Blogs e Colunistas

14/11/2013

às 18:09 \ Tema Livre

Seu cachorro é um gênio — saiba o porquê. (Se bem que, quem tem ou teve cão, já sabia…)

Livro mostra que capacidades de comunicação de cachorros são muito semelhantes às de bebês humanos (Foto:Thinkstock)

Livro mostra que capacidades de comunicação de cachorros são muito semelhantes às de bebês humanos (Foto: Thinkstock)

Amigas e amigos do blog, foram necessários estudos profundos de um neurocientista da Universidade Duke, renomada instituição norte-americana sediada em Durham, na Carolina do Norte, para provar que o mais inteligente dos mamíferos — depois do ser humano — é o cão.

Beleza. O fato, porém, é que não se trata de nenhuma surpresa para quem tem ou já teve um cão. Eu me encaixo, infelizmente, no segundo grupo, com sérias intenções de, em futuro próximo, passar a integrar novamente o primeiro.

Sejam vocês donos de cachorro ou não, vale a pena ler a reportagem abaixo.

Publicado no site de VEJA

SEU CACHORRO É UM GÊNIO — SAIBA O PORQUE

Neurocientista especialista em antropologia evolutiva afirma que o cão é o segundo mamífero mais bem-sucedido do planeta, atrás apenas dos humanos

SeuCachorroEUmGenio-size-220 - CópiaEm um mundo em que o nascimento de bebês cai, a população de cães de estimação aumenta. É cada vez mais comum encontrar animais cercados de mimos, tratados como filhos pelos donos. O sucesso dos cachorros entre os humanos se explica pela genialidade canina, segundo Brian Hare, neurocientista fundador do Centro de Cognição Canina da Universidade Duke, nos EUA, e sua mulher, a jornalista e cientista Vanessa Woods, autores do livro Seu Cachorro É um Gênio! (Ed. Zahar).

Baseados em um conjunto de trabalhos sobre o assunto que apelidaram de caninognição – ou seja, a cognição dos cães –, os autores chegaram à conclusão de que o processo evolutivo que transformou lobos em cachorros domésticos fez com que os animais adquirissem um novo tipo de inteligência social.

Essa inteligência teria tornado os cães muito semelhantes a bebês humanos, em termos de comportamento e de habilidades de comunicação – conquistando seus donos definitivamente. De acordo com Brian Hare, depois dos seres humanos, os cachorros são os mamíferos mais bem-sucedidos do planeta, superando até mesmo os chimpanzés, famosos por sua esperteza.

Seis motivos pelos quais seu cachorro é mais inteligente do que você imagina

Entende a linguagem corporal humana

Entende tudo (Foto:Thinkstock)

Entende tudo (Foto: Thinkstock)

Qualquer dono de cachorro sabe que o bicho é perfeitamente capaz de compreender gestos e olhares, como a indicação de um local para o qual apontamos ou um olhar de reprovação.

O que poucos sabem, porém, é que essa habilidade de compreensão da nossa linguagem corporal é extremamente rara entre os animais — nem mesmo os chimpanzés podem interpretar tão bem nossos gestos quanto os cachorros.

 

Pode aprender palavras

Entende o significado de palavras (Foto:Thinkstock)

Entende o significado de palavras (Foto: Thinkstock)

Além de entender nossos gestos e olhares, cães também podem ser treinados para aprender palavras e seus significados. Certa vez, uma pesquisadora da Alemanha descobriu que seu cachorro aprendeu os significados de dezenas de novas palavras por meio de um processo de dedução lógica igual ao que crianças usam para descobrir nomes de objetos desconhecidos.

Em outro experimento, um professor de psicologia conseguiu fazer com que sua cadela aprendesse o nome de 1 000 objetos.

 

Consegue se comunicar com as pessoas

Se faz entender (Foto: Thinckstock)

Se faz entender (Foto: Thinckstock)

Os cachorros podem não falar, mas nem por isso são incapazes de se comunicar com os humanos. Assim como o choro de um recém-nascido pode ter vários significados, os cães usam diferentes tipos de latidos e rosnados para se expressar e ser compreendido pelos humanos — pesquisas mostram que os latidos representam apenas 3% das vocalizações dos lobos, provando que o hábito de latir é mesmo um recurso decorrente da domesticação.

Outros estudos indicam ainda que a maioria dos donos parece entender os significados dos diversos latidos de seus cachorros.

 

Faz e valoriza amizades

Cultiva amigos (Foto: Thinckstock)

Cultiva amigos (Foto: Thinckstock)

Ao contrário do que acontece em outros grupos de animais, os líderes das matilhas não são um casal reprodutor dominante, mas sim os cães que têm mais amigos. Quanto maior a “rede de contatos” de um cachorro, maiores são as chances de que os outros o considerem um líder e o siga aonde ele for.

 

Sente empatia

Cuida dos amigos (Foto: Thinckstock)

Cuida dos amigos (Foto: Thinckstock)

Existem fortes indícios de que o sentimento de empatia, ou seja, de se sentir mal ao ver alguém sofrendo e ficar feliz quando alguém sorri, está presente nos cães.

Em 50% dos casos de briga entre dois cachorros, um terceiro elemento que não estava envolvido na luta se aproxima do perdedor. A aproximação aconteceu mesmo nos casos em que esse terceiro elemento não tinha visto o embate. Isso significa que os cães reagem ao comportamento do companheiro de espécie que indica a derrota.

 

É capaz de enganar o dono

São dissimulados (Foto: Thinckstock)

São dissimulados (Foto: Thinckstock)

A inteligência dos cachorros também tem seu lado negativo. Um estudo realizado na Universidade de Viena, na Áustria, mostrou que os cães sabem quando estão ou não sendo observados pelo dono e se comportam de formas diferentes de acordo com isso. Os pesquisadores chegaram à conclusão de que os animais desobedecem mais ordens quando os donos não estão no mesmo ambiente que eles ou estão distraídos por alguma outra atividade, como ler ou ver TV.

 

LEIAM TAMBÉM:

FOTOS tocantes: os bichos e as pessoas — uma relação tão delicada

TEXTO E VÍDEOS: Por que os cães latem?

Vídeos e fotos FABULOSOS: instituição treina macaquinhos para ajudar pessoas com paralisia grave. Eles aprendem até a dar comida na boca

Bichos que são quase, mas quase mesmo, humanos

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

19 Comentários

  1. Dulce Regina

    -

    24/11/2013 às 20:38

    Muito contagiante ler todos os comentários. Cada um mais amoroso que o outro, mas gostei do que escreveu a GLORINHA DE NANTES-18/11-16.36H , qdo os “cãozinhos”, voltaram correndo ao perceberem que não era o carro do petshop. Genial !

  2. Cissa

    -

    22/11/2013 às 15:04

    Sempre soube que os cães são muito inteligentes e sabem exatamente tudo que acontece ao seu redor. Eu tenho dois O Dexter e a habibh, mas, nem vou relatar como eles se comportam, pois assim eu não estaria escrevendo um comentário, estaria escrevendo um livro, então melhor parar por aqui! rsrsrs

  3. OMERO

    -

    22/11/2013 às 1:22

    Infelizes dos que não conseguem perceber a importância dos animais no suporte/apoio/incentivo a qualquer tipo de vida… nos ensinam/corrigem a todo momento… sem eles o mundo “já era”.

  4. Lori Diniz

    -

    21/11/2013 às 17:45

    Tive um cão chamado Simba Diniz, e um certo dia, estava pesquisando no computador para fazer um trabalho de conclusão de curso, quando apareceram umas estrelinhas pulando dizendo se eu queria ser universitária, já estava na minha quarta pós graduação! Inscrevi o Simba no vestibular de Administração de Empresas prá ver o que daria, e dois dias depois as tais estrelinhas pularam na minha tela dando os parabéns ao Simba pois ele fora aprovado no vestibular! Só eu tive um cachorro universitário! Ele ficou todo prosa! Embora eu quisesse que ele se inscrevesse em algum curso da áres da saúde e fizesse residência multiprofissional! Não sei bem a que se destina essa coisa, mas que o nome é imponente, ah!Isso é…! Quiseram raspar a cabeça dele, mas, não deixei!Que mundo meu Deus!Ficou comigo 17 anos e até hoje faz a maior falta em casa!

  5. MARA DUTRA

    -

    18/11/2013 às 20:38

    Tenho uma poodle toy, chamada Madona(Doninha).Veio para minha casa com sete anos e já estamos juntas a seis, hoje já está com treze anos. Infelizmente perdi totalmente a audição (surdez profunda). Ela rápidamente percebeu que não ouvia (nunca foi adestrada)e me avisa de tudo, quando estou deitada e não vejo as lãmpadas da campainha, ela fica empurrando a cama e acaba me acordando.Esses seres foram criados por Deus como uma espécie particular de “ANJO” que me acompanha a onde for, é de uma dedicação e carinho, que a maioria dos seres humanos não são capazes.Não posso ficar doente ou chorar ela fica muito nervosa, “querendo ajudar”.Como o Setti disse:não é nenhuma surpresa para quem já teve ou tem um cão, que eles são uns GÊNIOS.

  6. Selma Gimenes

    -

    18/11/2013 às 17:34

    Que lindo, Glorinha de Nantes!

  7. GlorInha de Nantes

    -

    18/11/2013 às 16:36

    Leca foi um desses gênios da raça. Até falava!
    .
    [ Ainda estou sob o impacto dessa perda. Evidente que, desde uns três anos pra cá, tenho me preparado para esse momento.]
    .
    __ Koff, koff! Koff, koff! __ dizia, esperando seu pedacinho de miolo de pão ou seu golinho de café.
    .
    Até nos avisava, uivando, que o telefone estava chamando [ __ isso se estivéssemos dormindo e quando não houvesse alguém a se movimentar pela casa.].
    .
    Lembro-me bem de uma vez que as “cãezinhas” latiam, efusivamente, festejando a chegada do furgão do PetShop, correndo em direção ao portão. Era hora de passear e dia do banho e tosa. Assim que, já na calçada, “leram” a marca na lateral do furgão, voltaram desesperadas pra dentro. Pareciam dizer : __ Sedex, não! Não é o nosso PetShop.
    .
    Nós humanos ainda somos muito limitados e arrogantes. E isso percebemos na convivência com cães e gatos, Mas, as pesquisas estão, enfim, confirmando. Ainda nos tornaremos melhores como seres da espécie humana. Efeito colateral dessa convivência com os animais. Até cavalos podem melhorar alguns de nossa espécie.

  8. Vera Scheidemann

    -

    16/11/2013 às 10:31

    Cachorro é tudo de bom ! Gênios e anjos !
    Vera

  9. Nádia

    -

    15/11/2013 às 23:31

    Nunca entendi como é que ao citarem animais inteligentes, quase nunca se referiam a cachorros.. Isso, somente depois de eu ter cães em casa. Antes disso, não só não acreditava, quanto achava que as narrativas dos cachorreiros eram nada mais do que apreço, paixão do observador. E nem gostava. Pensava, quando começavam a narrar: “ih, lá vem um daqueles ‘só falta falar..” Tive que engolir minhas palavras e pensamentos. Embora nunca use essa expressão do só falta falar.. já tive experiências inacreditáveis com cachorros.
    Meus cachorros aprenderam sozinhos.. Sempre. Descobriam o significado de palavras, gestos expressões… Por observação. Por intuição.. sei lá. O mais incrível é que a partir de um determinado momento, quando queríamos – eu e meu filho – comentar algo de que os cães não tomassem conhecimento, o fazíamos em código. Ora utilizando palavras em outras línguas ora truncando propositadamente o sentido, substituindo alguns trechos por gestos, olhares disfarçados.. etc como se faz con criança.
    Quanto tempo levava para os cães, pelo menos algum deles, descobrir o verdadeiro significado das mensagens? Certamente, não muito. Conseguimos ludibriar as crianças.. mas não os cães. São extremamente inteligentes e observadores, utilizando essa capacidade de atenção no aprendizado.
    Mas mais importante do que tudo, são adoráveis.
    Muito obrigada por um post tão afável, ameno, amoroso no meio de tanta coisa triste que se tem pra falar no Brasil, nestes tempos.

  10. selminha

    -

    15/11/2013 às 17:36

    Setti, só não observa a inteligência de cães e gatos quem não quer, ou não está interessado.Todos que já conviveram, ou convivem, com estes adoráveis bichinhos, têm histórias incríveis para contar. Tive, por cinco anos, um gato inteligentíssimo, o Botafogo (preto e branco), Foguinho para os íntimos. Bastava um olhar nosso para ele entender o que queríamos, em geral protestávamos contra uma traquinagem dele. Eu falava, “E pode isso?” e ele imediatamente saía de cima da mesa de jantar, ou de outro local proibido. Sabia a hora das nossas refeições, e aparecia para fazer-nos companhia. Quando algum dos quatros familiares da nossa casa viajava, ele sentava-se na cama do ausente, esperando por sua volta, pois gostava de todos igualmente. Bastava que dois de nós estivéssemos no mesmo local, para ele, de onde estivesse, juntar-se a nós, pois não queria perder farra alguma. Quando dávamos alguma festinha, ele exibia-se aos convidados, escalando a tela de proteção da varanda. Ao chegar ao topo, olhava para todos, e só descia após vigorosos aplausos e gritos de “muito bem”. Obviamente, ninguém mandava nele, pois só fazia o que queria. Dizem os entendidos que gatos não tem donos, mas servos. Mesmo assim, sua interação conosco era fantástica. Suas aventuras dariam (quem sabe um dia..) um livro. Era um companheirão, que nos deixou alegres e saudosas lembranças. Um amiguinho apaixonante.

  11. Bruno Sampaio

    -

    15/11/2013 às 12:34

    O que eu soube é que mesmo o mais inteligente dos cachorros perde de lavada para os porcos, em testes feitos em laboratório com todo o rigopr científico. Quanto à interação com humanos, não sei. Já li também que os gatos usam quase todas as suas vocalizações para comiunicação com seres humanos, muito mais do que entre eles mesmos.
    P.S. – Não sou chinês, adoro cachorro, e também gosto de um lombinho, só que tem que saber preparar, senão fica seco demais.

  12. Mariazinha

    -

    15/11/2013 às 8:44

    Certo, absolutamente certo!

  13. JT

    -

    15/11/2013 às 8:38

    [Comentário corrigido, favor ignorar o anterior]
    Caro Setti,
    Quem já leu as aventuras de Tintin sabe que os cachorros (pelo menos o Milu) são mais inteligentes que muitos bandidos.
    Atualmente tenho uma calopsita (que meu empreiteiro chamou de paroxítona) e minha esposa diz que ela é apaixonada por mim, pois só canta para mim. Também, eu fico assobiando músicas dos Beatles para ela…
    Mudando de assunto, deixo uma sugestão de leitura para o fim de semana prolongado. Pela primeira vez testemunhei de perto uma prova de Rally de Velocidade e fiquei apaixonado pelo esporte a motor mais ignorado pela imprensa brasileira:
    http://www.mplafer.net/2013/11/rally.html
    O Rally é muito melhor do que a atual Fórmula 1.
    Abraços!

  14. Andief

    -

    15/11/2013 às 7:42

    Algumas observações: posso estar enganado, mas o animal considerado pela Ciência como o mais inteligente é o golfinho; a maior população de animais domésticos nos EUA é a dos gatos (55 milhões contra 50 de cães), com tendência a crescer – o mesmo acontece no Brasil; os gatos, embora normalmente não o demonstrem, são inteligentíssimos, inclusive em vários dos aspectos sobre os cães mostrados na reportagem. A atitude deles (bem egoísta, na verdade) é: “Sei o que você quer que eu faça, mas não estou a fim de fazer”. Os russos têm uma excelente “escola” de treinamento de gatos; é inacreditável o que alguns desses artistas felinos fazem em circos. Sempre tive gatos e cachorros, sei do que estou falando.

  15. Kitty

    -

    15/11/2013 às 3:26

    Caro Ricardo, fico feliz que esteja pensando de possuir um cão, pelo menos é o que entendi na leitura do texto. Eu sou uma apaixonada por cachorros desde criança, esse amor pelo melhor amigo do homem, me foi transmitido pelo meu pai..a minha casa sempre pareceu um mini zoo, até um macaco ele criou que lhe foi presenteado por um chaquenho, seguramente, trazido do Brasil..sem contar pássaros que mantinha num gaiolão enorme com uma árvore de pequeno porte dentro dela para os passarinhos construírem os seus ninhos e não sentirem tanta falta do seu habitat natural ..além de gatos e galinhas. Aqui no Brasil, tenho uma Rottweiller, Akira, que combina com a descrição de alguns dos que estão nas fotos aqui postadas no que se refere ao caráter, a inteligência e uma devoção à minha pessoa..realmente ela é muito especial..e sem medo de parecer ridícula eu, como o leitor Rey-BH, falo com ela enquanto acaricio a sua testa, é incrível o olhar dela, intenso como se estendesse o que eu falo. Tem uma palavra mágica que ela gosta muito de ouvir, ‘boa menina’ agora eu vou subir, e você rodeie a casa e venha buscar o seu biscoito. Quando entro na cozinha, lá está ela na janela com as patas encima da grade e com gotas de saliva escorrendo pela boca, logicamente, esperando pelo biscoito prometido.Em fim, caro amigo Ricardo,as fotos postadas e os textos que as acompanham fizeram que eu sentisse a vontade de falar um pouco da minha cara Akira. Um outro dia quando aparecerão fotos de papagaios, lhe contarei as façanhas do meu papagaio de nome Pepito que canta em espanhol a versão de Nat King Cole de “Cachito mio”…e otras cositas mas! Um abração/Kitty

    Tenho até hoje saudades dos cachorros da infância e adolescência de meus irmãos e minha — Gero, depois Flecha, depois King, mais tarde seu filho, Rex.
    Mas meus projetos são a longo prazo.
    De meus três irmãos vivos, dois têm cachorros. E o outro teve durante muito tempo.
    Vamos ver…
    Abraços

  16. Willer Stedt

    -

    15/11/2013 às 1:27

    Matéria muito bacana e o conteúdo bate realmente, creio eu, com a experiência da maioria dos cinófilos de plantão no seu blog.
    Ao ler seu texto fui interrompido duas vezes por minha beagle pedindo pela refeição da manhã, o que se seguiu por um diálogo sobre paciência e prioridades, não é necessário dizer que perdi a parada, ela tem argumentos sempre mais fortes que os meus.
    Obrigado pelo texto, faz bem ler algo assim neste mar de notícias negativas e fatos desagradáveis.

  17. Adilson Minossi

    -

    14/11/2013 às 23:53

    Caro Setti. Isso tudo eu já sabia. Com 70 anos nas costas, me criei no meio de cães. Nasci e morei muito tmepo no RS e lá os verdadeiros gaúchos não vivem sem eles, principalmente no interior, nas fazendas. Alguns mentecaptos das cidades levam seus cães ao litoral, no verão, e os abandonam….
    Mas nos meus 40 anos de Florianópolis convivi com dezenas e dezenas destes seres superiores. Mas como aqui também abandonam cães eu os fui pegando e cuidando, mas foram só as fêmeas que sempre são abandonadas quando engravidam e assim criei meus filhos misturados com estas cachorrinhas. Eles se formaram, casaram, felizmente aprenderam a gostar de seus irmãos adotivos.
    Detestei quando alguns blogueiros, incluindo a Veja chamaram de terroristas os voluntários que salvaram os Beagles das torturas das experiências, a maioria para a industria de cosméticos. Na Europa faz muito tempo que não utlizam mais animais para estes tipos de testes.
    Recomendo que todos que lerem este excelente blog procurem saber mais sobre os cães e os adotem, principalmente os de rua. Os vira-latas são os mais inteligentes. Entre os cães não existem mensaleiros, traficantes, corruptos, locupletadores, ex-terroristas, comunistas e esquerdopatas. AH! E também não traem seus familiares….

  18. Reynaldo-BH

    -

    14/11/2013 às 20:24

    Correção: O SADIO que fala, ouve, entende e conversa com cães. Que fique claro!

  19. Reynaldo-BH

    -

    14/11/2013 às 20:22

    Eu já sabia! Ele (os lobos) me falaram disto! E de mais outras coisas… Hehehe.
    Assinado: O Louco que Fala com Cães!

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados