Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Tela Plana

Por Kelly Miyashiro
Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming
Continua após publicidade

Boicote ou fiasco? Harry e Meghan perdem popularidade — e contratos

Estagnados e sem projetos no horizonte, o casal supostamente se sente encurralado pelo histórico monárquico e busca fazer as pazes com a família

Por Thiago Gelli Atualizado em 9 Maio 2024, 18h25 - Publicado em 18 dez 2023, 15h48

Ex-membros oficiais da família real britânica, o príncipe Harry e a duquesa Meghan Markle deixaram seus postos monárquicos para investir em uma vida sob os holofotes de Hollywood em 2020. Desde então, eles fundaram a produtora Archewell, filmaram uma série documental para a Netflix, gravaram podcasts exclusivos do Spotify, compraram direitos para adaptações e prestaram uma entrevista bombástica para a apresentadora Oprah — antes de revelarem mais detalhes sobre a pomposa casta que deixaram na autobiografia O Que Sobra, de Harry. Meros 3 anos depois, no entanto, o material parece ter acabado.

Segundo o jornal Express, uma série de projetos frustrados e parcerias publicitárias interrompidas faz com que o casal acredite que a realeza ainda esteja se vingando pela rixa iniciada. Um informante próximo aos dois revelou ao jornal que o sucesso de suas empreitadas do passado não é refletido por expectativas promissoras: “Houveram negociações com marcas de alto nível que pareciam ideais, mas não foram para frente. Depois disso, essas empresas procuraram outros representantes dentro da família real”.

Dentre tais casos, a grife Dior teria ferido o par ao negar uma parceria concreta para, então, estabelecer laços com a rainha consorte Camilla, além de contratar a atriz Meg Bellamy — que vive Kate Middleton em The Crown — como garota propaganda.

Desde que estabeleceu contrato com a agência de talentos William Morris Endeavor, em abril, Meghan não iniciou um trabalho sequer. Enquanto isso, o casal encerrou contrato com a plataforma Spotify — chamados de “vigaristas” pelo executivo Bill Simmons — e também suspenderam a produção de outro documentário para a Netflix. De acordo com a fonte do Express, a estratégia agora é “tentar reparar o dano que causaram à família real e esperar que tal conexão os tire das trincheiras”.

Para além do possível “boicote”, outra teoria é que o foco de ambos em discutirem as dinâmicas internas da realeza gastou a paciência do público e os arrancou credibilidade — valor especialmente desgastado pela prosa constrangedora e falta de foco do livro escrito por Harry, em que demonstra pouca capacidade intelectual para ir além da simples fofoca ou sensacionalismo.

Acompanhe notícias e dicas culturais nos blogs a seguir:

Tela Plana para novidades da TV e do streaming
O Som e a Fúria sobre artistas e lançamentos musicais
Em Cartaz traz dicas de filmes no cinema e no streaming
Livros para notícias sobre literatura e mercado editorial

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.