Ailton, pelo seu comentário, nos dá a entender que você estava no acostamento, pena que você não tenha entendido a ligação que o autor, muito explicitamente e corretamente, fez entre os “espertinhos do acostamento” e os corruptos, realmente, não significa que se você usar o acostamento de forma a tirar vantagem, se transformará em um corrupto, más mostra, claramente, que você não se importa com os demais e não medirá isso para tirar vantagem, o que, convenhamos, é uma amostra que facilmente, se tivesse chance, você não ligaria em tirar vantagens de outros tipos sobre o povo que se mantém corretamente! Espero que agora você tenha entendido, caso não, por favor, que alguém seja mais detalhista!!!

  250. Rubens

    -

    27/12/2013 às 14:42

    Depois reclamam quando o sergio cabral usa helicoptero. Você acha que ele vai se sujeitar a dividir o transito com estes animais?

  251. motociclista/motrista

    -

    27/12/2013 às 14:27

    Excelente o comentário do Walter.
    Sou motociclista e apesar de andar corretamente,quero chamar a atenção para um assunto importante.Nós motociclistas idiotas ou não,somos vitimados por muitos motoristas que não sabem que seta têm a mesma importância que o freio,e quem não usa acessório obrigatório seja na moto ou no carro,não pode se achar grande coisa no trânsito e se ainda não causou acidente um dia vai causar!SETAS SÃO IMPORTANTES PARA PEDESTRES,BICICLETAS,MOTOCICLETAS,AUTOS,ETC.E aproveitando o gancho,quando deixamos de usar qualquer veículo,viramos pedestres e a faixa não é desfile de moda !Não corra,mas respeite atravessando a rua usando somente o tempo necessário!E quanto ao grande numero de motos acidentadas,a maioria não foi por loucura e sim pela preguiça de usar setas.Vc não vê o motociclista,mas ele está te vendo!O próprio povo faz pouco caso do povo,nas ruas somos parceiros,não rivais…Quem não precisa de um motoboy,taxi,caminhão,ônibus até avião…Tem gente que nunca voou mas precisou de avião!Nós povo brasileiro somos tão mesquinhos e julgamos o próximo sem nos olharmos no espelho ! A saída para essa porcaria toda é transporte coletivo seja nas estradas ou nas cidades.Nós no nosso individualismo ficamos todos juntos na mesma situação! Não importa para onde vamos,está tudo entupido de carro,isso virou poluição visual! Pior escrevi tudo isso e tenho carro!Quando alguém fura fila no trânsito ou me pede passagem eu colaboro pelo simples fato de evitar problemas e fico com minha consciência tranquila por não saber se quem está no outro carro é folgado ou se está desesperado!

  252. Falcone

    -

    27/12/2013 às 13:37

    Que tal se todos tirássemos fotos / vídeos desses idiotas trafegando no acostamento incluindo a placa e colocássemos nas redes sociais?

  253. christina

    -

    27/12/2013 às 13:34

    RODRIGO!!! Vi seu comentário e achei…vc só esqueceu que a maioria anda em carros semi novo com poucas parcelas pagas,e hoje vemos muito + desses carros parados no meio da rua esperando guincho e atrapalhando transito…não sei se vc tem carro,+se tem,se nunca parou ,um dia vai parar!E nesse dia vê se faça o possível para não atrapalhar o trânsito,tire seu carro do meio do caminho, porquê talvez alguém que vc goste pode estar sendo socorrido por um carro velho precisando passar! Temos que prestar atenção nos nossos pensamentos…Dinheiro é muito + fácil perder do quê ganhar!Sabemos de muitos que andavam de carrões e hoje se contentariam com qualquer meio de transporte próprio.Agora aquele que se sente melhor que alguém é porque se sente abaixo de outro alguém!Nós brasileiros estamos apegados a uma cultura inútil,que é a cultura da aparência…Não estou defendendo carro velho,mas temos que respeitar a opção de cada um!A população não deveria disputar entre si,deveria se fazer valer os direitos ! Seja rico ou seja pobre…lá na ponta estamos todos na mesma situação…sem segurança,pegando buracos,pagando pedágio,sem andar,sem estacionar…e isso não é por causa de autos velhos ou por causa dos novos! É por causa da cultura inútil sustentada pelo individualismo,sustentada pelo cheio de querer se diferenciar pela mera aparência!

  254. Ailton

    -

    27/12/2013 às 11:58

    As coisas simples podem se transformam em enorme problema… Quando trabalhamos dentro de uma empresa e não atingimos as expectativas,somos demitidos… Nós nos acomodamos em sustentar financeiramente um sistema político corrupto,corporativista,cheio de conchavos…e a coisa independe de ser público ou privado…Porquê o privado é quem patrocina a privatização !Democracia no Brasil jamais poderia ser aproveitada para não se praticar a ética!!!

  255. Julio

    -

    27/12/2013 às 11:16

    Esse nosso comportamento, não seria um sintoma da sensação de impunidade generalizada?

    Dificilmente somos punidos pelas nossas ações incorretas (impostos exorbitantes não contam). Isso vem desde nossa infância. A fiscalização é mínima (para tudo), e quando existe um flagrante, normalmente um ‘cafézinho’ dá um jeito, isso por quê dificilmente existirá um problema maior por essa corrupção.

    Agir corretamente é tecnicamente prejudicial, só serve como alívio para quem tem consciência do ato.

  256. Lourival Alves

    -

    27/12/2013 às 10:40

    Não vejo relação de usar o acostamento com a corrupção… Não é porque usei o acostamento que serei corrupto. Muitos países não existem acostamento e sim alguns espaços para carros com problemas. Emergências como ambulâncias se tem a cultura de dar espaço…Talvez se usássemos o acostamento como mais uma faixa teríamos em torno de 50% em média a mais de espaço. Agora, convenhamos, a roubalheira desse país no viés da alta carga tributária, nos faz ter essa porcaria de infraestrutura, não tem nada a ver com o cidadão que se sufoca no trânsito…

  257. Eduardo Nascimento

    -

    27/12/2013 às 10:33

    Tenho pensado bastante nisso ultimamente, na verdade, aliada a falta de educação está o egoismo, o que gera a falta consciência coletiva. Esse pessoal são os mesmo que param em fila dupla para deixar alguém ou alguma coisa, por que é “rapidinho” e atrapalha todos os outros. Com a mesma desculpa são os fulanos que para nas vagas de idosos e deficientes nos estacionamentos. Existe solução sim, mas não seria para a geração atual, e sim para a próxima, a qual melhora com a próxima e assim por diante.

  258. Alberto

    -

    27/12/2013 às 10:31

    Bom dia Rodrigo

    Antes de tudo, parabéns pelo seu blog, é uma pena saber que poucos irão lê-lo e, provavelmente, apenas aqueles que entendem o que você quis explanar e repudiam, a qualquer custo, a maldita malandragem e a falta de educação. Na minha família costumamos dizer que agir como os citados malandros é se igualar a eles e que basta fazermos a nossa parte para evitar. Infelizmente sei que esse país não irá mudar pois a mudança deveria vir do interior de cada cidadão, mas é só você andar pelos centros de qualquer grande cidade que você se depara com o nível dos cidadãos que habitam este país. Não quero me alonga mais pois desisti de reclamar, visto que sempre sou tachado como chato e ranzinza já que não vejo nenhuma solução para este caos chamado Brasil; por isso difundo meu objetivo de vida: “A melhor saída para o Brasil é sair do Brasil”. Um grande abraço, feliz 2014 pra você e sua família e mantenha seu blog ele é muito valioso!!

  259. Israel Beigler

    -

    27/12/2013 às 10:05

    Seu texto é perfeito exceto que eu tenho uma sensação de que os carrões importados têm uma atração pelo acostamento maior do que a dos carrinhos nacionais.

  260. Alan

    -

    27/12/2013 às 8:17

    Existe solução para essa cultura da malandragem no Brasil? Temo que não =/

  261. Adelson

    -

    26/12/2013 às 23:21

    Algumas considerações sobre o artigo. Primeiro só li verdades, entretanto vale ressaltar que esse problemas ocorre tanto em estradas públicas quanto nas privatizadas, dai a questão dos buracos não é pertinente neste caso. Segundo, o problemas esta realmente na falta de educação do povo e na impunidade certa, Brasil é o país da impunidade e com certeza essa prática não vai acabar tão cedo. Por fim, qual seria a solução para acabar com essas enormes filas? mais transporte coletivo e menos carros particulares? será que todo mundo quer abrir mão de seu carrinho na hora de viajar? fica a reflexão.

  262. Mauro

    -

    26/12/2013 às 22:17

    Parabéns Rodrigo, você retratou uma situação que é realmente irritante e reflete o caráter atual deste povo, sem querer generalizar, já que muitos seguem as regras. O problema é que as coisas estão descambando e não vemos a situação melhorar, muito pelo contrário. Quanto aos indivíduos que falam de hipocrisia, provavelmente são os metidos a espertos, que ajudam a ferrar este país como podem…..

  263. Marta

    -

    26/12/2013 às 21:50

    eu estava voltando de Ribeirão Preto, vi a mesma cena, senti também que era otária, mas que a minha educação não permitia que eu fosse esperta, pensei exatamente o mesmo que o Rodrigo escreveu! Obrigada por expressar minha indignação e a necessidade de mudar nossa mentalidade!

  264. Vitor Alencastro

    -

    26/12/2013 às 20:50

    Em primeiro lugar não tenho vergonha do meu país, mas tenho muita vergonha desta minoria de brasileiros que acreditam na lei de Gerson!Levar vantagem em tudo! São os mesmos babacas , que estão acabando com o nosso país, os mesmos que de uma forma ou de outra roubam tudo , nosso dinheiro, nossas riquezas, nossa dignidade e nossa possibilidade de ser um país melhor ! Ao amigo aí em baixo que falou da esquerda, vou dizer: Esquerda, direita e centro, neste país de pura corrupção politica , tanto faz em que posição se encontra estes párias , pois não acredito neles! Já esteve o PSDB, já esteve o PMDB, e está o PT, nunca esquecendo que os outros partidos pequenos estão sempre no apoio dos três. O Que fizeram ? O Que farão? Todos sabemos! Esta na hora de exercer o único direito que temos, o de ANULAR O VOTO, e mostrar para esta gentalha , que não queremos mais esta parte podre do Brasil comandando nosso país! Quanto os que andam no acostamento é muito fácil, é sor prender os FDPs e casar sua carteira por um ano, mas quem fura a fila normalmente são os amigos e dai ……

  265. Galaor Junior

    -

    26/12/2013 às 20:45

    Ser otário é ficar parado dentro de um carro na estrada, se há uma pista livre, nem que seja o acostamento! Ser otário é bancar o certinho, pagando os impostos mais caros do mundo e ficando quietinho de cabeça baixa sem nada fazer, para não perder a compostura! Esse é o povo brasileiro, paga o carro a gasolina os pedágios e as multas mais caras do mundo e diz que tudo é culpa do governo. Culpa é de quem se esqueceu que liberdade se conquista! Para você certinho da estrada, você vai fritar e cozinhar dentro de um carro, se esperar que alguém neste pais intervenha a seu favor! Bom 2014 a todos, com um pouco mais de consciência, menos discurso e mais ação!

  266. Ze do acostamento

    -

    26/12/2013 às 20:38

    AAhh tava esquecendo…..continuem votando nessa MAFIA chamada PT…..tenho certeza que 90% dos babacas q estao chiando aqui….votaram nessa merda…e com certeza continuarao…!!! voces merecem!!

  267. karlos

    -

    26/12/2013 às 17:54

    Rodrigo faz tempo, a esquerda caviar,retrograda,radical,sabem bem como trabalhar esta lama brasileira é por isso que eles chegaram la.

  268. roger salvati

    -

    26/12/2013 às 17:27

    E por isso que eu tenho VERGONHA de ser brasileiro. Pais de BABACA. Tudo neste pais eh assim. Sou contabilista, e sou obrigado a trabalhar em um setor onde TUDO funciona na base da propina. Ou entra no esquema ou QUEBRA, nao existe outra opção. Por isso que educo os meus filhos para sair desta merda de pais de malandro-otário na primeira oportunidade que tiverem. Infelizmente eu nao consegui, mas meus filhos conseguirão. Nao adianta nadar contra a correnteza.

  269. Luka Kaudera

    -

    26/12/2013 às 17:11

    Boa tarde,
    Que legal poder participar de um assunto tão polemico,acredito que a falta de educação aki mencionada de ser interpretada como falta de respeito e isto afeta qualquer classe social, acredito ate que os que mais possuem são mais arrogantes, mas isto não justifica qual ato de falta de respeito com seu proximo.
    Bem colocado por um colega abaixo que menciona que quando estamos fora de casa (exterior) nos comportamos conforme as Leis daquele pais, porque aqui tem que ser diferente.

    Luka Kaudera.

  270. Ze´do acostamento

    -

    26/12/2013 às 17:06

    No meu ponto de vista todos sao otarios tanto os que vao no acostamento quanto os que nao vao….mas vc tocou num ponto interessante…somos otarios desse governo que nos rouba discaradamente , temos q trabalhar 5 meses do ano pra pagar os impostos e temos de recompensa as estradas esburacadas , isso e´apenas um exemplo dentro tantos outros…entao oque fazer???….vamos ser otarios em tudo ??? ficar 7 ou 8 horas dentro de um carro voltando de uma praia ..e´correto??

  271. Flavio Zanchi

    -

    26/12/2013 às 16:51

    Isso é apenas mais um dos sintomas de uma cultura doente. Tão doente, que o próprio colunista usou a expressão “espelunca sobre rodas”, provavelmente falando de carros velhos, caindo aos pedaços. O fulano é jornalista, deve ter um ou outro diploma de alguma coisa, mas não tem a mínima idéia do que seja uma espelunca. Nem se deu ao trabalho de pesquisar antes de escrever.
    Isso é o Brasil.

  272. maria clara spinelli

    -

    26/12/2013 às 16:27

    bravo!

  273. Raphael

    -

    26/12/2013 às 15:55

    Então João, uma coisa, achei o texto perfeito e digo. Não uso celular no transito, infelizmente sou o “otario” né.
    Mas fica a dica, nem todos são hipocritas como vc esta achando. Abraço amigo.

  274. Fabio Ferrari

    -

    26/12/2013 às 14:32

    Os estacionamentos dos Supermercados poderiam dar uma matéria nesta mesma linha…

  275. jose medeiros

    -

    26/12/2013 às 13:01

    Sabe, o exemplo vem de cima…outro dia a Presidente não transitava de c arro com o neto no colo !!?Diz o psicanalista Jurandir Freire Costa mais ou menos assim:”Não há diferença entre o pai que fura a fila para pegar o filho no colegio,o que faz fila dupla,o que dá um jeitinho de subornar”,…o que pega o acostamento…,o assaltante,…são todos infratores da lei.O que se diz ao homem comum é que ele só tem saída se compactuar com os infratores.

  276. Emerson

    -

    26/12/2013 às 12:33

    É… Hipocrisia é quem já detectou que faz a maioria das merdas no texto e depois fala que o autor é Hipócrita.

  277. Rodrigo

    -

    26/12/2013 às 12:07

    A culpa na verdade é do próprio brasileiro e dos malditos Ciretrans, que entregam CNH pra qualquer um maior de 18 anos, carros sem manutenções parando no meio da pista (aquela cena comica uma familia inteira descendo pra empurrar), motoristas mais do que curiosos que por qualquer motivo besta quer parar para ver o que aconteceu, qualquer acidente bobo já é motivo para um puta congestionamento, não vejo quem corta pelo acostamento como um espertalhão ou que eu seja um idiota quando estou parado na pista, vejo sim uma pessoa cansada de tanta burrice no transito, vai embora querido, parabéns pelos R$574,00.

  278. João

    -

    26/12/2013 às 11:55

    Texto bonito, hein Rodrigo?
    Concordo 100%.
    Agora me diz uma coisa, quantas vezes você usa o celular no trânsito?
    #hipocrisiadetectada

  279. Janaina Ribeiro.

    -

    26/12/2013 às 11:18

    Muito bem! Eh isso mesmo. O povo mal educado o nosso. Triste.

  280. Francisco

    -

    26/12/2013 às 9:47

    Parabens por dizer o que é um a realidade neste país, tem-se que mudar, porem a luta é dura. Um povo mau educado é melhor controlável. Um povo mau educado pouco sabe usar seu voto para mudar isto. A bagunça, a sujeira, o som alto, musica ruim, a farofa fazem parte da alegria destes que estão cada dia mais crescendo e se tornando heróis entre aspas para eles mesmos.

  281. Carlos Henrique

    -

    26/12/2013 às 9:34

    Se trafegar pelo acostamento rende multa sem necessidade de abordagem, então é só usarem as câmeras de monitoramento das rodovias (as que possuem) e sair multando.

    Brasileiro só aprende quando acertam ele no órgão mais sensível do corpo: o bolso!

  282. Vania

    -

    26/12/2013 às 9:33

    Concordo com tudo que foi dito. Sofro deste problema (falta de educação e ultrapassagens pelo acostamento) todos os dias úteis ao sair da Cidade Administrativa Tancredo Neves, em BH. Nunca vi uma viatura da PM e nem uma viatura da BHTrans tomando alguma providência. Pelo contrário, já vi viaturas de várias autoridades usando e abusando da ultrapassagem pelo acostamento. E como se não bastasse a imprudência, essas pessoas são tão atrevidas que no término do acostamento ainda jogam o carro delas em cima de nós que pacientemente seguimos o fluxo normal. Que país é este? BRASIL!

  283. Ana

    -

    26/12/2013 às 9:11

    Tb nunca deixo os espertões passarem na minha frente, e quase sempre eles acham ruim e reclamam. Imagina só, querer impedir que ele fure a fila, que afronta a minha!

  284. diegão

    -

    26/12/2013 às 8:42

    eu furo mesmo, e se precisar voltar e não deixarem, entro rasgando com a hilux, suspensão alta, só bato a roda e estribo, ja cai a lateral do carro. quero ver policia no local, cada um fica com o seu preju

  285. Sergio

    -

    26/12/2013 às 7:45

    Em muitos pais da Europa, eles abrem para trafegar pelo acostomento no horario de pico.
    Mais claro, a cada 100 metros tem uma camera monitorando o trafego, sinalizacao das faixas aberta muito clara, e ca pista cheia de sensors tb.
    Realmente outro mundo.
    Nao que nao podemos fazer ai, mais a corruptcao desse pais nao deixa o pais ir pra frente.

  286. Altino

    -

    26/12/2013 às 2:49

    Maravilhoso só de for em picaretagem e malandragem !!!! Para voce que gosta de furar fila pelo acostamento eu sou aquele cara que não te deixa entrar na minha frente. Babaca !!!!

  287. Julio Cesarr

    -

    25/12/2013 às 22:58

    País maravilhoso em que ?

  288. Rodolfo

    -

    25/12/2013 às 16:18

    Ótimo texto!
    Estava dando uma lida nos comentários… Todo mundo acha um absurdo, repudia tal ato, critica as autoridades, etc.
    Porém, estatisticamente falando, deveríamos ver pelo menos algumas pessoas assumindo que isso é normal e que não vêem problemas em furar fila cortando pelo acostamento.
    Eu mesmo já fiz isso e me envergonho do que fiz. Não faço mais porque me dei conta de que criticava porém meu telhado era de vidro. E quando a classe média vai pra Disney e aluga carro (me incluo neste grupo), toma todo o cuidado do mundo para seguir todas as regras de transito do outro país. E olha, que engraçado, lá tem muito, mas muito mais carro, gente de 16 anos dirigindo, e as regras funcionam!
    O que posso ver é que somos, ainda, muito hipócritas, além de todos os outros maus adjetivos citados pelos demais leitores.

  289. Daniel

    -

    25/12/2013 às 15:43

    Cara, exatemente isso! A culpa é nossa por não deixar os malandrões entrarem na nossa frente. E claro, desde Fusquinha a BMW. O pior é o dono da BMW, que teoriamente tem educação. Deixo bater e fo$#-se. Muito boa a coluna.

  290. Friedman

    -

    25/12/2013 às 11:17

    Onde voce esta Jose Ramirez? Se for na Europa, te digo que nem policia lá tem. Muito dificil ver mesmo nos centros, é carater e educação do povo mesmo.

  291. Jose Ramirez

    -

    24/12/2013 às 16:56

    Triste realidade! Estou fora do Brasil vivendo em um lugar em que a realidade e bem diferente dessa! Não que o povo seja mais educado, muitos, muitos mesmo, não são! O que os mantem na linha? O medo de serem pegos e punidos exemplarmente.

    O que falta no Brasil não e educação. Falta a presença do governo punindo exemplarmente os infratores. Os “sem educação” gabam-se de sua esperteza pois sabem que não serão punidos.No próximo final de semana farão tudo igualzinho.A maior parte de nossas autoridades sofre do mal da corrupção. Vinte anos atras me envolvi num acidente na Fernão Dias, o policial rodoviário subornado pelo motorista que dirigia na mão contraria tentou fraudar seu relatório mas foi desmascarado pelo delegado de plantão no distrito policial, não fosse por isso teria passado de vitima a causador do acidente. Mero acaso pois tive tempo de conversar com o Delegado, que felizmente não era corrupto, e contar o que de fato acontecera. Alguns meses depois já vivendo fora do Brasil, envolvido em outro acidente que também não causei, tive a oportunidade de ver como as coisas funcionam num pais serio. Mesmo sem dominar o idioma, sendo um “gringo recém chegado, tive a satisfação de ver meus direitos respeitados pelo simples fato de o policial “rodoviário” não ceder a pressão dos fluentes no idioma, que tentaram aproveitar-se da situação causada pela minha dificuldade de comunicação e responsabilizar-me pelo acidente. O policial pois fez prevalecerem as evidencias presentes na cena dos fatos. Não bastasse isso ao encerrar o seu “boletim de ocorrência” deu-me um cartão com a sua identificação e disponibilizou-se a testemunhar caso futuramente, numa eventual corte, fosse preciso. Pensei imediatamente, se fosse no Brasil por ocasião daquele acidente na Fernão Dias coitado do “gringo”,tinha se danado!!!!
    Voltando ao texto, fico realmente trista ao ver que as coisas continuam as mesmas de vinte anos atras. Sera que um dia muda?

  292. Marcos Azevedo

    -

    24/12/2013 às 15:20

    É por aí, mas só não achei que os EUA são um bom exemplo. Lá, a punição rápida e, na maioria das vezes certa, é utilizada mais do que a educação em alto nível.
    Eu entendo perfeitamente seu sentimento e percebo até quando fraquejo, sentindo-me o otário e resistindo à tentação da malandragem.

  293. Luis Peazê

    -

    24/12/2013 às 12:21

    Compartilho totalmente com esse desabafo. Vivo esta tortura da incivilidade semanalmente, do Rio para a Região dos Lagos (direção oposta a do articulista), até Saquarema. Apenas uma diferença: neste trecho, exatos 122 km, é que há dois pedágios ida e volta e eu passo por três estações da Polícia Rodoviária, quase sempre inabitadas, vários radares, alguns escondidos. As retenções, durante este ano de 2013, foram sempre devidas a obras da concessionária, às vezes obras possíveis de serem conduzidas em horários de menor tráfego, à noite, mas a propaganda institucional (burra, mas feita para um povo viciado na não obediência civil, ou malandragem), e me sinto penalizado duplamente, quando me dou conta de que minhas viagens são para instalar o Instituto Brasil Costal – BRCostal com as próprias mãos, muito suor e dinheiro do próprio bolso (todo o esforço do BRCostal, i.e. oficinas, atelier naval, etc é para a coletividade, num jargão mais irresponsável, para “salvar o planeta de nós mesmos”). Uma vez, um ser humano quase desprezível tentou furar a fila na minha frente, avancei (a guerra começa com pequenos gestos) e em menos de dois minutos ele me mostrou uma arma, dizendo palavrões; parei o carro, sai e mandei ele ou atirar em mim ou enfiar aquela coisa no…; ele disse que estava indo para o trabalho, prender bandidos, por isso ia me deixar pra lá e acrescentou mais palavrões. Enquanto ameaçávamos nos matar, ele com uma arma e eu com os próprios dentes, a terceira quarta fila de carros ultrapassando pela direita fluia… Insanidade a minha, tenho certeza que parte dela é devido ao inconformismo de viver (e ter nascido) num país “avacalhado”. Vivi 13 anos nos Estados Unidos, 7 na Austrália, conheço metade do mundo, sempre a trabalho e de algum modo integrado na vida local, o Brasil é ao mesmo tempo um dos lugares mais lindos do mundo, é o país onde, circunstancialmente, ninguém respeita nada, e possui o povo mais “avacalhado” do mundo.

  294. Skorzeny

    -

    24/12/2013 às 8:48

    …finalmente essa revista escreve algo sério , mas não deixa de ser uma revista lixo….

  295. Mariao

    -

    24/12/2013 às 7:43

    Absurdo ler uma reportagem desta onde o cara nao respeita os carros dos outros analisar o caracter das pessoas pela marca do carro ou por ser antigo.. nada a ver.. com certeza o percentual era de 70% carros novos e 30% carro velho.. eu tenho carro velho e carro novo… e nao anda do acostamento…. mais no geral concordo 5 ou 10% dos brasileiro querem levar vantagem. .mais generalizar e nao e querer bota culpa somente nos brasileiros eh o fim da picaca… esse povo deveria ir morar em outros paises.

  296. Léo

    -

    24/12/2013 às 2:06

    Estou com o Hudson, que comentou abaixo: isso aqui não tem mais solução.

  297. Danilo

    -

    23/12/2013 às 18:41

    O governo é consequência e não causa. Cada povo tem o governo que merece (Joseph de Maistre). Nosso governo é nosso reflexo e nós apontamos para os outros e não para nós mesmos.

  298. Nilton Rodrigues Martins

    -

    23/12/2013 às 18:39

    BRASIL!!! ZIL ZIL ZIL-ATÉ OS CIDADÃOS DE CURSO SUPERIOR NÃO POSSUEM EDUCAÇÃO. DEVERIA, NO BRASIL,ACABAR COM UNS 30 MINISTÉRIOS E INVESTIR EM UM NOVO MINISTÉRIO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIVILIDADE. O BRASILEIRO MUITAS VEZES CONFUNDE INSTRUÇÃO COM EDUCAÇÃO. UM HUMILDE OPERÁRIO PODE TER MAIS EDUCAÇÃO DO QUE UM “DOUTOR” ………

  299. Rita Rafaeli

    -

    23/12/2013 às 18:14

    Se a própria PresidantA da República descumpre a lei e coloca em risco a vida do neto levando-o no banco de trás sem a cadeirinha, para depois vir com aquela cara de songa monga pedir desculpas – sem que ninguém cogitasse a multa devida (já que foi pega em flagrante, com foto e tudo), o que se pode esperar dos demais motoristas do Brasil?

  300. Eike Batista

    -

    23/12/2013 às 17:33

    Concordo em alguns aspectos e discordo em outros. Discordo do seu ponto de vista quanto ao uso do acostamento. Na última sexta-feira Santa, fui para Bertioga e tive que passar pela Mogi-Bertioga e sofri como um cachorro (assim como os demais motoristas) na serra sentido Bertioga. Fiquei oito horas e meia parado neste trecho. Minhas pernas e pés incharam e fiquei com muito sono. O tempo de viagem da minha cidade até o destino é de duas horas e quinze, porém, nesta ocasião, fiz em dez horas. Errado sim é a concessionária que deixou duas vias sentido Mogi e uma apenas sentido Bertioga, bem no dia D do feriado. Ridículo! Em ocasiões assim, deveriam ter deixado duas faixas sentido Bertioga e uma apenas sentido Mogi. Foi claro o erro, pois não havia carros na direção contrária (e os motoristas olhavam perplexos para as duas faixas sem uso do sentido contrário). Outra medida que deveriam ter tomado era de colocar placas com o aviso “USE O ACOSTAMENTO” como já vi em inúmeras outras ocasiões de feriados prolongados. Concordo sim que o povo e a cultura brasileira incentivam a corrupção, porém, discordo totalmente da sua analogia com o acostamento. Neste caso específico, além de sofrer com a já costumeira falta de infraestrutura, a concessionária que administra a rodovia em questão dormiu no ponto e não tomou medidas para receber as pessoas no feriadão.

  301. jeanne

    -

    23/12/2013 às 12:45

    Na minha frente não entra mesmo, já parti pra colisão voltando da região dos lagos, obviamente o outro motorista viu que a malandragem dele seria pagar o meu carro e levar uma infração gravíssima!

  302. Gustavo

    -

    23/12/2013 às 10:09

    Excelente texto!
    Utilizo estrada todos os dias e vejo situações absurdas demais, mas a que mais incomoda realmente é de veículos transitando no acostamento. As pessoas que cometem essa infração acham que a vontade dela de chegar ao destino prevalece sobre a vontade dos demais, que estão pagando tantos impostos e pedágio quanto o espertão que está cometendo a infração. Já vi também pessoas brigando quando não dei passagem para a pessoa voltar para a estrada ao avistarem viaturas da polícia e já vi a polícia também, desesperadamente, tentar conter uma fila gigantesca de veículos que andava pelo acostamento e eles só conseguiram segurar 2 ou 3 veículos.
    O fato é que muita gente reclama de corrupção no Brasil, mas não tem o mínimo de civilidade. E eu, enquanto puder, vou continuar bloqueando veículos que estão tentando cortar o trânsito pelo acostamento.

  303. David Pranckevicius

    -

    23/12/2013 às 0:44

    Aqui nos USA tem uma faixa no acostamento feito uma ranhuras no sentido transversal ao longo de toda a estrada que na verdade serve de despertador se alguem dormir e entrar no acostamento. Isso faz um som forte devido ao passo entre as ranhuras e nao se suporta por muito tempo. Solucao de seguranca e que poderia coibir os burros que trafegam pelo acostamento. Do restante, um comentario, o transito no Brasil e selvagem.

  304. JCKodel

    -

    23/12/2013 às 0:14

    É simples: ensine o povo na marra. Da próxima vez, fique com 2 rodas na estrada, 2 no acostamento. É errado, eu sei, mas pelo menos ensina este povo ridículo à força.

  305. Ricardo M. Paixão

    -

    22/12/2013 às 22:54

    Há muitos anos me foi perguntado qual nação possuía um governo que melhor representasse seu povo.
    Eu, inocentemente respondi: Reino Unido, USA…
    Meu mestre então respondeu: Brasil.
    Estava certo…Brasília é a “bandalha” que é por que a grande maioria dos nossos políticos “anda no acostamento ou na contramão” aplicando a “lei de Gerson”.
    Temos sim o governo que merecemos! E só vai mudar quando nós mudarmos …

  306. Stela

    -

    22/12/2013 às 19:15

    Realmente, a gente fica com a sensacao de termos um nariz de bolinha e bem vermelhinho!!! Um absurdo mesmo essa falta de educacao! Detesto qdo nao damos passagem e a pessoa que anda pelo acostamento de ofende e fica brava por ter que esperar a sua vez para entrar na fila de novo, apos passar por tantos “otarios”…. Gostaria imensamente que isso mudasse um dia… em todo lugar, a “lei de Gerson” impera: filas, assentos reservados para idosos e gravidas, acostamento, propinas e etc… o governo eh o retrato do povo?? ou serah o contrario?

  307. FRANZ

    -

    22/12/2013 às 19:14

    Na minha opinião o governo deveria é faturar em cima dessa gente com multas e prisões e não esfolando as pessoas de bem através do IPTU e IPVA.

  308. Hudson

    -

    22/12/2013 às 18:25

    O povo merece o governo que tem. É o mesmo que os coloca no poder.
    Esses dias na Rodovia Pres. Dutra, o tráfico estava lento (poucos momentos parou), e muito carro foi indo pelo acostamento, inclusive a maioria dos carros eram caros. O que mais me espantou foi na hora que vi um ônibus também fazendo isso a acredito eu uns 60km/h. Aqui não tem mais solução.

  309. Marcelo Guedes

    -

    22/12/2013 às 12:41

    Parabéns pelo texto. Perfeita visão.
    Infelizmente esse tipo de situação acontece não apenas nas, estradas, em volta de feriados ou semelhantes, mas todos os dias, em quase todas as cidades.
    Neste país, ao invés de buscar-se soluções para o problema, incentiva-se que ele seja agravado. Temos estradas e vias urbanas em péssimo estado de conservação, trânsito caótico e transporte público de qualidade sofrível.
    Mas os incentivos são para que se venda cada vez mais carros, mesmo sabendo que não há como comportá-los. Não há vias suficientes, não há vagas para estacionar.
    Investem-se fortunas em obras para ampliar as vias. Até quando? Quando a obra termina, já está defasada e perdeu seu propósito, pois já não suporta os milhares de veículos novos que entram em circulação todos os dias.
    Enquanto isso, não se vê investimentos sérios em transporte público de qualidade, fiscalização e educação, seja para o trânsito, seja em geral.

  310. Tiago Nogueira

    -

    13/11/2013 às 20:00

    O Brasil é o atraso que é não é à toa.
    Não adianta haver mais punição, porque quem quer transgredir não encara punição como empecilho, mas como um mero desafio a se vencer. A atitude é o que conta.

    Não adianta querer mudar cabeça de adulto. Adulto só aprende no trauma.
    A educação para a consciência da coletividade, não só no trânsito, vem desde criança.

  311. Cesar Augusto Mucci Mattos

    -

    13/11/2013 às 10:43

    Por isso mesmo eu jogo metade do meu carro no acostamento em casos como esse… para tentar bloquear os folgados sem dó! Falta atitude até mesmo dos “otários” para reprimir os malandros.

  312. Beto Pugliese

    -

    05/11/2013 às 9:31

    Penso que fácil seria resolver este problemas de veículos trafegando pelos acostaementos das estradas, se a cada 50 ou 100 metros existisse uma lombada/costela/quebra molas.

  313. Rafael

    -

    05/11/2013 às 9:11

    Total falta de respeito ao próximo !!!

  314. Roberto Verdun

    -

    30/10/2013 às 17:42

    Individualismo! Penso que esta é a regra atual. Tambem retornei pela Tamoios em 13/10 e presenciei esta afronta ao coletivo. Quem utiliza o acostamento acredita que esta sempre em vantagem. Viver em condominio, atualmente tambem não é diferente. Pessoas se esquecem (ou nem sabem) do significado “condominio” e posicionam-se, invariavelmente, em atitudes individualistas. Que exemplo fica?

  315. Mario Silvio

    -

    24/10/2013 às 9:55

    “O brasileiro médio é muito “bonzinho”, ou seja, esperneia mas acaba “vendo o lado” do outro e cedendo “dando a face”. Queria ver se essa “meia duzia” que nos constrangem com essa atitude em especial (furar a fila pelo acostamento e ponto) se eles lá na frente encontrassem uma “tropa de psicopatas” (nós mesmos) não cedendo um milimetro para eles entrarem na pista. A conversa seria bem outra.”

    Xará, sou 100% a favor de seguir a lei, MAS, infelizmente, no Brasil temos que nos unir contra o inimigo comum, o governo.
    Discordo de que seja simplesmente uma questão de educação e civismo, é mais resultado de séculos de governantes nos explorando para benefício próprio.

  316. Mario Silvio

    -

    24/10/2013 às 9:52

    “pois as pessoas, no geral, colocam o interesse particular em primeiro lugar”
    Consequência lógica, inevitável e imediata dos “nossos” políticos fazerem o mesmo
    “O ideal seria que todos respeitassem as regras, sem a necessidade de serem fiscalizados.”
    Sim, DESDE QUE as regras fossem feitas visando o bem comum

    Um exemplo: as tais faixas exclusivas que estão proliferando como praga em SP. Desafio qualquer a provar que elas são úteis e JUSTIFICAVEIS.

  317. Marcos

    -

    23/10/2013 às 16:56

    O mesmo acontece com as novas faixas exclusivas de ônibus criadas em SP. Muitos desrespeitam, sendo “mais espertos” que a maioria de nós, otários. Infelizmente precisamos de fiscalização, pois as pessoas, no geral, colocam o interesse particular em primeiro lugar: levar vantagem em tudo, independente do impacto causado ao próximo. O ideal seria que todos respeitassem as regras, sem a necessidade de serem fiscalizados. Quero estar vivo quando atingirmos esse nível de maturidade (haja investimento em educação, civismo e moral). Porém, não vejo, como muitos comentaram, a fiscalização atuando com a intensidade que gerasse medo nas pessoas, fazendo-as mudar de comportamento e agir de acordo com as regras, com a ética. Como curiosidade, compartilho a ideia adotada na Finlândia, onde a multa de trânsito é proporcional à renda do cidadão, baseada na declaração de IR. Abs.

  318. wilson

    -

    21/10/2013 às 8:15

    Nunca vai mudar, a maioria da educação do país é ridícula e continuará assim por séculos.

  319. Octamyr Coletti

    -

    20/10/2013 às 13:31

    Rodrigo, providencial seu comentário sobre os absurdos praticados nos acostamentos. Sou usuário habitual da SP 99 (Tamoios)e essa prática mal educada já virou rotina nessa rodovia. Infelizmente vivemos numa sociedade em que o “errado” é o certo e o “certo” é errado. Pior ainda, é que essa rodovia passa por obras de duplicação, com vários desvios, faixas interditadas, etc. No último feriado de 12/10 demorei 4 horas, por conta desses mal educados, para percorrer um trecho de 50Km e sem nenhuma presença da polícia rodoviária para coibir esses absurdos!
    “LEGADO” é a expressão que está na moda. Fico pensando qual o legado que esses mal educados estão deixando para seus filhos?
    A “lei de gérson” deve comprometer seriamente a capacidade intelectual desses motoristas mal educados, pois são eles mesmos que causam os extensos congestionamentos quando desrespeitosamente querem voltar à faixa de rolamento.
    Nós somos babacas, pois seguimos a lei!

  320. Vittorio Sessarego

    -

    20/10/2013 às 10:51

    Li alguns comentários postados nesta sessão, e vejo muito “punir” “vigiar” “multar”. Acredito que desde pequenos deveríamos aprender a usar sempre o bom senso, talvez em tudo na vida. Aprender a viver em sociedade, essas pessoas mal educadas na verdade são sempre egoístas, cenas cotidianas onde você tenta racionalizar as situações e as pessoas pensam somente nelas mesmas, dane-se o próximo. Quando o estrangeiro vem fazer turismo aqui no Brasil ele é sempre taxado como otário, a gente explora, rouba maltrata e veja ele tá sempre sorrindo. É necessário uma lei para poder multar quem para com seu carro na faixa de pedestres, caramba será que a pessoa não vê que outras serão prejudicadas?

  321. Vittorio Sessarego

    -

    20/10/2013 às 10:36

    Olá Rodrigo, sou leitor da VEJA, já faz uns 25 anos. Li na VEJA desta semana “acostamento: retrato do brasil”, e entrei no seu blog justamente porque na revista não mencionava o que realmente é a questão, educação. não é só na estrada que leva para Angra podemos ver o quão o povo é mal educado, e como você colocou, não importa o nível social, cultural e financeiro, algo aconteceu. Minha esposa trabalha numa escola particular, os pais acreditam que pagando a mensalidade, a escola tem o dever e a obrigação de educar o filho, em todas as formas da palavra, ou seja: “por favor” “obrigado” ” me desculpe” “com licença”, coisas que devemos ensinar dentro de casa , assim como colocar a mão na boca ao espirrar. Acredito que um pais só começa a melhorar quando as pessoas são mais educadas, não seguem a lei de “Gérson”e tem um bom senso. As pessoas não de dão conta de que, com determinadas atitudes atrapalhamos as outras, um abraço.

  322. Jana

    -

    17/10/2013 às 17:49

    Dean, tem certeza que vc viu gente passando pelo acostamento na Alemanha? Moro na Alemanha há 20 anos, pego engarrafamento todo os verões e invernos em Autobahn e rodovias estaduais e te digo: isso NÃO acontece aqui. As rodovias são vigiadas em muitos setores por câmeras, há policia rodoviária controlando o engarrafamento e obras (que são um tormento, todo verão tem mil obras nas federais!) e não é permitido isso, não!
    Já fui de carro pra Croácia também e lá o controle é rigoroso, as rodovias federais são fechadas, o sistema de pedágio é muito justo porque se paga por trecho na saída. Na Hungria é que naquelas estradas no meio do nada isso pode acontecer, mas é justamente ali que a polícia deles ganha uma fortuna, catando os motoristas que ultrapassam velocidade em pontos duvidosos. Pode ser que você tenha passado por um acidente onde a polícia controladamente permite a passagem pelo acostamento. Fora isso, não deixam.

  323. Izidro Hernandes Duran

    -

    17/10/2013 às 9:59

    Fantastica sua observação. Mas, nosso governo, Luiz Pt Inacio da Silva, é essa pessoa que anda no acostamento. É essa pessoa que desrespeita todo mundo. E o que é muito pior, ignora o mal que faz pensando o contrario.

  324. Eduardo

    -

    17/10/2013 às 9:55

    Na verdade todos são otários, e mais otários são os que se consideram “espertos”, pois são os que fazem o país ser essa porcaria que é.

  325. Paulo

    -

    17/10/2013 às 7:34

    O seu texto na verdade deveria apontar a causa de tudo isso: IMPUNIDADE. A educaçao é apenas um pedaço desta irresponsabilidade. O Brasil cresceu muito em numero de pessoas diplomadas, e isto nao mudou em nada o comportamento do brasileiro. Isto é fato! Em todo o mundo, existe a “oportunidade” para fazer o que é errado. Mas se alguem faz é rigorasamente punido. A diferença é que o Brasil oferece a oportunidade e tambem a impunidade. A base desta sociedade doente, e que precisa ser ajustada, se chama justiça. Sem ela nada vai mudar.

  326. Silvio

    -

    17/10/2013 às 2:15

    O brasileiro médio é muito “bonzinho”, ou seja, esperneia mas acaba “vendo o lado” do outro e cedendo “dando a face”. Queria ver se essa “meia duzia” que nos constrangem com essa atitude em especial (furar a fila pelo acostamento e ponto) se eles lá na frente encontrassem uma “tropa de psicopatas” (nós mesmos) não cedendo um milimetro para eles entrarem na pista. A conversa seria bem outra.

  327. Camila

    -

    17/10/2013 às 1:54

    Texto perfeito! Fico inconformada com pessoas que ainda têm coragem de argumentar contra os EUA e a favor dessa mentalidade ridícula dos brasileiros. Obama têm mesmo que vigiar o Brasil e até a casa da mãe Joana! Não está ferindo liberdade de ninguém, pelo contrário… quando tivermos virado uma Venezuela, aí sim vocês poderão reclamar de falta de liberdade, falta de tudo, até de papel higiênico.
    Numa viagem de SP – ES na estrada no rio no Natal de 2012 presenciei um acidente envolvendo 3 carros, todos lotados, pessoas voltando da praia, um deles na contra-mão, passageiros possivelmente sem cinto de segurança, e um dos carros com mais gente do que deveria. Moral da história, 6 mortos na hora! A cena mais terrível que já vi. Nós ali tentando ajudar aquelas pessoas…. As 3 ambulâncias que chegaram depois 40 minutos, não tinham equipamentos, não havia nada! Ou seja: Estrada ruim, gente irresponsável, saúde pior ainda… uma somatória de tragédias. Infelizmente, o país está perdido.

  328. sandro

    -

    17/10/2013 às 1:04

    A Rita não entendeu nada. Já que os pobres invadiram as estradas vamos com nossos carrões pelo acostamento. Haja preconceito.

  329. Dilma

    -

    16/10/2013 às 18:01

    Este é um problema da educação, mas também dos animais. Se olharmos para a educação com um todo, por trás sempre haverá uma figura sombria, a de um cachorro.
    Comento: hehehe

  330. Rita Rafaeli

    -

    16/10/2013 às 16:12

    Não sei por que tanta reclamação do tráfego. Lá onde eu aprendi mal e mal a matemática básica, 2 mais 2 sempre é igual a 4, e não 5 ou 6.
    De repente todo mundo pode comprar um carro em trocentas vezes, e dá-lhe entupir de carros, motos, e caminhões as
    ruas e estradas QUE NÃO FORAM AUMENTADAS, mal se fazendo a conservação do que já existe. Querem o quê?

  331. Jose Francisco

    -

    16/10/2013 às 15:47

    Quando disse antes em meu outro comentário que o brasileiro é improdutivo (claro que há exceções)deixei de dizer que em sua grande maioria é também vagabundo !!!!!. Todo mundo no postinho ou no SUS atrás de um afastamento médico fajuto !!!. Só em São Paulo uma estatística comprovou tempos atrás que cerca de 22% dos professores da rede pública estão sempre de licença médica !!! Que país de doentes não é ? A verdade é que a maioria se mascara de doente para não trabalhar e depois fazer passeata dizendo que não ganha o suficiente. As filas de bancos cheias de crianças “emprestadas” para passar na frente dos outros ou crianças de doze anos no colo !!!!! quem já não viu ?
    A enganação que representam também os serviços públicos (na maioria das vezes)é uma vergonha nacional. O pessoal do serviço público é improdutivo e com isso são necessários três ou quatro pessoas para fazer o serviço que apenas um poderia fazer se tivesse boa vontade e/ou honestidade de propósitos. Enquanto temos trabalhadores como ascensoristas, frentistas de postos de gasolina e cobradores de ônibus, em outros países que souberam crescer as pessoas fazem algo mais inteligente ou produzem maior quantidade de trabalho e com isso são melhor remunerados em média. Trabalho burro não pode pagar salário de inteligente ! Caso os trabalhos burros fossem suprimidos no país (e sempre há políticos mal intencionados impedindo que isso aconteça- haja visto LULA e a exigência de frentistas em postos!!!)nossa verdadeira taxa de desemprego seria de 12 % ou mais. As taxas que são apresentadas aí são engodo total. Subempregos como os que citei antes não deveriam ser considerados pois não são necessários e só oneram o restante da população realmente trabalhadora com custos que poderiam ser evitados.
    Mas não adianta, a maioria do povo é ignorante funcional e se um dia deixar de sê-lo em maioria expressiva, nenhum de nós e nossos descendentes até a quarta ou quinta geração estaremos mais aqui para ver. Portanto amigos, quem puder que se mude pois aguentar isso tudo e mais os motoboys todo dia é realmente um karma que só deve ser enfrentado por quem não possui qualquer outra alternativa. O Brasil é extremamente cansativo. Boa sorte a todos !

  332. Jose Francisco

    -

    16/10/2013 às 15:16

    Concordo em gênero ,número e grau com a Rosana (7:29). Acrescento apenas que a meu ver Guarulhos é a UNICA e não somente a melhor saída. Esse país não tem jeito nos próximos séculos. Será cada vez pior viver aqui nas próximas décadas, acompanhado desse povinho aproveitador, eleitor do PT e extremamente improdutivo.
    Salve-se quem puder !

  333. denis

    -

    16/10/2013 às 13:52

    Bem dito. A propósito, poderíamos completar, dizendo que Angra pode ser um paraíso natural, visto de longe, porém é uma cidade cheia de mazelas, como favelas, esgoto a céu aberto, falta de escolas, hospitais, praias poluídas, criminalidade. Isso é o ‘paraíso’? Creio que não. O brasileiro não se atenta aos detalhes, não dá atenção ao próximo, não deseja o bem ao seu vizinho. Só seremos grandes quando construirmos um Brasil excelente para todos.

  334. Indignado

    -

    16/10/2013 às 11:13

    O ponto não são os impostos mas sim ética!
    As pessoas reclamam dos impostos mas buscam uma forma de burlar os mesmos, grandes construtores reclamam que pagam altos impostos ,mas arrumam formulas para não pagarlos. outros por sua vez trafegam no acostamento que não deveria ser usado. e Pasmem sempre na grande maioria são esses mesmos que elegem nossos governantes e que reclamam deles. Precisamos de uma reforma desde a coisa mais simples, ter clareza em tudo que fazemos, transparência e fazer sempre do jeito certo. Hoje todos buscam ser Gerson, levar vantagem em algo. Na realidade precisamos é buscar o certo em todos ai sim teremos os demais níveis melhores. Não basta criticar o governo nem os impostos temos de ser éticos.

  335. Marcelo

    -

    16/10/2013 às 11:09

    A volta do litoral norte paulista é a mesma coisa!
    A volta do litoral norte paulista é a mesma coisa!
    A volta do litoral norte paulista é a mesma coisa!

    Gente sem respeito!!!

    Será que eles também furam a fila do supermercado, do banco????

  336. Pedro

    -

    16/10/2013 às 9:46

    Dean, provavelmente as pessoas que estavam trafegando no acostamento nesses países, em sua grande maioria eram brasileiros fazendo o que melhor fazem, sendo “malandros”.

  337. Rosana

    -

    16/10/2013 às 7:29

    Melhor saída: Guarulhos.

  338. Nozes

    -

    16/10/2013 às 1:39

    E as viúvas de lula e fidel piram quando ouvem falar algo bom dos EUA. Comunismo é um lixo retrógrado e os EUA, achem vocês bom ou ruim, são o país mais próspero do mundo. O brasileiro tem que, antes de qualquer coisa, olhar para o seu próprio umbigo e parar de colocar a culpa do nosso atraso no imperialismo americano. Esse argumento mentiroso já deu o que tinha que dar! A culpa é nossa mesmo e de mais ninguém! Não precisamos de ninguém aqui pra nos roubar ou nos colocar pra baixo. Esse papel é cumprido com excelência pelo próprio brasileiro, desonesto e cheio de malandragem para cima de seu próprio povo!

  339. Nathália Brito

    -

    16/10/2013 às 1:20

    Todos com seus carros. Vítimas!!! Temos que investir em TRENS, TRENS, TRENS, TRENS, TRENS, TRENS, TRENS, TRENS, TRENS, TRENS, TRENS. Mais FERROVIA, FERROVIA, FERROVIA, FERROVIA, FERROVIA, FERROVIA, FERROVIA, FERROVIA!!!!!!

    “Tentar resolver o problema do trânsito alargando estradas, é o mesmo que tentar combater a obesidade afrouxando o cinto da calça”

    ACORDEM!!!!!!!

  340. Anonymous

    -

    15/10/2013 às 23:48

    E vai ficar parado sem fazer nada? O que geralmente eu faço é colocar meu carro metade no acostamento, metade na estrada. Estou errado por usar o acostamento? Estou, mas só o fato de prejudicar quem nos prejudica já vale a pena.
    Tá incomodado? REAJA! Senão nunca nada muda.

  341. -

    15/10/2013 às 23:41

    Uma lástima.
    Baldasso… já cansei de ver gente passando pelo acostamento nas estradas de Santa Catarina (sobretudo BR-101, de norte a sul). Muuuuitas vezes.

  342. Dean

    -

    15/10/2013 às 19:07

    Acho válido expressar indignação, mesmo porque trafegar pelo acostamento é pura falta de bom senso. Contudo, isso não é um fato isolado brasileiro. Fiz uma viagem nessas férias desde a a França até a Croácia e em TODOS os países (Alemanha, Hungria, Itália, etc), quando havia trânsito, sempre haviam carros trafegando pelo acostamento. Portanto, antes de criticar, vale a pena se informar e não se basear em fatos supositórios. Gente sem educação existe em toda parte, talvez o Brasil tenha uma das maiores concentrações por metro quadrado.

  343. Chuck

    -

    15/10/2013 às 16:51

    “…estas barbaridades não acontecem em São Paulo…”
    Baldasso, você está enganado. Moro em São Paulo e viajo com frequência. A mesma coisa acontece aqui, sim, constantemente.

  344. Chuck

    -

    15/10/2013 às 16:46

    Texto muito bom, concordo que a nossa mentalidade individualista é um dos maiores entraves do avanço do Brasil nos rankings de desenvolvimento, mas tenho alguns comentários:
    “As pessoas reclamam dos pedágios nas vias privadas, mas deveriam reclamar é dos elevados impostos”
    Cobrar impostos não é o problema, na minha opinião, mas sim a maneira com que esse dinheiro é investido. Vide os países nórdicos, que estão na ponta dos rankings de impostos cobrados e qualidade de vida, simultaneamente. Imposto alto não é problema, quando bem investido.
    Outro ponto com o qual não concordo é colocar os EUA como modelo de comparação. Esse tipo de atitude é outro problema grave na nossa mentalidade, acredito, mas dessa vez está sim relacionado com renda e educação. Muitos compram a idéia do “American Way of Life” até hoje, cegos aos graves problemas do país. A vida nos EUA não é mais tão boa quanto nos fazem acreditar. Basta acompanhar a situação dos veteranos das recentes guerras e dos jovens universitários, por exemplo, que simplesmente não encontram empregos. Mas não terminam aí os problemas, aliás, longe disso. Na minha humilde opinião, passou da hora de os formadores de opinião abrirem os olhos e adotarem outros exemplos de modelos de sucesso que não os EUA. Basta uma breve olhada para a Europa e Asia que encontramos exemplos melhores de governos que conseguem transformar o sucesso economico em uma melhor qualidade de vida pra sua população.

  345. Heitor

    -

    15/10/2013 às 16:35

    Nunca vou em acostamento. Não é por medo ou por coerencia… é por uma coisa que me diferencia desses pobres coitados que acham q levam vantagem: “caráter”. Ou você tem, ou você não tem… minha consciencia é a que basta!

  346. Baldasso

    -

    15/10/2013 às 16:33

    Também fiquei apavorado quando uma vez voltei de Búzios para o Rio.

    Agora, estas barbaridades não acontecem em São Paulo e aqui, no Sul Maravilha. Será coincidência que temos melhor qualidade de vida do que lugares onde a cultura da malandragem impera? (Veja bem, é claro que existem malandros por aqui, mas não fazem parte da regra, como se vê nos Estados do Rio de Janeiro, Bahia, Alagoas e outros por onde estive).
    Vão me chamar de bairrista, mas é apenas a constatação de uma realidade que eu gostaria de ver superada.

  347. Felipe Assef

    -

    15/10/2013 às 15:01

    Maestralmente redigido. Parabéns pelo excelente texto.

  348. Frank Lanne

    -

    15/10/2013 às 12:49

    Isso, há muito, é um dos efeitos diretos da moralidade em queda, que é o resultado direto da FALTA DE TEMOR ao Deus da Bíblia, o Deus dos judeus e dos cristãos _ para falar sem rodeios, ou sendo curto e grosso. Divaguem o que quiser, mas quem ousar investigar as razões sem desgrudar-se um segundo sequer da sinceridade, deparar-se-á com esta conclusão. Fica o desafio proposto pra quem quiser.

  349. Beny

    -

    15/10/2013 às 12:22

    Já diz o hino nacional “Deitado eternamente em berço esplendido”
    Rodrigo Constantino, seu texto é o retrato de nossa querida nação! parabéns.

  350. Felipe

    -

    15/10/2013 às 12:12

    Sério?????: “americanos, por exemplo, seguem as regras, seja por conscientização ou por medo da punição, e vivem em um dos países mais prósperos do mundo.”
    Desculpa, mas vc precisa viajar um pouco mais! E outra, afirmar que as taxas brasileiras de impostos são das mais altas do mundo, é de um desconhecimento enorme. Até que o texto começou bem, mas vc retrata a péssima educação acadêmica brasileira. É praticamente uma meta-linguagem!
    Comento: Felipe, eu já devo ter ido aos EUA umas 15 vezes. No mais, basta ver o RESULTADO. Sobre carga tributária, caramba! Procure um site do Banco Mundial, da OECD, da Cia World Fact Book. A nossa está entre as mais altas do mundo sim! E se comparar com emergentes apenas, é líder.

  351. Datak Tarr

    -

    15/10/2013 às 12:06

    É por isso que acostamento deveria ter uma lombada a cada 10 metros.

  352. Eugenio

    -

    15/10/2013 às 11:56

    Eu concordo com você. E tenha certeza, todos que já passaram um tempo fora, certamente vão afirmar que isso no Brasil NUNCA vai mudar. Falar que é cultural é um conforto? Não, é a realidade mesmo… o povo brasileiro nunca terá este estado de educação social, e o governo também não está nem aí para a repressão àqueles “malandros”.

  353. Francisco

    -

    15/10/2013 às 11:29

    Tinha que ser da Veja para comparar Brasil e EUA, sempre enaltecendo os “perfeitos” americanos.
    Para sua informação, morei no Texas e lá as pessoas passam carros pelo acostamento, param em local proibido e, nos estacionamentos, param nas vagas destinadas a idosos e deficientes porque é “mais perto da porta”.
    Comento: Francisco, vai ver por isso o Brasil está tão melhor do que os EUA, não é mesmo?

  354. Odivaldo

    -

    15/10/2013 às 11:08

    Realmente é o retrato do Brasil de tolos.

  355. Rafa

    -

    15/10/2013 às 11:05

    Somos um país de otários analfabetos que se acham malandros. Simples assim.

  356. filipe

    -

    15/10/2013 às 10:55

    Seu texto soa mais por um desabafo de quem perdeu horas numa estrada, e não de quem enxerga o país com a pureza de seu discurso.

  357. Bruno Sampaio

    -

    15/10/2013 às 9:09

    Orion
    Sou motociclista, sei o que é andar em velocidade, e não vi nenhuma imprudência por parte do motociclista do vídeo. Ele estava em velocidade compatível com a via, tudo certinho. Sei que há muito abuso, e eu mesmo tenho mais medo de “motoqueiros” do que de motoristas de carros que, no entanto, fazem das suas também. São uma minoria, e como sempre, faz mais barulho que quem segue a lei, ganhando uma visibilidade maior.

  358. Bruno Sampaio

    -

    15/10/2013 às 9:03

    POis é. Esse é um dos motiovos que me brocha de ir a Angra e adjacências. Uma estrada com um visual tão bonito entregue aos “espertos”. UM amigo meu que morou muitos anos em Los Angeles, tem uma frase ótima: “país onde todo mundo é esperto, todo mundo é otário”

  359. Gervasio

    -

    15/10/2013 às 9:02

    Esta é a mesma mentalidade de quem para numa vaga para idosos ou deficientes e se sentem totalmente no direito de ali parar porque todas as outras vagas estavam ocupadas. Ou de alguém que joga lixo/bituca na rua com o argumento de que esta dando emprego aos varredores.

    Quem nunca presenciou uma cena dessas no nosso querido Brasil?

    Fica ainda aqui uma duvida. Porque 100% dos fumantes jogam bitucas de cigarro na rua?

  360. Joel

    -

    15/10/2013 às 8:12

    Boa oportunidade para analisarmos Angra, a foto é do povão, você deveria colocar também, fotos das ilhas ocupadas irregularmente, por políticos e empresários corruptos, devastando a natureza e proibindo os mortais de frequentar tais lugares que deveriam ser públicos, então quando eles olham uma reportagem destas eles pensam, esta aí o que queríamos os contribuintes brigando entre si…

  361. Rubens

    -

    15/10/2013 às 1:26

    Isso acontece mais no Rio do que em qualquer lugar do Brasil. Sei porque viajo muito. Aqui em São Paulo, em bairros mais afastados, os motoristas, inclusive de ônibus e peruas escolaraes, ignoram as placas de PARE. Acham que por a rua ser reta, ignoram a placa de PARE para quem está em uma perpendicular subindo? Ou seja, pensam assim: se o cara está subindo, ele vai parar. Eu estou mais rápido, e não paro. Boa reportagem. Temos que bombardear a mídia com um mínimo de respeito à vida. O carro é uma arma, principalmente porque muita CNH é comercializada por todos sabem por quem.

  362. Almir

    -

    15/10/2013 às 0:53

    O senhor correu um grande risco, sr. Constantino, ao barrar a entrada do outro carro na sua frente. Não é raro este tipo de incidente )discussão no trânsito) acabar em um ato de violência radical. O senhor teve sorte!

  363. Elias Junior

    -

    15/10/2013 às 0:40

    Então me pergunto, para que corredor de ônibus? Obviamente para facilitar a vida desses otários, pois a ineficiência do sistema que esta mais preocupado em garimpar votos, não leva em consideração que não tem capacidade para fiscalizar tais leis, o que me remete a uma reportagem da própria veja que falava que o governo quer ser baba do povo…. porem nesse caso eu diria ser “A mão que balança o berço (do gigante adormecido)”

  364. Gonçalo Osório

    -

    14/10/2013 às 23:30

    O PT ganha eleição por ser o retrato desse Brasil que você descreve.

  365. carlos Pommer Jr

    -

    14/10/2013 às 23:05

    O problema do brasileiro é se contentar com pouco. Ter prazer em passar pelo acostamento para ganhar alguns minutos é tão pobre. Morando fora do Brasil é que noto isso. Tento entender o motivo da lei de gerson em tanta coisa e chego sempre a essa conclusão: pobreza de espírito. Tanto stress por nada.

  366. pedrusko

    -

    14/10/2013 às 22:52

    Tive uma prima que foi atropelada no acostamento enquanto meu tio trocava o pneu. Múltiplas fraturas etc. O cara fugiu.

    O trânsito na cidade de São Paulo é uma verdadeira guerra. Porém , é uma minoria que desrespeita as regras do trânsito.
    A espécie chamada marronzinho só serve para multar e não ajudam a organizar o trânsito. Flagrei dois deles sobre uma ponte com um radar móvel escondidos atrás da mureta para multar excesso de velocidade. A via em questão está sempre engarrafada.
    Num posto da Polícia Militar na Rodovia Raposo Tavares tem um esquema bem surreal: os guardas param os carros com licenciamento atrasado fotografados ao trafegarem e lascam a multa. Uma funcionária de um escritório de despachante está lá para te levar ao banco mais próximo para você pagar a multa e cobrar pelos seus serviços e de outros. Depois te leva de volta ao posto policial para liberar o carro antes do guincho. Presenciei a funcionária descrita entrando numa sala dos policiais. Suponho que era para dar algum presente à eles. Enquanto isso na mesma estrada houve diversos acidente por excesso de velocidade. Eles não estão patrulhando nada.

  367. Jorge S

    -

    14/10/2013 às 22:42

    Respeito ao próximo. Provavelmente o mais essencial mandamento cristão.
    Tudo o que não seja consumado em tragédia, para nossas autoridades, são detalhes,e não interessa. Já não têm controle.

  368. Renato

    -

    14/10/2013 às 22:40

    Sou brasileiro, moro no Canada ha 3 anos. Morava no Rio de Janeiro antes da minha decisao (sem arrependimentos)de mudar. Eu fazia o mesmo trajeto aos feriados e eu era um dos “otarios” que trafegava na pista correta. Em 3 anos de Toronto NUNCA vi ninguem trafegar no acostamento e quando ha algum acidente ou construcao na pista e os motoristas sao obrigados a convergir em uma unica pista seguem a politica do “ceda”, um de cada vez, priorizando o fluxo e evitando acidentes. As pistas sao de alta qualidade mesmo com as mudancas climaticas rigorosas, de 35 negativos a 35 positivos e o nosso “IPVA” e’ de apenas 85 dolares, independente do ano ou modelo do carro … Infelizmente o que acontece no Brasil e’ extremamente complexo e multifatorial, muita corrupcao e pessima gestao, nao havera mudancas significativas em educacao e cidadania em prazo nenhum …

  369. Júnior

    -

    14/10/2013 às 21:35

    Engraçado que vejo a mesma malandragem, dizem só o carioca tem, também por esse Brasil afora. Concordo em tudo que está escrito nesse texto, mas só não concordo com a xenofobia observada nos comentários. Realmente Rodrigo, nosso povo não pode reclamar dos governos que se sucedem, é só observar a xenofobia declarada nos comentários de sua coluna. Isso confirma ainda mais o nível em que se encontra, nós brasileiros, q é de um primitivismo absurdo. Prova que o Brasil ainda está muito longe de ser um país civilizado, é só ler os comentários de certos boçais aqui mesmo. Pobre Brasil…

  370. olavo

    -

    14/10/2013 às 20:40

    Caro RC: Dwight Eisenhower, General americano, combatente na segunda guerra mundial, quando chegou na Alemanha depois do dia D, ficou impressionado com a qualidade das estradas lá existentes. Descobriu que Hitler deslocava suas tropas com rapidez para qualquer lado do continente em função da boa infraestrutura. Ficou tão impressionado, que em 1953, eleito o 34 presidente americano, copiou toda a qualidade que os alemães imprimiam às suas estradas, fazendo mais de 30 mil kms de rodovias que estão até hoje em uso. E nós… bem… nós,…

  371. Gastão Tudinsk

    -

    14/10/2013 às 20:14

    Rodrigo, perfeito sua exposição.O brasileiro cresceu economicamente mas não intelectualmnte.O camarada compra um veículo com toda tecnologia existente no mundo porém seu cérebro é de um atraso impressionante.O brasileiro pensa com os pés e é por isso que existem tantos acidentes ceifando inúmeras vidas.Normalmente o brasileiro procura uma desculpa para seus erros,estrada ruim,chuva,outro motorista etc…Se a estrada é ruim é mais um motivo para tomar maiores precauções e andar devagar,se está chovendo idem.Última pesquisa demonstra que das 20 melhores estradas do Brasil 19 estão no Estado de São Paulo.Acho que está na hora de outros governadores começarem a trabalhar.

  372. Wagner Athayde

    -

    14/10/2013 às 19:58

    Tá aí: o retrato do Brasil não vai mudar!Infelizmente!!!!

  373. Irllan

    -

    14/10/2013 às 19:48

    Excelente comparação. Eu me sinto exatamente assim.
    O que podemos fazer? Continuar fazendo o correto! E esperar que nosso exemplo, um dia, seja a atitude comum de nosso povo.

  374. Orion

    -

    14/10/2013 às 19:34

    Virou “sucesso” na internet e foi exibido na TV, também, o vídeo de um motoqueiro sendo assaltado e um policial abatendo o bandido. O que passou desapercebido foi que o motoqueiro assaltado, momentos antes, estava em alta velocidade, ultrapassava ora pela esquerda, ora pela direita, passava encima das zebras. É o típico motoqueiro que temos que enfrentar no dia a dia. Ele não respeita a lei, nem ninguém. Se acha dono da rua. É o típico motoqueiro que causa e sofre acidentes e vai ocupar um leito em algum hospital público. Atenção, 70% dos leitos hospitalares públicos são ocupados por motoqueiros acidentados. Então, se você ou algum familiar ou amigo precisar ser internado num hospital, algum dia, saiba que um motoqueiro pode estar ocupando seu lugar.

  375. Walter

    -

    14/10/2013 às 19:13

    Excelente reportagem, Rodrigo. As pessoas que infringem as leis no transito são as mesmas que exigem um governo mais íntegro e eficiente. “O diabo está nos detalhes” é muito do que define o Brasil, isto é, nas sutilezas dos atos, como andar pelo acostamento e jogar lixo na rua só refletem um péssimo comportamento, decorrente de uma educação pífia e, principalmente, um sistema punitivo que não funciona.

  376. Edgar

    -

    14/10/2013 às 18:48

    Ok. Todo mundo é santo por aqui. Cheio de gente fina. Quero ver na prática quem anda ,por exemplo, no limite de velocidade permitida. Normalmente já morreu atropelado.
    As estradas, de fato, são sucatas remendadas em pavimento de primeira qualidade bolivariana. Deve ser de material cubano. Do bom. É o que temos pra hoje! Saudações amantes do PT.

  377. Max

    -

    14/10/2013 às 18:42

    Esse Thales deve ser um dos malandros que passam pelo acostamento.

  378. geraldo

    -

    14/10/2013 às 18:05

    Em primeiro lugar, quem segue as leis não pode ser chamado de otário. Esses são, de fato, cidadãos. Em segundo lugar, ao passarem pelo acostamento, não estão chamando os outros que aguardam em fila de otários. São os que estão na fila que se sentem otários, com uma baita vontade de transgredir a lei, só não fazendo sabe-se lá porque. Finalmente, aqueles que se julgam espertos na verdade são os grandes otários pois só se realizam infringindo a lei, tendo a falsa impressão de que estão levando vantagem em algo que só na cabeça patética dessa gente pode ser considerada como vantagem. Otários e espertos, somos todos vítimas, farinhas do mesmo saco…só não somos vítimas porque fomos nós mesmos que escolhemos esses imbecis para governar um país tão lindo quanto o Brasil.

  379. Renato

    -

    14/10/2013 às 17:04

    E tantas outras coisas que acontecem no nosso cotidiano que poderiam aqui ser escritas…

  380. Paulo Silveira

    -

    14/10/2013 às 16:12

    Boa reportagem, mas mudar a mentalidade vai ser difícil, é só olhar um comentário que diz que a mesma não procede, o cara tá de brincadeira ou não entendeu teu texto.

  381. Antonio

    -

    14/10/2013 às 16:00

    boa tarde. 1- Digo ao Sr Thales que diz que os americanos são os que mais violam leis e bla bla bla. sera que achas mesmo que o Brasil também não espiona. ora claro que sim. e não é um erro que justifica o outro. 2-como dia Santo Agostinho ” educai as crianças e não precisareis punir os Homens” e por último cito o Capitao Nascimento ” Jamais serão, jamais serão” isrto é endêmico, pois um pais que foi colonizado por Degradas, e bandidos e parias da pior espécie. Esse comportamento esta Encravado em nosso DNA, alguns lutam bravamente contra, mas na maioria das vezes isso é regra.

  382. Márcio / RJ

    -

    14/10/2013 às 15:11

    Rodrigo,
    Certíssimo! Brasileiro é mal educado, sim. Mas muita dessa malandragens do trânsito são culpa da pouca oferta de espaço na rodovia, e na cidade também. E não é por falta de impostos. Há DÉCADAS ocorre a invasão do acostamento na volta da Costa Verde para o Rio nos finais das semanas ensolarados. Imagina se houver uma evacuação de emergência de Angra! As pessoas então usam o espaço que enxergam, ficam agressivas. Acostamento vira desperdício. Lembro do filme Ensaio Sobre a Cegueira. Apesar de comunista não “enxergar” escassez, Saramago mostra que quando ela ocorre o comportamento muda. É a velha história da “farinha pouca meu pirão primeiro”. Escassez das coisas básicas que as pessoas tem direito ajudam muito para a má educação. Não somos japoneses, nesse sentido, infelizmente!

  383. Nelson Simas

    -

    14/10/2013 às 13:27

    Está aí a essência da doença brasileira. Eu desisti, sei nesta altura da vida que não há solução.

  384. Márcio Astrachan

    -

    14/10/2013 às 13:23

    Prezado Rodrigo, de Roberto DaMatta
    “O trânsito no Brasil é considerado caótico, com uma alta carga de agressividade e violação das leis que causam um grande número de acidentes e mortes. À parte a responsabilidade do Estado pela manutenção de ruas e estradas, essa tragédia sobre rodas pode ser atribuída principalmente à cultura do brasileiro em dispor do espaço público como seu e de mais ninguém. “Fechar”, “furar” e “dar um balão” são as versões do popular “jeitinho brasileiro” usadas por motoristas no dia a dia. O estudo da dinâmica do sistema de trânsito no país deu origem ao ensaio inédito Fé em Deus e pé na tabua – ou como e por que o trânsito enlouquece no Brasil, do antropólogo Roberto DaMatta, que chega às livrarias este fim de semana, pela Rocco.”

  385. Renato Lopes de Morais

    -

    14/10/2013 às 13:01

    Rodrigo, boa tarde!
    Perdoe-me por usar este espaço, mas gostaria muito que você fizesse um texto, ou apenas “comentasse os comentários” deste texto: http://meiobit.com/269181/lista-dos-apps-obrigatorios-nos-smartphones-segundo-governo-brasileiro/

  386. Mauricio Suar

    -

    14/10/2013 às 13:00

    Sabe o que eu faço quando isso acontece? Vou para o acostamento também e fico andando na mesma velocidade das filas normais. Assim ninguém consegue passar. É um prazer orgásmico.
    Se muitos fizessem isso tenho certeza que isso diminuiria bastante.

  387. Thales

    -

    14/10/2013 às 12:55

    Os “otários” dos americanos estão entre os que mais violam regras, inclusive seu governo que passa por cima de tudo e todos para alcançar seus interesses. Espionagem internacional pra mim é mais grave que andar no acostamento. Mesmo assim eles sao a grande potencia mundial. Essa reportagem não procede.

  388. Ricardo

    -

    14/10/2013 às 12:41

    Trocando em miúdos:quando os governantes se olham no espelho o reflexo que veem é o do povo.Nosso futuro? Um belo quarto mundo comunista.

  389. Hugo

    -

    14/10/2013 às 12:30

    O pior do Brasil é o brasileiro.

  390. Mário

    -

    14/10/2013 às 12:26

    Olha Rodrigo você está coberto de razão , como dizemos aqui no interior de São Paulo ” Eita povinho sem vergonha ” .

  391. Renata

    -

    14/10/2013 às 12:26

    É exatamente como naquele seu excelente desabafo “A culpa é sua”, Rodrigo.Pois não se diz por aí que nossa classe política é exatamente a cara da nossa sociedade? Que temos os governantes que merecemos, porque votamos neles? Pois é…

  392. Adriano Luchiari

    -

    14/10/2013 às 12:17

    O Élvio resumiu muito bem o porque da falta de “berço”, independentemente de classe econômica ou social. A família forma os indivíduos, é responsável por sua formação ética, moral e social. À escola caberia informação e formação cívica, e muitos pais abdicam de sua função para delegar a ela a formação de seus filhos quando esta é falha inclusive na sua atividade-fim.

  393. Luiz

    -

    14/10/2013 às 12:16

    Vou contar uma história que aconteceu comigo para termos uma ideia até onde vai a malandragem do brasileiro.
    Estava eu de presidente de uma seção devotação em uma dessas eleições, quando apareceu na porta da sala uma senhora com uma criança de colo.
    Imediatamente passou à frente dos demais, uma amiga de trabalho segurou a criança para que a senhora votasse.
    Depois de algum tempo surgiu na porta da sala uma outra senhora com a mesma criança no colo para passar a frente da fila de votação.
    Veja a “criatitivade” malandra do brasileiro.
    Estamos longe de ser uma país civilizado, educado e moderno.

  394. ALEXANDRE

    -

    14/10/2013 às 12:16

    Em situacao semelhante, parei em um acostamento para respirar e tomar um suco. O que a fila dos espertinhos fizeram, alguns desceram do carro para tentar me agredir.

  395. Mario Arone

    -

    14/10/2013 às 12:04

    Chora não amigo, outro dia estive no Rio, e é impressionante o quanto o transito é caótico aí. Sinal, farol, para que, os motoristas vão em frente e é só buzina. Ao meu querido amigo Mauricio que me recebia, tive que desabafar, onde estava o espírito do carioca, de calma, de saber viver, de ao final da tarde parar e ver a beleza que é o Rio, tomando uma cerveja, rindo. Não existe mais, realmente eu prefiro o transito de Sampa, ao caos que o Rio se tornou!!!

  396. Johnny

    -

    14/10/2013 às 11:52

    Em poucas palavras o retrato dessa nossa republiqueta,fomos invadidos por boçais em todas as frentes,empresarios,sindicalistas ,donas de casa,professoras,policiais,medicos,enfermeiros,donos de padaria,todos eles infectados pelo vírus da ignorância e boçalidade.
    Somos aqueles zumbis do seriado Walking Dead.
    O Brasil é uma imenso paraíso de zumbis.

  397. Fabio Junto

    -

    14/10/2013 às 11:42

    Isso tudo é verdade e já passei e pensei o mesmo mas acredito que mais uns 400 anos e estaremos um pouco melhor ou eventualmente todos mortos, pensar que na Idade Média também era pior, se não fosse rico/nobre, também ajuda aguentar a barra…..

  398. YYZ

    -

    14/10/2013 às 11:37

    No Brasil, com esse estado fraco e perdulário, vale mesmo a “tragedy of the commons”.

  399. Fernanda Aline Rodrigues

    -

    14/10/2013 às 11:31

    Rodrigo, é tanta malandragem e sacanagem, que quando vc quer e faz a coisa certa, parece que o errado é vc, aqui o rabo tá abanando o cachorro, a ordem das coisas se inverteu e tá tudo perdido!

  400. Miguel

    -

    14/10/2013 às 11:08

    Muito bom Rodrigo, essa cultura da malandragem sempre será nosso “carma” por aqui… juntando com má gestão pública, ai ferrou! Brasil não anda…

  401. Junior

    -

    14/10/2013 às 11:00

    Rodrigo,tenho uma amostra desta infeliz visão todas as vezes que preciso sair da faculdade por volta das 22 horas. Num ambiente onde teoricamente as pessoas seriam “educadas”, o que se vê é a aplicação da lei de Gerson, carros que estão estacionado ao lado do final da fila cortando e tentando sair na frente dos outros, por vezes se forma três ou quatro filas em cada saída do estacionamento. Essa “cultura” do malandro é um dos piores males (senão o pior) de nosso país. Se conseguirmos combater este mal, já teremos dado o principal passo para um país civilizado e desenvolvido.

  402. Memyself

    -

    14/10/2013 às 10:52

    Quanta verdade! Certa vez, chuva e congestionamento em São Paulo, final de tarde. Eu no meu lugar, esperando a oportunidade de atravessar o cruzamento. O esperto na contramão, só não causou um acidente porque seu anjo da guarda estava atento, ficou bravíssimo quando me recusei a deixá-lo entrar na minha frente! Não consigo entender que as pessoas pensem que são mais importantes do que as outras, as que obedecem as regras. São é um bando de safados! Colocados onde estão os safados-mor do Brasil, fariam a mesma coisa que eles.

  403. sem noção

    -

    14/10/2013 às 10:51

    Cada país tem o Governo que merece… Cada Governo tem o país que merece… O Brasil é um país que não deu certo!!!!!…

  404. Arthur T

    -

    14/10/2013 às 10:44

    Me pergunto em que local da internet estão esses malandros, que não se pronunciam. Aqui aparentemente só tem gente educada e exemplo para a sociedade mundial. Rs…
    PS: eu sinto odio de motoristas que trafegam pelo acostamento, cortam caminho, dão ré porque se enganaram na entrada, não respeitam faixa de pedestres, tentam levar vantagem sobre os outros em uma simples entrada de conversão, ou até mesmo numa simples espera de mesa em restaurante, usam influencia de amigo para adiantar a vez, entre diversas outras mazelas. O povo brasileiro, infelizmente, é tosco e se acha incrível.

  405. Bruno

    -

    14/10/2013 às 10:39

    Perfeito!

  406. André

    -

    14/10/2013 às 10:36

    Já passei pelo acostamento. E sabe pq? De tanto sofre bullying por ser honesto, pagar cada centavo do IR, fazer a revisão recomendada do carro para não colocar ninguém em risco…cansa! Foi uma revolta. Mas me arrependo amargamente de ter me tornado igual ao lixo que habita estas terras. Voltei a ser o “nerd” que respeita as instituições, que segue as cartilhas, que entra na fila, MAS, Ah se eu pudesse ir embora!!!!

  407. Ali

    -

    14/10/2013 às 10:23

    Mas que alternativa resta para nós brasileiros? O acostamento..

  408. Alexandre

    -

    14/10/2013 às 10:22

    Que azar o seu ir a Angra. Precisamente por esta razão deixei de ter este prazer há anos. É exatamente assim: a ida e a volta são tão angustiantes que não vale o prazer de passar um ou dois dias na praia. Aliás, a essa constatação do trânsito somo outra: você teve a oportunidade de ir à cidade de Angra, ou ficou apenas nos arredores? A sede do município é também um retrato triste da nossa realidade; tanto potencial, tanta beleza, que se tornaram um lixo pela ocupação sem ordem, pelo descaso exemplar da prefeitura.

  409. Patrizia Suzzi

    -

    14/10/2013 às 10:07

    O Brasil dá vontade de delinquir.

  410. Renata

    -

    14/10/2013 às 9:35

    Perfeita análise, este tipo de fatos é normal no nosso dia a dia.Não resta a menor dúvida que este desgoverno é retrato fiel de um sociedade em que predomina a lei de Gerson e acaba todo cidadão vivendo na lama!

  411. Rod

    -

    14/10/2013 às 9:23

    Muito bom !!!

  412. Berlatto

    -

    14/10/2013 às 9:16

    Rodrigo, não por acaso, mais três americanos, ou “estadunidenses”, como dizem os esquerdopatas, ganham o Prêmio Nobel. Enquanto isso aqui em Banânia, o que se vê? Desrespeito às leis e a total falta de educação, como bem vc diz no teu post.
    Aqui nestepaíz, caro Rodrigo, é o paraíso da “cumpanherada”. Ser educado, ser ético, ter moral, ter hombridade é coisa da “direita moralista”. Ô!, bando de vigaristas.

  413. roby

    -

    14/10/2013 às 9:06

    Sabe uma coisa que me ofende muito nas rodovias paulistas (e acho que no Rio de Janeiro não deve ser diferente)? Aquelas placas dizendo ‘NÃO JOGUE LIXO NA ESTRADA’. Será que é mesmo necessário esse tipo de solicitação? A simples urbanidade não nos diz que isso é uma prática incivil, antissocial, cretina mesmo?
    Fiquei também sabendo que as mantenedoras das rodovias gastam MILHÕES DE REAIS na coleta desse lixo. Quer dizer: dinheiro que poderia ser empregado na melhoria do asfalto, na sinalização de segurança ou no embelezamento das estradas é desperdiçado por causa da falta de educação dos usuários.
    Não é para ter vergonha de um país cuja população — no geral — aprova esse tipo de comportamento? Que país do futuro, que nada! Já perdemos o bonde da história porque um povo assim merece o governo vigarista que tem.

  414. JT

    -

    14/10/2013 às 8:44

    Já estive em situação semelhante na estrada, sendo ultrapassado pelo acostamento por incontáveis carros.
    Sabe oque fiz?
    Mantive duas rodas na pista e joguei as outras duas sobre o acostamento.
    Tive como resposta buzinaços e faróis altos piscando sem parar, pois havia trancado a esperteza dos malandros.
    Minha esposa ficou nervosa e pediu para eu retornar totalmente à pista.
    Mas então um caminhoneiro copiou o meu exemplo. Vi pelo retrovisor.
    Na verdade, também agimos de modo errado. Na ausência do Estado, não podemos agir como juiz ou polícia.
    Isso é ainda mais revoltante.

  415. Karolie

    -

    14/10/2013 às 8:30

    Rodrigo, acho pertinentes seu comentário e seu descontentamento e compartilho deles também em alguns lugares aonde vou mas achei o trecho “Verdadeiras espeluncas sobre rodas, que deveriam estar no ferro velho, passam pelo acostamento junto com carros que valem uma fortuna” preconceituoso e arrogante. Muitos brasileiros não necessariamente andam em “espeluncas” por gostarem, mas porque não podem comprar um carro melhor. Sei que isso pode comprometer a própria segurança deles, por exemplo, mas por isso outros cidadãos têm direito de chamar o que eles possuem de “espelunca”? Acho que não é necessário humilhar dessa forma quem não tem condição de comprar um carro melhor. O que está em questão é o que pagamos vs. o retorno na manutenção das vias e o comportamento dos motoristas. Acho que esse trecho do texto merece correção.
    Comento: não humilhei ninguém. Apenas falei o óbvio: carros sem condições não podem trafegar, pois colocam os demais em perigo. Carro sem luz de freio, sem farol…

  416. Doni

    -

    14/10/2013 às 7:51

    Onde está escrito que o governo brasileiro quer reduzir a miséria? Em lugar nenhum. A ideia é fazer do miserável um miserável feliz para perpetuá-lo. Esta é a razão que a miséria, principalmente a intelectual, em nosso país é o que mais se multiplica.

  417. Womabtmucholoco

    -

    14/10/2013 às 5:52

    Caro Rodrigo,
    durante muitos anos eu passei e ainda passo quando vou a minha casa em Mangaratiba. Este comportamento não é novo assim como suas causas e suas consequências, uma vez que brigas, batidas e atropelamentos são comuns nos “acostamentos” da estrada Rio-Santos.
    É uma simples questão de educação, coisa que boa parte dos brasileiros não têm. Estudo e diplomas que caem no universo da instrução não têm nada a ver com educação ou a falta dela e como não poderia deixar de ser, ficou evidente na tua observação sobre os carros que se utilizam do acostamento para passar a frente dos cidadãos honestos e ordeiros.
    Hoje em dia faz-se pouca diferença entre educação e instrução, é tudo “educação”, isso quando não se confunde “educação” com “ética”.
    No mais, o resultado não poderia ser diferente no vácuo completo da ausência de autoridade e serviços (pelos quais pagamos caro).

  418. Silas

    -

    14/10/2013 às 4:06

    Caro Rodrigo,
    Alguns comentários:
    1) Os buracos no “queijo suíço”são necessários ao produto. Comparar estradas brasileiras ao queijo suíço não é uma boa. Que tal comparar os buracos das estradas brasileiras às lacunas do cérebro da Dilma?
    2) Deveríamos mudar a “velhíssima” designação “Lei de Gérson” para uma mais moderna: a “Lei do PT”, partido que está no poder apenas para se dar bem e ferrar – como já ferrou – o país.
    3) Sim, o brasileiro que se indigna com coisas como essas tratadas no post é visto como um ET por muito compatriota.
    4) O Brasil nunca vai dar certo enquanto não mudar a mentalidade.
    5) Sim, os EUA são um país próspero (que o OBAMA e sua turma de esquerdistas tentam a todo custo transformar num brasil)de gente trabalhadora e que respeita as leis.

  419. Julio SP

    -

    14/10/2013 às 3:25

    Concordo com tudo que foi dito, mas gostaria de lembrar que, em situacoes extremas de transito caotico nas estradas do litoral Norte de SP, é permitido transitar pelo acostamento em certos trechos. Costumam até avisar que o trafego esta permitido pelo acostamento. Por isso parece haver tolerancia das autoridades em situacoes de graves congestionamentos.

  420. Felipe

    -

    14/10/2013 às 2:17

    Tava indo bem o texto, até a hora que quis apontar os americanos como exemplo… o brasileiro desrespeita pq sabe q sairá impune, e o americano respeita pois sabe que será punido, nenhum dos dois é exemplo de nada.

    Se é para buscar exemplo, que procuremos nos japoneses, que respeitam as leis puramente por respeito ao próximo, não por medo.

  421. Fabio

    -

    14/10/2013 às 1:31

    Não vou repetir o quanto isso é absurdo, o quanto o povo é mal educado, o quanto o governo é incompetente em investir nosso dinheiro, etc. só deixarei registrado qui meu apoio à indignação com esta situação.

  422. Bruno Sampaio

    -

    14/10/2013 às 1:25

    Um amigo que morou em L.A. (Los Angeles) durante anos me veio com a frase lapidar: Pais onde todo mundo ë esperto, todo mundo ë otario.

    Mario Costa

  423. J.R.

    -

    14/10/2013 às 0:03

    *
    Fui conhecer a cidade de Campos dos Goytacazes em um desses feriados.
    Quando cheguei perto de Casimiro de Abreu o transito começou a ficar lento. Dali até o meu destino foi uma terrível viagem com sol escaldante. A certa altura percebi as lombadas em Casimiro de Abreu. Próximo a Campos, lombadas e mais lombadas na rodovia e as ultrapassagens pelo acostamento se seguiam, antecedidas pelo posto da PRF que reduz terrivelmente o fluxo. Próximo à rotatória onde havia um índio os ônibus da rodoviária cruzado a rodovia em sentido à Vitória.
    Logo após a rotatória, nenhum guarda de transito dentro da cidade a agilizar o fluxo. Sinais de trânsito em sequência, com o fim de organizar, causavam mais demora. Uma viagem que duraria uma hora de Casimiro de Abreu até Campos, demorou quase 4 horas. Enfim, uma região belíssima, com praias espetaculares, cujo acesso é bloqueado por falta de inteligência na engenharia do tráfego. A BR 101, a partir dessa região, é possuidora de lugares lindíssimos. Porém, a infra estrutura de apoio ao turista e ao caminhoneiro é quase a mesma de 35 anos atrás.
    *

  424. Daniel Gandalf

    -

    13/10/2013 às 23:53

    A questão é matemática.
    Se levarmos em conta a probabilidade de ser multado, o valor da multa e o valor do tempo que o malandro ganha fazendo isso veremos, com certeza, que o crime compensa…

  425. Élvio

    -

    13/10/2013 às 23:48

    Por falar em educação, gosto de usar dois termos distintos para delinear bem os conceitos: escolaridade e educação. Este último, tem o conceito mais amplo e pode, ou não, incluir o primeiro. Faz referência às bases morais, ao conjunto de conhecimentos e às práticas e atitudes do indivíduo. Enquanto, escolaridade, refere-se apenas à quantidade de estudo formal a que esse indivíduo teve acesso. Costumo dizer, portanto, que existem muitos brasileiros com escolaridade, mas com muito pouca educação.

  426. Daniel Gandalf

    -

    13/10/2013 às 23:46

    Isso acontece de norte a sul. Já me indignei, já filmei e levei para autoridades e até já posicionei meu carro no acostamento, interrompendo a passagem dos malandros. Agora não me estresso mais. Desisti…

  427. Rodrigo Alves Lemes

    -

    13/10/2013 às 23:35

    Pelo direito a secessão! !! Vamos fundar um enclave para os decentes! !! Concordo sempre com o Constantino.

  428. Silvio Baptista

    -

    13/10/2013 às 23:08

    Olha Rodrigo, passo sempre na BR116(Regis Bitencourt)que é a estrada que mais transporta riqueza neste pais (liga SP,RS,SCe PR)e é apelidada devidamente de “estrada da morte” sendo que na SERRA DO CAFEZAL,temos 18 k com uma só pista para descer,ou seja , uma estrada para bois.Deveria ser a estrada da riqueza, do desenvolvimento da vida, mas é oque é.Estive em New Jersey, e consta que tinham a mais de 15 atrás 48 auto pistas que “cortam” o estado, São Paulo não tem nenhuma.infra estrutura nunca foi nosso forte .Pelo que parece nenhum dos próximos candidatos a presidente tem histórico bom e nem mediano sobre infra estrutura.Pena.

  429. Iza

    -

    13/10/2013 às 22:45

    Rodrigo,
    o povo brasileiro é infantilizado. Décadas de paternalismo – que a esmagadora maioria adora – e a própria índole, faz com que ele reaja conforme o exemplo que vem de cima. As cabeças coroadas do PT no mensalão só fizerem repetir “que fizeram sim, mas todos fazem …”; os Presidentes do Senado e da Câmara, ao serem flagrados utilizando os aviões da FAB em assuntos particulares idem; e a Ministra Ideli Salvate usando helicóptero do SAMU para campanha política nem parou para pensar na asneira que estava dizendo e repetiu a mesma justificativa. Com exemplos como estes esperar o quê?

  430. César

    -

    13/10/2013 às 22:33

    É por essa e por outras que vou sair desse país.

  431. ANTIPETRALHA

    -

    13/10/2013 às 22:29

    OFF-TOPIC de novo, Rodrigo:

    Rodrigo, se a Veja apoiasse o deputado Caiado, isso o estimularia a se candidatar, não? Ou algum outro nome do DEM que não seja de esquerda.

    Acho que não teria nada a ver a Veja apoiar o esquerdista Aécio; os valores dele não têm compatibilidade nenhuma com que os que a revista defende – seria o mesmo que “enganar” os seus leitores.

    Infelizmente, a Veja contribui muito tb com essa “hegemonia de esquerda” que existe na política brasileira, já que ela insiste em continuar se alinhando a esses políticos de “centro-esquerda” populistas do PSDB. O país precisa de um candidato que fale com quem paga a conta das bolsas, das cotas, e o PSDB já mostrou que não tem coragem nem de iniciar uma discussão a respeito. Talvez pq, no fundo, defendam as mesmas coisas.

    Por isso, se o apoio da revista migrasse do Aécio pro Caiado – ou outro nome liberal do DEM – acho que ele teria uma chance. Quanto ao Aécio, não faria diferença nenhuma, já que ele pontua mal e porcamente em todas as pesquisas.

    Uma boa parte da população, inclusive eu, vota nulo pq não enxerga diferença nenhuma entre PT e PSDB. Essa seria uma chance de criar uma diferenciação de verdade entre as candidaturas.

    A maioria da população brasileira é religiosa e conservadora. Não sei pq não temos políticos que correspondam a esse perfil.

  432. Leandro Gavinier

    -

    13/10/2013 às 22:26

    Fico preocupado porque onde a barbárie reina não possível uma sociedade com mais liberdades…

  433. Alex

    -

    13/10/2013 às 22:16

    Rodrigo, concordo com você e o seu ponto de vista, mas vou além: o brasileiro é malandro, mas o carioca consegue ser 10 vezes mais malandro. Viajo muito pelo Brasil e pelo mundo, e raramente vejo povo tão espertalhão quanto o carioca. Por esses motivos que um passeio como esse até se torna frustrante. Aqui no Rio, o povo só diminuiu a quantidade de lixo jogada no chão no centro da cidade quando começou a ser multado. E o pior: no Rio temos os piores serviços com os preços mais altos, culpa do custo carioca.

  434. David Duarte

    -

    13/10/2013 às 22:08

    O estado brasileiro faz o que não deve fazer e não faz o que deveria fazer. É só comparar as estradas dos Estados Unidos ou da Europa com as nossas. Estamos parados no tempo. Nossas estradas são construídas com tecnologia dos anos 1950 e hoje são visivelmente insuficientes para suportar a demanda. O policiamento inexistente, ou no máximo rudimentar completa os ingredientes para o cenário que você mostra na foto. Mas o pior não é isso. Completam o quadro de caos no trânsito a mortandade e os aleijados que o descaso governamental ajuda a produzir. Anualmente produzimos 50 mil nas nossas ruas, quase um milhão de feridos. E os governos não têm um grama de ação para melhorar a segurança. Um horror!

  435. Marcus Prado

    -

    13/10/2013 às 22:05

    Boa noite Rodrigo,

    Prestes a completar 53 anos em Dezembro, se Deus quiser, 33 deles vividos em minha cidade natal, Rio de Janeiro, e os outros 20 em São Paulo, cheguei à conclusão que ser brasileiro é um carma, o resgate de dívidas de vidas passadas, porque mesmo o país sendo lindo, a terra fértil e maravilhosa, os governos, as instituições, a cultura de “país do futebol e do carnaval”, e principalmente o povo, ou melhor população, porque como disse João Ubaldo Ribeiro – “Nos falta matéria prima para sermos um povo” – são todos um LIXO, uma BOSTA…desculpe o vocabulário chulo, mas tendo chegado na idade que cheguei vendo o “país do futuro” ter se transformado nisso que aí está, é revoltante demais.
    Abraço e boa semana !!!

  436. Vitor

    -

    13/10/2013 às 21:54

    Aposto que um sujeito neste momento que precisasse usar o acostamento por estar com o carro quebrado, acabaria por ser xingado ou até ameaçado pelos outros motoristas.

    Bando de vagabundos!

  437. Marcos

    -

    13/10/2013 às 21:52

    O Brasil está no buraco…
    Poderia ser uma Alemanha em termos de desenvolvimento se não fossem os aspectos negativos da nossa cultura, herança da nossa colonização, tão profunda, que mesmo após séculos, não conseguimos mudar.

  438. Alexandre

    -

    13/10/2013 às 21:28

    Quer viver em um país que divide sua sociologia entre os otários e os malandros, Rodrigo? Invista em qualquer político, oposição (se é que há alguma) ou situação, trabalhe muito; estabeleça bem os seus compadrios; manobre a burocracia estatal a favor de seu circulo familiar e conquiste o seu helicóptero. Angra dos Reis por terra, nunca mais! Torpe, eu? Imagine.

  439. Alessandro Barreta Garcia

    -

    13/10/2013 às 21:04

    É Rodrigo, o sistema brasileiro torna o brasileiro do mais alto nível ao mais baixo em um corrupto de carteirinha. Não há punição na corte suprema, e desta para baixo o cenário é aterrorizante. Em todas as esferas da justiça existem corruptos, dos juízes aos policiais. As pessoas comuns nas mais comuns das ações encontramos a corrupção. Essa é a realidade.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados