Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Alemanha considera ‘bastante provável’ envenenamento de opositor russo

Alexei Navalny foi transferido de hospital na Sibéria após inúmeros pedidos da família, que rejeita resultados de exames realizados na Rússia

Por Julia Braun 24 ago 2020, 09h12

O governo da Alemanha considera “bastante provável” que o russo Alexei Navalny, hospitalizado em estado de coma em Berlim, tenha sido vítima de um envenenamento. O opositor ao governo de Vladimir Putin foi hospitalizado na semana passada na Sibéria após supostamente beber uma xícara de chá adulterada com uma substância tóxica.

“Trata-se de um paciente que de maneira bastante provável foi vítima de um ataque com veneno”, declarou o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert, ao justificar a proteção policial oferecida a Navalny no hospital de Berlim. “A suspeita não abrange o fato de Navalny ter se envenenado, e sim que alguém envenenou Navalny e o governo alemão leva a suspeita muito a sério”, disse o porta-voz.

“Não houve convite formal (do governo alemão), mas, por razões humanitárias, Navalny pôde entrar no país a pedido de sua família”, completou Seibert.

Navalny, um advogado de 44 anos que se tornou o principal opositor do Kremlin – suas publicações sobre a corrupção das elites russas são muito acompanhadas nas redes sociais -, foi hospitalizado na quinta-feira em Omsk, em coma, depois de passar mal a bordo de um avião. No sábado ele foi transportado a Berlim, onde está internado em um dos principais hospitais da cidade.

Os médicos que atenderam o advogado em Omsk afirmaram não ter encontrado resquícios de veneno no sangue e urina de Navalny, após inicialmente afirmarem que os sintomas iniciais eram de envenenamento. A família do opositor alega não ter tido acesso a todos os resultados dos exames realizados.

O hospital russo demorou a autorizar a transferência de Navalny para a Alemanha, apesar dos inúmeros pedidos da família. A lentidão na liberação do paciente levantou suspeitas de que os médicos, a pedido do governo russo, podem ter aguardado o desaparecimento dos vestígios do envenenamento antes de permitir sua viagem.

Navalny, um hábil comunicador, tornou-se um dos maiores opositores do governo de Vladimir Putin, com suas campanhas para denunciar a corrupção entre os altos funcionários do país. Em 2017 sofreu queimaduras químicas em um olho quando alguns homens jogaram um líquido verde usado como desinfetante em seu rosto. Há um ano, o opositor foi envenenado em um centro de detenção.

(Com AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês