Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Aquarius’ e ‘Chatô’ estão na disputa pela indicação ao Oscar

No total, dezesseis longas passam pela avaliação da comissão formada pelo MinC para tentar uma vaga na categoria de filme estrangeiro da cerimônia

Por Da redação - 5 set 2016, 17h46

O Ministério da Cultura divulgou nesta segunda-feira o nome dos filmes que vão disputar uma indicação nacional ao Oscar. No total, dezesseis longas serão avaliados por uma comissão especial. O número é quase o dobro do ano anterior, quando nove títulos pleitearam a chance de concorrer à categoria de melhor filme estrangeiro na premiação. O longa escolhido será anunciado no dia 12 de setembro para, depois, ser submetido ao crivo da Academia de Hollywood, que pode ou não nomeá-lo para a cerimônia de 2017.

Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, está entre os inscritos. Considerado um dos candidatos mais fortes, a produção, que concorreu à Palma de Ouro no Festival de Cannes, levou cineastas a desistirem da corrida pela indicação. A atitude foi tomada com o intuito de dar mais verniz ao longa pernambucano, estrelado por Sônia Braga.

Outro nome que chama a atenção na lista é Chatô – O Rei do Brasil, de Guilherme Fontes. O filme que demorou quase 20 anos para ficar pronto surpreendeu, de forma positiva, a crítica e o público quando foi lançado, em novembro de 2015.

LEIA TAMBÉM:
Sonia Braga em ‘Aquarius’: ‘Piano foi mais difícil que sexo’
Governo recua e reduz classificação de ‘Aquarius’ para 16 anos

Os outros longas que disputam a vaga são: A Despedida, de Marcelo Galvão; Mais Forte que o Mundo, de Afonso Poyart; O Outro Lado do Paraíso, de André Ristum; Pequeno Segredo, de David Schurmann; Uma Loucura de Mulher, de Marcus Ligocki Júnior; Nise – O Coração da Loucura, de Roberto Berliner; Vidas Partidas, de Marcos Schechtman; O Começo da Vida, de Estela Renner; Menino 23: Infâncias Perdidas no Brasil, de José Belisario Cabo Penna Franca; Tudo que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado; Campo Grande, de Sandra Kogut; A Bruta Flor do Querer, de Andradina Azevedo e Dida Andrade; Até que a Casa Caia, de Mauro Giuntini; e O Roubo da Taça, de Caito Ortiz.

Continua após a publicidade

As produções obedecem regras da Academia de Hollywood, como duração e data de lançamento no Brasil e nos Estados Unidos, por exemplo, e foram inscritos por suas equipes no MinC até o último dia 31 de agosto.

A comissão que vai analisar os longas é formada por Adriana Scorzelli Rattes; Luiz Alberto Rodrigues; George Torquato Firmeza; Marcos Petrucelli; Paulo de Tarso Basto Menelau; Silvia Maria Sachs Rabello;  Sylvia Regina Bahiense Naves; Carla Camurati e Bruno Barreto.

Publicidade