Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

O que se sabe sobre o incêndio no CT do Flamengo

Fogo atingiu alojamento de atletas das categorias de base do clube na madrugada desta sexta-feira. Dez morreram e três estão feridos

O incêndio que atingiu o Ninho do Urubu, como é conhecido o Centro de Treinamento do Flamengo, em Vargem Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro, na madrugada desta sexta-feira 8, deixou dez mortos e três feridos, todos jogadores das categorias de base do clube carioca.

Veja abaixo o que se sabe sobre o incidente até o momento:

Causas do incêndio

Jogadores da base do Flamengo que sobreviveram relataram que, minutos antes de o fogo começar, houve uma explosão em um aparelho de ar-condicionado. Também segundo esses relatos, o fogo se alastrou muito rapidamente. “O ar-condicionado pegou fogo, daí foi gerando um curto-circuito em todos os ar-condicionados, pegando tudo. Foi muito rápido, muito rápido. Não deu para conseguir chamar quase ninguém”, relatou Samuel Barbosa, piauiense de 16 anos que joga como zagueiro. Ele gravou um vídeo para tranquilizar os familiares.

A perícia inicial feita pela Polícia Civil corrobora a tese. Um sobrevivente da tragédia afirmou ao programa Fantástico, da TV Globo, que havia uma “gambiarra” no equipamento alocado no alojamento.

O Flamengo e a NHJ do Brasil, empresa responsável pelas estruturas, admitem a presença de poliuretano, considerado inflamável, mas declaram que havia tecnologia antichamas nos alojamentos. O Corpo de Bombeiros foi acionado às 5h17 e o fogo foi controlado ainda no início da manhã.

Nesta segunda-feira 11, haverá uma reunião de trabalho para discutir as causas da tragédia e as atitudes que serão tomadas a partir de agora. Estarão presentes a Prefeitura, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Polícia Civil, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros.

Mortos

Foram confirmadas as mortes dos goleiros Christian Esmério, 15 anos, e Bernardo Pisetta, 14 anos; dos zagueiros Pablo Henrique da Silva, 15 anos, e Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, 14 anos; do lateral-direito Samuel Thomas de Souza Rosa, 15 anos; dos volantes Jorge Eduardo dos Santos, 15 anos, e Rykelmo de Souza Viana, 16 anos; do meio-campista Gedson Santos, 14 anos; e dos atacantes Vitor Isaías, 15 anos, e Athila Paixão, 14 anos. 

Neste domingo 10, o Instituto Médico Legal (IML) do Rio concluiu a identificação dos dez mortos. Os últimos dois corpos identificados foram Samuel Thomas e Jorge Eduardo. Neste sábado, 9, Arthur Vinícius de Barros Silva Freiras, foi enterrado em Volta Redonda (RJ), e Pablo Henrique da Silva Matos, em Oliveira (MG). Christian Esmério foi enterrado no Cemitério de Irajá, na capital carioca. Bernardo Pisetta e Vitor Isaías foram levados para suas cidades em Santa Catarina. Bernardo foi velado em Indaial e Vitor, em Florianópolis.

A diretoria do Flamengo afirmou que, em apoio às famílias, manterá o pagamento dos salários.

Veja também

Feridos

Os três feridos também são menores de idade: Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos; Francisco Diogo Bento Alves, 15; e Jonathan Cruz Ventura, 15. Segundo assessoria do Hospital Vitória, Cauan e Francisco estão fora de perigo. O primeiro, inclusive, já deixou a UTI.

Jonathan teve 30% do corpo queimado e sua situação é considerada “gravíssima”. Ele foi transferido para o Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Municipal Pedro II. Segundo o Corpo de Bombeiros, os três foram resgatados do lado de fora do alojamento.

Certificação dos bombeiros

O Ninho do Urubu não estava regularizado junto ao Corpo de Bombeiros. Segundo o órgão, o local não possui o Certificado de Aprovação (CA), que atesta a existência e o funcionamento dos dispositivos contra incêndio. Em nota, porém, a corporação afirmou que “a não existência do CA não significa, por si só, que o local não possuía os dispositivos, e sim que não era aprovado” pelos Bombeiros.

O clube carioca chegou a ser multado 30 vezes pela Prefeitura por funcionar sem alvará. Além das multas, a gestão do prefeito Marcelo Crivella (PRB) mandou interditar o local em 20 de outubro de 2017, mas o CT continuou em funcionamento.

Alojamento seria desativado 

O incêndio atingiu uma das partes mais antigas do Ninho do Urubu, que seria desativada até março. O local, provisório, possuía seis quartos, com cinco camas em cada. O alojamento abrigava jovens de 14 a 17 anos. Como não havia treino nesta sexta-feira, os atletas que moravam no Rio estavam em suas casas, o que reduziu o número de vítimas.  

Estacionamento no local do dormitório

A área atingida pelo fogo está descrita como estacionamento no último projeto de licenciamento aprovado pela Prefeitura do Rio, em 5 abril de 2018. No arquivo da prefeitura não havia qualquer alojamento no local. Também de acordo com a gestão do prefeito Marcelo Crivella, não havia registro de pedido de licenciamento da área para que fosse utilizada como dormitório. A prefeitura vai determinar a abertura de processo de investigação para apurar responsabilidades.

Rodada do Carioca adiada

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) adiou os dois jogos válidos pelas semifinais da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, incluindo a partida entre Flamengo e Fluminense, e a 4ª rodada do Grupo X, que definirá os dois rebaixados para a segunda divisão do estadual. Em seu site, a FERJ afirma que o adiamento ocorre “em solidariedade as vítimas da tragédia do CT do Flamengo, e por não ter clima para futebol neste fim de semana”. A diretoria da FERJ também decretou luto oficial por três dias. As duas partidas da Taça Guanabara ocorrerão na quarta-feira, 13, e na quinta-feira.

Luto oficial de três dias

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), decretou luto oficial de três dias pelas vítimas do incêndio. Em sua conta no Twitter, Witzel manifestou seu “mais profundo pesar” pela tragédia e prestou solidariedade às famílias. O governador também determinou que fosse feita uma “investigação minuciosa” sobre o ocorrido.