Blogs e Colunistas

PSB

21/09/2014

às 16:00 \ Política & Cia

LULOPETISMO AFUNDA NO DF: Com a renúncia do ficha-suja Arruda, candidato de Marina dispara. O ex-comunista Agnelo, apoiado por Lula e Dilma, perderia no 2º turno para os dois principais adversários

(Fotos: ABr :: ABr :: Agência Senado)

Agnelo Queiroz (PT) tem o maior índice de rejeição, e perderia até para o candidato apoiado pelo afastado Arruda (PR). Já Rodrigo Rollember (PSB) aparece como favorito contra os principais adversários (Fotos: ABr :: ABr :: Agência Senado)

Depois da desistência do favoritíssimo às eleições no Distrito Federal, o ex-governador ficha-suja José Roberto Arruda (PR), a mais recente pesquisa Ibope divulgada na quinta-feira trouxe péssimas notícias ao governador petista Agnelo Queiroz, candidato à reeleição.

É verdade que Agnelo, que há alguns anos trocou o PCdoB pelo PT para poder chegar ao governo, subiu cinco pontos percentuais, pulando de 16% para 21% das intenções de voto. Em compensação, o senador Rodrigo Rollemberg (PSB), candidato da presidenciável Marina Silva (PSB), que vinha lutando para empatar com o governador em segundo lugar, pulou para a ponta, ganhando 12 pontos e alcançando 28% das preferências.

As más notícias para o candidato do PT, porém, vão além: lançado para o lugar de Arruda, o ex-deputado e ex-secretário de Saúde Jofran Frejat (PR), tendo como vice a mulher do ficha-suja, Flávia, em uma semana de campanha já alcançou o governador e também tem 21%, com Arruda funcionando como cabo eleitoral.

O problema de Agnelo com vistas ao futuro é que sua altíssima rejeição – 45% dos eleitores consultados dizem que não votarão nele de forma alguma. Já o candidato do PSB ostenta o menor índice: 6%. » Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

16/09/2014

às 16:15 \ Política & Cia

NOSSA NOVA ENQUETE ESTÁ BOMBANDO: Quem vocês acham que irá para o segundo turno na eleição presidencial?

Dilma (PT, Aécio (PSDB) e Marina (PSB): quais os dois que estarão no segundo turno? (Fotos: Folhapress)

Dilma Rousseff (PT, Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB): quais os dois que estarão no segundo turno? (Fotos: Folhapress)

Nossa atual enquete entrou no ar no dia 21 passado e está bombando — diferentemente de outros blogs e sites, que só mostram o percentual de votos dos internautas, nós aqui exibimos números reais de participantes. No caso, mais de 16 mil amigas e amigos do blog já votaram.

Então, aos amigos que ainda não o fizeram, peço que votem no nosso tradicional local para enquetes, à direita desta coluna. A pergunta é qual será a dupla que disputará o segundo turno da eleição presidencial? Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves? Dilma e Marina Silva (PSB)? Aécio e Marina?

A aposta num segundo turno entre Dilma e Marina está vencendo, mas tem muita gente que acredita em outras possibilidades, tanto que há um relativo equilíbrio entre as três opções.

Vamos lá. É só um clique e… pronto!

Obrigado!

15/09/2014

às 17:30 \ Política & Cia

VÍDEO: No horário eleitoral, Romário, candidato ao Senado pelo Rio, diz que quer aperfeiçoar a democracia com auxílio das redes sociais

A coluna tem procurado trazer alguns vídeos de campanha de candidatos em diferentes Estados brasileiros, como fez, mais recentemente, com a senadora Ana Amélia (PP), candidata a governadora do Rio Grande do Sul, e o senador Álvaro Dias (PSDB), candidato à reeleição pelo Paraná.

Hoje, trazemos um vídeo de campanha do ex-craque Romário, deputado federal pelo PSB e candidato que lidera as pesquisas de intenção de voto para o Senado no Rio de Janeiro. Romário diz, no vídeo, que pretende aperfeiçoar a democracia com a utilização das redes sociais, e mostra como.

10/09/2014

às 20:45 \ Política & Cia

Aliado de Marina pula à frente e protagoniza em Pernambuco a maior virada eleitoral nos Estados até agora — contra o candidato de Lula e Dilma

Câmara saiu de apenas 13%, contra 47% de Monteiro, e em menos de um mês provocou uma reviravolta. É o favorito para o segundo turno -- se houver (Fotos: Beto Figueroa::Leo Caldas)

Câmara saiu de apenas 13%, contra 47% de Monteiro, e em menos de um mês provocou uma reviravolta. É o favorito para o segundo turno — se houver (Fotos: Beto Figueroa::Leo Caldas)

Há menos de um mês, em levantamento realizado entre os dias 12 e 13 de agosto pelo Instituto Datafolha, ele tinha apenas 13% das intenções de voto, contra esmagadores 47% do adversário. Agora, porém, o afilhado do falecido governador Eduardo Campos, Paulo Câmara (PSB), aliado da presidenciável Marina Silva, virou espetacularmente a situação em Pernambuco para o candidato apoiado por Lula e Dilma, o senador Armando Monteiro Neto (PTB), e agora lidera sozinho, com 39% das preferências, enquanto Monteiro tem 33%.

Ou seja, em menos de quatro semanas, Câmara, 42 anos, ex-secretário da Fazenda, pulou 26 pontos percentuais, enquanto Monteiro, 62 anos, empresário, ex-deputado e atual senador, desabou 14 pontos. A pesquisa, encomendada pelo jornal Folha de S. Paulo e pela TV Globo, tem margem de erro de três pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Até agora, Câmara, que tem o apoio explícito da viúva de Eduardo Campos, Renata, protagoniza a mais espetacular virada na campanha eleitoral para os governos dos Estados.

O Datafolha simulou um segundo turno, no qual Câmara venceria com 43% dos votos, contra 37% do candidato de Monteiro. Isso se houver segundo turno porque o ritmo da virada do candidato do PSB poderá levar a liquidar a fatura logo no dia 5 de outubro.

04/09/2014

às 17:22 \ Política & Cia

ELEIÇÕES NO RIO GRANDE: Entusiasmo de Pedro Simon na campanha para o Senado, aos 84 anos, surpreende até seus aliados e assessores

(Foto: Reprodução/YouTube)

Após aceitar concorrer à reeleição, da qual havia desistido, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) voltou a todo vapor (Foto: Reprodução/YouTube)

Funcionários do Senado, assessores, amigos do senador Pedro Simon (PMDB-RS) e mesmo colegas senadores andavam ultimamente preocupados com o ex-governador gaúcho, considerado um dos pontos de referência moral do Congresso.

Aparentemente, a decisão de não mais concorrer à reeleição aos 84 anos, ao mesmo tempo que foi longamente meditada, também se revelou uma evidente causa de abatimento. O senador andava quieto, ensimesmado, tristonho.

Não foi fácil convencê-lo a voltar atrás em sua decisão quando o candidato do PSB ao Senado pelo Rio Grande do Sul, deputado Beto Albuquerque, foi chamado a concorrer à Vice-Presidência da República na chapa de Marina Silva, após a morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos. O convite, naturalmente, era para que Simon substituísse Albuquerque na chapa que, em terras gaúchas, une o PMDB ao PSB e a outras legendas.

Depois que aceitou, porém, o senador mudou por completo: tem-se dedicado de corpo e alma à campanha, revigorado, com a velha indignação de volta.

Um amigo gaúcho, muito próximo ao senador disse à coluna:

– Ele tá com pique de guri, tchê!

O senador, revigorado, agora faz o possível para alcançar a dupla que disputa a liderança das intenções de voto para a única vaga no Senado pelo Rio Grande, o ex-governador Olívio Dutra (PT) e o jornalista Lasier Martins (PDT), ambos na faixa de 30% das intenções de voto.

Simon, que entrou há poucos dias na briga, está no patamar de 15%.

Confiram como o senador volta à velha forma no vídeo abaixo, exibido em um de seus programas no horário eleitoral:

03/09/2014

às 15:00 \ Política & Cia

Marido de Marina é canal de comunicação com o PSDB

(Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

Fábio Vaz de Lima, o marido de Marina: seu primo, também evangélico, é deputado tucano por São Paulo e conversas sobre o segundo turno já estão em andamento entre eles (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

CONEXÃO TUCANA

Nota publicada na seção “Holofote” de edição impressa de VEJA

Tem gente que acha que uma parceria tucano-marineira é inevitável num eventual segundo turno. Um detalhe ajuda a alimentar a teoria: Fábio Vaz de Lima, marido da presidenciável Marina Silva (PSB), é primo do deputado federal José Carlos Vaz de Lima, do PSDB de São Paulo.

Como o casal, o tucano também é evangélico.

Em 2010, os primos chegaram a intermediar conversas sobre o apoio de Marina aos tucanos no segundo turno. Marina, porém, preferiu a neutralidade.

Agora, mesmo com a situação ainda indefinida da disputa presidencial, as conversas entre os primos já foram retomadas.

02/09/2014

às 6:00 \ Disseram

O inimigo maior é o PT

“O PSB tem afinidades muito antigas conosco, desde o tempo do Eduardo Campos. O inimigo maior a ser batido é o PT. Tanto pode dar Aécio apoiando a Marina quanto o contrário.”

José Agripino Maia, senador e coordenador da campanha tucana à Presidência, ao afirmar que espera uma parceria entre o PSDB e o PSB em um possível segundo turno

02/09/2014

às 0:41 \ Política & Cia

CONFIRMADO: DILMA NÃO PARTICIPARÁ, HOJE, DA SÉRIE DE ENTREVISTAS DE PRESIDENCIÁVEIS NO “JORNAL DA GLOBO”. Perguntas que seriam feitas a ela vão ser lidas no ar

(Foto: O Globo)

Dilma: apesar de uma expectativa de que voltaria atrás de sua decisão de não conceder entrevista à Globo, o Palácio do Planalto confirmou e a presidente será a única candidata a não comparecer (Foto: O Globo)

 

Depois de aceitar ser entrevistada pelo Jornal Nacional no dia 18 passado, tal como ocorreu com seus principais adversários, a presidente Dilma Rousseff comunicou sexta-feira à Rede Globo que não participará da sequência de entrevistas com candidatos à Presidência que será realizada pelo Jornal da Globo. Por sorteio, Dilma deveria ser entrevistada hoje, terça-feira.

A série começou nesta segunda, com Marina Silva (PSB). Amanhã, será a vez de Aécio Neves (PSDB). O Pastor Everaldo (PSC) ficou de fora por não haver atingido 3% das intenções de voto no mais recente levantamento, do Datafolha, segundo critério divulgado com antecedência pela Globo para fazer os convites a candidatos.

Não por acaso, a decisão tinha sido adotada e comunicada no mesmo dia em que o instituto Datafolha mostrou a presidente petista empatada com Marina Silva (PSB) em intenções de voto para o primeiro turno das eleições, a 5 de outubro, e sendo derrotada por ampla margem — dez pontos — em uma projeção de segundo turno, que se realizará a 26 do mesmo mês.

Dilma não explicou as razões de não se apresentar diante de um entrevistador experiente e firme como o âncora William Waack que, junto com Christiane Pelajo, sua companheira de bancada, fazem as entrevistas. O porta-voz da presidente, Thomas Traumann, simplesmente comunicou que Dilma não iria.

Mesmo assim, havia expectativas na Globo de que a presidente voltaria atrás. Ontem, porém, pouco antes do início do debate do SBT, veio a decisão final da candidata do PT: será a única entre os candidatos convidados a não comparecer.

Como procedimento padrão da Globo, os jornalistas William Waack e Cristiane Pelajo lerão no ar as perguntas que fariam a Dilma.

LEIAM TAMBÉM:

VEJAM AS PERGUNTAS DE QUE DILMA FUGIU NO “JORNAL DA GLOBO”

Em entrevista ao Jornal da Globo, Marina Silva não se posicionou a respeito de assuntos polêmicos e abusou do “marinês”

01/09/2014

às 19:59 \ Política & Cia

Nervosa, atrapalhando-se com as palavras, consultando textos e precisando ler para responder, Dilma vai mal no debate do SBT

Dilma questiona Marina:   (Foto: Reprodução SBT)

Dilma questiona Marina: logo de cara, a presidente se confundiu com as regras do debate e admitiu “nervosismo” (Foto: Reprodução SBT)

Questionada e pressionada por todos os demais seis candidatos à Presidência no debate recém-encerrado pelo SBT, a presidente Dilma Rousseff (PT), aspirante à reeleição, teve uma atuação fraca e sai como a grande perdedora.

Nervosa, algo que admitiu logo no início do programa ao mostrar desconhecimento das regras do debate, Dilma repetiu sucessivamente cantilenas de realizações que ninguém vê, de melhorias que não se identificam e de feitos que só constam do mundo dos sonhos, como a contenção da inflação e o crescimento econômico.

Atrapalhando-se, como sempre, com as palavras, a presidente não deixou uma só vez de consultar textos feitos por sua assessoria ao endereçar perguntas, comentar respostas ou oferecer tréplica. Quando tentou improvisar, tropeçava nas frases e, num universo — o da imagem — em que o que se vê é mais importante do aquilo que se ouve, naufragou.

Eduardo Jorge debate com Aécio

Eduardo Jorge debate com Aécio: nanicos acabaram dando ao candidato tucano o espaço que Dilma e Marina, espertamente, recusaram (Foto: Reprodução SBT)

Aécio Neves (PSDB), desta feita, criticou com mais dureza o governo do que no debate anterior, o da Band, assinalando sempre que possível que a gestão Dilma “fracassou”, afirmando que nenhuma das supostas providências anti-corrupção que a presidente disse ter adotado funcionou e, entre outros pontos, lembrando que há um importante ex-diretor da Petrobras preso. Deixou, porém, de bater em pontos fracos do governo lulopetista, como, entre muitos outros, sua incompreensível aliança com o regime de Cuba.

Marina Silva (PSB), sem perder a postura de Gandhi que costuma adotar, acabou sendo mais direta e clara nas críticas, falando do descontrole da inflação, da paralisia na economia e dos “péssimos serviços prestados à população”, e teve um de seus melhores momentos fustigando Dilma ao assinalar:

– Quando as coisas vão bem, os louros vão para seu governo. Quando vão mal, a culpa é da crise externa ou até da natureza.

Em outro bom momento, Marina disse que é incapaz de reconhecer os erros de seu governo, e sentenciou:

– Se não se reconhecem os erros, não há como repará-los.

Dilma e Marina, em uma tática correta do ponto de vista de seus interesses eleitorais, ignoraram Aécio, que, porém, teve oportunidade de dar seus recados graças a perguntas ou indicação para comentar provenientes dos candidatos nanicos, dos quais, como sempre, o mais patético foi o candidato profissional Levy Fidelix (PRTB), já em sua 10ª campanha eleitoral, todas sem o mais remoto sinal de qualquer repercussão no eleitorado.

O debate, iniciado às 17h45, durou 1 hora e 49 minutos. Foi transmitido pelo SBT e pelos coorganizadores — o portal UOL, o site do jornal Folha de S. Paulo e a rádio Jovem Pan.

LEIAM TAMBÉM:

Empatadas, Dilma e Marina polarizam 2º debate na TV

26/08/2014

às 21:23 \ Política & Cia

IBOPE: Marina venceria Dilma por boa margem no 2º turno

Reuters EFE Estadão

Dilma agora perde por boa margem para Marina no 2º turno, e está quase empatada com ela no 1º. Aécio permanece onde estava (Fotos: Reuters:: EFE:: Estadão Conteúdo)

Pesquisa aponta um novo cenário eleitoral no país com a entrada da ex-senadora na disputa: o segundo turno é uma realidade e a presidente-candidata já não é mais a favorita. Aécio estaciona

Do site de VEJA

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira aponta o crescimento da candidatura de Marina Silva, do PSB, que aparece com 29% das intenções de voto, cinco pontos porcentuais a menos do que a presidente-candidata Dilma Rousseff, que lidera a disputa com 34%. O tucano Aécio Neves marca 19%.

Segundo o levantamento, contratado pela Rede Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo, Pastor Everaldo, do PSC, e Luciana Genro, do PSOL, têm 1% das intenções de voto cada. Os demais concorrentes somam 1%. A sondagem aponta que o 7% do eleitorado pretende votar em branco ou nulo, e 8% estão indecisos. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Foi a primeira pesquisa feita pelo instituto com a presença de Marina, substituta de Eduardo Campos, morto em acidente aéreo no último dia 13. A entrada da ex-senadora mostra um cenário eleitoral completamente diferente: o número de indecisos e dos que declaravam votar em branco ou nulo caiu. Além disso, os números indicam que o segundo turno é uma realidade: os adversários de Dilma somam 51%, ante 34% dela.

A simulação de segundo turno entre Marina e Dilma também confirmam um cenário temido pelo PT desde a consolidação da candidatura da ex-senadora. Segundo a pesquisa, Dilma seria derrotada por Marina por 45% a 36%. Contra Aécio, Dilma ganharia por 41% a 35%.

A rejeição à presidente-candidata continua sendo a mais alta entre os três primeiros colocados – 36%. Aécio marca metade desse patamar – 18% –, e Marina tem 10%.

Foram feitas 2.506 entrevistas em 175 municípios, de 23 a 25 de agosto. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00428/2014.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados