Blogs e Colunistas

29/10/2014

às 19:53 \ Tema Livre

Um espanto: fotógrafa documenta diariamente um lanche do McDonald’s que, mais de QUATRO anos depois de comprado, ainda não se deteriorou

happy-meal-project-dia1

“Happy Meal Project”: as batatas fritas e o hambúrguer fotografados no primeiro dia

ATUALIZADO DIA 29 DE OUTUBRO DE 2014

Passados mais de dez anos do documentário Super Size Me, que obrigou a rede de fast food McDonald’s a reformular seu cardápio no mundo inteiro, incluir alimentos saudáveis nos famosos combos, como frutas e saladas, e investir pesadamente numa campanha para melhorar sua imagem de disseminadora de alimentação prejudicial à saúde — o que o documentário sugeria fortemente –, a cadeia internacional está já há quatro anos e meio diante de um novo desafio.

Trata-se do Happy Meal Project, da artista plástica e fotógrafa novaiorquina Sally Davies que, em 2010 resolveu registrar em fotografias diárias o processo de decomposição de um McLanche Feliz, formado por um hambúrguer e uma porção de batatas fritas. O lanche não está em geladeira nem nada parecido: fica no ambiente natural de uma casa.

Com o passar do tempo, a fotógrafa ficou estupefata: o sanduíche e as batatinhas continuavam com a mesma aparência, não mostrando sinais de alteração. Como se fossem de borracha ou de isopor.

No dia 10 de abril, passado, o projeto completou 4 anos e — pasmem! — estava tudo igualzinho ao primeiro dia. As fotos, todas as 1.545 delas, estão expostas em seu site, e em seu espaço no flickr, e mostram que a única variação se deu no pão do hambúrguer, que se partiu em alguns pedaços devido ao ressecamento.

“Eu demoro a acreditar que se passaram dois anos desde o dia em que o comprei”, disse a fotógrafa dà agência espanhola de notícias EFE dois anos e meio atrás. “Eu pareço dois anos mais velha, mas para o hambúrguer o tempo não passa”.

As batatinhas e o hambúrguer, 1660 dias depois: tudo o que aconteceu foi que o pão secou e se partiu em alguns pedaços; a carne do hambúrguer encolheu um pouco e endureceu, e as batatas fritas têm quase o mesmo aspecto

As batatinhas e o hambúrguer, 1660 dias depois: tudo o que aconteceu foi que o pão secou e se partiu em alguns pedaços; a carne do hambúrguer encolheu um pouco e endureceu, e as batatas fritas têm quase o mesmo aspecto, apenas um pouco murchas

“Continuarei fotografando o hambúrguer até que ele se desintegre, o que pode custar o resto da minha vida natural”, explicou a artista, que constatou como nos 751 dias em que se dedica a fotografar esse exemplo de fast-food muito pouco mudou nos componentes do lanche infantil.

Davies acha que o lanche que comprou há mais de dois anos sofreu algum tipo de desidratação mas não iniciou nenhum processo de putrefação. E se pergunta que qualidades nutricionais que pode ter “um alimento que não apodrece nem se corrompe com a passagem do tempo”.

 

Um mês só comendo no McDonald’s — e o cineasta ficou péssimo

Em 2004, o cineasta americano Morgan Spurlock passou 30 dias se alimentando exclusivamente no McDonald’s: café da manhã, almoço e jantar, sendo monitorado por exames clínicos e acompanhado por um médico, para realizar o Super Size Me.

Chegou a consumir em média 5000 kcal (o equivalente de 6,26 Big Macs) diáriamente durante o experimento.

Super-Size-Me

“Super Size Me”: em 30 dias, o cineasta Spurlock ganhou 11 quilos, problemas no fígado, disfunção erétil e depressão

Spurlock, antes do experimento, mantinha uma dieta variada, era saudável e magro, com 1,88 metro de altura e 84,1 quilos. No final dos 30 dias, havia engordado 11,1 quilos, seu índice de massa corporal se elevara de 23,2 para 27 (grande aumento de gordura), sofreu problemas como mudanças de humor (um começo de depressão) e disfunção sexual, além de danos ao fígado. O cineasta precisou de 14 meses para perder o peso que havia ganhado.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado

248 Comentários

  • joelder

    -

    14/12/2014 às 14:46

    quando Aécio falou que ia por fim a matança feita por infratores protegidos por uma lei de países que formam criminosos a sombra do estado que pelo menos indenizasse os menores assassinados.eu disse:meu voto é seu,porem pressionado por marina,voltou atras e perdeu milhares de votos que lhe fizeram falta. Quando um político acabar com a lei da menoridade eu voto nele

  • DEYSE PASCHOAL

    -

    26/11/2014 às 17:38

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme relembrei aos amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    99% dos leitores escrevem assim, como neste texto, em maiúsculas e minúsculas.
    Peço que você faça o mesmo das próximas vezes.
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • Sally Davies

    -

    17/11/2014 às 21:47

    I am the author of the Happy Meal Project. Thank you for publishing my story. I still have it in my kitchen, and I am still photographing it.

  • Gunther Retz

    -

    4/11/2014 às 11:36

    Se o mundo odiasse o genocídio, a corrupção, a ignorância e a intolerância* como esses gênios odeiam o McDonld’s…

    *Acabar antes com a ignorância, pois ninguém merece ser obrigado a tolerar ignorantes!

  • Angèlìka

    -

    31/10/2014 às 16:00

    Nossa! deveriam vender o “aditivo químico” em potinhos, escrito nos rótulos:
    Fonte de juventude eterna.
    -O nosso Ministro da Saúde iria dar OK!
    Iriam ganhar uma grana roubada!
    Mas, como diz minha mãe: quem se nega a envelhecer, termina podre.

  • Abreu e Lima

    -

    30/10/2014 às 17:52

    .

    Fui dar uma olhada com mais atenção nos comentários
    e… quanta bobagem!
    Assim, decidi resolver a questão de uma maneira
    prática: basta apresentarmos esse sanduíche, que
    está sendo amparado pelo Estatuto do Idoso, para o
    Bartolomeu*! Em segundos ele nos dirá se é bom
    alimento, ou não!
    .
    * http://i.imgur.com/vfmnmYU.png

    .

  • Abreu e Lima

    -

    30/10/2014 às 17:38

    .

    Grande RSetti, gigante do Jornalismo, temos o outro
    lado brilhantemente apresentado pelo Nobre
    Colaborador Marcelo – 30/10/2014 às 16:29, e
    outros.
    Convém, portanto, passar a régua nesse assunto e
    nos trazer o que é real e o que é ficção criminosa.
    Não morro de amores por lanchonetes mas sei o quanto
    o Mc encanta as crianças, daí há de haver bom
    senso.
    Com todo o respeito, apenas idiotas (sei que existem
    aos montes, mesmo neste Valoroso Espaço…) levam
    a sério que QUALQUER coisa que se possa comer dure
    quatro anos! Nem em fotografia (essa é capaz de
    amarelar!)! O que temos é uma alegoria criminosa que
    não pode ser avalizada por este magnífico Espaço.
    A palavra é tua, Grande RSetti. Sensacionalismo
    barato nunca se aproximará do teu Jornalismo.

    .

  • Marcelo

    -

    30/10/2014 às 16:29

    O documentário Fat Head refutou totalmente como “farsa esquerdista” o documentário Super Size Me, especialmente quando o cineasta Spurlock se negou a dar entrevistas ou mesmo a conversar por telefone.
    A fotografa Sally Davies não quis mostrar a produção onde está o “Hambúrguer imortal” e foi acusada de ter tirado 100 fotos do mesmo prato, e mentido sobre os dias.
    Tanto Sally Davies e Spurlock foram processados pelo Mc Donalds.
    A produção de Fat Head tentou repetir a mesma experiência do “hambúrguer imortal” e em duas semanas o hambúrguer havia apodrecido.
    Chineses também tentaram repetir o feito, e em 7 dias o hambúrguer já estava fedendo, e com 14 dias ele já estava todo embolorado (foto abaixo)
    http://i2.wp.com/www.chinasmack.com/wp-content/uploads/2010/05/chinese-netizen-mcdonalds-happy-meal-experiment-23.jpg

  • Detefon

    -

    30/10/2014 às 15:50

    Bom deve ser friboi?

  • Felipe Hamachi

    -

    30/10/2014 às 12:50

    Assistam outro documentário disponível no youtube chamado FAT HEAD – ele dá uma desmentida nesse Super Size Me.

  • Alexandre Sampaio Cardozo de Almeida

    -

    30/10/2014 às 12:31

    São Paulo, 30 de outubro de 2.014

    Prezado Setti,

    Vamos lá: Essa estória de bater em redes de fastfood é coisa de esquerdopata que quer controlar até a alimentação das pessoas! Quem é obrigado a comer nesses lugares? Por um acaso, ao passar em frente de uma lanchonete dessas, o gerente sai armado, e obriga o transeunte a consumir hambúrgueres e refrigerantes, sob pena de ser morto? Não!!!! A pessoa come o que quer, bebe o que quer, transa com quem quer, torce para o time que quer por uma coisa chamada LIBERDADE DE ESCOLHA! Essa liberdade está sendo tolhida pelos esquerdopatas, que acham que sabem mais do que cada cidadão! Hoje, eles proíbem o consumo de sanduíche, amanhã de torcer pelo XV de Piracicaba, depois de votar no partido “Y”, até chegar o ponto, do cidadão não poder sequer decidir a cor da cueca que usará! Danem-se esse cretinos! Se a pessoa quer se empanturrar de porcarias, problema dela! Que arque com eventuais conseqüências a sua saúde posteriormente! As pessoas estão cada dia mais imbecilizadas, mais dependentes do Estado. Sou diabético, faço um regime maluco, não posso comer nada, mas só de raiva, vou encher a cara de hambúrguer do McDonald’s só para irritar os esquerdopatas do politicamente correto e da alimentação saudável!

  • Eduardo

    -

    30/10/2014 às 11:36

    não me leve a mal, mas isso é um experimento de PTbas americanos, de esquerdinhas-paris!
    Os alimentos devem estar em uma caixa ou ambiente com desumidificadores e, apenas por essa razão, não foram oxidados.
    Ou seja, quer aparecer as custas da lanchonete!
    Por que não vão investigar a qualidade das esfihas da Jandira Fegali?? (ou sei lá o nome della)

  • Indivíduo

    -

    30/10/2014 às 11:27

    Mas falando sério, agora. Como no Mac pelo menos uma vez por semana. Ponto. Também tomo meus chops e se não fosse assim, preferiria estar morto.

  • Indivíduo

    -

    30/10/2014 às 11:25

    Chato mesmo é a disfunção erétil.

  • wilson

    -

    30/10/2014 às 11:04

    Precisamos dar um “menas” nesta neurose de alimento ser
    visto como remédio, comida também é prazer uma vez fiquei numa fila mais tempo do que o normal porque dois adolescentes ficaram discutindo a caloria de um mero croquete.
    Nada mais insano do que a fome.

  • Arimatéia

    -

    30/10/2014 às 9:43

    Anti americanismo boboca.

  • carlos alberto

    -

    30/10/2014 às 6:59

    Vou entrar agora no mérito da comida. Aqui no Rio agora tá um boom de novos “restaurantes” de hambúrguer; abre-se um a cada dia e cada um mais sofisticado que o outro. Escolhe-se o shopping mais chic para abrigar a hamburgeria. É uma aposta ariscada, pois o sanduíche hambúrguer é horroroso, porém aceitável, como fast food, porém, como alimento sentadinho no restaurante é inaceitável. O mau gosto do americano vira cafonice no Brasil.

  • carlos alberto

    -

    30/10/2014 às 6:44

    No mínimo o experimento tem que ser reproduzido e comparado com outros de outros fabricantes. Alguém fez isso? Tente você leitor em casa.
    .
    Quantas vezes será que a autora tentou para conseguir o efeito esperado? Give a break, man!

  • Valmir Junior

    -

    24/10/2014 às 11:51

    bom pra começar, tenho 1,83cm, 78kg e saudade perfeita e muito feliz, passo para comer pelo menos 1x por semana em rede de fast food assim como no MC’Donalds. Bem se fomos nos privar de tudo oque faz mal, vai fazer mal porque não iremos viver me sinto bem comendo hamburguer’s porque gosto bastante, bebo algumas bebidas alcoólica em momentos especias e isso me deixa feliz me deixa de alto astral. Oque faz mais mal do que esses lugares é baixo astral, infelicidade que causa diversos distúrbios na saúde como exemplo Depressão.

    Não se prive de coisas que goste, apenas controle para poder usufrui sempre.

  • Cesar

    -

    22/10/2014 às 10:49

    E nem mofo cresce nisso…

    Adeus McDonald’s.

  • Rodnei

    -

    20/10/2014 às 17:57

    Nem entro no mérito do tempo, se é comida esterelizada já era mesmo de se esperar esse resultado. O que eu não entendo é a quantidade de gente que goste desses lanches do McDonald’s, Bob’s e outros. Venham aqui no interior de Minas pra comer os legítimos X-Tudo da terrinha, comida de verdade preparada na sua frente (lanches muito mais baratos e apetitosos que essas peças de isopor aí), aposto que depois ninguém conseguirá consumir essas porcarias sem gosto de cidade grande.

  • Maurício Pinto

    -

    16/10/2014 às 16:36

    O problema não está nas redes de fast foods e sim nos compradores, nunca vi uma rede ir na casa do cliente e oferecer um produto a força, o cliente que vai até na rede de fast food e compra, então, neste trajeto não havia restaurantes? supermercados com lanches naturais? dizer que é culpa das redes de fast food é ignorância, sabem que faz mal e ainda compram!

  • Lele

    -

    15/10/2014 às 15:24

    Se as bactérias não comeram é porque não é comida.

  • Rosa

    -

    10/10/2014 às 19:26

    Para durar tanto, imagine o teor de sódio e de outros conservantes…

  • Rainer

    -

    8/10/2014 às 12:18

    Nunca foi novidade que os alimentos fornecidos pelos Fast-Food são prejudiciais a saude, em especial que sempre foi alvo maior de críticas o MCDonald’s. Nao é um lanche para ser consumido todos os dias.

  • Luísa Helena

    -

    3/10/2014 às 9:16

    http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/homem-perde-17-quilos-comendo-so-mcdonalds-por-3-meses e como esquecer deste caso, na qual o Homem perder 17 quilos apenas comendo mc donalds por três meses.

  • Debora

    -

    2/10/2014 às 19:54

    ADORO MCDONALTS, MARAVILHOSO QUEM FALA QUE É RUIM E DOIDO “!

  • Cesar

    -

    28/9/2014 às 14:18

    Estou com o Julio ai embaixo, quem estudou um pouquinho nas aulas de ciências na 6ª serie deve lembrar que qualquer comida esterilizada vai se manter por 20 – 30 anos ou mais, é assim com qualquer conserva, de milho a salchicha, basta manter em uma redoma de vidro e bingo, você tem um “causo” pra contar para os netos. O que espanta nisso tudo é o nível educacional do brasileiro, aqui todo mundo “vai “na escola, “vai” na faculdade, mas aqui POUQUÍSSIMOS, estudam e aprendem, AQUI se cola e se ENROLA , aqui o foco é ter “diploma” e não “ter conhecimento”.

  • neide maria de almeida

    -

    28/9/2014 às 11:00

    O que será que se coloca nesses alimentos? Se nós envelhecemos ,porque será que os sanduíches não envelhecem? vejam o que vocês andam comendo!

  • LC DA GROTA

    -

    21/9/2014 às 23:34

    Seu comentário agressivo, grosseiro e desrespeitoso foi deletado.
    Aceito críticas sem o menor problema.
    Mas desse jeito, não.
    Volte à infância, a seus pais, aprenda a ser minimamente educado e depois volte aqui.

  • GEROLDO ZANON

    -

    20/9/2014 às 13:12

    Melhor do que ele só o churasqueiro do LULA

  • Natália Prado

    -

    19/9/2014 às 10:02

    Passo minha vida sem consumir MC Donalds os lanches e não importo,uma vez a primeira e única minha mãe eu e minha irma fomos comer um lanche destes no shopping é um preço caro,o lanche é grande entretanto não foi tão bom para ter tanta propaganda o refrigerante que acompanha o lanche é enorme,estes lanches são prejudiciais,somente uma coisa é realmente deliciosa neste fast-food o sorvete.

  • adriano

    -

    16/9/2014 às 10:20

    Não consumo esse tipo de comida,mas respeito quem gosta.Mas que esse tipo de alimento é horrível,isso é,além de ser um veneno para o corpo!A obesidade é só um dos problemas que acontecem a curto prazo.Tem que haver também a preocupação com as doenças mais graves que surgem a longo prazo,devido ao consumo desses produtos,como câncer por exemplo.Não os chamaria de alimentos pois eles não alimentam,só entopem suas veias e destroem o seu fígado!!

  • Julio

    -

    11/9/2014 às 19:29

    Tenho dó de quem se acha o dono da verdade e acha que pode saber o gosto de todo mundo. O lanche é bom e já era, se fosse podre como todo mundo fala, primeiro que ninguém comia, segundo que pessoas já teriam morrido por isso. Enfim, Mc Donald’s, Coca Cola, e blá blá blá, sempre serão criticadas pq são gigantescas e muitos babacas atacam o princípio jurídico da transcedentalidade, ou seja, se está fazendo mal somente a vc, se é que realmente está, ninguém tem que meter o bedelho. Qto a parte da matéria que diz que o cara comeu um mês e ficou mal, pow, é lógico, é uma comida gordurosa, com conservantes, glútem, e tudo o mais que MUITAS outras comidas tem e que não podem ser comidas todos os dias. Tente comer só chocolate por um mês, ou só salda, obviamente vc não ficará bem, não é uma alimentação balanceada, precisamos de gordura exemplo do chocolate, precisamos de vitaminas exemplo da salada, mas precisamos de carboidratos, potássio, fósforo… enfim, não manjo disso, o fato é, tudo que é enorme, será invejado.

  • Leonardo Lourenço

    -

    9/9/2014 às 11:52

    Tenho dó de pessoas cujo paladar é tão pobre a ponto de achar esses lanches gostosos. Além de, obviamente, tratar-se de um alimento que não traz absolutamente nada de bom à saúde, muito pelo contrário. Então, só resta a alguns tolos dar conotação ideológica ao tema. Pfffff!

  • Alexa

    -

    8/9/2014 às 16:49

    Nao acreditem em tudo que leem.

  • Brasileiro Cansado

    -

    8/9/2014 às 15:08

    Se eu comer feijoada ou churrasco, todos os dias, também vou ganhar peso e ter problemas de saúde.

  • Ricardo

    -

    8/9/2014 às 0:54

    Só ***** para acreditar nesta besteira nota-se claramente que saõ diferentes o pão as batatas ,as posiçoes que se apresnta no prato!!!!

  • Ishnowa

    -

    7/9/2014 às 22:59

    Os comentários denotam o ponto de vista pessoal. Não há problema se uma pessoa aceita se alimentar com um “alimento” saboroso, porém envenenado com tudo o mais de substancias que podem ” e devem” proporcionar paladar e aspecto apreciáveis, entretanto, desprovidos de nutrientes necessários à manutenção da vida.

    Todo o radicalismo é deplorável! Somos mamíferos e nossa dieta engloba tanto cereais, vegetais e carnes – somos animais onívoros!

    O fato é: alimentos naturais e livros de conservantes fugiram das nossas prateleiras há muitas décadas. Creio que não devemos nos radicalizar em nos alimentarmos sempre de comidas de rápido preparo, como também de vegetais.

    Creio que devemos equilibrar nossos desejos e permitir o “dia do lixo” e comer e beber todas os “alimentos que não alimentam”, sem fugir da regra de nos alimentarmos adequadamente como onívoros na maior parte de nossos dias.

  • nobile

    -

    6/9/2014 às 21:15

    Quanta perda de tempo, não ? Aqueles que odeiam os Estados Unidos estão sempre procurando pelo em ovo para tentar difamar seus símbolos. Lembram-se da famosa barata encontrada numa garrafa de Coca-Cola ou do cara que desentupia pias com Coca-Cola ? Tudo pulha virtual. Ninguém é suficientemente imbecil de se alimentar todos os dias com fast food. Experimentem se alimentar todos os dias com pastel e coxinha. Vai dar no mesmo resultado.

  • JHR

    -

    6/9/2014 às 20:50

    Assustador! E o pior que levamos nossos filhos para comer isto…Mac lanche Infeliz

  • Felipe

    -

    5/9/2014 às 14:14

    Os patrulheiros da dieta “politicamente correta” me enojam. Maldita sociedade adoecida pela saúde.

  • flavio dos santos

    -

    4/9/2014 às 4:37

    Bem há algo bom ai houve um milagre,quém sabe a “vaca” que doou a carne pode ser canonizada, quem como o Mac lanche Feliz nunca ficará velho…é isso?

  • Glaucia da Fonseca Pereira

    -

    2/9/2014 às 11:06

    O que será que estamos consumindo? É preocupante essa informação e espero que nosso Ministério da Saúde investigue o por que dessa longevidade. Já pensou se este é o segredo da JUVENTUDE ETERNA?

  • Júnior

    -

    2/9/2014 às 9:05

    Mais eu sou bobo mesmo, perdi tempo lendo isso! Os melhores lanches que existem são do McDonald´s e vão querer fala mau!

  • Homem Bomba

    -

    31/8/2014 às 23:53

    Por acaso, isso aconteceu numa gaveta de arquivo do meu escritório.
    Comprei duas dessas bombar, comi uma e guardei a outra na gaveta.
    Esqueci dissso.
    Quinze dias depois ao abrir a gaveta vi essa bomba em perfeitas condições.
    Nem formiga ou vermes comem essa bomba.
    Nesse dia PAREI de ser trouxa.

  • Cadu

    -

    15/8/2014 às 19:55

    O que me deixa mais admirado é que essa fotógrafa deve morar dentro de um filtro, não tem um pózinho no prato mesmo depois de 2 anos!!! Se fosse na minha casa ninguém consegueria ver o Lanche pq estaria todo encoberto por pó… haha

  • Cristina Silveira

    -

    11/5/2014 às 14:16

    Eu não como estas porcarias industrializadas. Esta cultura americana, em relação à alimentação, é tão eficaz que basta olhar para o povo daquele país: obesos, enormes. É o preço que se paga por serem o país de maior desenvolvimento do mundo, e consumirem a maior parte dos alimentos produzidos.

  • Gabii

    -

    6/3/2014 às 19:03

    Tá..todo mundo sabe que esses tipos de lanches engordam e no futuro vai ser prejudicial a saúde..
    Maaais esses lanches são uma deliciia…muiito boom e outra fala que o cara ficou com DEPRESSÃO(kkkkkkkkkk)
    isso não tem lógica…e outra se vc deixa um mc de um dia para outro o hamburgue fica duro e fica com um gosto estranho..que que esse povo ta falando aff
    ddeve ser quaiquer concorrencia BARAATA isso siim (((((((:

  • DIZ

    -

    3/3/2014 às 16:43

    Pegue dois pedaços de isopor + fatias de papelão + pedaços de gordura hidrogenadas. Esta pronto seu MacFeliz. Meus pêsames.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados