Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

EUA lançam novas sanções contra a Rússia após anexações na Ucrânia

Mais de 1.000 pessoas e empresas ligadas à invasão russa estão incluídas no novo pacote, que pretende enfraquecer complexo industrial militar da Rússia

Por Da Redação
30 set 2022, 12h38

Os Estados Unidos impuseram, nesta sexta-feira, 30, uma nova rodada de sanções contra a Rússia que atingem centenas de indivíduos e empresas, depois que o presidente Vladimir Putin anunciou a anexação de regiões ocupadas na Ucrânia.

Mais de 1.000 pessoas e empresas ligadas à invasão russa estão incluídas nas novas sanções, como a presidente do Banco Central, Elvira Nabiullina, e as famílias de membros do Conselho de Segurança Nacional. Mais de 100 parlamentares, os 169 membros do Conselho da Federação da Assembleia Federal da Rússia, e líderes das áreas financeira e militar do país entraram para a lista do Departamento do Tesouro americano.

“Não vamos ficar parados enquanto Putin tenta, fraudulentamente, anexar partes da Ucrânia”, disse a secretária do Tesouro, Janet Yellen.

+ Guterres: ‘Anexação de regiões da Ucrânia pela Rússia viola carta da ONU’

Entre os sancionados também está o vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, as famílias do primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, e do ministro da Defesa, Sergei Shoigu. Fora os indivíduos, 14 fornecedores militares da Rússia, incluindo dois internacionais, foram punidos.

“Os atuais controles de exportação dos Estados Unidos sobre a Rússia podem ser aplicados a entidades em terceiros países que buscam fornecer apoio material aos setores militar e industrial da Rússia e da Bielorrússia”, comunicou o Tesouro.

Continua após a publicidade

A intenção do governo dos Estados Unidos é enfraquecer ainda mais o já degradado complexo industrial militar da Rússia e impor dificuldades à guerra.

O Departamento de Estado disse que impôs restrições de visto a mais de 900 pessoas, lista que inclui membros das forças armadas russas e bielorrussas e outros representantes da Rússia “por violar a soberania, integridade territorial e independência política da Ucrânia”, afirmou.

“Os Estados Unidos rejeitam inequivocamente a tentativa fraudulenta da Rússia de mudar as fronteiras internacionalmente reconhecidas da Ucrânia, inclusive realizando falsos ‘referendos’“, disse Antony Blinken, secretário de Estado dos Estados Unidos.

+ UE promete nunca reconhecer anexação de territórios ucranianos pela Rússia

Após o anúncio de novas sanções, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, condenou a tentativa “fraudulenta” da Rússia de anexar território ucraniano.

Continua após a publicidade

“Não se engane: essas ações não têm legitimidade. Os Estados Unidos sempre honrarão as fronteiras internacionalmente reconhecidas da Ucrânia”, disse Biden.

+ Ataque russo a comboio de carros na Ucrânia deixa pelo menos 25 mortos

O presidente americano defendeu que as novas sanções vão impor custos a indivíduos e entidades “que fornecem apoio político ou econômico a tentativas ilegais de mudar o status do território ucraniano”.

“Exorto todos os membros da comunidade internacional a rejeitar as tentativas ilegais de anexação da Rússia e a apoiar o povo da Ucrânia pelo tempo que for necessário”, completou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.