Clique e assine a partir de 9,90/mês

Covid-19: México cogita vender avião presidencial por suprimentos médicos

O governo de Andrés Manuel López Obrador já havia iniciado uma rifa para liquidar a aeronave, uma promessa que data de sua campanha eleitoral em 2018

Por Da Redação - Atualizado em 13 jul 2020, 17h20 - Publicado em 13 jul 2020, 16h49

O governo do México está considerando uma oferta de 120 milhões de dólares em dinheiro e equipamentos médicos em troca do avião presidencial, disse uma autoridade mexicana nesta segunda-feira, 13. O presidente, Andrés Manuel López Obrador, o AMLO, já prometia que se livraria da aeronave desde antes de sua chegada à Presidência, em 2018.

“A oferta é em dinheiro e também parcialmente em equipamentos médicos”, disse Jorge Mendoza, diretor do Banco Nacional de Obras e Serviços Públicos entidade semelhante ao BNDES —, que está responsável pela venda do avião. Mendoza acrescentou que ele ainda não pode fornecer mais detalhes sobre o lance nem identificar o comprador por razões de confidencialidade.

ASSINE VEJA

Vacina contra a Covid-19: falta pouco Leia nesta edição: os voluntários brasileiros na linha de frente da corrida pelo imunizante e o discurso negacionista de Bolsonaro após a contaminação
Clique e Assine

Como muitas nações, o México tem carecido de suprimentos médicos, incluindo tanques de oxigênio, ventiladores e máscaras em meio à pandemia da Covid-19. A aeronave, um Boeing 787 Dreamliner, custou 220 milhões de dólares (1,1 bilhão de reais) aos cofres públicos quando foi encomendado pelo governo mexicano em 2012. Ela conta com pelo menos um quarto, banheiros revestidos de mármore e uma sala de conferência.,

“É luxuoso demais para um país tão pobre quanto o México”, diz AMLO. Considerado um populista de esquerda, AMLO se elegeu em 2018 sob uma plataforma anti-sistema e disse que o avião é obra de um governo “faraônico”, em ataque ao presidente responsável pela compra, Felipe Calderón.

Continua após a publicidade

Embora a aeronave tenha sido encomendada por Calderón, ela foi utilizada apenas pelo seu sucessor, Enrique Peña Nieto, que governou o país até a eleição de AMLO em 2018. Em sua primeira visita oficial a um chefe de Estado, AMLO viajou para Washington na classe econômica de uma companhia aérea comercial.

O presidente tenta pelo menos desde o início de 2020 liquidar o avião presidencial. Em janeiro, ele anunciou que o governo recebera uma oferta de 125 milhões de dólares (671 milhões de reais).

O lance, porém, precisou ser recusado, pois como explicou o presidente, o governo do México não pode vender o avião presidencial abaixo do valor estimado pelas Nações Unidas, que é de 130 milhões de dólares (700 milhões de reais).

Além das ofertas de compra, o governo mexicano também tem vendido rifas a 25 dólares (135 reais) como uma forma de se livrar da aeronave sem desrespeitar as normas das Nações Unidas. Da meta de 6 milhões de rifas, cerca de 25% já foram vendidas.

Continua após a publicidade

(Com Reuters)

Publicidade