Blogs e Colunistas

Copa do Mundo de 2022

27/09/2012

às 20:05 \ Política & Cia

Assista ao 22° debate sobre o julgamento do mensalão

AO VIVO -- debate sobre o julgamento do mensalão

MENSALÃO EM DISCUSSÃO -- No estúdio do site de VEJA, da esquerda para a direita, Augusto Nunes, Marco Antonio Villa, Ricardo Setti e Reinaldo Azevedo

Assista na íntegra ao 22° debate sobre o julgamento do processo criminal do mensalão.

Participaram da conversa nesta quarta-feira, sob a batuta de meu irmão Augusto Nunes, o colunista Reinaldo Azevedo, o historiador e professor da Universidade Federal de São Carlos Marco Antonio Villa e eu.

Confira na íntegra a transmissão ao vivo pelo site de VEJA.

02/12/2011

às 14:31 \ Vasto Mundo

Parece ironia, mas é verdade: a ONU escolhe maior poluidor da atmosfera per capita do mundo para sediar sua próxima reunião sobre mudança climática

Doha, capital do Catar: dinheiro do país também levou para lá a Copa de 2022

Este mundo é engraçado. Como muitos de vocês já devem saber, não é que a ONU resolveu fazer no emirado do Catar a próxima reunião de cúpula sobre mudanças climáticas?

O nome oficial do encontro é complicado – Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP-18) –, mas mais complicado me parece que o endinheirado e petrodolarizado Catar, que já tinha vencido a corrida para disputar a Copa do Mundo de Futebol de 2022 contra colossos como o Reino Unido, tenha dessa vez superado um país de ponta no avanço tecnológico mundial, a Coreia do Sul.

Mais que tudo, porém, o pequeno Catar, devido a sua indústria de petróleo, é o país do MUNDO com mais emissões per capita de gás carbônico, principal fator do efeito-estufa.

Complexo petrolífero no Catar: maior emissor de gás carbônico per capita do mundo vai sediar em 2012 reunião da ONU sobre... mudanças climátias

O Catar, que tem reservas petrolíferas conhecidas de 15 bilhões de barris, joga na atmosfera da Terra mais de 50 toneladas anuais de gás carbônico por habitante, cifra muito maior do que a da Europa (cerca de 10 toneladas) e bem maior do que um enorme poluidos, como os Estados Unidos (20 toneladas por habitante por ano).

Como no caso anterior de triste ironia – o superpoluidor emirado de Abu Dhabi, também grande produtor de petróleo, bateu a Alemanha, um dos países mais preocupados e atuantes na questão climática e com pesquisas e implantação de fontes limpas de energia, como candidato a sede da Agência Internacional de Energias Renováveis –, parece ter sido levada em conta pela ONU a forte contribuição em dinheiro que o Catar proporcionará à organização do evento.

19/04/2011

às 18:34 \ Tema Livre

Catar começa mal a futura Copa de 2022, prendendo jornalistas esportivos. Por que será que o emirado bilionário ganhou na FIFA de países como Austrália, Japão, EUA…?

Amigos, ainda falta um tempão, mas vai ser curioso ver uma Copa do Mundo de futebol ser realizada num pequeno emirado riquíssimo, plantado no meio do deserto e pleno de progresso material, mas de costumes medievais e submetido a um regime tirânico, como é o caso do Catar e da Copa de 2022.

Talvez vocês tenham lido que dois repórteres esportivos da Rádio e Televisão Suíça acabam de ser soltos depois de 13 confinados compulsioriamente em seu hotel. Os dois foram detidos, algemados como criminosos e interrogados em delegacias de polícia de duas cidades de Catar, Mesaieed e Wakra. Um juiz da capital, Doha, ordenou sua prisão domiciliar, multou-os e confiscou suas câmeras.

O crime tenebroso dos jornalistas suíços foi tentar fazer uma reportagem sobre o futebol no emirado sede da futura e longínqua Copa, cuja infraestrutura incluirá delírios caríssimos como a fabricação de nuvens artificiais que devem fazer sobra sobre os estádios — cobertos e dotados de ar condicionado para enfrentar o enorme calor — durante partidas diurnas.

Aí, amigos, me voltam velhas dúvidas.

Que atrativos terá tido o Catar para os, digamos assim, incorruptíveis chefões da FIFA a ponto de ganhar o direito de sediar a Copa de 2022 de países tão pouco desenvolvidos como a Austrália, o Japão, a Coreia do Sul e os Estados Unidos?

Oficialmente, pesaram na decisão da FIFA a abundância de recursos do emirado para investir na Copa e a promessa de intenso uso de tecnologia moderna para minorar os efeitos do calor.

Será que foi mesmo só isso? Para quem acredita em Papai Noel…

Leia sobre a prisão dos jornalistas aqui.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados