Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Putin diz ter preparado tropas russas a pedido de presidente de Belarus

Presidente russo afirmou, no entanto, que Rússia intervirá somente se necessário e dentro da estrutura dos acordos militares e de segurança existentes

Por Da Redação 27 ago 2020, 19h34

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu nesta quinta-feira, 27, que todas as partes envolvidas na crise em Belarus negociem para superá-la, embora também tenha alertado que está disposto a ajudar o presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, com forças policiais.

Lukashenko “me pediu para constituir uma reserva de agentes das forças de segurança, e eu o atendi”, declarou Putin, acrescentando que espera não recorrer a ela. Ele exortou “todos os participantes deste processo” a “buscarem uma saída” para a crise.

No poder desde 1994, o presidente bielorrusso enfrenta um movimento de protestos sem precedentes provocado por sua polêmica reeleição em 9 de agosto. Manifestantes consideram a votação fraudulenta e acreditam na vitória da opositora Svetlana Tikhanovskaya, em autoexílio na Lituânia.

“Concordamos que ele [Lukashenko] não usará [as forças de segurança russas] até que a situação esteja fora de controle e que os elementos extremistas ultrapassem certas barreiras”, acrescentou o presidente russo.

Ele citou, como exemplo de limites a não serem ultrapassados, incendiar veículos e ocupar prédios públicos. Putin também afirmou que a Rússia intervirá somente se necessário, e dentro da estrutura dos acordos militares e de segurança existentes.

Há dois mecanismos que Putin pode usar para legitimar uma  intervenção, afirmou o portal de notícias russo Meduza em artigo de domingo 16: o Tratado do Estado de União e a Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC).

Continua após a publicidade

O Estado de União é uma organização internacional que envolve apenas Rússia e Belarus. O tratado que a estabeleceu demanda a cooperação de ambos os países em assuntos de segurança nacional e de preservação das estruturas democráticas.

Nesse sentido, a Rússia poderia intervir em Belarus tendo-se em conta que o Kremlin reconheceu a última reeleição de Lukashenko.

Já a OTSC é uma aliança militar que abrange seis países oriundos da dissolução da União Soviética, entre eles Rússia e Belarus. Qualquer membro da aliança tem o direito de providenciar “toda a assistência, incluindo militar” a outro membro em caso de agressão externa — Lukashenko tem acusado “agentes externos” de promover os protestos.

O diretor-executivo da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, respondendo a Putin, pediu que a Rússia não interfira na crise política bielorrussa.

“Ninguém, tampouco a Rússia, deve se intrometer. Belarus é um Estado soberano e independente”, ressaltou Stoltenberg ao jornal alemão Bild.

(Com AFP)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)