Blogs e Colunistas

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Chapa quente

De volta

De volta

Se não houver contratempo no Judiciário, uma chapa está definida para a disputa majoritária em Brasília.

José Roberto Arruda se acertou com Joaquim Roriz e será candidato ao governo, tendo Liliane Roriz  (filha de Joaquim)como sua vice. A chapa se completa com Gim Argello, candidato à reeleição ao Senado.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Duas versões

Descartando filhas para o governo

Descartando filhas para o governo

Joaquim Roriz afirmou e reafirmou a Gim Argello que não planeja lançar nenhuma de suas filhas candidata ao governo do Distrito Federal e que ele próprio encabeçará a chapa contra Agnelo Queiroz no ano que vem.

Não convenceu. Gim, por sua vez, hoje, diz não haver a menor possibilidade de se candidatar a deputado federal. Quer o Senado ou o governo.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

6:02 \ Partidos

Roriz quer voltar

Articulando retorno

Joaquim Roriz quer voltar à cena já em 2014: procurou Michel Temer na quarta-feira de manhã e, na reunião de uma hora e meia, com a presença de Eliseu Padilha, foi objetivo:

- Quero voltar ao PMDB e à política. Na verdade, nunca deixei de me sentir quadro do partido.

Roriz, com a saúde debilitada e caminhando auxiliado por uma bengala, ainda não definiu o nome para capitanear seu projeto de disputa do governo do Distrito Federal: o dele próprio ou o de uma de suas filhas.

Eliseu Padilha fez muito mais do que só acompanhar a conversa. Padilha não tirou a mão do celular e manteve Tadeu Filippelli, hoje principal nome do PMDB no DF, informado de cada frase de Roriz.

Obviamente, uma hora depois, Flippelli pediu uma audiência com Temer e foi recebido. Temer prometeu agendar uma reunião com ele e Roriz para acertar os ponteiros e, quem sabe, bater o martelo sobre 2014.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

8:32 \ Congresso

Mérito Legislativo 1

Haddad: condecorado

A Câmara mede seus preferidos com a régua de seus 513 deputados. Só isso explica a escolha de algumas figuras que receberão a Medalha do Mérito Legislativo, maior honraria concedida pela Casa. As indicações são feitas pelo presidente, pelos membros da Mesa Diretora ou líderes.

Fernando Haddad, como professor e doutor da USP, claro, e não por ser o escolhido de Lula para a prefeitura de São Paulo, está entre os que serão homenageados hoje. Estará ao lado do correligionário Jaques Wagner. A lista tem ainda lideranças ilustres, como Eduardo Lopes, suplente de Marcelo Crivella, e José Thomaz Nonô.

Também sairão com a medalhinha no peito Tadeu Filippelli, aquele mesmo que foi secretário de Joquim Roriz, depois se aliou a José Roberto Arruda e agora, obviamente, é vice-governador de Agnelo Queiroz. Kátia Abreu é outra que merece, na avaliação da Câmara, assim como, de Minas, Antônio Anastasia e Arlindo Porto Neto, presidente da Cemig.

Aliás, entre empresários há um representante da Odebrecht, empreiteira que mais recebeu recursos federais em 2012. É Cláudio Melo Filho, vice-presidente de Relações Políticas e Institucionais, como o nome diz, cargo responsável por fazer o meio de campo entre a empresa e os políticos.

A turma da religião – eclética – vem de: “Sua reverência Pastor Paulo Alves Corrêa, presidente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Ministério de Santos”, como diz a relação oficial da Câmara; e outras “sua reverência”, como o pastor Samuel Ferreira, presidente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Brás; o Padre Rosalvino Morán Viñayo; e a Mãe Beata de Iemanjá Beatriz Moreira Costa.

Por Lauro Jardim

domingo, 7 de outubro de 2012

8:08 \ Brasil

Vacas magras

Roriz: dos bezerros de ouro às vacas magras

Em seus tempos como governador, Joaquim Roriz ficou célebre por compras milionárias de gado de elite. Somando todos os leilões que participou, estimava-se que possuísse um plantel de 20 milhões de reais. No primeiro semestre deste ano, no entanto, já sem mandato, Roriz promoveu dois leilões em sua fazenda para se desfazer dos seus bezerros de ouro. Amealhou 1,8 milhão de reais, pagos a prestação.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Imagem de Roriz

Puxador de votos no entorno goiano do DF

Nesta reta final de campanha, Joaquim Roriz virou uma espécie de Lula do Centro-Oeste. Puxador de votos nos bolsões de pobreza do entorno do Distrito Federal, Roriz já foi à TV pedir votos para os aliados e participou de uma série de comícios.

Roriz continua tão popular que na campanha pela prefeitura de Luziânia (GO), por exemplo, nem o PT conseguiu recusar seu apoio. É que o candidato de Roriz na cidade é Cristóvão Vaz (PSD), que tem como vice o petista Didi Viana.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 7 de agosto de 2012

18:32 \ Congresso

Roriz JK

Jaqueline e JK

Juscelino Kubitschek deve ter passado maus bocados no túmulo nesta tarde. O motivo? Aproveitando o vazio no plenário da Câmara, a notória Jaqueline Roriz (aquela do dinheiro na mochila) subiu à tribuna para fazer um discurso de exaltação ao legado do seu criador: Joaquim Roriz.

Para um plenário de sete deputados, depois de dizer que Roriz seria um injustiçado por aqueles que criaram a Lei da Ficha Limpa, Jaqueline se pôs a comparar o pai a ninguém menos que JK.

Assim como JK, disse Jaqueline, Roriz seria “um idealista, um visionário” que “construiu Brasília para todos”, mas que, “assim como JK”, sofreu perseguições dos seus opositores políticos.

Depois de reescrever a história política do pai e do Distrito Federal, Jaqueline encerrou o discurso com a pérola maior:

– JK teve coragem para criar Brasília, mas Roriz teve coragem para consolidar…

Por Lauro Jardim

terça-feira, 17 de julho de 2012

14:23 \ Diversos

Roriz quer voltar

Ele não desiste

Com medo de ter a candidatura implodida pelo STF a partir do julgamento da validade da Lei da Ficha Limpa, Joaquim Roriz desistiu de concorrer ao governo do Distrito Federal nas eleições de 2010. Dois anos depois de colocar a própria mulher, Weslian, na disputa contra Agnelo Queiroz, quem diria, Roriz quer voltar.

Encorajado pelas sucessivas trapalhadas da gestão petista, Roriz acredita que pode provar na Justiça que não se tornou ficha suja quando renunciou ao mandato de Senador para escapar da cassação em 2007.

Na sua lógica jurídica, o processo no Senado poderia levar a penas alternativas (censura ou suspensão temporária, por exemplo), o que eliminaria a tese de que teria renunciado para evitar a condenação máxima da perda de mandato.

A fixação de Roriz por voltar a ter um mandato público é tão grande que ele já entrou com uma ação na Justiça Federal do Distrito Federal pedindo uma ação declaratória atestando que nada existe contra ele no tribunal.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 6 de julho de 2012

7:28 \ Congresso

Roriz de inspiração

Referência para os petistas

Quando procurou Carlinhos Cachoeira para pedir dinheiro em troca de esquemas na prefeitura de Palmas, o petista Raul Filho tinha como “referência” nesse tipo de prática um velho conhecido da política brasiliense: Joaquim Roriz.

Na conversa com o bicheiro, gravada em 2004, um dos assessores de Raul reclama de ter que “correr atrás de empresários” durante a eleição e fala em “construir um porto seguro” com Cachoeira para outras eleições:

– Para na época de eleição, Carlinhos, a gente não ter que correr atrás de empresários. Igual ao Roriz. O Roriz não corre atrás de empresário. Você sabe que ele não corre, né?

E Cachoeira:

– Claro!

E o assessor conclui o pensamento malandro:

– O Roriz não corre atrás porque a parceria é feita na hora certa. Talvez, a gente queira construir esse porto seguro para outras eleições: vocês com a gente e a gente com vocês.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 3 de abril de 2012

8:31 \ Congresso

As lições da bezerra de ouro

Exemplo para Demóstenes no Senado

Flagrado em um grampo acertando com o então presidente do BRB, Tarcísio Franklim Moura, o desconto de um cheque de 2,2 milhões de reais (supostamente para a compra do embrião de uma bezerra), Joaquim Roriz não teve outra saída a não ser renunciar ao mandato de senador.

O caso se deu em 2007 e virou um exemplo óbvio do que pode acontecer com Demóstenes Torres nesse turbilhão de conversas comprometedoras com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Como Demóstenes, Roriz era senador e não era investigado. O final de Roriz é mais do que conhecido. Alguém arrisca um desfecho para Demóstenes?

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 5 de março de 2012

16:27 \ Brasil

Agnelo e Roriz

Agnelo busca Roriz

Agnelo Queiroz anda tão desesperado com o esgarçamento de sua base de apoio que, recentemente, pediu a um dos seus articuladores políticos para trabalhar uma aproximação com Joaquim Roriz.

Por Lauro Jardim

sábado, 10 de dezembro de 2011

3:24 \ Brasil

Bezerros de ouro

Mais uma oportunidade de faturar com os bezerros de ouro

Joaquim Roriz está organizando para os próximos dias um megaleilão para vender parte substancial do seu plantel de gado Nelore. Quem entende de pasto, vacas e bois garante que é coisa para botar pelo menos uns dez milhões de reais no bolso.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 25 de outubro de 2011

15:03 \ Congresso

Call center de Roriz contra Agnelo

Senadores e deputados da oposição foram procurados nos últimos dias pela turma de Joaquim Roriz. O motivo do contato? Proliferar no Congresso um rosário de denúncias envolvendo Agnelo Queiroz e as tramoias no Ministério do Esporte.

Alvo de alguns telefonemas, Demóstenes Torres conta que até ficou curioso para saber o que tanto deseja falar uma deputada distrital que insiste em ligar no seu gabinete:

– Quero ver as provas que esse pessoal tem. Vai que é coisa boa.

Por Lauro Jardim

sábado, 1 de outubro de 2011

1:02 \ Brasil

Ele está podendo

Quem dá mais - Roriz, rindo à toa: 2 milhões de reais por uma vaca

Talvez para comemorar a inacreditável absolvição de sua filha Jaqueline no processo de cassação de mandato, Joaquim Roriz abriu a carteira no leilão de gado organizado por Jonas Barcellos há duas semanas, em Uberaba (MG). Roriz deu um lance de 2 milhões de reais por uma vaca nelore. Não levou. Outro pecuarista ofertou 20 000 reais a mais. Mas serviu para mostrar que dinheiro não é de modo algum problema.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

12:21 \ Brasil

Agnelo vaiado

Retrato do governo petista de Agnelo Queiroz no Distrito Federal, após nove meses: ao ser anunciado em um evento para 1 000 convidados da elite brasiliense na última segunda-feira, Agnelo foi generosamente vaiado pelos presentes. Para quem só precisava sair-se melhor que os antecessores José Roberto Arruda e Joaquim Roriz…

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 15 de abril de 2011

12:29 \ Congresso

Tal pai, tal filha?

Ameaçada de cassação, Jaqueline Roriz tem tido um desempenho parlamentar semelhante ao do pai, Joaquim Roriz, que passou em 2007 seis meses no Senado mas renunciou ao mandato para escapar do processo de perda de mandato. Jaqueline até agora não apresentou um projeto de lei sequer. Sugeriu apenas sete emendas a medidas provisórias enviadas pelo governo que ainda não foram apreciadas pela Câmara dos Deputados.

Na breve passagem, o pai apresentou uma PEC e dois projetos de lei (um deles complementar).

Por Lauro Jardim

terça-feira, 12 de abril de 2011

6:01 \ Judiciário

Vale versus Petros 2

No recurso ao STJ, Vale e Petros serão representados por dois advogados de peso. Pela empresa privada, Alberto Pavie, que já defendeu, por exemplo, Joaquim Roriz e Daniel Dantas. Do lado do fundo de pensão, o ex-presidente do Supremo Sepúlveda Pertence.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 25 de março de 2011

19:55 \ Judiciário

O que Arruda queria no MP

No encontro que tiveram em setembro passado, revelado hoje pelo O Estado de S. Paulo, José Roberto Arruda disse a Roberto Gurgel que iria revelar o esquema de corrupção no DF comandado pelo seu antecessor, Joaquim Roriz.

Gurgel e o chefe da Procuradoria Regional da República da 1ª Região (com sede em Brasília), Alexandre Camanho, que intermediou a conversa, cobraram então de Arruda que entregasse documentos que pudessem dar sustentação ao que iria falar. Como os papéis não vieram, as conversações não foram adiante.

Durante as negociações para o encontro, Arruda até chegou a propor a Gurgel um acordo de delação premiada, mas o procurador-geral da República rechaçou-o de pronto.

A propósito, Arruda foi quem não quis que seus advogados participassem do encontro.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 18 de março de 2011

14:22 \ Brasil

Roriz no estaleiro

Desde segunda-feira, Joaquim Roriz está em São Paulo fazendo exames no Hospital Albert Einstein para saber se precisará fazer uma cirurgia na coluna. Há pelo menos cinco anos, Roriz tem se queixado de dores nas costas, que aumentaram, segundo amigos pessoais, durante a campanha.

Há uma suspeita de que Roriz também teria problemas renais. Por conta dos problemas de saúde, assessores têm tentado filtrar as (más) notícias que envolvem sua filha, Jaqueline. Se estão conseguindo, aí é outra história.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

9:29 \ Congresso

Fora de forma

A propósito, Jaqueline Roriz pediu a Simão Sessim ingressos para assistir ao Carnaval do Rio de Janeiro no Sambódromo. Sessim disse que poderia até colocá-la para desfilar na Beija-Flor, mas a filha de Joaquim Roriz agradeceu e respondeu que estava fora de forma.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

17:52 \ Congresso

Sombras de Brasília

Jorge Pinheiro, ex-deputado federal por Brasília enrolado no escândalo dos sanguessugas, tomou posse na Câmara há pouco como parlamentar por Goiás. Outro que também assumiu mandato pelo estado, mas com passagem em cargos na capital, foi Valdivino de Oliveira, ex-secretário de Fazenda dos governos Joaquim Roriz e José Roberto Arruda.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Vaias em Brasília

Na diplomação dos eleitos no Distrito Federal a plateia do Centro de Convenções está animada. Já vaiou, por exemplo, o notório Agaciel Maia e as duas filhas de Joaquim Roriz, uma eleita para a Câmara Distrital e a outra para a Câmara dos Deputados.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

13:23 \ Judiciário

Esperando a PF

Hoje, completa 50 dias sem que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, tenha recebido um retorno da Polícia Federal sobre a perícia e a degravação do vídeo do encontro entre Joaquim Roriz e o advogado Adriano José Borges, genro do ministro Carlos Ayres Britto.

Gurgel remeteu no dia 5 de outubro o caso para a PF, como parte das investigações que visava descobrir em que circunstâncias foi negociado o pagamento de 4,5 milhões de reais para que Borges se tornasse advogado de Roriz no Supremo.

O chefe do MP reiterou o pedido no dia 28 de outubro, sem resposta da polícia até agora. Caso o genro de Britto entrasse na causa, o ministro teria de se declarar impedido no julgamento. Assim, Roriz – que posteriormente renunciou à candidatura em prol da mulher, Weslian – teria mais chances de não ser barrado pela Lei da Ficha Limpa.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Jean Charles “apoia” Roriz

Plataforma de apoio à candidatura da mulher de Joaquim Roriz ao governo do Distrito Federal, o jornal DF Notícias traz em suas páginas depoimentos elogiosos ao ex-governador.

Antônio Jorge Gomes foi um dos “entrevistados”. Beleza, se a foto publicada do suposto eleitor (é a terceira foto da terceira coluna) não fosse de Jean Charles de Menezes, brasileiro assassinado pela polícia londrina após ser confundido com um terrorista.

Roriz abandonou a disputa e colocou em seu lugar a mulher, Weslian, depois que o STF adiou o julgamento em que ele era acusado de ser um ficha suja.

Por Lauro Jardim

PGR envia vídeo de Roriz para análise da PF

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, encaminha nesta manhã para a Polícia Federal o vídeo do encontro entre Joaquim Roriz e o advogado Adriano José Borges, genro do ministro Carlos Ayres Britto. No final da tarde de ontem, a defesa de Roriz entregou ao Ministério Público a íntegra do vídeo para que a PF possa periciar e degravar o conteúdo.

Na sexta-feira passada, Gurgel abriu uma investigação para saber as circunstâncias em que foi negociado o pagamento de 4,5 milhões de reais para que Borges se tornasse advogado de Roriz no Supremo. Se o genro de Britto entrasse na causa, o ministro teria de se declarar impedido no julgamento. Assim, Roriz teria mais chances de não ser barrado pela Lei da Ficha Limpa.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

19:09 \ Judiciário

PGR abre investigação sobre caso Roriz

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, acaba de abrir uma investigação preliminar para apurar as circunstâncias do encontro entre Joaquim Roriz e o advogado Adriano José Borges, genro do ministro Carlos Ayres Britto (leia mais detalhes na nota postada às 13h02). A abertura da apuração atendeu a pedido de Cezar Peluso.

Roriz tem até segunda-feira para entregar a Gurgel a íntegra do vídeo. Depois disso, o procurador-geral vai remeter a filmagem para ser degravada e periciada pela Polícia Federal.

Por Lauro Jardim

Britto constrangido

Carlos Ayres Britto não voltou ontem para o plenário do Supremo depois do intervalo. Ficou constrangido quando assistiu no gabinete ao vídeo da conversa em que Joaquim Roriz negocia com seu genro, Adriano José Borges, o pagamento de 4,5 milhões de reais.

Se Borges entrasse na causa, Britto teria de se declarar impedido – o que aumentaria as chances de Roriz não ter sua ex-candidatura ao governo do DF barrada.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 28 de setembro de 2010

MP quer barrar candidatura de mulher de Roriz

O Ministério Público Eleitoral no DF é favorável a barrar a candidatura de Weslian Roriz, ao governo de Brasília. Segundo os procuradores regionais Eleitoral Renato Brill de Góes e José Osterno Campos de Araújo, o prazo para substituição de candidatos encerrou-se em agosto. Joaquim Roriz renunciou à candidatura na última sexta-feira em favor da mulher.

No parecer de 23 páginas encaminhado ao relator do caso no TRE-DF, Luciano Moreira Vasconcelos, os procuradores argumentam que a troca só poderia ser feita até o dia 20 de agosto – dez dias depois que foi publicada a primeira decisão que barrou a candidatura de Roriz.

O registro de Weslian será julgado pelo TRE/DF no sábado, véspera do primeiro turno.

Por Lauro Jardim

MP pede extinção de recurso de Roriz

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, acaba de enviar parecer a favor do arquivamento do recurso de Joaquim Roriz, proibido pela Lei da Ficha Limpa de se candidatar ao governo do DF. O Supremo vai retomar amanhã à tarde o julgamento do recurso, suspenso na semana passada após dois dias de discussão em um placar empatado, de cinco votos a cinco.

Na manifestação de oito páginas, Gurgel afirma que, pelo Código de Processo Civil, o pedido de desistência da defesa de Roriz tem que ser acatado pelo STF. Isso porque, pela lei, antes da conclusão do julgamento, o recorrente pode requerer a retirada do pedido a qualquer tempo, mesmo em casos que ganham repercussão geral (leia mais na nota postada ontem às 12h23).

Para o chefe do MP, o recurso deve ser extinto com a renúncia de Roriz em favor da mulher, Weslian. Disse Gurgel:

– Esse objetivo, evidentemente, ficou esvaziado em razão da renúncia do recorrente à sua candidatura, não subsistindo interesse nos recursos interpostos, parecendo certo não haver conclusão senão a de que os presentes recursos perderam o objeto.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Distância suprema

Carlos Ayres Britto não conversou com nenhum colega do Supremo durante a sexta-feira. Após dois exaustivos dias de julgamento do recurso de Joaquim Roriz, suspenso já na madrugada de sexta diante do impasse por causa do empate na sessão, Britto passou o final de semana em Aracaju, sua terra natal.

Até o início daquela noite, o ministro não sabia que o recurso de Roriz, do qual é relator, será retomado depois de amanhã.

Por Lauro Jardim
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados