Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Dieta sem glúten pode aumentar risco de doenças

Apesar de ter virado moda, a dieta pode favorecer o surgimento de doenças cardiovasculares, câncer e distúrbios no sistema nervoso

Por Da Redação Atualizado em 16 fev 2017, 13h35 - Publicado em 15 fev 2017, 17h35

Não faz muito tempo que o glúten, proteína presente no trigo, no centeio, na cevada e no malte, assumiu o posto de vilão da saúde. A má fama teve início quando as celebridades começaram a propagar que uma dieta livre de glúten era o segredo para manter uma boa forma. Agora, a ciência lança um novo alerta para aqueles que seguem essa alimentação restritiva, indicada essencialmente para quem tem doença celíaca. De acordo com um novo estudo, quem segue o regime ‘gluten free‘ fica mais exposto a metais tóxicos, aumentando assim o risco de várias doenças, desde cardíacas a distúrbios no sistema nervoso.

O levantamento foi publicado na revista científica Epidemiology, da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos e utilizou dados da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição. Segundo os resultados, os 73 participantes adeptos da dieta livre de glúten entre os 7.471 que completaram a pesquisa, entre 2009 e 2014, apresentavam concentrações duas vezes mais altas de arsênio nos exames de sangue e urina em relação aos que não seguiam a dieta. Já os níveis de mercúrio eram 70% maiores.

Apesar do resultado, os cientistas acreditam que é necessária uma pesquisa longa para determinar as consequências desse tipo de alimentação na saúde.  De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a exposição prolongada ao arsênio pode causar câncer, doenças cardíacas, diabetes, lesões na pele, problemas de desenvolvimento e distúrbios no sistema nervoso.

Os sintomas da contaminação por arsênio incluem vômito, dores abdominais e diarreia. Para o mercúrio os sintomas são os mesmos, incluindo um aumento da pressão arterial e, a longo prazo, problemas nos rins ou cérebro.

A contaminação ocorreria porque produtos livres de glúten normalmente contém farinha de arroz como substituta da proteína. No entanto, o arroz é conhecido por acumular certos metais pesados, como o mercúrio e o arsênio. Esses metais são encontrados também em tintas, corantes, assim como fertilizantes e pesticidas. 

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)